Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Conte Sua Historia

Aprendizados que o intercâmbio me trouxe

Andre Luis Cia postou em 02 set 2016

Tem um famoso ditado que prega o seguinte: “vivendo e aprendendo”. A cada novo amanhecer, temos exatas 24 horas para viver um novo dia – e o mais instigante dessa situação é que nunca um dia será exatamente igual ao outro. Para quem se aventura a sair do país, da comodidade e do conforto de sua casa, do trabalho estável e dos laços afetivos com amigos e familiares, rumo ao desconhecido, na maioria das vezes a experiência acaba trazendo mais aprendizados do que decepções.

As novas amizades são uns dos maiores benefícios de um intercâmbio

Em muitos dos relatos de quem já viveu literalmente isso na pele, a sensação é sempre a mesma: nunca mais serei a mesma pessoa depois desta experiência. É como se um novo mundo de oportunidades se abrisse diante dos nossos olhos. Saímos da nossa zona de conforto para um campo de situações imprevisíveis, mas que tornam essa aventura ainda mais prazerosa. O segundo grande aprendizado surgiu justamente pela situação em que me encontrava na Irlanda. Foi aí que descobri a força e a fé imensa que existiam dentro de mim.

Vantagens de se fazer um intercâmbio

Dentre as principais vantagens, estão a troca de cultura, o aprendizado de um ou mais idiomas, a liberdade, o amadurecimento, o espírito de cumplicidade e de coletividade, que se torna mais aguçado, valorização das origens (mais do que nunca valorizamos o que tínhamos no passado) e da família, além do aprendizado de novas tarefas (muitas vezes somos obrigados a realizar trabalhos que nunca imaginamos fazer, ou temos que nos virar na cozinha pela primeira vez, sem a ajuda da mãe).

dublin

Temple Bar, Dublin

A goiana Lena Almeida, de 54 anos, é a prova real de que nunca é tarde para recomeçar ou correr atrás de um sonho. No total, ela ficou cinco anos em Dublin, mas, como ela mesma faz questão de frisar, é como se tivessem sido 20 anos, tamanha a complexidade de emoções que viveu nesse período. Apesar de ter voltado para o Brasil, ainda continua com o desejo de retornar para a Irlanda. E essa paixão a fez criar uma comunidade no Facebook (Apaixonados por Dublin), na qual posta diariamente notícias, fotos e curiosidades sobre a Irlanda.

“O intercambio me trouxe experiência na convivência e no relacionamento com pessoas de diferentes culturas . Eu também amadurecei em todos aspectos, principalmente no emocional e espiritual. Ele me fez ver que temos muito mais além do nosso mundo e que o horizonte é muito maior do que pensamos ser. Eu aprendi a me amar e a me conhecer melhor como ser humano”.

Lena amou tanto a experiência que criou uma comunidade no facebook sobre a Irlanda

Lena amou tanto a experiência que criou uma comunidade no Facebook sobre a Irlanda

“Faria tudo de novo”, diz Fabiana

Fabiana diz que se tivesse chance faria tudo de novo. "Foi um momento mágico e lindo da minha vida".

Fabiana diz que se tivesse chance, faria tudo de novo: “Foi um momento mágico da minha vida”.

No caso da estudante de arquitetura Fabiana Pontes, seu tempo de estadia na capital irlandesa foi curto – apenas seis meses, mas isso não a impediu de vivenciar ao máximo essa experiência. Ela fez novos amigos, viajou, conheceu uma cultura totalmente diferente da brasileira e aprendeu ainda mais a respeitar as diferenças. “Foram os 10 meses mais inesquecíveis da minha vida. Nunca tinha saído da casa da minha mãe e morar com outras pessoas me fez amadurecer. Sempre fui meio mimada e um pouco individualista. De repente, tinha que dividir geladeira, armário, quarto… enfim, foi bem difícil”.

Apesar de ter encontrado trabalho rápido, mesmo sem falar inglês, um dos grandes problemas sofridos por Fabiana foi a exploração trabalhista, já que foi lesada em quase 1.000 euros pelo antigo patrão. Apesar dos pesares, as experiências positivas se sobressaíram. “Cresci como pessoa e como mulher”. No momento, ela se diz realizada por estudar o curso que sempre sonhou, mas confessa que gostaria de retornar para a Europa e trabalhar com arquitetura.

“Estou vivendo um momento muito feliz da minha vida fazendo a faculdade que sempre sonhei. Gostaria muito de um dia poder voltar pra Europa e trabalhar com a profissão que escolhi pra minha vida, que é Arquitetura. Faria tudo de novo. É uma experiência única”.

Revisado por Tarcísio Junior
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Este artigo é de autoria de E-Dublin - Tudo para seu intercâmbio em Dublin e na Irlanda!

Sobre o Autor


Jornalista com pós-graduação em Roteiro para TV e Cinema, é autor do livro Desejo de viver, que conta a história de luta, superação e de amor à vida de Eliete Gandolfi Cia, sua mãe, falecida em2015. Profissional com 18 anos de experiência na área de comunicação, incluindo a idealização, produção e escrita de duas séries de jornalismo internacional: sonho americano e sonho italiano, e atuação em diferentes veículos de mídia do Brasil, como redações de jornais impressos, assessorias de imprensa e TV, dentre outros.

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio

Recentes e populares

Eventos e Festivais

5 festivais para aquecer o outono irlandês

3 dias atrás, por Elizabeth Gonçalves
Cultura

Vem aí o Open House Dublin 2017

6 dias atrás, por Elizabeth Gonçalves
Produtividade

5 plataformas online úteis para o seu intercâmbio

7 dias atrás, por Elizabeth Gonçalves
Inglês

Brasil tem baixo nível de proficiência em inglês

2 semanas atrás, por Deby Pimentel
Meu Intercâmbio

O dia em que esbarrei com o presidente da Irlanda

2 semanas atrás, por Colaborador E-Dublin
Trabalho

5 sites para procurar emprego na área de saúde

4 semanas atrás, por Elizabeth Gonçalves
Meu Intercâmbio

5 formas de boicotar o seu intercâmbio

1 mês atrás, por Colaborador E-Dublin