Auxílio governamental: beneficiários não serão pagos se viajarem para o exterior

Auxílio governamental: beneficiários não serão pagos se viajarem para o exterior

Rubinho Vitti

3 semanas atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Os beneficiários do programa governamental irlandês de auxílio a desempregados ou afastados temporariamente do trabalho por conta do Covid-19 não receberão o benefício se viajarem para o exterior.

Com a flexibilização do lockdown e o lançamento de uma “green list”, com países de onde não haverá a necessidade de fazer quarentena ao chegar na Irlanda, muitas pessoas começaram a fazer programas de férias com viagens ao exterior. Entre elas, aqueles que estão recebendo benefício do governo.

Auxílio emergencial do governo não será pago a quem viajar. Foto: Markus Spiske/Unsplash

Mas as regras são claras. O governo exige que os beneficiários permaneçam na Irlanda enquanto recebem o benefício. Segundo o site Citizens Information, o COVID-19 Pandemic Unemployment Payment (PUP) “não é pago por nenhum período passado fora da Irlanda” nem mesmo quando retornar e precisar fazer os 14 dias de quarentena, nos casos de países de onde há a exigência.

De acordo com o texto, os beneficiários podem “passar férias na ilha da Irlanda por no máximo duas semanas”, notificando o Intreo Centre ou o Social Welfare Branch Office.

Leia também: Auxílio emergencial na Irlanda poderá ser estendido até 2021

Apesar da permissão de viagens com retorno sem a necessidade de quarentena para 15 países, o governo continua insistindo que apenas viagens essenciais devem ser realizadas. Casos individuais em que as pessoas precisam viajar para o exterior por razões urgentes ou excepcionais serão considerados.

Já foram 104 pessoas com pagamentos cortados por viajarem fora da Irlanda recebendo o benefício.

O vice-primeiro-ministro da Irlanda, Leo Varadkar, afirmou à rede de comunicação RTÉ que “o Departamento de Proteção Social obtém informações dos aeroportos e se alguém não estiver realmente procurando trabalho ou não estiver mais morando no país, seus pagamentos de assistência social poderão ser interrompidos”.

Rubinho Vitti
Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar