Problemas com escolas, como trazer dinheiro e fumar sai caro – PCVV#7

Pint Conversa e Vice-Versa (PCVV) de hoje vem regado à cerveja de trigo e sol na cara! :)

Falamos sobre como parar de fumar faz bem não apenas pra saúde mas também pro bolso do intercambista…
E por falar em dinheiro, falamos sobre qual a melhor forma de trazer os 3000 euros e o Ti contou sobre a experiência dele fazendo freela em festivais aqui na Irlanda.

Além disso, já deixamos a dica pra quem estará em São Paulo na sexta-feira agora, dia 25 de abril – tem E-Dublincontro!!!!! :)

Ti também aproveitou pra contar pras meninas como funcionam os anticoncepcionais :P

Só dar o play! ;)
E não se esqueçam de contar pra gente o que acharam aqui nos comentários!

Você tem alguma pergunta que gostaria que a gente respondesse no vídeo?
Clique aqui, nos envie sua pergunta ou sugestão ou deixe um comentário aqui embaixo!

Links comentados no vídeo:

Quanto custa fumar na Irlanda?

E-Dublincontro em São Paulo dia 25/04/14 (post)

E-Dublincontro (evento no Facebook)

 Trabalhar em festivais + video do After the Plane contando como foi pro Tiago trabalhar na Oxegen

Escolas em Dublin proibidas de emitir visto

Como levar dinheiro pro intercâmbio

Como levar medicação específica para a Europa

Levar medicamentos é sempre um problema na hora de arrumar as malas para a Europa. Imagina para quem pretende ficar um ano fora? A medicação controlada é a mais polêmica. Ela pode e deve acompanhar o viajante durante o voo, desde que sejam seguidos alguns cuidados. Se você faz uso de qualquer remédio controlado, como ansiolíticos ou medicamentos para asma, é preciso levar receita médica. O mesmo vale para diabéticos que precisam aplicar insulina.

Se o tempo de permanência no país de destino é longo a recomendação é levar medicação suficiente para toda sua estadia. Com receita, claro.

tecnologia.farmaceutica

Crédito: farmacotecnia1solidos.blogspot.com

Em inglês?

Os sites da INFRAERO e da ANVISA não têm nenhuma recomendação específica quanto à tradução das receitas. A orientação oficial é de que os medicamentos sejam mantidos na caixa original, acompanhados de receita médica com o nome do paciente (que deve ser confrontado com o nome no cartão de embarque).

Uma pesquisa em órgãos oficiais internacionais mostra que a regra varia de país para país, mas a recomendação de uma receita médica é senso comum. Se você é usuário de medicação contínua e precisa levar remédios para um ano de estadia, não custa pedir ao seu médico uma receita em inglês, certo? Afinal, se você vai carregar tanta coisa o inglês pode facilitar e muito a sua vida no aeroporto.

Mas nem todo mundo pensa assim. Para Jeferson Silveira a tradução nunca foi necessária. Ele tem 34 aos e é diabético há 14. Já viajou para os Estados Unidos, Espanha, Portugal, França, Itália, Mônaco e Argentina. Todas as vezes carregou insulina e nunca teve problemas. “Duas vezes levei traduzida e em português, mas como nunca pediram, passei a pegar em português apenas. Nenhuma delas foi juramentada. Uma vez em Madri a agente perguntou se era insulina, eu disse que sim e que tinha atestado, fui pegar na mochila e ela disse que não precisava”, relata Jeferson.

Ele usa dois tipos de insulina que são aplicadas com canetas (uma descartável e outra com refil). “Carrego sempre um atestado comigo, que atesta a necessidade de tratamento e testes devido à diabetes.

É algo mais ou menos assim:

“Atesto que o Sr. Jeferson Silveia apresenta diabetes tipo 1 e necessita realizar tratamento contínuo de aplicações de insulinas bem como o monitoramento com glicosímetro e lancetador.”

O documento é em português e assinado pelo médico.

Só que as viagens de Jeferson foram mais curtas. Se você parte rumo ao intercâmbio e vai ficar mais tempo no país, é recomendável que o médico especifique que você carrega medicamentos para uso durante o tempo em que estará fora.

Jeferson transporta o que vai utilizar na mochila mesmo. Já as reservas, ele leva em recipientes de isopor com gel, que mantêm a temperatura por até 12 horas.

74357_10151159724631710_83948820_n

Jeferson Silveira, diabético, carrega seus medicamentos sem problemas em viagens internacionais. (Foto: Arquivo Pessoal)

Ainda de acordo com a ANVISA os medicamentos que não precisam de prescrição médica são colírio, solução fisiológica para lentes de contato, etc. Esses itens não podem ultrapassar os 100 ml estabelecidos. Oficialmente, você precisa de receitas até para carregar paracetamol e antigripal, já que a ANVISA não explica o que são os “etc”. Mas calma, até hoje nunca ficamos sabendo de alguém que foi deportado por carregar uma caixa de remédio para dor de cabeça! A regra é mais rígida para os medicamentos controlados ou especiais. Nesse caso, receita na mão!

Se ainda restar alguma dúvida, vale a pena passar no Centro de Orientação ao Viajante. Lá eles vão analisar o seu caso e esclarecer qualquer problema.

A lista dos endereços está aqui.

Este texto foi revisado por Camilla Gómez em março/2014.

Empregos: Procuram-se fluentes em português

Reprodução: Dribble

Reprodução: Dribble

Sabia que ser fluente em português pode te dar uma forcinha na hora de conseguir um emprego bem bacana na Irlanda?

Nos últimos anos, mesmo com a crise econômica, o país tem se tornado o destino preferido de multinacionais. Google, Yahoo, Twitter, Paypal, Dropbox, Oracle, Microsoft, Zynga, são apenas alguns exemplos de companhias que possuem sede por aqui. Isso faz com que as cidades irlandesas atraiam cada vez mais trabalhadores multilíngues para suprir a demanda dessas empresas.

E se você pensa que só tem chance nessas empresas quem pertence à área de TI, está enganado. Em muitas delas, geralmente há vagas para departamentos como marketing, contábil e, principalmente, no atendimento ao cliente e call center.

É claro que, mesmo buscando um trabalho para fluentes em português, estar em terras estrangeiras não anula a necessidade de ter bom conhecimento da língua inglesa. Aliás, o domínio do idioma é fundamental para ultrapassar a primeira barreira para a conquista do novo emprego: a entrevista.

Como nem tudo é tão simples, muitas dessas empresas geralmente recrutam trabalhadores para o regime full-time, ou seja, 40 horas semanais. Isso significa dizer que o visto de estudante, que permite aos intercambistas apenas 20 horas de trabalho durante o período de aulas, pode ser uma barreira para a contratação. Mesmo assim, sempre vale a pena tentar!

Para os fluentes em ambos os idiomas, o mercado de tradução e intérprete no país geralmente está aquecido. Claro que é necessário experiência. Assim, se você se enquadra, fique de olho nas vagas e comece a se candidatar. Essa pode ser a sua grande chance, além de contribuir bastante para o seu portfólio quando voltar para o Brasil.

Como pesquisar?

Se você não tem ideia de onde começar a procurar pelas vagas direcionadas aos fluentes em português, uma sugestão é acessar o TOPLANGUAGEJOBS.IE. O portal geralmente divulga vagas em grandes empresas. O mesmo acontece com o JOBS.IE, Indeed e Irish Jobs. Para facilitar a localização das oportunidades, filtre a busca com a palavra “portuguese”.

Como o recrutamento de grandes empresas é normalmente realizado online, não adianta se deslocar até as sedes das multinacionais com currículo em mãos para se candidatar. Todavia, uma opção é consultar o portal dessas companhias e acompanhar as oportunidades disponíveis na sessão “carreira”. Para se ter uma ideia, em outubro de 2013 o Google abriu 43 vagas para falantes de português em países como Brasil, Estados Unidos, Irlanda e Espanha nas áreas de engenharia, design, TI, vendas, administrativo, comunicação e marketing.

Google geralmente tem vagas para fluentes em português na Irlanda Reprodução:  Portal Home Draft

Google geralmente tem vagas para fluentes em português na Irlanda. Reprodução: Portal Home Draft

Recentemente, por exemplo, a IBM estava recrutando candidatos fluentes em português para o setor de vendas em Dublin. Neste caso, era necessária experiência na área de TI e disponibilidade para trabalhar no período full-time.

O portal Hostelworld.com também andou em busca de fluentes no idioma lusitano para a área de vendas na capital irlandesa. Porém, além do português, era necessário domínio do espanhol. Um dos requisitos para a vaga era experiência no setor de turismo. A empresa oferecia aos candidatos um contrato temporário de sete meses e, como na maioria dos casos, havia necessidade de estar disponível full-time.

Este texto foi revisado por Camilla Gómez em abril/2014.

After The Plane – Alemanha | Parte 1

Oi Gente!

Neste Sábado mostramos a parte 1, de dois vídeos contando um pouco da minha viagem pra Berlim, na Alemanha. Uma das melhores coisas do intercâmbio é poder viajar, e aproveitando que estou gravando o próximo vídeo, com perguntas e respostas, decidi contar pra vocês como foi essa minha última viagem.

Gostaram do estilo do vídeo? Me avisem que a gente repete!

Qualquer duvida é só escrever aqui nos comentários que a gente continua a conversa!

Easter Bank Holiday – Feriado de Páscoa

PASCOA

Se você estava esperando um coelhinho da Páscoa para ilustrar esse texto, so sorry guys, estamos na Irlanda e aqui o símbolo mais popular da Páscoa é o cordeiro.

E como essa não é a única curiosidade sobre a semana santa,  fui bater um papo com eles, os irlandeses, para saber mais sobre as simbologias e os costumes da Páscoa em solo verde.

Na Irlanda, a Sexta-feira Santa (Good Friday) é feriado facultativo, já a segunda (Easter Monday) é feriado oficial. Só um ajuste de calendário, já que por aqui os feriados são programados sempre para as segundas-feiras (Bank Holiday).

Todavia, para a igreja continua tudo como antes. A última semana que antecede a Páscoa é a mais importante no calendário cristão e na Irlanda  a data tem o mesmo peso do Dia de São Patrício e do Natal.

Rose Linch contou que, além da abstinência de carne, é comum se abrir mão também de outro elemento do dia-a-dia. Alguns se abstêm de álcool, outros de cigarros, e há ainda aqueles que abrem mão da televisão, dos doces, etc.
Terry O’Brian contou que quando era jovem, a impressão que tinha da  Páscoa era ir a igreja na quinta e no sábado,  jejuar na sexta, e no domingo se encher de comida e ir em busca dos ovos de Páscoa. Hoje ele diz que a igreja ocupa lugar secundário.

Rituais ligados à semana santa

Sexta-feira Santa (Good Friday)

Spring Cleaning. Hora de fazer aquela limpeza básica na casa, já que a Páscoa também é associada a um período de renascimento. Receber a visita de um padre para benzer a casa também é costume.

Se uma criança nasce nesse dia, deve-se batizá-la impreterivelmente no domingo de Páscoa. Reza a lenda que ela estaria inclinada à vida religiosa.

Morrer nesse dia? Ticket garantido para o paraíso!

Acredita-se também que cortar os cabelos na sexta santa é proteção certa contra dor de cabeças por todo o ano.

Mudar de casa, trabalhar com ferramentas ou na terra, e, claro, comer carne vermelha são atitudes proibidas!

Sábado (Easter Saturday)

Brendan Franks lembra que a missa das 22h no sábado é uma das celebrações mais esperadas. Todas as luzes e velas da igreja são apagadas, representando, dessa forma, a ressurreição de Cristo. Uma vez acessa a vela do Círio Pascal, todos os demais membros da igreja acendem suas velas, momento que para Brendan é um dos momentos mais expressivos da semana santa. 

Para muitos irlandeses o sábado de Páscoa é também um dia dedicado ao silêncio.

Domingo de Pascoa (Sunday Easter)

Depois de 40 dias de penitência, chegou o dia de comemorar o fim do sacrifício. O almoço é caprichado e  é hora de reunir a familia e as crianças. O prato típico: carne de carneiro ou peru, batatas, vegetais e farrofas.

Segundo Brendan, as crianças acreditam que o coelhinho da Páscoa traz os ovos, assim como acreditam em Papai Noel.
 
Rose, hoje com 85 anos, também lembrou que no passado era costume celebrar a Páscoa com uma sessão de dança e, para a melhor performance, adivinha o prêmio!? Bolo!
 
Finbar Curran comentou que esse período sempre remete-o ao tempo em ele que era criança e também tinha que cumprir a quarentena de penitência. Entretanto, ressalta que a melhor parte era, claro, a comilança dos ovos de Páscoa.
 
E olha que curioso: Quando comentei que no Brasil costuma-se queimar o Judas no Sábado de Aleluia eles não pararam de rir!  A Rose, que é freira, disse nunca ter escutado nada parecido.

Philip Tweed confessou que não celebra a Páscoa e que para ele a data virou muito comercial, assim como a maioria dos feriados ocidentais.

Comercial ou não, a verdade é que hoje a maioria dos lares irlandeses, assim como a comunidade cristã de todo o mundo está celebrando a Páscoa! E nós também!

Feliz Páscoa!

Texto originalmente publicado em 2011 e passou pela última revisão em Abril/2014 por Camilla Gómez.

Quatro Escolas em Dublin estão Proibidas de Emitir Vistos

Imagem ilustrativa (fonte: Newsroom TV series)

Imagem ilustrativa (fonte: Newsroom TV series)

Durante a semana que passou a notícia da suspensão das atividades de quatro escolas de inglês em Dublin rendeu sérias dores de cabeça a muitos intercambistas.

Tudo começou com uma investigação feita pelo jornal britânico The Sunday Times.

Um repórter disfarçado procurou as escolas Eden College International, Millennium College, Business & Computer Training Institute e National Media College a fim de investigar a denúncia de que estas instituições de ensino estariam fornecendo certificados de frequência falsificados para alunos interessados em renovar o visto no país, assim como para novos estudantes.

A lei irlandesa prevê que um aluno só pode obter o visto novamente caso tenha frequentado 80% das aulas. Entretanto, a investigação realizada apontou que muitos alunos não comparecem às aulas, devido à facilitação, por parte das escolas, no que diz respeito à obtenção do documento comprovativo de frequência em consonância com o exigido pela imigração, independentemente de aluno ter ou não frequentado o mínimo requerido.

A matéria de denúncia foi publicada pelo The Sunday Times no domingo, dia 13 de abril. Motivados pela acusação, considerada grave, o Serviço de Naturalização e Imigração Irlandês (INIS) e a Garda Nacional (GNIB) informaram oficialmente a suspensão temporária da emissão de vistos de estudantes não-europeus na Irlanda para as quatro escolas, que continuam sendo investigadas.

noticia oficial. site Inis.gov

Notícia oficial publicada no site Inis.gov

Durante este período de averiguação,  nenhuma das escolas pode fornecer as cartas solicitadas pela imigração. A saber: carta de comprovação do curso em andamento, carta de acomodação, carta para o banco e também para o PPS e carta de frequência nas aulas durante os seis meses de curso.

As atividades das escolas não foram proibidas. Por enquanto, quem já possui o visto e está com o curso em andamento, pode continuar a frequentar as aulas, caso as escolas continuem com as suas atividades. Já quem está por vir ao país, não conseguirá entrar. Aqueles alunos que estão esperando para tirar o visto, também não poderão dar continuidade ao processo, e o mesmo vale para os intercambistas que pretendem renovar e estender a permanência na Irlanda.

O que dizem as escolas

Assim como de costume, o E-Dublin antes de reproduzir qualquer informação sobre o assunto, entrou em contato com as quatro escolas envolvidas para que todas tivessem o direito de se pronunciar a respeito do ocorrido e sobre as consequências que a suspensão trará na vida dos estudantes. As instituições Eden College e Millennium College responderam-nos com as seguintes declarações:

Eden College International

Segundo o Gerente de Marketing da sede em Dublin, “o Diretor de Marketing da escola alegou que não há muito a ser falado neste momento”. Ele também informou que a diretoria da escola deve se pronunciar apenas na semana que vem e que a administração está decidindo qual vai ser o futuro da Eden e dos alunos. Porém, o Gerente garantiu que caso a instituição venha a fechar, os estudantes serão transferidos para outras escolas.

Millennium College

Rezaul Haque, CEO da instituição, declarou que as informações publicadas no The Sunday Times não condizem com a real situação, além de serem injustas. Segundo Haque, todos os estudantes estão cientes do processo e a escola está trabalhando para resolver qualquer divergência o quanto antes. Ele também forneceu o contato do advogado que está cuidando do caso. Nossa equipe não conseguiu obter uma resposta com o advogado sobre o prazo de resolução e sobre o futuro dos alunos.

As escolas Business & Computer Training Institute e National Media College não retornaram o contato feito pela equipe do E-Dublin.

Quem está sendo prejudicado

Imagem ilustrativa. Fonte: Mikael Damkier

Imagem ilustrativa. Fonte: Mikael Damkier

Entre muitos envolvidos, os maiores prejudicados na investigação são os próprios alunos, que pagaram pelo curso e agora se encontram em uma situação de risco e incerteza. A equipe do E-Dublin conseguiu contatar estudantes de três das quatro escolas: Business & Computer Training Institute, Eden College e Millennium College, todos brasileiros.

M.B.*, estudante da Millennium College, já concluiu o curso de seis meses na instituição, mas a irmã dela, que acabou de chegar ao país e comprou o curso na mesma escola, não conseguiu sequer tirar o visto para permanecer em Dublin, muito menos deu início às aulas. Na quinta-feira M.B disse ter recebido uma ligação de uma das responsáveis da escola, informando que a Millennium irá tentar transferir os alunos para outra escola, mas solicitou que elas aguardem uma nova posição. “É só isso que sabemos por enquanto. Espero que eles estejam tomando alguma providência mesmo”, alegou.

S.C.*, também da Millennium College, contou que ficou sabendo da informação através dos amigos da acomodação que compartilharam um link no Facebook falando sobre a investigação. Ela já estava frequentando as aulas e informou que na quarta-feira a diretora se pronunciou a respeito do assunto. “Ela foi até a minha sala e falou que o problema está com os alunos que não frequentam as aulas. Eu soube também que essa semana a imigração está na escola verificando tudo. Nós não conseguimos tirar o visto entre essas duas semanas de investigação. Acredito que tudo dará certo. A diretora disse que eles já estão arrumando tudo e caso aconteça algo com a Millennium, nós teremos o nosso dinheiro de volta ou seremos realocados em uma outra escola do grupo.” S.C. alegou que todos os alunos estão aguardando o final das investigações.

A.B.*, da Business & Computer Training Institute, contou que a escola se prontificou a tirar todas as dúvidas dos alunos a respeito da suspensão e bloqueio das atividades da BCT na Irlanda. Durante a semana os alunos tiveram reuniões com os responsáveis da instituição, que prometeram que a escola não vai encerrar as atividades. Entretanto, na última reunião os alunos foram informados que a partir de hoje, devido ao feriado de Páscoa, a escola paralisaria as aulas por duas semanas. A.B é um dos intercambistas que está no meio do processo de retirada do visto e não poderá dar continuidade. “Em contrapartida eles estão vendo a possibilidade de transferir alunos que precisam do visto urgente para outra escola, cujo nome não foi mencionado, e a devolução do dinheiro para os alunos que ainda não chegaram ao país. Ao restante, eles pediram para aguardar. Fica o sentimento e a insegurança de que podemos voltar daqui a duas semanas na escola e ao invés de ela estar funcionando normalmente, encontrarmos as portas fechadas”, declarou. Mesmo assim, disse que a escola não está se omitindo e está fazendo o possível para resolver caso a caso até o momento.

C.B.F.*, aluno da Eden College informou apenas que conversou com um conhecido que trabalha na escola e recebeu a informação de que a situação irá se resolver em breve. Ele disse ainda que todos estão sendo bem atenciosos com os estudantes.

E o Governo Irlandês?

Imigração Irlandesa em Dublin

Imigração Irlandesa em Dublin

Um dos questionamentos dos alunos envolvidos e prejudicados com a investigação é em relação ao posicionamento do governo e da imigração da Irlanda. Muitos perguntam qual medida o governo tomará e se irá auxiliar, de alguma forma, os alunos prejudicados. A nossa equipe também tentou entrar em contato com a Garda e com o Serviço de Naturalização e Imigração Irlandês, mas até o momento da publicação deste texto, não havíamos recebido nenhuma resposta.

Até onde se tem notícia, em casos semelhantes ocorridos nos últimos anos,  o governo parece não ter fornecido auxílio diretamente aos estudantes, apenas, cobrado das instituições de ensino, relocação dos estudantes. No momento, os envolvidos aguardam novo posicionamento das escolas e também o resultado das investigações.

É importante ressaltar que todas as medidas que estão sendo adotadas a partir das denúncias realizadas visam a legalidade e a qualificação das escolas de idiomas no país. No documento publicado em 2011, época da divulgação das novas regras para estudantes não europeus, um dos itens explicitava a nova postura do governo irlandês em acompanhar de perto o comportamento das escolas de idiomas. Fraudes e irregularidades não seriam toleradas. O que se verifica com o fato ocorrido esta semana, além de outro episódio envolvendo a escola Eden College no último mês de fevereiro é que, o governo tem cumprido a sua palavra e as escolas que não atuarem de acordo com as regras, certamente serão penalizadas.

Matéria publicada no Independent.ie

*Os nomes dos estudantes  foram abreviados de forma a preservar a identidade dos mesmos.

Este texto foi revisado por Camilla Gómez em Abril/2014.

Quer trabalhar no Electric Picnic?

Verão é a época em que os europeus aproveitam os dias menos frios para se jogar nos festivais de música. Opções pelo continente não faltam e quem estiver em solo irlandês vai poder curtir a décima edição do Electric Picnic.

Reprodução: Wikipedia

Reprodução: Wikipedia

Com três dias de duração, ou seja, de 29 a 31 de agosto, o festival é um dos maiores do país e esse ano vai contar com a participação de grandes bandas, como Outkast (quem aí lembra do hit Hey Ya?), Portishead, Pet Shop Boys, Beck, Lily Allen, Simple Minds, Metronomy, The Wailers, entre outros que serão anunciados em breve.

O preço dos ingressos para os três dias de shows é de 194,50 euros para quem comprar até o dia 4 de julho. Após essa data, se ainda houver ingressos, os preços sobrem para 229,50 euros. Também há a possibilidade de conferir apenas os shows de domingo, mas, para isso, você vai ter que desembolsar 90 euros. Aliás, se essa é sua intenção, garanta logo o seu ticket, pois eles costumam esgotar num piscar de olhos. Também existem opções de ingressos que incluem camping. Você pode verificar os valores aqui.

Se você está animado para o festival, mas não quer desembolsar toda essa grana para conferir o evento, poderá aproveitar a abertura das candidaturas para trabalhar como voluntário. Para você ter uma ideia melhor de como isso funciona, hoje o E-Dublin compartilha aqui a história do João Augusto Prado, que em 2012 trabalhou como voluntário no evento. Prepare-se:

Reprodução: Newstalk

Reprodução: Newstalk

Voluntário, eu?

“A oportunidade de trabalhar no Electric Picnic surgiu através de uma indicação de um amigo. Fui a uma agência, dessas de recrutamento, e deixei meu currículo. A representante da agência me passou as informações referentes às tarefas e eu aceitei. Eram cinco dias de trabalho, durante as madrugadas do evento.

Em nossas cabeças, tudo seria bem divertido porque pensávamos que trabalharíamos ao som das maiores bandas do mundo, mas no nosso caso foi pura ilusão! Chegamos ao evento e fomos divididos em equipes. O trabalho consistia em coletar o lixo gerado pelo público. Esperávamos receber aqueles coletores de lixo (que parecem braços mecânicos), mas recebemos apenas finas luvas de borracha e sacos de lixo. Nos alinhávamos em uma espécie de cordão humano e ao sinal dos coordenadores íamos catando o lixo com as mãos em um movimento de agachar e levantar constante que, no final, cobrou um preço alto de nossas colunas.

Trabalhávamos por volta de 5 ou 6 horas, com um intervalo de 1 hora. Tínhamos de trazer o lanche de casa e o transporte até o evento seria descontado dos nossos ganhos. Os coordenadores não eram muito amigáveis. A pior parte era quando tínhamos de limpar a área dos banheiros químicos. Em eventos regados a álcool e todos os tipos de drogas as pessoas tendem a um comportamento mais bestial, se assim posso dizer. Ter de catar absorventes usados e papel higiênico com as mãos não é uma tarefa muito agradável.

João trabalhou como voluntário no festival em 2012 Foto: Acervo pessoal

João trabalhou como voluntário no festival em 2012. Foto: Arquivo Pessoal

Notei que a cada dia de evento as equipes iam diminuindo. Os que sobraram, apegaram-se uns aos outros em uma tentativa de buscar forças para continuar. Essas amizades eram o aspecto mais interessante do trabalho, pois apesar de tudo, conseguíamos dar risada da nossa própria situação.

Outro aspecto positivo do evento era que durante a coleta alguns afortunados achavam smartphones e tablets. Eu não fui tão sortudo assim, mas saí do evento com 15 euros, um capacete e duas latas de cerveja fechadas. A propósito, eu trabalhei 4 dos 5 dias e penso que o dinheiro ganho no evento não valeu a pena. Tantos descontos não compensaram o esforço. A experiência foi válida. Mas, se me perguntassem se eu faria novamente, com certeza a resposta seria não!”

A partir da experiência do João vocês podem ver que ser voluntário em eventos musicais pode não ser uma das maiores maravilhas do mundo. Inclusive, o Thiago Leonel, do canal After the Plane, já passou por algo bem semelhante em um outro famoso festival irlandês, como vocês podem conferir no vídeo feito por ele.

Inscrições

Se ainda assim quiser tentar, as inscrições para ser voluntário no Electric Picnic 2014 serão realizadas online. Portanto, se você quer ter a experiência, fique atento ao site do evento e se inscreva. Só não esqueça de depois contar a sua experiência aqui pra gente!

Este texto foi revisado por Camilla Gómez em Abril/2014.

Erros comuns de inglês, dicas de emprego e polêmica sem fronteiras – PCVV

Pint, Conversa e Vice-Versa (PCVV) dessa semana com drinks finíssimos, oizinho e ganhador da promoção do vídeo com sotaque mais legal! Quem será o sortudo? (ou serão OS sortudos?) :)

Essa semana euzinha (Mah!) parece que engoli um radinho de pilha, como diria meu pai, porque não calei a boca! hahaha

Eu e Ti demos dicas de como usar o LinkedIn pra aumentar suas chances de conseguir um emprego aqui na Irlanda e contamos alguns deslizes comuns que todo mundo comete pelo menos uma vez na vida quando está aprendendo inglês! Vale checar pra evitar situações constrangedoras no futuro! ;)
E também teve um pouquinho de polêmica porque nem só de flores vive o intercambista… E ainda aproveitamos pra falar de dentista! Afinal, com tanta Guinness e fish and chips, ninguém escapa! :P

Você tem alguma pergunta que gostaria que a gente respondesse no vídeo?
Clique aqui, nos envie sua pergunta ou sugestão ou deixe um comentário aqui embaixo!

Links comentados no vídeo:

Como o LinkedIn pode ajudar você a procurar emprego

E-Dublin Pro – Grupo do E-Dublin no LinkedIn com dicas

Tropeçando no inglês – quem nunca?

 Post com as traduções de cardápio no Brasil

Polêmica sem fronteiras – CSF

E-Dublincontro de Páscoa em SP

Olá E-Dubliners!

Neste mês de Abril o E-Dublincontro de Páscoa vem em novo dia e novo local!
Desta vez nos encontraremos na Sexta-Feira, 25 de Abril, no O’Malley’s Bar, nos Jardins!

Das 19h às 20h teremos a área do Clube do Whisky reservada para nós (fica em cima do bilhar), e após esse horário ela será liberada para todos do pub. Lembrando que até as 20h (happy hour) todos tem acesso a um buffet cortesia do O’Malley’s e desconto nas pints de Heineken!

Também vai ter sorteio de camiseta do E-Dublin + sorteio de uma pint de Guinness!

Então se você já foi, vai ou está planejando ir pra Irlanda, ou se quiser simplesmente encontrar uma galerinha pra uma cerveja, um drink e uma conversa, está super convidado! :)

*O O’Mailley’s tem wifi grátis!

Não esqueçam de confirmar presença no evento do Facebook!

Alameda Itu, 1529
Jardim Paulista
(11) 3086-0780

Esperamos vocês lá! :)

Apoio:

parceiros-taw

Agradecimentos:

image001

Brasileiro representará Brasil e Irlanda no Euro Nations Deaf Kart

 

 

kart 5

Meu nome é Eduardo, tenho 28 anos, sou portador de deficiência auditiva (perda severa do ouvido esquerdo e perda moderada do ouvido direito), Uma das minhas paixões é o Automobilismo e desde janeiro de 2014 estou vivenciando um Intercâmbio em Dublin, na Irlanda.

O objetivo da minha viagem, além dos estudos, era ter a oportunidade de competir no kart, esporte que pratico desde os 8 anos de idade. A escolha pela Irlanda para essa experiência cultural também foi estratégica, uma vez que os irlandeses são, como a maioria dos europeus, apaixonados por Automobilismo.

kart 8

Entre os mais famosos podemos citar o ex-piloto de Fórmula 1, Eddie Irvine, que competiu pela equipe Ferrari entre os anos de 1996 e 1999, e  Eddie Jordan, ex-proprietário da equipe Jordan, responsável por lançar pilotos como Michael Schumacher e Rubens Barrichello no cenário da F1.

Antes da minha viagem pesquisei sobre o mundo automobilístico na Irlanda e na Europa e descobri a existência dos clubes Deaf Kart que nada mais são do que grupos de pessoas, portadoras de deficiência auditiva ou não, apaixonadas por automobilismo e praticantes do kartismo. Imediatamente me identifiquei com a filosofia e entrei em contato visando fazer parte do grupo tão logo chegasse ao país.

10760_487056708070262_553605289_n

No Brasil sou representante do Deaf Kart Brasil. A troca de informações com os clubes europeus ajudará a aprimorar o Deaf Kart Brasil quando eu voltar. O objetivo maior é conseguir organizar um evento mundial, o World Deaf Karting.

Como piloto, participei e fui vice-campeão do Deaf Kart da Irlanda do Norte e, atualmente, estou liderando o Dublin City Karting Championship. Além disso, em abril estarei na Inglaterra competindo pelo Deaf Kart Inglês e, até o fim do ano, participarei de corridas na Alemanha, Dinamarca, Itália, Escócia, Áustria e Irlanda.

Todavia, o evento mais importante será o Euro Nations Deaf Kart, que será no mês de Junho de 2014, na Áustria, no qual estarei representando orgulhosamente, além do Brasil, a Irlanda, que me fez um convite, através do presidente do Irish Deaf Karting Association, para fazer parte da equipe.

1010080_487056644736935_731312193_n

Estar em um novo país, vivenciando uma nova cultura, aprimorando meus conhecimentos em língua estrangeira, vencendo as adversidades pela deficiência auditiva e ao mesmo tempo poder praticar um esporte que tanto amo é algo que não há dinheiro que pague. Só tenho a agradecer a todas as pessoas que me ajudaram a alcançar tudo isso. Meus familiares, amigos, patrocinadores que tive ao longo da carreira esportiva. Sem a ajuda de vocês, nada disso seria possível.

Se você tem um sonho, materialize-o, planeje-o e, por fim, coloque em prática acreditando que um dia ele se tornará realidade. Não desista mesmo com as adversidades que poderão aparecer.

Alguns endereços de Karting na Irlanda:

Kylemore Karting

Kart City Raceway

White River Kart

Este texto foi revisado por Camilla Gómez em Abril/2014.

Foto Divulgação

Quanto custa fumar na Irlanda?

Comprar cigarro na Irlanda pode custar, em seis meses, mais da metade  dos  três mil euros exigidos na hora de conseguir o visto para estudar no país. Com preço médio de 9,50 euros (R$30,80), a saúde financeira tem feito muita gente pensar em largar o vício quando chega à terra dos leprechauns.

Foto Divulgação

Foto: Divulgação

Assim que os pacotes de cigarro que trouxe do Brasil chegaram ao fim, o publicitário Henrique Castro começou a ter uma ideia do quanto sairia manter o vício durante o intercâmbio. “Há algum tempo minha namorada me incentivava a parar, mas posso dizer que depois de fazer os cálculos tive uma motivação forçada. Sinto como se estivesse queimando tickets de uma viagem para outro país cada vez que compro um maço”.

Ele ressalta que ainda não conseguiu parar por completo, mas o ato, agora esporádico, faz lembrar de quando fumava um maço por dia. Manter esse ritmo aqui custaria aproximadamente 266 Euros por mês. O valor é praticamente o mesmo que ele pagava de aluguel nos primeiros meses de intercâmbio e mais da metade do que costuma gastar com as comprar de supermercado por mês.

A cobrança alta de impostos que faz elevar o preço do produto quando chega ao consumidor é uma das estratégias do governo irlandês para desencorajar o tabagismo. Em 2014 passa a valer também a medida que proíbe qualquer  publicidade em embalagens de tabaco. Elas passam a ser padronizadas, com os nomes de todos os fabricantes escritos com o mesmo tipo de fonte , além das já conhecidas fotos que alertam  sobre os danos à saúde. A ação tem sido questionada por grupos contrários que defendem  que esse será um incentivo à venda clandestina.

O uso do tabaco é apontado como a principal causa de mortes consideradas evitáveis na Irlanda. De acordo com o Office of Tobacco Control  todo ano morrem cerca de cinco mil pessoas por doenças relacionadas ao cigarro. Em 2004 o país se tornou o primeiro a proibir o uso em lugares públicos. A maior parte dos pubs possui áreas restritas para fumantes.

 

Foto Divulgação

Foto: Divulgação

Cigarro eletrônico (E-cigarette)

Fabricado com diversos modelos de embalagens, o e-cigarette é um aparelho criado para simular o cigarro comum, no qual você pode ou não utilizar nicotina. Ele vem com uma bateria recarregável e um espaço para colocar o líquido chamado de e-liquid, que vai gerar o sabor e o cheiro na hora de emitir o vapor (baunilha, morango, tabaco, etc.).

O cigarro eletrônico custa em torno de 40 euros (R$129,75), mas os refis contendo o e-liquid custam em média 2,50 euros com 10 ml. A durabilidade também vai variar com o hábito. A estudante Deisy Schuch, que passou a utilizar o aparelho há dois meses,  diz que costuma usar cerca de dois a três ml por dia.

Foi em um pub em Dublin que a brasileira Érica Garcia também teve a curiosidade despertada ao ver outra pessoa utilizando um cigarro eletrônico. Depois de calcular o que estava gastando com a compra dos maços, ela decidiu parar de fumar e testar o e-cigarette como alternativa de ajuda.

“ Fumar é um hábito e por isso sentimos tanta falta. Eu me sentia perdida quando saía para o intervalo do trabalho e não tinha mais o cigarro. É muito estranho. Com o cigarro eletrônico eu tenho a mesma rotina, mas com mais benefícios”. Além de dizer ser mais barato, Érica diz que na Irlanda o cheiro do cigarro costumava ser mais forte, o que a deixava muitas vezes incomodada.

No entanto, embora a ideia principal seja ajudar quem pretende parar de fumar, ainda existem diversos estudos que tentam comprovar se o cigarro eletrônico é ou não prejudicial à saúde e em que grau. Em 2009 a Food and Drug Administration (FDA)  alertou aos meios de comunicação sobre o fato de que teria sido encontrada certa quantidade de nicotina em cartuchos que diziam não conter a substância. Enquanto isso, outros estudiosos defendem que a decisão da FDA foi precipitada e que esse pode ser um grande aliado na luta contra o tabagismo, desde que seja feita uma fiscalização  aos padrões de qualidade do produto que chega ao consumidor.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) ainda proíbe a venda dos cigarros eletrônicos alegando que o produto não possui as  advertências adequadas em relação ao risco para a saúde. O país está entre os dez países com maior número de fumantes. Segundo os dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o tabagismo é responsável por 30% de morte por câncer em geral no país, sendo 90% das mortes causadas por câncer de pulmão e 25% das mortes por doença coronariana.

Este texto foi revisado por Camilla Gómez em março/2014.

After The Plane – Rafa Explica!

Mais um Sábado, mais um vídeo!

Essa semana, após o falecimento do meu laptop, que estava comigo há quase 3 anos já, e consequentemente o impedimento de editar novos videos, decidi colocar a Rafa para nos explicar as nuances dessa Irlanda querida. Conversamos sobre a cultura irlandesa, como ela decidiu vir pra cá, a Penneys e uma câmera balançando, porque na época a gente não tinha tripé :)

E aproveitando a oportunidade assista também a parte 2 do video, onde a gente conversa sobre Irlandeses x Irlandesas e o beijo na boca sem língua.

Duvidas? Criticas? Soluções? Manda pra gente nos comentários que a gente continua a conversa.

E-Dublin – O maior site de dicas de Intercâmbio na Irlanda, Estudar e Trabalhar na Irlanda, Trabalho no exterior, Cursos de Inglês no Exterior, Intercâmbio em Dublin