Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Destinos de Intercâmbio

A importância de escolher bem o destino do seu intercâmbio

Colaborador E-Dublin postou em 13 out 2017

Apenas decidir partir para um intercâmbio pode não ser suficiente. Crédito: Shutterstock

Apenas decidir partir para um intercâmbio pode não ser suficiente. Crédito: Shutterstock

A decisão foi tomada e você está animado. Você já juntou o dinheiro e está pronto para embarcar na aventura de viver num país estrangeiro. Você leva na bagagem muita expectativa, roupa de frio e vontade de aprender… Isso é o suficiente? Bem, sinto informar, mas nem sempre é assim.

Mudar de país, mesmo que por alguns meses, pode ser muito mais intenso emocionalmente do que esperamos. O objetivo parece estar claro e estamos dispostos a enfrentar as dificuldades. Contudo, muitas vezes elas vêm de onde menos esperamos e demoramos mais tempo para começar a colher os frutos deste investimento de tempo e dinheiro.

Vejamos o exemplo da Cláudia

Cláudia (nome fictício) saiu do Brasil para a Escócia com a intenção de aprender inglês. Ela guardou dinheiro, organizou a vida na terrinha e foi com planos de ficar seis meses e depois ver se dava para ficar mais. Queria trabalhar para ganhar um dinheirinho e financiar umas viagens pela Europa, porque, uma vez lá, é tudo pertinho, né?! Logo que chegou, Cláudia achou tudo fantástico e durante as primeiras semanas, se sentiu ótima, conheceu um monte de gente nova.

À medida que as semanas foram passando, Cláudia começou a perceber que o sotaque escocês era muito difícil. Muitas vezes ela tinha que pedir para as pessoas repetirem duas ou três vezes para que ela começasse a entender o que diziam. Fazer supermercado era difícil, pois eram tantas opções de queijos, leites e coisas diferentes que ela saía do supermercado cansada de tanto ter que pensar no que comprar.

Estudar bem o destino escolhido é fundamental para minimizar problemas na adaptação. Crédito: Shutterstock

Estudar bem o destino escolhido é fundamental para minimizar problemas na adaptação. Crédito: Shutterstock

E aí chegou o inverno… Os moletons que ela trouxe do Rio de Janeiro não davam nem para esquentar o dedinho do pé. Sair na rua com aquela chuva era um desafio – e o pior era tentar segurar o guarda-chuva com todo aquele vento. Ela vivia com os sapatos molhados, cheia de casacos. Ficou gripada não sei quantas vezes e chegou num ponto que só tinha vontade de ficar em casa. Claro que nas mensagens que ela mandava para os amigos e a família, ela contava que estava tudo bem, mas lá no fundo ela começou a duvidar se tinha tomado a decisão certa de ir para a Escócia.

Esta pequena história pode acontecer com qualquer um e em qualquer lugar se não soubermos claramente nossos objetivos e nossos valores… se não tivermos claro o que estamos dispostos a abrir mão numa viagem para fora do país. Ter nossos objetivos claros e do que estamos dispostos a abrir mão (e também do que NÃO estamos dispostos) pode ser uma missão difícil se for feita sozinho.

Nosso raciocínio idealiza e a gente esquece (de propósito ou não) de fazer aquelas perguntas difíceis para tomar uma decisão. Também tem pressão dos outros – um amigo ou familiar que acaba nos convencendo de ir para algum lugar porque ele foi e foi muito legal!

Nessas horas o coaching é um recurso que pode ajudar muito. Por ser um método para atingimento de metas que se baseia em perguntas, o coach vai lhe ajudar a mapear os seus objetivos de acordo com os seus valores. Assim, você poderá traçar um plano de ação e colocar tudo em prática com prazos e de forma consciente.

No caso da Cláudia, fazer o coaching poderia tê-la ajudado a pensar sobre questões práticas de sua experiência – dificuldade do sotaque, clima, custo de vida. Investir no planejamento da sua viagem, como a escolha do lugar mais adequado para seus objetivos, pode ser a diferença entre voltar para casa com a sensação de que ainda não conseguiu cumprir a sua missão ou realmente atingi-la.

Para você que está nesta fase de decidir viajar, existem algumas coisas que podem ser feitas para clarificar seus objetivos. Escrever num diário ajuda muito – e requer disciplina e desprendimento para refletir de forma imparcial sobre tudo aquilo que você escreveu. Pesquisar profundamente sobre o país para onde você quer ir também é fundamental – e não estou falando dos guias de turismo! Veja filmes, conheça as dificuldades e as felicidades de viver lá, converse com outras pessoas que já foram. Ninguém melhor que elas para te dar uma luz.

Sobre a autora:
deborahdahabDeborah Dahab é psicóloga intercultural e coach certificada pela ICC. Nascida no Brasil, já viveu nos Estados Unidos, Espanha, Inglaterra, França e Portugal. Fascinada pela experiência internacional, juntou a experiência como executiva de Marketing com a vivência intercultural e hoje dedica-se à pesquisa científica, treinamento intercultural e atendimento como coach.

Imagens via Shutterstock
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Este artigo é de autoria de E-Dublin - Tudo para seu intercâmbio em Dublin e na Irlanda!

Sobre o Autor


Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do colaborador do E-Dublin e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Quer ver sua matéria no E-Dublin ou ficou interessado em colaborar? Envie sua matéria por aqui!

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio

Recentes e populares

Saúde

Conheça o Seguro Governamental da Irlanda

3 semanas atrás, por Colaborador E-Dublin
Meu Intercâmbio

5 formas de boicotar o seu intercâmbio

1 mês atrás, por Colaborador E-Dublin
E-Dublin TV

Cidades favoritas na Europa

2 meses atrás, por Mah Marra
E-Dublin TV

Vamos falar sobre MEDO – All That Jess#84

6 meses atrás, por Tarcisio Junior
Essenciais

Como levar dinheiro para a Irlanda

7 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves