Arquivo da tag: Grafton College

A Irlanda não é só curso de inglês

A Irlanda acabou virando sinônimo de destino onde se pode aprender inglês com a facilidade de trabalho e, a maioria dos brasileiros, embarcam nessa apenas focados no aprimoramento do idioma, mas saiba você que, assim como os destinos mais populares, a Irlanda tem muito mais a oferecer. Além dos cursos de inglês, as universidades irlandesas circulam na lista das melhores do mundo. Há ainda, opções em setores de destaques como o de tecnologia e farmacêutico. Para dar uma ideia desse leque de oportunidades na educação irlandesa fomos pesquisar o que o país tem a oferecer não apenas na capital Dublin, mas também em outros condados e por isso, daremos alguns exemplos na cidade de Galway, localizada ao oeste do país e conhecida pela vibe jovem.

www.oxfordcourse.net

Certificados – FETAC 5/6

Conhecidos como técnicos ou FETAC. Eles são uma categoria intermediária entre o ensino médio e uma universidade e proporcionam preparar o profissional para o mercado de trabalho. Você já deve ter visto por ai, algumas vagas de emprego exigindo FETAC 5 ou 6. Pois então, eles costumam ser de curta duração ou máxima de um ano, depende da  área de interesse. Estes nem sempre exigem certificado de proficiência de inglês, porém, sabemos que de nada adianta fazer um curso e não entender o que está sendo ensinado. Vai de cada um julgar-se apto ou não para cursá-los. Existem inúmeras escolas que oferecem este tipo de curso em todos os condados. Veja abaixo alguns exemplos:

Grafton College of Management Sciences 

GMIT

Galway Business School 

Dublin Business School 

Institutos de Tecnologia

Se tem um setor que tem superado as expectativas, mesmo em tempos de crise é o tecnológico e isso explica-se facilmente pelo potencial e reputação dos centros de ensino tecnológico instalados no país. Eles estão em todos os lugares e atualmente são os grandes incentivadores das empresas estrangeiras, que tem se instalado na Ilha Verde de olho no potencial desses profissionais. Então, se você se interessa pelo setor saiba que desenbarcou no país certo. Em Galway, uma boa opção é o Galway-Mayo Institute of Technology, que oferece cursos de meio período ou integrais em áreas como: Engenharia, Ciências e Tecnologia, Artes, dentre outros. Para saber o calendário de incrições acesso o site.

Os cursos de Inglês

Os foruns, nosso grupo de discussão e no bate-papo da galera o assunto é o mesmo: curso de inglês no primeiro ano e curso de Business para renocação. Ok, você pode até optar pelo trivial, porém essas não são as únicas opções na terra da Guinness. Além dos tradicionais níveis de curso de inglês,  uma vez seu inglês tenha atingido um nível melhor, você poderá embarcar em cursos do idioma focados em uma área de interesse específico ou mesmo pensar no inglês para professores. As opções são  inúmeras. Um bom exemplo é o curso ministrado pela DCU (Dublin), chamado “Professional Development: Corporate and Bespoke Language Tuition“, designado para executivos que pretendem focar o aprendizado para a linguagem coorporativa. Outro curso prepara o universitário para a linguagem acadêmica, assim como há também cursos de certificação para proficiência.

Universidades

Para falar sobre cursos em universidades usarei como exemplo, a Universidade Nacional da Irlanda, campus Galway (conhecida como NUI Galway). A primeira coisa a se fazer é visitar o site da universidade e buscar o curso que te interessa. Cursos de graduação costumam ser encontrados na parte de “Undergraduate” e os de Pós-graduação em “Postgraduate“. Os requisitos para conseguir uma vaga nas universidades são basicamente os mesmos que conhecemos para cursos de inglês, ou seja: seguro saúde, dinheiro, comprovante de acomodação, carta do curso e o GNIB.

Muitos destes cursos estão registrados junto ao Departamento de Educação e dão direito à trabalho no mesmo esquema que já conhecemos (20 horas semanais durante as aulas e 40 horas semanais nas férias).

Porém, para fazer um curso em uma universidade da Irlanda você precisará também, de algum certificado  que comprove seu nível de inglês. Para a NUI Galway, a exigência é:

- Cursos de Artes, Negócios, Medicina e Direito: IELTS com pontuação de 6.5.

- Cursos de Engenharia, TI e Ciências: IELTS com pontuação de 6.0.

É importante você saber que quase todas as escolas de inglês daqui oferecem cursos para ajudar no teste.

Outra dica interessante é que existe um site chamado PAC (Postgraduate Applications Centre), em que você pode aplicar para vários cursos das universidades na Irlanda. Vale a pena, também, dar uma olhada no FAQ, onde você poderá tirar várias dúvidas.

Infelizmente, o preço cobrado para nós brasileiros ou não-europeus de forma geral é bem maior que o preço pago por um europeu. Para se ter uma ideia, o curso de mestrado em Engenharia de Software e Banco de Dados para estudantes não-europeus, custa praticamente o dobro do que o que é cobrado para estudantes europeus (algo em torno de  €8.300 euros).

Universidade Aberta

Outra opção é a Open University, que existe tanto na Irlanda quanto no Reino Unido, uma universidade onde você pode fazer a maioria dos cursos on-line e o pagamento é facilitado. Se optar por um mestrado, por exemplo, vamos supor que tenha que cursar 15 matérias, que lhe custarão €6,500 (valor fictício!). Numa universidade tradicional, você teria que pagar o valor integral do curso, já na Open University, você pagará por matéria. Ou seja, você pode fazer uma matéria de cada vez e só começa outra quando quiser ou tiver dinheiro.

Programa Ciência Sem Fronteiras

Outra opção para os brasileiros que querem estudar na Irlanda, ou em outros paises europeus é o Programa Ciência Sem Fronteiras. O Programa do Governo Brasileiro tem como objetivo investir na formação de profissionais altamente qualificados, aumentar a presença de pesquisadores em instituições de vários níveis e atrair talentos científicos para trabalhar no Brasil. E a Irlanda desde 2012 passou a fazer parte do programa.

O programa é dividido em vários níveis: Graduação, Pós  Graduação e Pós Doutorado, Atração de Cientistas para o Brasil e Educação Profissional e Tecnológica. Por aqui, o Ciência Sem Fronteira é apenas para alunos de Doutorado. O site do programa orienta os candidatos a entrarem em contato primeiramente com os principais pesquisadores para discussão do processo e candidatura e, só depois disso, entrar em contato com a instituição onde pretendem estudar. Com a aprovação, deve-se entrar com pedido de financiamento pelo programa.

Ao todos são mais de 20 países em parceria com o Brasil. Vale acessar a página do programa e verificar se o seu curso está na lista, assim como também, se você se encaixa nas exigências do programa. Para saber mais detalhes sobre o Ciencia Sem Fronteiras, clique aqui.

Vale ressaltar ainda, que para cada uma dessas opções, deve-se levar em conta os requerimentos para estudantes internacionais. Para alguns cursos FETAC, por exemplo, por serem de curta duração, não dão direito ao visto de estudante para não europeus, o que não te impede de cursá-los, mas devem ser vistos como um plus, um curso extra. Então antes de mais nada verifique as opções que melhor se encaixem à sua condição de estudante internacional no país.

Clique aqui e peça seus orçamentos agora para os parceiros do E-Dublin e comece a comparar as opções!

Este texto foi atualizado e revisado em 25/04/2013 por Angelo Tedeschi

Avaliacao da Grafton College


O aluno Guilherme nos enviou uma avaliação da escola Grafton College, ele e aluno do curso de ingles nivel intermediario.

Localização:
A Grafton fica muito bem localizada, bem no centro de Dublin, a poucos metros da O’Connell street (a principal avenida de Dublin), perto de estacoes de trem, luas (que seria o “metro”), e tambem na rota da maioria dos onibus. Alem disso, existe diversas lojas, restaurantes, supermercados e um shopping perto da escola.

Infraestrutura
A infra estrutura da escola é uma das melhoras que eu conheço, com aquecedor, as salas sao limpas e arrumadas, computadores, wifi, maquina com chocolate e salgadinhos. Nao tenho nada a reclamar.

Professores
Os professores geralmente sao muito bons, eu tive apenas uma experiência negativa com um dos professores, mas praticamente todos sao muitos bons. Todos possuem o ingles como lingua nativa e as aulas sao dinamicas. As aulas de ingles sao separadas por niveis, desde o basico ao avancado. No primeiro dia de aula os alunos fazem uma prova de nivelamente e sao direcionados para a classe com o nivel correspondente.
Sempre temos home work e os professores sempre corrigem minhas atividades extras, mesmo que eles nao me tenham pedido para eu fazer.

Brasileiros
Como em toda escola de idioma, ha muitos brasileiros, mas mesmo assim você poderá se confrontar com pessoas de outras nacionalidades, como eu que estudo com uma moça da Croacia e uma moça da Lituania.

Suporte ao estudante
O staff da Grafton College e excelente, bem amigavel e de facil acesso. Mesmo que o aluno nao fale ingles, a escola possui um funcionario brasileiro para ajuda nos primeiros dias com a documentacao, abertura de conta corrente, etc. Sempre que tenho algum problema procuro uma das pessoas do staff e eles sempre me atenderam imediatamente.

Material didatico
O material didático varia a cada nível e cada professor utiliza o seu próprio material didático, dando muitas vezes fotocopias de exercícios ou livros didáticos.

Avalicação
Quem quer aprender inglês com um alto nível de qualificação e ter a certeza que ao acabar o curso saira da escola sabendo falar ingles, deve absolutamente escolher a Grafton College, a sua melhor opção para aprender inglês em Dublin.

Minha nota geral para a escola é 9.

Contato e endereco da Grafton College:
Priscila Gemballa Silva
Brazilian Officer
7 Gardiner Row
Dublin 1
[email protected]
www.graftoncollege.ie

Especial de 6 meses! Inglês

Bom amigos, este é o primeiro do Especial de 6 meses. Acho que faz todo sentido falarmos de inglês primeiro, pois quer sim quer não, é um aprendizado que faz parte do dia-a-dia de todos que vem para cá!

Antes de virmos para cá estavamos preocupados com o sotaque deles, e postamos até um vídeo do Collin Farrell (ator irlandês) para ter uma demonstração. Porém, descobrimos chegando aqui que o monstro não era tão grande quanto as pessoas falavam. Mas existem muitos e muitos sotaques diferentes aqui, o que é estranho para um país tão pequeno, e as vezes é realmente mais difícil entender pessoas de certas regiões. É uma briga se acostumar com TANTOS sotaques.

Nós demos sorte de conseguir morar com 2 irlandeses. Até agora 1 continua o mesmo, e já tivemos outros 3 colegas irlandeses por aqui. Todos eles com sotaques diferentes um do outro, nos ajudou bastante. Procurem fazer isso, procurem morar com estrangeiros, principalmente irlandeses.

Para estudar aqui, escolhemos a Grafton College e fechamos com a Gotolondon, vejam um pouco dos tramites.

Depois disso, quando já estávamos aqui, começamos a ver uma outra dificuldade, as gírias. Eles tem algumas coisas muito específicas por aqui, principalmente aquelas que tem a ver com Gaélico, ligua original da Irlanda antes do Reino Unido, como “What’s the Craic?” que significa a mesma coisa que “What’s up?”, ou “Waaaaazzzzzuup?” pra que assistiu o filme Todo Mundo em Panico (relembrem abaixo).

Outra coisa importante que eu nunca tinha dado bola, e percebi o quanto é importante, phrasel vers. Para aprender sobre eles aconselhamos um dicionário on-line muito bom. Eles sao realmente a maior dificuldade, pois muitas vezes eles nao tem nada a ver com o verbo original.

Quanto a escola, nas nossas Primeiras Impressões, já percebemos que a escola era desorganizada. Entretanto, depois de 1 mês de aula fizemos uma primeira avaliação, e naquele momento, a Grafton não parecia tão ruim. Demos nota 5,9 naquele momento, vejam aqui!

Nesses 6 meses de aulas, o Edu teve 8 professores diferentes (um absurdo) ele os avaliou. Ele avaliou o cheiro da escola também. Pelo meu lado, eu tive uma professora muito boa, e um professor gente fina, mas preguiçoso demais.

Recebemos nossa carta de férias no último dia de aula, sem nenhum problema.

Nos 6 meses aqui avaliamos também as escolas DBL e Abbey.

Também, falamos sobre as principais certificações de inglês para as quais você pode se preparar nos cursos aqui.

Avaliação pós 6 meses!

Antes de virmos para cá eu tinha feito curso no CNA e o Edu no CCAA. Chegamos aqui já com inglês avançado.

Acredito que a nossa principal evolução aqui seja a compreensão! Praticamente não temos problemas para entender conversas do dia-a-dia. Eu acho que eu evoluí bastante na escrita e também na pronúncia, elogiado inclusive pela Professora pela evolução.

Na questão de melhorar o inglês eu percebi algumas importantes pra mim, mas que divergem um pouco do que o Edu acredita (veja a opinião dele na avalição final da Grafton).

Quando eu tinha 14 a 18 anos, era muito mais fácil aprender. Era praticamente um processo osmótico, aprendia muito fácilmente, sem estudar, só indo as aulas. Hoje, com 23 já não é mais assim. Claro que se aprende muito no dia-a-dia e por “osmose” também, mas hoje acho imprescindível estudar para ter melhoras realmente sinificativas no inglês. Nos últimos 2 meses de curso estudei um pouco mais, e percebi que realmente fez diferença… até me arrependi de ter sido tão “vagal” no início.

Quando eu falo de estudar, não é abrir livro de gramática e se matar de estudar, são algumas coisas básicas:

- Vá as aulas, sempre que possível (quando não tiver que trabalhar, estiver doente, ou algo realmente impeditivo). Faça isso uma prioridade!
- Faça sua lição de casa, normalmente não toma mais de 30 minutos, e nem é todo dia
- Participe nas aulas! Não adianta ir com má vontade, e se está lá, PARTICIPE! Você só tem a ganhar
- Compre um livro (romance) em inglês, leia algumas páginas por dia e ou leia sempre bons jornais (Metro e Herald entregue na rua não são a melhor escolha normalmente no quesito inglês)
- Anote vocabulário e pontos gramaticais na aula, releia antes de dormir (antes de ler as páginas do livro que você comprou)
- FALE!

Conheço brasileiros que moram há 3 anos em países de língua inglesa, e até hoje não falam um inglês bom. Conheço estrangeiros (filipinos, poloneses, etc) que estão aqui há 5 anos e falam precariamente também, isso porque nunca estudaram! Se não acredita em milagre no aprendizado e não tem mais 15 anos ESTUDE!

Na próxima quinta-feira vamos falar das Festas e Baladas por aqui, não percam!

2 meses de Irlanda – UFA!!

Há uma semana completamos um mes de Irlanda e nesse tempo jah passamos por algumas experiencias que foram compartilhadas com voces. O objetivo deste post é recapitular tudo o que pastamos, e postamos!

Varios links para aqueles que estao nos conhecendo agora ou para aqueles que querem relembrar o que falamos por aqui!

Preparatorios (confiram algumas dicas rápidas aqui)
1 – Fechamos com a Gotolondon.net . Sem nenhum problema (veja aqui um resumo do processo de escolha da agencia e passagens)
2 – Compramos passagens de estudante a parte pela KLM (nao precisa ser pela agencia e fica mais barato)
3 – Compramos alguns remedios
4 – Renovamos um pouco o nosso armario
5 – Fizemos uma sensacional festa de despedida

Chegada (confiram algumas dicas rápidas aqui)
1 – Imigracao sem problemas. Basta saber responder as perguntas basicas: escola, moradia, tempo de permanencia, etc.
2 – Descobrimos que nossa host family era longe, e que existe um cartao de onibus / trem pra facilitar e baratear nossa vida.

Escola
1 – Chegamos e descobrimos que aquele padrao organizacao ”Europeu” nao se repete aqui na Irlanda… pelo menos nao na Grafton College.

Moradia
1 – Uma semana depois de chegarmos, já tinhamos alugado nossa casa, onde estamos até hoje convivendo com 2 irlandeses. (Confira mais detalhes aqui )
2 – Achamos uma bicicleta no lixo (e a bicicleta realmente está um lixo), e o Eduardo comprou uma para ir trabalhar mais rápido e economicamente (detalhe, essa bicicleta tambem nao ta longe de ser um lixo)
3 – Nas compras da semana, no primeiro mes iamos com caderninho, tudo contado. Agora já estamos com tudo na cabeca, e comecamos até a fazer umas peripercias: pizza, yakisoba, farofada na praia, etc.

Trabalho
1 – Uma semana depois de estar aqui consegui (Homero) um emprego, que no entando, durou apenas um dia porque eles queriam alguem que morasse perto e eu iria me mudar nos próximos dias
2 – Edu fez uma entrevista para trabalhar de garcon para uma empresa de eventos e passou. Eu entrei no esquema e até hoje estou trabalhando pra eles. Veja aqui mais sobre Punchestwon.
3 – Descobrimos os altos e baixos da informalidade: Podem te contratar hoje e te mandar embora amanha! Ou, podem te contratar mesmo sem nunca ter visto sua cara ou seu curricuo, como aconteceu comigo na Masterchefs Hospitality.
4 – Eduardo conseguiu uma entrevista na area. Ele mandou o curriculo ainda no Brasil, na primeira semana aqui fez a entrevista com a recrutadora da agencia, duas semanas depois na empresa (veja aqui como foi), e um mes depois de chegar aqui, estava trabalhando na area e mais duas semanas depois, se tornou Full-time.
5 – Mandei vários currículos pra trabalhos na área. Várias respostas, porém possibilidades mitigadas pelo visto part-time.
6 – Ambos passamos por algumas sensacoes esquisitas e reflexoes aqui tambem.

Lazer
1 – Ainda nao viajamos pra fora do pais, mas comecamos a conhecer um pouco mais da cidade e arredores: Malahide, Howth, Dublin Castle, a O`connel já cansamos, baladas mais a ver com a gente, Fairview Park, entre outras coisas.
2 – Compramos dois violoes: o primeiro uma beleza, o segundo um sopro de sorte – 6 euros na feirinha de usados!

Foi isso! 2 meses de aflicoes e conquistas para ambos. No final do mes estamos indo passar 2 dias em Londres para assistir um show do John Mayer.

Mais noticias e reflexoes sobre Eduardo Giansante e Homero Carmona em nossos blogs particulares: http://omerocarmona.blogspot.com e http://edugisante.com

Abracos a todos!

Fatos Reais! – Parabens a um amigo!

Gostariamo de, atraves deste, parabenizar um amigo. Para manter sigilo do nome, chamarei-o de Jonas.

Jonas chegou a Irlanda sem falar nada de ingles. Tivemos que ajuda-lo a se comunicar com nossos ‘pais’ no homestay. Ele falava soh uma frase (errada): ”No speak english!”

Ele nao sabia nada de ingles mas tinha amigos, e logo arrumou uns bicos pra entregar jornal no centro de Dublin (cobrindo folgas). Enquanto isso, se esforcava pra aprender ingles, nas aulas, assistindo tv, estudando, ouvindo conversa alheia no onibus, etc.

Atraves de um amigo tambem, conseguiu o seu primeiro emprego fixo por aqui. Esta trabalhando de kitchen porter (lavador de pratos) em um hotel no interior da irlanda. Na ultima quarta-feira ele se mudou para a cidade onde se localiza o hotel.

Por que isso eh motivo de parabenizacoes?
Resposta 1. Ele estah trabalhando full-time, esta aprendendo a lingua, esta trabalhando na area dele.
Resposta 2. Porque ele conseguiu em 1 mes e meio dar um grande passo para atingir todos os seus objetivos ao vir pra ca: aprender ingles, guardar dinheiro para levar para o Brasil e trabalhar na area dele.
Resposta 3. Porque ele vai continuar fazendo aulas de ingles particulares na sua nova cidade apesar de ter abandonado a Grafton College