Imigração na Irlanda: o que vão te perguntar na Imigração?

Imigração na Irlanda: o que vão te perguntar na Imigração?

Edu Giansante

3 meses atrás

Quanto custa um intercâmbio?

Não vendemos pacotes e nem somos agência,
mas podemos te colocar em contato com elas.

A imigração na Irlanda costuma ser mais sossegada que em países como Inglaterra e Espanha, principalmente após parcerias firmadas com o Brasil. No geral, as perguntas feitas fazem parte de um protocolo corriqueiro.

Alguns querem saber detalhe por detalhe sobre você, outros só perguntam sobre o propósito da sua viagem para conferir se suas informações estão de acordo com os documentos apresentados. Mas, de qualquer forma, vale estar preparado para o momento de encarar o agente de imigração.

E não adianta brigar ou reclamar, caso você se depare com um oficial mais carrancudo — vai da sorte de cada um. Vale ressaltar, também, que as autoridades de imigração têm todo o direito de barrar qualquer pessoa. Essa é uma das formas de eles evitarem o acesso de imigrantes que queiram trabalhar ilegalmente ou que entrem no país com segundas intenções.

Neste texto, vamos listar as cinco perguntas mais frequentes feitas aos intercambistas. Em suma, a dica básica é: não entre em pânico. Afinal, você não está aqui para fazer nada de errado, não é?!

O que você veio fazer aqui?

What are you doing here in Ireland?

A questão mais básica de todas. Eles querem saber suas reais intenções no país. Vai estudar? Mostre a documentação referente à escola. Quanto mais detalhes, melhor. Normalmente, a própria agência de intercâmbio fornece tudo que é necessário ao cliente. Lembre-se: não minta. Essa é uma das falhas mais tolas que você pode cometer quando estiver na frente do oficial. Eles perceberão na certa. Então, tenha toda a documentação correta e seja honesto!

Onde ficará hospedado?

Where are you going to stay?

A maioria dos intercambistas agenda, ao menos, uma semana de acomodação, paga juntamente ao pacote do curso. Evite dizer que ficará com amigos, mas, se o fizer, traga uma carta convite emitida pelo anfitrião, com endereço completo, telefones e uma declaração de que seus gastos de alimentação serão custeados por essa pessoa, ou que você apresenta recursos para se sustentar durante seu período de estadia.

Quanto dinheiro você trouxe?

How much money do you have to stay in Ireland?

Lembre-se de que, dependendo do país onde for ficar, o valor necessário para cada mês de hospedagem é diferente. Na Irlanda, por exemplo, é necessário comprovar o valor de 3 mil euros para se obter o visto de estudante válido por 8 meses — ou 500 euros mensais para cada mês de estadia, caso você decida ficar entre 3 e 5 meses (como turista não é necessário comprovação financeira). Se necessário, mostre que tem a quantia suficiente para as atividades que vai realizar. Tenha comprovantes de tudo, extrato emitido nos dias anteriores à viagem e, se possível, cartão de crédito internacional.

Quanto tempo pretende ficar por aqui?

How long are you going to stay in Ireland?

Mostre a carta da escola, onde deve constar a duração do curso. Não há segredo. Essa pergunta pode ser relacionada a todas às anteriores, então não adianta inventar ou mentir. Seja o mais explícito possível. Também é importante, caso solicitado, exibir o seguro obrigatório. Se você entrar como turista e estiver só de passagem pela Irlanda, mostre também as reservas de passagens de volta, carta convite (se aplicável) ou comprovante de hospedagem.

Qual sua ocupação no país em que vive?

What do you do in Brazil?

A Imigração precisa saber de algum vínculo que você tenha no Brasil. Assim, é menos provável que você simplesmente decida ficar no país para onde está viajando e cause despesas ao governo. Não é sempre que exigirão, mas ter um comprovante de residência e/ou qualquer outra posse que esteja em seu nome, como um carro ou um holerite, pode ajudar, caso queiram mais detalhes.

Detalhe importante: claro que tudo isso ocorrerá no bom e velho sotaque irlandês. Então, fica a dica: já vá treinando antes de sair do Brasil! Mas não se preocupe se o seu inglês for básico. Afinal, você está vindo para estudar e aprender inglês, não é? Use as palavrinhas básicas: “Sorry!”, “Can you repeat, please?”. Funcionam! Não há problema nenhum, e eles costumam ser pacientes quando percebem que a pessoa não domina o idioma. Então relaxe, tenha todos os documentos e comprovantes em mãos e Welcome to Ireland!

Posso fazer algo para evitar problemas na imigração da Irlanda?

Os casos de deportação na Irlanda aumentaram no último ano, de acordo com o INIS (Irish Naturalisation and Immigration Service). Somente em 2016, 4.446 pessoas foram deportadas, o que significa quase 20% a mais que 2015, quando 3.790 tiveram sua entrada negada — e, também, o maior índice dos últimos 6 anos.

Os brasileiros estão entre as 5 nações mais deportadas na Irlanda, juntamente a Nigéria, Estados Unidos, Albânia e África do Sul.

1. Tenha em mãos toda documentação do seu intercâmbio

Somente depois de muita pesquisa, de emitir (ou verificar) o passaporte, comprar as passagens — de ida e volta, sempre! —, garantir a contratação do seguro saúde, fazer reservas em acomodações, etc., enfim, você está com tudo pronto para realizar a tão planejada viagem, certo? Mas é sempre bom ressaltar a importância de estar de acordo com as exigências do país para o qual deseja embarcar, seja por turismo, trabalho ou estudo. Assim, cheque todos os pormenores para evitar contratempos, tenha absolutamente todos os documentos necessários em mãos e, caso seja questionado pela imigração, seja objetivo, educado e honesto.

2. Evite rotas e situações vulneráveis

A prostituição é um tema real e que coloca muitas brasileiras em situações complicadas em diferentes países da Europa. Por isso, garotas vindas — ou em conexão — de Portugal, Itália e Suíça, considerados ‘rotas de prostituição’, podem ter sua entrada negada ou com mais complicações.

Depois do ataque terrorista na London Bridge, há alguns anos, executado por um marroquino que vivia em Dublin, as autoridades estão de olho em pessoas que transitaram por países árabes, assim como muçulmanos, também na mira dos oficiais.

Tome cuidado ao escolher o roteiro de viagem e a conexão do país por onde vai passar. Isso pode fazer uma grande diferença na hora da chegada à Irlanda.

3. Leve em conta o seu perfil de estudante

A jornalista amazonense Terezinha Viana de Souza, de 64 anos, passou sete meses na Irlanda, de maio a dezembro de 2016, para estudar inglês. Ela conta que, apesar de estar com a documentação em dia, foi submetida a um interrogatório. “Talvez por não acreditarem que eu estivesse ali como intercambista para aprender inglês. Foram momentos de muita tensão”, relata.

Somente tempos depois ela compreendeu porque recebera tal tratamento. “Eu não estava no ‘padrão’ das brasileiras que eles imaginam: jovens, belas. Também na escola, eu estava fora do padrão, pois quase todos os estudantes tinham a metade da minha idade, alguns até poderiam ser meus netos”, finaliza ela.

4. Cumpra as regras do país

A comprovação financeira de 3 mil euros é um dos pré-requisitos para estudantes de línguas na Irlanda. Tenha dinheiro em espécie, de preferência — e, se possível, um pouco além do exigido pelo país de destino, além do cartão de crédito para qualquer emergência. Na Irlanda, isso significa 60 euros ao dia, no mínimo (considerando o período do visto).

Se estiver de férias, tenha em mãos documentos que comprovem a renda e, se o seu caso for estudo, matrícula da instituição de ensino, material que comprove seu vínculo financeiro com seu país de origem ou meios de sobrevivência durante o período.

5. Se chegar a dois, prepare-se para perguntas extras

Se a sua viagem a dois para a Irlanda não for com fins turísticos, fique atento. Oficiais estão de olho em casos de casais em passagem pela Irlanda, principalmente quando em situação de estudante — que não dá direito a dependentes durante o período de curso, pois, segundo as autoridades, esses perfis estão em busca de trabalho, muitas vezes ilegal, o que não é permitido. Por isso, reflita se não há possíveis contradições em sua documentação e busque as soluções caso seja questionado.

E seja bem-vindo à Irlanda!

Veja também

Como preparar as malas para o Intercâmbio?

Edu Giansante
Edu Giansante, Fundador e CEO do E-Dublin, Edu chegou na Irlanda em 2008, no ano pré-crise, pegou a nevasca de 2010 e comeu cérebro de cabra em Marrakesh. O Edu também é baterista da banda Irlandesa Medz.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar