Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Conte Sua Historia

A vida nada fácil de uma aupair (Parte I)

postou em 05 ago 2018

Luluzetes, Luluzinhas e povo de saia, vamos a um tema que muitas das meninas que chegam na Irlanda deve conhecer bem. A vida de aupair.

Fala ai, existe emprego mais acessível para as recém-chegadas que esse? A questão é, como todo trabalho, e aliás como tudo na vida, sempre existem aqueles perrengues básicos.

Quem passou por essa experiência e hoje vem contar para a gente foi a Bianca.

A Bia é carioca, tem trinta e poucos e como a maioria veio para Irlanda para melhorar o inglês. Há mais de dois anos aqui, ela já trabalhou na Zara, em lojas de calçados e, quando o desemprego apertou foi ser aupair. Foi ai que começou uma história de sete meses, que incluiu, carneiros, gansos, cachorros e muita coisa tragicômica.

Vamos combinar que  ser aupair nunca foi o sonho da Bia, mas como na vida nada é fácil e ela precisava juntar a grana da renovação, lá foi a pobre da Bianca para um lugar chamado “cucunhas”, quis dizer, Tullamore.

Hoje a Bia até ri do episódio, mas durante a experiência ela chorou muito. Vamos começar pelos vizinhos. None :(.

Ser humano, só mesmo os motoristas de tratores que passavam pela estradinha onde a Bia morava. Já os carneiros, meeeeeee, meeeeee, eram os únicos vizinhos que a Bia chegou a conhecer na região. E ela confessa que com o tempo, até conseguiu manter uma conversa com elas, claro, tudo na base do méee.

Nos sete meses, ela passou por tudo. Uma simples saidinha para fumar era sinal de levar carreira de ganso. Sem falar nas lhamas, que não iam muito com a cara da Bia.

A hora do play time para a Bia traduzia-se em cair e se ralar muitas vezes. “Eu não conseguia entender, quando as crianças estavam com os pais, não acontecia nada, mas comigo, eles sempre estavam despencando de algum lugar.” Lembra a Bia. E quem disse que a vida de aupair não pode te deixar em forma :)?

Contato com a Civilização? A Bia teve poucos momentos com universo lá fora, como ela costuma contar. Ahhh e já ia esquecendo. No lugar onde ela morava não existe ônibus, taxi era uma fortuna e a pobre da Bia, se quisesse ir tomar um sorvete no McDonalds, tinha que pedir a família para levá-la. O que não é uma situação muito confortável. Resumindo, a Bia passou os sete meses olhando pela janela e imaginando o que estaria acontecendo além dos campos esverdiados de Tullamore.

Balada? Nada, o único evento social que a Bia costumava ir era ao Tesco uma vez por semana :(!

Mas, nem tudo na vida de aupair da Bia foi assim tão drámatico. A família era mega legal e como ela passava parte do dia apenas com o pequeno de 2 anos, aproveitou para aprimorar seus dotes culinários, fazer ginástica, não que ela fosse a academia, era na TV mesmo, e até descobriu que tem tino para a música.

up up up up up stairs, up stairs, up stairs

bath bath bath bath time, bath time bath time

pot pot pot pot time, pot time pot time

Bom, digamos que  a trilha sonora não era assim tão animadora :(

E no final das contas, a Bia juntou a grana da renovação e voltou para Dublin. Tullamore ficará na lembranca e certamente fez a Bia aprender algo. E sabe que no final ela até sente saudades dos tempos em Tullamore.

Sobre o Autor


Uma vida sem desafios não foi desenhada para essa baiana de Salvador. Jornalista por profissão, já passou por editorias de moda, gastronomia, história e turismo. Amante das viagens, coleciona mais de 80 destinos no passaporte. Quer saber mais? Corre porque até você terminar de ler esse perfil já terei alguma novidade.

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

Meu Intercâmbio

Como conseguir trabalho formal como chef na Irlanda?

2 semanas atrás, por Colaborador E-Dublin