5 doenças comuns no inverno irlandês e como evitá-las

5 doenças comuns no inverno irlandês e como evitá-las

Larissa Fontes

2 meses atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Com o inverno batendo na porta, é importante ter cuidado redobrado com a saúde. Nosso corpo não está acostumado com as baixas temperaturas e, muitas vezes, adoecemos por não nos preparamos devidamente para encarar o frio. Saiba quais são as doenças e outros probleminhas comuns aqui na Irlanda durante o inverno e como fugir deles.

1. Ressecamento e rachaduras de pele

Neglicenciar a saúde durante o inverno pode ser bastante perigoso.@ Zhekos/Dreamstime

Neglicenciar a saúde durante o inverno pode ser bastante perigoso. @ Zhekos/Dreamstime

Beber água é fundamental para o bom funcionamento do nosso organismo, principalmente no inverno. A tendência é que a gente sinta menos sede nos dias frios e, portanto, esqueçamos de ingerir os famosos 2 litros por dia. 

A combinação da falta de hidratação, clima seco, falta de luz solar, mais os ventos fortes da Ilha e o excesso de banhos quentes só pode resultar em ressecamento de pele. As consequências podem ser mais desagradáveis do que se imagina.

A pele ressecada costuma ocasionar rachaduras extremamente incômodas no rosto e no corpo. A recomendação é o uso contínuo de hidratantes para evitar o aparecimento dessas feridas. O banho de água quente, por mais tentador que seja no inverno, também deve ser evitado, já que ele tende a retirar a hidratação natural da nossa pele.

Também é preciso tomar muito cuidado com as rachaduras dos pés e das mãos. As extremidades do nosso corpo são muito suscetíveis a rachaduras. A tendência é usarmos inúmeras camadas de roupa no frio, o que faz com que nossa pele fique sempre abafada, um ambiente propício para a proliferação de fungos. Cuidado redobrado nessa época.

2. Erupções cutâneas

Conhecidas aqui como “rashes”, as erupções cutâneas podem ter diversas causas, e o clima invernoso pode ser uma delas. De acordo com o Health Service Executive, o sistema público de saúde da Irlanda, as mudanças bruscas de temperatura, como o tempo frio em contraste com os aquecedores, podem provocar o aparecimento dessas “bolinhas” no corpo. 

Rosáceas e dermatites são as erupções mais comuns de ocorrer no inverno e deixar nossa pele irritada. É recomendado conversar com um profissional da área de saúde, como um farmacêutico, para saber o tratamento adequado, visto que cada pele se comporta de uma forma diferente conforme suas características.

3. Gripes, resfriados e dores de garganta

Gripes e resfriados são mais comuns durante o inverno, saiba como se prevenir.©Ocusfocus | Dreamstime.com

Gripes e resfriados são mais comuns durante o inverno, saiba como se prevenir. © Ocusfocus | Dreamstime.com

Não tem jeito. A maioria há de concordar que é só a temperatura cair que a garganta já começa a coçar, o nariz a escorrer e a tosse a dar o ar da graça. Para quem é alérgico ou tem problemas respiratórios, o problema é ainda pior. 

A recomendação do HSE pode parecer óbvia, mas é sempre bom lembrar: evite ingerir comidas ou líquidos muito quentes ou muito frios. Opte por tudo em temperatura morna, para não irritar ainda mais a região da garganta. 

Ainda de acordo com o sistema de saúde irlandês, a maioria das pessoas sofre com dores de garganta entre 2 e 3 vezes ao ano. Na maior parte dos casos, não evolui para uma infecção e pode ser tratado com os remédios que vendem sem prescrição médica na farmácia ou nos supermercados. Para aliviar a dor e o incômodo, sprays e pastilhas são bons aliados.

Em caso de gripe ou resfriado, a recomendação é evitar lugares muito fechados, sem ventilação ou saída de ar. O HSE lembra também da importância de sempre lavar as mãos e não dividir copos e talheres para não aumentar o risco de contaminação. Para o tratamento, em alguns casos, é necessária a ida a um General Practitioner, pois só eles podem receitar antibióticos, se necessário. 

4. Infecção urinária

Mais comum entre as mulheres, a infecção urinária tende a ser mais recorrente no inverno. Isso acontece devido à tendência de bebermos menos água nesse período. É por meio da urina que acontece a limpeza da uretra, impedindo, assim, a proliferação de bactérias que causam a infecção.

O principal indício da doença é uma forte ardência ao urinar, podendo até ocorrer sangramento. Outros sintomas são a mudança da coloração do xixi e vontade de ir ao banheiro constantemente. 

Além de beber bastante água, suco de Cranberry é um grande aliado ao combate da infecção urinária. A própria fruta ou a versão em cápsulas também ajudam e muito no tratamento, um remédio natural. Mas é importante lembrar que, em alguns casos, é necessária a intervenção por meio de antibióticos.

5. Norovírus ou Vomiting Bug

É muito comum se esquecer de beber água durante o inverno, fique atento.© Nikkytok - Dreamstime.com

É muito comum se esquecer de beber água durante o inverno, fique atento. © Nikkytok – Dreamstime.com

Esse é um vírus muito comum por aqui no ano todo, mas é no inverno que ele gosta de atacar. Por conta dos ambientes sempre fechados, a proliferação do vomiting bug aumenta bastante. E como o nome já dá diz, ele ataca o estômago, provocando, entre outros sintomas, o vômito. 

Dores de cabeça, de barriga e diarreia também são comuns e, geralmente, duram em torno de 3 dias. O HSE aconselha beber bastante água, por conta da perda de líquidos, e ficar em repouso até o fim dos sintomas. É recomendado também fazer refeições leves e naturais para limpar o organismo. Lembrando que, se os sintomas persistirem, é altamente recomendado uma visita ao GP.

Importante lembrar que…

No inverno europeu, os dias são mais curtos e a falta de exposição ao raios solares provoca, muitas vezes, a deficiência de Vitamina D no nosso organismo. Altamente ligada ao nosso bem-estar físico e emocional, é recomendado tomar doses semanais ou, até mesmo, diárias da Vitamina D aqui na Irlanda. Converse com um farmacêutico. 

Leia também: Em apuros com o inverno europeu? Se ligue nessas dicas

Veja também

Como cuidar da saúde durante uma viagem no exterior?

Larissa Fontes
Larissa Fontes, Jornalista, geminiana e curiosa. Dona de uma mente inquieta num corpo semi-sedentário de 20 e poucos anos. Sobrevive à base de café, música alta e papos de boteco. Acompanhe ela em @larifontes no Instagram.

Stock Photos via Dreamstime
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar