Por que você deve escolher a Irlanda para o seu intercâmbio?

Por que você deve escolher a Irlanda para o seu intercâmbio?

Carol Braziel

4 anos atrás

Quanto custa um intercâmbio?

Não vendemos pacotes e nem somos agência,
mas podemos te colocar em contato com elas.

A Irlanda se tornou, ao longo dos últimos anos, um dos destinos preferidos entre os intercambistas. Saiba quais são os 10 principais motivos que fazem a Ilha ser tão atrativa para quem tem o sonho de estudar inglês no exterior.

1. Economia no bolso

Fazer intercâmbio na Irlanda pode ser sinônimo de economia pro seu bolso, entenda.  © Roman Romaniuk | Dreamstime.com

Sabemos que o intercâmbio é um investimento dos grandes, o que faz com que muitas pessoas acabem desistindo desse sonho. Curso de inglês, visto, documentação, passagens aéreas, acomodação e parece que a lista não acaba nunca.

Aí que vem a primeira grande vantagem de escolher a Irlanda como destino para essa aventura: estudar inglês na Ilha Esmeralda é significativamente mais barato que os destinos mais óbvios, como Estados Unidos, Austrália e Canadá.

Você pode optar por um dos três principais formatos que as escolas irlandesas oferecem, são eles de curta, média e longa duração. Se você não pode se ausentar do Brasil por muito tempo, por exemplo, o intercâmbio intensivo de um mês é perfeito para você.

Se você consegue ficar 90 dias longe da rotina, que tal passar 3 meses na Irlanda para dar aquele up no currículo? E tem também a opção de ficar 8 meses na Ilha e ainda trabalhar por aqui, já pensou? Esse é o formato mais popular entre os intercambistas, ideal para os que querem mergulhar de cabeça na cultura local e fazer a imersão no idioma.

O preço do curso depende, é claro, de cada escola.As mais caras normalmente oferecem um maior mix de nacionalidade dentro da sala de aula. O que isso significa exatamente? Menos brasileiros por metro quadrado.

Vamos falar de números! Vale ressaltar que os preços que apresentaremos aqui são médios. Você pode (e deve) consultar agências para obter valores concretos.

O valor médio de intercâmbio de 1 mês na capital irlandesa, Dublin, incluindo curso + visto, seguro saúde, acomodação por 4 semanas + taxas custa, em torno de R$4,500 (passagem aérea não inclusa). A imigração irlandesa exige, ainda, a comprovação da quantia mínima de 500 euros para o estudante se manter durante o período.

O curso de média duração dispõe de 3 meses de aula e custa aproximadamente R$8,500, incluindo o curso + visto, seguro saúde, acomodação por 12 semanas + taxas e sem passagem aérea. Para o curso de 90 dias, o governo irlandês exige a quantia de 1.500 euros para o estudante.

Agora vamos falar do intercâmbio mais famoso da Ilha, o que faz os olhos dos futuros intercambistas brilharem: o curso de longa duração. São 25 semanas de aulas, ou seja, 6 meses, e o estudante ganha mais 2 meses de férias no carimbo do passaporte. Ele dá permissão para o intercambista trabalhar 20 horas semanais durante os seus estudos. , exceto em períodos específicos, quando é permitido o trabalho integral.

Esse é, portanto, o programa de intercâmbio mais salgado dos três. O preço dos cursos de 3 e 6 meses não varia muito, por incrível que pareça. O que faz o valor subir é a comprovação financeira. Dessa vez, ela passa para 3 mil euros. O montante corresponde, de acordo com a autoridade irlandesa, ao valor necessário para de manter na Ilha pelo longo período do visto.

Confira os valores aproximados: curso de 25 semanas + visto, seguro saúde, acomodação temporária de 2 semanas + taxas, sai por algo em torno de 10 mil reais, sem contar com as passagens aéreas. Incluindo os 3 mil euros, mais ou menos 15 mil reais (dependendo sempre da cotação do Euro), o intercâmbio de 6 meses na Irlanda fica mais ou menos R$25,000.

Lembrando que o visto, neste último caso, permite que o estudante trabalhe enquanto estuda, o que pode aliviar bastante o bolso do intercambista. Desta forma, o dinheiro não vai só sair. Interessante não é? Vamos explicar agora como funciona o visto.

2. Visto

Um dos maiores obstáculos para o intercambista é parar alguns meses para estudar, mas não poder trabalhar por conta do visto de estudante, pois isso geralmente significa certa dificuldade para se manter no país – ou você tem muito dinheiro guardado ou terá que passar um bom tempo levantando a grana necessária para a realização desse sonho.

Como já demos spoiler ali em cima, o visto de estudante na Irlanda é um ponto mega positivo para quem deseja uma experiência mais completa no intercâmbio e, de quebra, ganhar alguns eurinhos para ajudar nas despesas diárias. Ponto para a Irlanda!

O visto Stamp 2, concedido àqueles que compram o curso de 25 semanas, permite que o estudante trabalhe por meio período, desde que este não interfira nos estudos. Assim, o intercambista pode trabalhar 20 horas por semana, exceto durante o período de férias de verão irlandesa, quando ele pode trabalhar por 40 horas semanais.

O governo irlandês oferece, também, a possibilidade de renovação. Aqueles que desejarem prolongar um pouco mais a estadia na Ilha, podem se matricular em um outro curso de 25 semanas antes mesmo de o visto expirar. Desta vez a comprovação dos 3 mil euros não é mais necessária. Em vez disso, o estudante precisa comprovar que presenciou mais de 85% das aulas do curso anterior.

Outra grande vantagem do visto irlandês é a facilidade da aquisição do mesmo. Diferentemente de países como Estados Unidos, Austrália e Canadá, onde o visto de estudante é feito ainda no Brasil, em um processo demorado com o risco de ser negado, aqui na Irlanda a história é outra.

Basta desembarcar na Ilha com todos os documentos certinhos e exigências da imigração em dia que o visto é garantido. Saiba quais são:

  • Carta da escola (curso de 25 semanas de carga mínima semanal de 15h/aula por semana)
  • Seguro saúde (governamental ou médico privado de empresa irlandesa)
  • 3.000 euros (comprovados em extrato de uma conta em banco irlandês, Postal Order (uma espécie de cheque que pode ser feito no GPO- General Post Office) ou outro método aceito pelo governo)
  • Comprovação de endereço
  • O valor de 300 euros cobrado pelo registro do Irish Residence Permit – IRP (antigo GNIB)

Uma vez que você tenha todos os documentos em mãos, é hora de agendar um horário online pelo site do Burgh Quay Registration Office in Dublin City. Esta etapa pode ser um pouco demorada, visto que os agendamentos são bastante concorridos.

Com o apopointment realizado, é só comparecer à imigração para receber o visto 8 meses. O cartão do IRP deverá chegar até o seu endereço em até 7 dias úteis. O visto Stamp 2 pode ser renovado até duas vezes, ou seja, o tempo máximo de estadia na Ilha como estudante de inglês é de 2 anos.

3. Qualidade Educacional

Em 2016, o governo irlandês anunciou em setembro a “Reforma Regulamentária do Setor de Educação Internacional e do Regime de Imigração Estudantil“. Muitas pessoas ficaram assustadas com as mudanças, temendo que elas pudessem dificultar a vida do estudante estrangeiro.

Na verdade, a reforma teve como objetivo principal melhorar a qualidade do ensino e a segurança do intercambista, impedindo que o país se tornasse uma verdadeira “fábrica de vistos”. Entenda as principais medidas e as melhorias que elas trouxeram para a qualidade do intercâmbio na Irlanda:

  • Apenas instituições aprovadas pelo governo podem receber estudantes internacionais, garantindo, assim, maior qualidade nos estudos;
  • Inspeção mais rigorosa nas escolas com o intuito de garantir segurança no cumprimento das regras de imigração;
  • Mudanças em relação à permissão de trabalho (até 20h por semana durante o período de aulas e até 40 horas semanais em meses específicos – entre maio e agosto; e entre 15 de dezembro e 15 de janeiro).
  • Obrigatoriedade da realização de algum teste de proficiência do idioma (os mais comuns são o TIE, IELTS e Cambridge)

E a qualidade do ensino não se aplica apenas para as escolas de inglês não. Já pensou em fazer um curso de nível superior na Irlanda? Pois saiba que as universidades irlandesas são reconhecidas no mundo todo por sua excelência. A Trinity College of Dublin, a University College of Cork e a UCD, University College of Dublin, são algumas delas.

Investir em uma graduação, pós, mestrado ou doutorado é uma boa forma de continuar na Ilha depois da última renovação como estudante de inglês, inclusive. Infelizmente, o valor da anuidade dos cursos universitários para não-europeus são normalmente mais salgados do que para europeus.

A boa notícia é que o governo irlandês está abrindo cada vez mais as portas para os estudantes estrangeiros, se mostrando interessado em mantê-los aqui, qualificá-los e inseri-los no mercado de trabalho.

Uma prova concreta disso é o Graduate Scheme, também conhecido como Stamp 1G, que garante aos graduandos estrangeiros a permissão de trabalhar por até 2 anos aqui no país depois do fim do curso.

4. Europa, baby!

É hora de tirar aquele velho sonho da Eurotrip do papel! © Mikolaj64 | Dreamstime.com

A Irlanda faz parte da União Europeia e, uma vez na Europa, o mundo das passagens mais baratas se abre diante dos nossos olhos. Você vai conhecer as maravilhas das companhias aéreas low cost e vai constatar que é muito fácil (e barato!) viajar para os mais variados destinos no continente.

Se você se planejar, poderá, sim, conhecer diversos países e suas culturas por preços tão incrivelmente baratos, que ir de São Paulo para Campinas se tornará, financeiramente, um absurdo pra você.

Dublin também é sede da Ryanair, companhia de baixo custo famosa pelos preços baixos das passagens. Estamos falando de voos para Londres por menos de 15 euros. Parece mentira, não é?

Esse é um dos grandes atrativos da Irlanda como destino para o intercâmbio e o que torna o país tão especial e único. Se o sangue mochileiro corre nas suas veias, essa é a oportunidade perfeita para fazer aquela Eurotrip. Lembrando que, com o visto Stamp 2, você terá 2 meses de férias depois do curso. Imagina quantos novos carimbos você vai adquirir nesses 60 dias?

5. Emprego? Sim!

O desemprego continua caindo na Irlanda e o governo irlandês está de braços abertos para receber profissionais estrangeiros qualificados. O terreno está cada vez mais fértil e abrangendo novas áreas a cada ano que passa. Em 2016, o CSO realizou uma pesquisa que constatou mais de 300 mil trabalhadores não-nativos no país, entre os quais 6.568 eram brasileiros.

No ano passado, o Departamento de Negócios, Empresas e Inovação da Irlanda anunciou que a lista de profissões e áreas consideradas Critical Skills iria aumentar. A corresponde às áreas onde há profissionais em escassez no mercado de trabalho na Irlanda. Se a sua profissão está nessa lista e você é especialista no assunto, suas chances são altas na disputa por uma vaga no mercado de trabalho irlandês.

Não é nenhuma novidade que a galera da área de Tecnologia da Informação é a mais cobiçada na Ilha. Você sabia que alguns dos gigantes do ramo estão sediados na Irlanda? Empresas como Facebook, Apple e Dropbox estão bem aqui e, mais do que isso, estão constantemente procurando profissionais altamente qualificados para preencher vagas.

Não vamos mentir: o processo para conseguir um visto de trabalho é complexo e repleto de exigências – desde a busca pela vaga, o preenchimento de requisitos até o visto adequado. Mas não é impossível. Muito pelo contrário.

De acordo com informações do governo irlandês, foram emitidos 9649 novos vistos de trabalho para estrangeiros entre janeiro e agosto, em 2019. Destes, 917 foram para brasileiros. O Brasil fica atrás apenas da Índia no número de work permits recebidos neste ano na Irlanda.

6. Povo gentil e hospitaleiro

Nada melhor do que ser bem recebido longe de casa, não é mesmo?  © Roman Stetsyk | Dreamstime.com

A gente até tenta não ser tão repetitivo sobre isso, mas o povo irlandês, em sua grande maioria, é tão simpático que não temos como não incluir esse como um ótimo motivo para você escolher estudar na Irlanda. Afinal, já estamos saindo da nossa zona de conforto, tendo que aprender outra língua… então que pelo menos seja com pessoas receptivas, certo?

Por esse motivo, não se acanhe quando precisar pedir informação nas ruas. Entrar em contato direto com os locais e a forma mais eficiente de praticar o inglês fora da sala de aula e o grande objetivo do intercâmbio.

Os irlandeses estão super acostumados a receber visitantes, principalmente na capital Dublin, onde é impossível não ouvir diversos idiomas e sotaques se misturando com o inglês pelas ruas. A cidade é bastante turística e os nativos sabem bem como tratar um convidado. Sobretudo no mês de março.

Isso porque é quando acontece o maior festival do país, que colore as cidades com diversos tons de verde: o Saint Patrick’s Day. A festa celebra o padroeiro da Ilha e atrai milhares de turistas todos os anos. Desfiles, banda e muitas festas espalhadas por todos os cantos! O um evento imperdível, aguardado por nativos e estrangeiros, é muito semelhante ao carnaval brasileiro.

7. Sotaque Irlandês

O Irish accent não é como nos filmes e seriados que estamos acostumados a assistir no Brasil. Assim como temos diferentes sotaques na nossa própria língua, os falantes de língua inglesa também enfrentam essas distinções de pronúncia, gírias, expressões e às vezes até de vocabulário!

Aviso aos navegantes: alguns estudantes que já possuem um nível razoável de inglês levam um susto ao desembarcar na Ilha e ouvir o sotaque “irish” pela primeira vez. Lembrando mais uma vez que tudo isso faz parte dos termos de compromisso que assinamos quando assumimos o desafio de sair da zona de conforto. Reza a lenda de que quem consegue entender o sotaque irlandês, pode compreender qualquer outro sotaque (até mesmo o escocês, será?).

Além da forte influência britânica, temos que levar em conta a cultura local irlandesa. O resultado? Um sotaque com diferenças na pronúncia e até nas estruturas, mas sempre tendendo para um inglês mais coloquial.

A parte boa disso? Ter a oportunidade de mergulhar nas diferenças e aproveitar toda a experiência. Que tal conhecer algumas gírias irlandesas para já chegar se enturmando na Ilha? Tem um episódio super bacana do E-Dublincast onde exploramos esse assunto, dá uma olhada:

 

8. Cultura

Conhecida por saber preservar suas tradições muito bem, a Irlanda oferece diversos elementos culturais mundialmente conhecidos, a Irlanda é a terceira maior ilha da Europa e oitava maior do mundo.

Dentro dos seus 70.274km² se encontram mais de 4,7 milhões de pessoas e milhares de anos de história, que convivem em harmonia com todas as facilidades de um país desenvolvido.Para se ter uma ideia, tem pub na Irlanda que é mais velho do que o Brasil!

O território total da Ilha é dividido entre dois países diferentes, a República da Irlanda, a qual nos referimos apenas como Irlanda e a Irlanda do Norte. Os dois países se separaram em 1921, quando a República declarou independência da terra da Rainha e se juntou aos países da União Europeia em 1973.

É por conta da influência britânica que os irlandeses passaram a falar inglês. Antigamente, eles tinham o próprio idioma, que, inclusive ainda é ensinado nas escolas e está presente no dia a dia. Não estranhe ao ler uma palavra esquisita nas sinalizações das ruas, ou ouvir um idioma diferente nos avisos sonoros do transporte público, por exemplo. É o idioma irlandês, que eles fazem questão de preservar.

9. Natureza e paisagens

O Cliffs of Moher é um dos pontos turísticos preferidos dos intercambistas. Imperdível! © Stefano Valeri | Dreamstime.com

Se você fará um investimento não apenas financeiro, mas também de vida, que seja para ficar em um lugar de beleza impressionante, certo? Nesse quesito, não tenha dúvidas: esse é o lugar ideal!

Combinando o medieval com o moderno, com um forte estilo georgiano e com uma paisagem intocada, o país, repleto pelo famoso verde irlandês, tem lagos e montanhas belíssimas distribuídas pelo litoral, além, claro, das falésias, que formam uma das paisagens mais incríveis do mundo. Definitivamente, não tem como não se apaixonar pelo cartão postal que é o Cliffs of Moher, um clássico.

Segundo informações da Failte, a Autoridade Nacional de Desenvolvimento e Turismo da Irlanda, o “Cliffs” está no ranking dos pontos turísticos mais visitado de 2018. São 8km de de falésias que chegam a incríveis 214 metros de altura, os penhascos foram um paredão natural contra o oceano e forma um cenário de tirar o fôlego..

O Powerscourt House and Gardens, um palácio belíssimo com lindos jardins, que já foi cenário de vários filmes como O Conde de Monte Cristo e Rei Arthur, também é uma atração imperdível para os amantes de natureza e cultura. A mansão tem 68 cômodos, foi construída no século XVII e ostenta diversas espécies de flores que ornamentam a área externa.

E na mesma região, há poucos quilômetros do Palácio, se encontra a maior cachoeira da Irlanda, a Powerscourt Waterfall. Com 121 metros de altura, ela é perfeita para aqueles que curtem fazer uma trilha e aproveitar o dia bem pertinho da natureza. E essas são apenas algumas das opções.

10. O mundo todo em um só país

A troca cultural é inevitável e muito positiva para a experiência do intercâmbio. © Vadimgozhda | Dreamstime.com

É claro que se a Irlanda é um dos países mais atraentes da Europa para os intercambistas, então você acabará se relacionando com pessoas do mundo inteiro, o que é quase um quesito obrigatório para quem quer desenvolver todas as competências na língua inglesa, certo?

A troca cultural é riquíssima e mais do que garantida. Por aqui, você certamente vai dividir casa e até quarto com pessoas de outras nacionalidades. Vai ter experiências e conhecer culturas, culinárias e costumes que jamais imaginou encontrar em um só lugar. Basta se permitir! Então, o que você está esperando?

Veja também

Roteiro de Intercâmbio na Irlanda por quem o viveu

,

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar