Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Como alugar

Aluguel na Irlanda: onde é mais barato?

Elizabeth Gonçalves postou em 29 mai 2018

Se tem algo capaz de tirar o sono dos estudantes na Irlanda — e também de muitos irlandeses — é encontrar um imóvel para alugar a preços minimamente acessíveis. Esse tema já foi debatido aqui no E-Dublin muitas vezes nos últimos anos e, de lá pra cá, praticamente nada mudou.

De acordo com a última pesquisa realizada pelo Daft.ie, por exemplo, no último ano houve um aumento de aproximadamente 10% no valor dos aluguéis. Com isso, o valor médio nacional do alguel de um imóvel ultrapassa os 1000 euros mensais.

Em Dublin, alugar na parte norte da cidade sai mais barato. Reprodução: Daft

Em Dublin, alugar na parte norte da cidade sai mais barato. Reprodução: Daft

Entre as causas desses valores elevados, está a lei da oferta e da procura. Ou seja, o número de imóveis disponíveis para venda ou locação no país é um dos mais baixos da história.

Consequentemente, os preços vão parar nas alturas, ainda mais com a falta de regulação no setor, o que deixa uma brecha para os landlords reajustarem os aluguéis simplesmente da forma como bem entenderem.

Um item preocupante apontado pela pesquisa é que o aumento dos aluguéis vem seguindo um índice inflacionário de 10%. Em contrapartida, num aspecto geral, a economia irlandesa está com uma inflação beirando 0%.

Isso indica que, se as coisas continuarem como estão, teremos que destinar uma fatia ainda maior dos nossos salários ao aluguel.

Caro x Barato

Não é surpresa para ninguém que Dublin tem os aluguéis mais caros da Irlanda, certo? Pois bem, a pesquisa aponta que quem quiser alugar uma casa ou apartamento completo na região central da cidade, sem dividir imóvel com mais ninguém, precisará desembolsar sozinho, em média, 1923 euros.

O valor cai um pouco na zona norte da cidade, onde a média de custo mensal é de cerca de 1761 euros. Entretanto, morar na zona sul de Dublin é ainda mais caro, com preços que podem até ultrapassar 2000 euros por mês.

Claro, isso considerando o aluguel completo de uma casa ou apartamento.

Considerar o intercâmbio em outros condados pode gerar economia no aluguel. Reprodução: Daft

Considerar o intercâmbio em outros condados pode gerar economia no aluguel. Reprodução: Daft

Onde alugar?

Para fugir dos preços altos, recomenda-se evitar a região central de Dublin e buscar os bairros mais periféricos da cidade. O Daft pode ser uma boa opção para se ter uma ideia das médias de valores.

Uma alternativa é se mudar para o interior. Leitrim, por exemplo, é o condado mais barato para se alugar uma residência no país. Por lá, as despesas com aluguel de um imóvel vão consumir, em média, 545 euros do seu salário.

Outra opção é Donegal, onde o custo médio com aluguel fica em 594 euros. Em seguida, vêm os condados de Roscommon e Longford, com valores em torno de 626 e 628 euros, respectivamente.

Moradores de outras grandes cidades irlandesas também têm visto suas despesas com aluguel subirem consideravelmente. Em Limerick, por exemplo, houve um reajuste de mais de 17% no último ano, elevando o valor mensal do aluguel de um imóvel para cerca de 800 euros mensais.

O mesmo aconteceu com Galway, onde alugar uma casa custa, em média, 900 euros. Entretanto, Cork é a cidade com um dos mais baixos reajustes no país, em torno de 8%. Ainda é mais barato que Dublin, mas seus moradores devem reservar pouco mais de 1000 euros mensais para moradia.

Tem solução?

A questão tem sido considerada uma emergência nacional pelo ministro Simon Coveney, responsável pelo setor. Ele afirmou recentemente que as medidas tomadas pelo governo anterior foram ineficientes e que algo deverá ser feito. Entretanto, destacou que os resultados não serão imediatos.

Como procurar moradia?

Dividir uma casa ou apartamento continua a solução mais em conta para os intercambistas.

A região central da cidade ainda é a mais concorrida. Então, se você ainda não arrumou um emprego para ajudar nas despesas ou pretende economizar um pouco mais, considerar os bairros mais afastados vai ajudar.

Além do Daft, diversas vagas são publicadas diariamente nos grupos do Facebook sobre intercâmbio na Irlanda. Só não se esqueça de conhecer bem as regras da casa, se está tudo regularizado com o landlord e de ir pessoalmente conhecer o local antes de fazer qualquer depósito ou pagamento adiantado.

Não deixe de conferir também o e-book que o E-Dublin preparou sobre acomodação, com informações detalhadas sobre a situação atual no país, opções de moradia, valores médios, diferenças entre as regiões da cidade e tudo que você precisa saber para chegar aqui bem mais informado. Clique aqui para baixar gratuitamente!

ebook acomodacao

Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Sobre o Autor


Elizabeth Gonçalves é jornalista viciada em cinema, música e literatura. Paulistana, se apaixonou por Dublin, onde mora há mais de um ano e sonha em fazer uma viagem de volta ao mundo.

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

Dublin

Problemas com moradia na Irlanda preocupam setor de TI

2 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
E-Dublin News

O cotidiano da Vida na Irlanda como ela é

3 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Dicas de Viagem

Viajar no verão europeu pode ser uma roubada

3 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Cultura

5 curiosidades sobre a cultura irlandesa

3 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Moradia

Morar com estrangeiro é sempre a melhor opção?

3 meses atrás, por Andre Luis Cia
Destinos de Intercâmbio

Quanto custa viver em Malta?

3 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Moradia

Chegou a hora de dizer adeus ao nosso Flat Roda Lâmpada

4 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Como alugar

Existe melhor época para achar acomodação em Dublin?

4 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves