10 músicos ou bandas irlandesas para você criar uma playlist

10 músicos ou bandas irlandesas para você criar uma playlist

Rubinho Vitti

3 meses atrás

Siga o E-Dublin no Instagram

A música é um dos principais eixos culturais da Irlanda. Talvez fique apenas atrás da literatura, se pensarmos na divulgação da cultura irlandesa mundo afora. No entanto, muitas vezes, as pessoas nem sabem que este ou aquele grupo ou cantor é da Irlanda, tamanho o sucesso. Então, decidimos fazer uma lista de artistas irlandeses para você montar sua própria playlist musical. Que tal?

1. U2

Comecemos pelo mais óbvio. A banda U2 é, de longe, a mais famosa banda irlandesa do mundo. Ela conquistou todos os holofotes possíveis nos anos 1980 e segue se destacando como uma das maiores do globo, chegando ao mesmo patamar de Rolling Stones e Beatles. A banda foi formada por Bono, the Edge, Adam Clayton e Larry Mullen Jr em 1976 na escola, em Dublin. Com 14 álbuns de estúdio, o grupo vendeu entre 150 e 170 milhões de cópias mundo afora, conquistando, ainda, 22 Grammy Awards.

Músicas para a playlist:

  • Sunday Bloody Sunday (que descreve os horrores dos problemas na Irlanda do Norte, quando, em 1972, a polícia matou civis protestantes desarmados)
  • With or Without You
  • Beautiful Day

2. Christy Moore

O cantor, compositor e guitarrista irlandês Christy Moore é um dos músicos mais amados da Irlanda, com uma carreira de mais de meio século. De Kildare, lançou 30 álbuns solo, além de ser membro fundador dos lendários Atos Planxty e Moving Hearts. A música de Moore é renomada por ser política e refletir a vida social.

Músicas para a playlist:

  • The City of Chicago (sobre emigração dos irlandeses para a América durante a The Great Famine)
  • Back Home in Derry
  • Viva la Quinte Brigada

3. Enya

Enya Patricia Brennan é a artista feminina mais vendida da Irlanda e uma das mulheres mais ricas da indústria da música. De Gweedore, Donegal, Enya começou sua carreira na década de 1980, tocando música tradicional irlandesa com a banda Clannad antes de embarcar em uma carreira solo de enorme sucesso. Enya desfrutou um sucesso constante ao longo dos anos 90 e 2000, atuando em 10 idiomas, e vendeu 26,5 milhões álbuns nos Estados Unidos e cerca de 80 milhões de discos em todo o mundo.

Músicas para a playlist:

  • Only Time
  • Caribbean blue
  • May it be

4. The Cranberries

De Limerick, o grupo de rock alternativo The Cranberries alcançou fama mundial nos anos 90 e passou a vender mais de 40 milhões de discos, incluindo 14 milhões nos EUA. A voz icônica da vocalista Dolores O’Riordan, que tragicamente morreu em 2018, dava o tom de emoções das canções do grupo.

Músicas para a playlist:

  • Zombie (escrita sobre o bombardeio do IRA 1993 em Warrington, Inglaterra, e em memória a duas jovens vítimas)
  • Dreams
  • Linger

5. The Pogues

Uma das bandas mais iconicamente irlandesas dos últimos 30 anos foi formada em Kings Cross, Londres, e era tecnicamente uma banda inglesa. O vocalista Shane MacGowan era filho de pais irlandeses e nasceu em Pembury, Kent, no dia de Natal de 1957. De fato, houve resistência pública inicial porque a banda não era vista como irlandesa. Eles foram os primeiros a adotar um caráter punk e misturá-lo com o tradicional som irlandês de bandolins, assobios de estanho e citrinos com sabor celta para amantes do punk.

Músicas para a playlist:

  • Christmas classic Fairytale in New York
  • Dirty Old Town
  • A Pair of Brown Eyes

6. The Dubliners

A banda folclórica irlandesa The Dubliners foi imensamente popular por mais de 50 anos. A banda sofreu muitas mudanças, mas o sucesso do grupo foi centrado nos vocalistas Luke Kelly e Ronnie Drew. A banda conquistou sucesso internacional com suas animadas músicas folclóricas irlandesas, baladas de rua tradicionais e instrumentais. Como muitos outros populares músicos folclóricos irlandeses, eles frequentemente faziam polêmicas canções políticas. Durante esse período, a popularidade da banda começou a se espalhar pelo continente europeu e nos EUA.

Músicas para a playlist:

  • Song for Ireland
  • Whiskey in the Jar
  • Molly Malone

7. Luke Kelly

Luke Kelly é um dos maiores cantores folclóricos da Irlanda e provavelmente o mais icônico deles. Sua voz é poderosamente distinta e cheia de emoção. Fundador do The Dubliners e nascido na capital irlandesa, Luke Kelly ficou famoso com a gravação da melodia de The Dawning of the Day, que está no filme In Bruges, estrelado por atores irlandeses como Colin Farrell e Brendan Gleeson. Ele também fez uma versão de Scorn Not His Simplicity, uma canção escrita pelo músico e compositor irlandês Phil Coulter. Kelly morreu de um tumor no cérebro em 1984, com apenas 43 anos.

Músicas para a playlist:

  • Raglan Road
  • The Dawning of the Day
  • Scorn Not His Simplicity

8. The Corrs

Combinando pop rock com temas tradicionais irlandeses e mantendo tudo na família, os irmãos Andrea, Sharon, Caroline e Jim Corr, de Dundalk, encontraram fama internacional nos anos 90, vendendo 40 milhões de álbuns. O grupo lançou seu sexto álbum de estúdio em 2015, após uma pausa de dez anos, seguindo com um sétimo álbum em 2017.

Músicas para a playlist:

  • Dreams
  • Breathless
  • Runaway

9. Sinéad O’Connor

A cantora e compositora Sinéad O’Connor chegou à fama no final dos anos 80 com seu álbum de estreia, The Lion and the Cobra, mas alcançou sucesso mundial em 1990 com um novo arranjo da música do Prince, Nothing Compares 2 U. O’Connor, que agora atende pelo nome de Magda Davitt depois de se converter ao islamismo em 2018, tem controvertida toda a sua carreira, famosa por rasgar uma foto de João Paulo II como um protesto contra o abuso sexual de crianças na Igreja Católica.

Músicas para a playlist:

  • Nothing Compares 2 U
  • Molly Malone
  • Troy

10. Hozier

De Wicklow, Hozier é um dos mais recentes nomes irlandeses a tomar fama internacional com sua música. Ele entrou no cenário internacional com seu single Take Me To Church, em 2013. A letra usa terminologia religiosa para descrever um relacionamento romântico e ele escreveu e gravou a música no sótão da casa de seus pais, em Bray. Após o lançamento, seu videoclipe se tornou viral, uma vez que segue um relacionamento entre dois homens e a subsequente reação violenta homofóbica.

Músicas para a playlist:

  • Take Me To Church
  • Movement
  • Someone New
Rubinho Vitti
Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar