Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Meu Intercâmbio

9 desafios ao buscar por uma acomodação em Dublin

Rubinho Vitti postou em 02 nov 2018

Os planos de me mudar para Dublin demoraram alguns meses: encontrar a escola ideal, deixar as coisas resolvidas na minha cidade no Brasil e finalmente embarcar. Após tudo estar pronto para a nova vida, uma dúvida ainda pairava no ar e me deixava com aquele friozinho na barriga… como será minha moradia na capital irlandesa?

Muitos estudantes, como eu, fecham moradias temporárias em casas de conhecidos, famílias irlandesas ou residência estudantil. Mas, e depois? Como encontrar o lar ideal para seguir os planos adiante?

1. Cidade compacta para muita demanda

Apesar de ser capital, cidade é pequena para o grande número de estudantes que chegam todos os anos. © Gunold | Dreamstime.com

Apesar de ser capital, a cidade é pequena para o grande número de estudantes que chegam todos os anos. © Gunold | Dreamstime

A capital irlandesa não é grande, por isso é preciso entender que existe pouco espaço para muita gente. São 1,8 milhão de pessoas (um número incerto, já que muitos estrangeiros chegam todos os dias na cidade), vivendo em 144 km² de território – para se ter uma ideia de comparação, São Paulo tem 1.521 km². É difícil? É! Mas posso dizer que tudo dá certo no final. Depois de quatro mudanças em três meses de vivência na cidade, finalmente encontrei o meu lugar. Como coração de mãe, em Dublin sempre cabe mais um.

2. Encontrar uma acomodação exigirá persistência

A primeira coisa a se fazer é buscar diariamente, hora a hora, uma nova vaga. Muitos grupos no Facebook de classificados brasileiros e de flatmates em Dublin me ajudaram. Também é possível buscar em sites de aluguel na cidade, como o Daft.ie. Outra saída é colocar bilhetes em busca de moradia no mural da escola e também conversar com os novos colegas de classe. O boca-a-boca ainda é uma ferramenta muito importante.

3. O processo pode ser muito frustrante

Nas entrevistas para a uma vaga em uma nova casa, o melhor é ser você mesmo. Foto: Gpointstudio/Dreamstime

Nas entrevistas para a uma vaga em uma nova casa, o melhor é ser você mesmo. Foto: Gpointstudio/Dreamstime

Encontrar uma casa é como buscar um novo emprego. Haverá muita gente interessada na vaga disponível e por isso é comum que exista uma seleção: as famosas entrevistas. Nesse momento, todos os moradores da casa se unem para conversar com os candidatos. Passei por algumas e o sentimento de insegurança é real. Será que vão gostar de mim? O que devo dizer? Como me vestir? Acabei optando por ser eu mesmo. Os moradores perguntam sobre hábitos, trabalho ou estudo, o que pretende fazer na Irlanda e até mesmo se você ronca.

4. Como saber se a acomodação é a ideal?

O ideal é que a casa seja um lar, onde todos se considerem uma família, pois estarão uma boa parte do tempo juntos. As entrevistas também me ajudaram a descobrir se a casa era realmente um ambiente ideal para mim. Pessoas menos festeiras podem querer um local mais calmo. Já quem curte festas o tempo todo, pode preferir um estilo mais “república de faculdade”.

5. As regras na convivência com desconhecidos

Algo que aprendi na experiência em diversas mudanças de casa, é entender o funcionamento dela, como revezamento de limpeza, contas mensais, espaço no guarda-roupa, armário da cozinha e geladeira. Isso evita surpresas, pois muitas vezes é possível encontrar problemas sérios após a mudança. Já me deparei com diversas regras diferentes, como lavar roupas após às 23h (pois a energia é mais barata de madrugada), eletricidade paga com crédito (igual os celulares), e o uso do boiler, um equipamento que serve para esquentar a água do banho.

6. Ter que eleger suas prioridades na hora de alugar

Saber o custo-benefício entre o valor do aluguel e a localização foi essencial para saber que a moradia era ideal. © Delstudio | Dreamstime.com

Saber o custo-benefício entre o valor do aluguel e a localização foi essencial para saber que a moradia era ideal. © Delstudio | Dreamstime

Sempre coloquei na ponta do lápis o custo-benefício em se viver o mais confortável, com o preço justo e uma distância razoável da minha escola. Dependendo da região, mudam-se os valores. A média é 400 euros mensais para dividir uma casa com 4 a 6 pessoas, 300 euros com oito pessoas e “single room” entre 500 e 800 euros, em áreas mais centrais.

7. Quando a sua única alternativa é a vaga temporária

As vagas temporárias também foram alternativas. Elas geralmente são abertas só alguns dias por moradores que disponibilizam suas camas por um tempo curto, com um preço mais acessível. Geralmente são mais fáceis de fechar negócio até que se encontre a vaga permanente, e ajuda quando a opção definitiva demora mais a acontecer. Existem também algumas vagas temporárias que se resumem a um cantinho no sofá da casa de algum amigo, etc. Não é a situação ideal, mas na fase de transição entre as primeiras semanas de intercâmbio e a acomodação definitiva, você talvez tenha que enfrentar esse desafio.

8. Ficar atento para não cair em golpes

Por ouvir relatos sobre alguns golpes, como falsos landlords ou flatmates, que simplesmente somem ao fechar negócio, fui atrás de conhecer de fato com quem estava lidando. Adicionei no Facebook, dei uma “stalkeada” para ver se não era um perfil falso, além de conversar e me informar sobre a escola que a pessoa estuda e o seu trabalho. Ter um recibo do depósito e uma testemunha que prove que você pagou também é importante.

9. Espaço conquistado, agora o desafio é a convivência

Achar a casa perfeita, os flatmates mais bacanas e ter a chave na mão: missão cumprida. Foto: © Natee Meepian | Dreamstime.com

Achar a casa perfeita, os flatmates mais bacanas e ter a chave na mão: missão cumprida. Foto: © Natee Meepian | Dreamstime

Olhando assim, você pode imaginar que as primeiras semanas na Irlanda serão de pura tensão, com a saga da acomodação. Para falar a verdade, pode ser um pouco sim. Infelizmente, a demanda de vagas no país, dado a viabilidade do visto, tem acarretado na falta de espaço. Encontrar uma acomodação passou a ser, de fato, um desafio.

Porém, você não é o único nessa jornada e dificilmente conseguirá evitá-la. Após esse processo e ao conseguir a vaga fixa, a vida começa a caminhar com mais tranquilidade. Já estou me acostumando com o mercado mais próximo, o trajeto até a escola ou trabalho, os pontos de ônibus e, o mais importante, a convivência entre quatro paredes.

Como dizem os irlandeses, o melhor modo de se viver é com a atitude “easy going”, ou seja, um bom camarada!

Não deixe de conferir, também, o e-book que o E-Dublin preparou sobre Acomodação, com informações detalhadas sobre a situação atual no país, opções de moradia, valores médios, diferenças entre as regiões da cidade e tudo que você precisa saber pra chegar aqui bem mais informado. Clique aqui para baixar gratuitamente!

ebook acomodacao

Imagens via Dreamstime
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Sobre o Autor


Rubinho Vitti é jornalista de Piracicaba, SP. Vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

E-Dublin TV

Onde morar em Dublin? (Tipos de Acomodação)

2 semanas atrás, por Tarcisio Junior
Como alugar

Tipos de acomodação para estudantes na Irlanda

4 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Dublin

Problemas com moradia na Irlanda preocupam setor de TI

4 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Dicas de Viagem

Viajar no verão europeu pode ser uma roubada

5 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Moradia

Morar com estrangeiro é sempre a melhor opção?

5 meses atrás, por Andre Luis Cia
Moradia

Chegou a hora de dizer adeus ao nosso Flat Roda Lâmpada

6 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Como alugar

Existe melhor época para achar acomodação em Dublin?

6 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Como alugar

Aluguel na Irlanda: onde é mais barato?

6 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Como alugar

Morar longe do centro de Dublin? E por que não?

8 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Como alugar

Como alugar casa e apartamento no DAFT

8 meses atrás, por Edu Giansante
Destinos de Intercâmbio

Quanto custa viver em Cork?

9 meses atrás, por Deby Pimentel
E-Dublin TV

Dublin é a segunda pior cidade da Europa?

12 meses atrás, por Edu Giansante
Clima

5 dicas para encarar o inverno irlandês

1 ano atrás, por Deby Pimentel