Brasileiro que vive na Irlanda cria projeto para auxiliar crianças na África

Brasileiro que vive na Irlanda cria projeto para auxiliar crianças na África

Rubinho Vitti

4 semanas atrás

Siga o E-Dublin no Instagram

Um projeto social criado para alimentar não só o corpo, mas a esperança de centenas de crianças. Assim funciona o You in Africa, desenvolvido pelo tecnólogo em redes de computação Lucas Tilhaqui, um brasileiro que vive na Irlanda, mas que tem o continente africano no coração e na prática do voluntariado.

Lucas chegou em Dublin em 2018 para fazer intercâmbio, mas depois de um tempo de reflexão decidiu partir para o Quênia com o intuito de participar de um programa que ensina futebol e inglês para crianças.

A experiência, no entanto, foi ainda mais arrebatadora e Lucas acabou por desenvolver seu próprio projeto, dessa vez para dar comida e não só educação e diversão aos que vivem nas comunidades atendidas.

De volta a Dublin, Lucas agora busca fundos para manter o programa que criou em terras quenianas, além de levar às pessoas a consciência de que ajudar ao próximo é essencial.

Do intercâmbio na Irlanda ao voluntariado na África

Lucas Tilhaqui decidiu fazer voluntariado na África após refletir sobre sua própria vida na Irlanda. Foto: Acervo pessoal

Como todo intercambista na Irlanda, Lucas era aquele rapaz que tinha vontade de aprender inglês e que, durante oito meses, estaria totalmente focado nos estudos e na busca por emprego, visto de trabalho e afins. Mas tais planos não foram do jeito que ele esperava e a vida boêmia acabou falando mais alto.

“No final dos oito meses, eu estava muito decepcionado comigo e com as minhas escolhas. Meu visto terminava em novembro e no final de outubro eu literalmente não sabia o que fazer”, relembra, dizendo ter entrado em uma crise existencial sem precedentes.

Entre mudar para o interior da Irlanda para focar mais nos estudos ou fazer um mochilão pela Europa, Lucas acabou tendo um “insight” e, como ele mesmo diz, tomou uma “decisão que impactaria o resto da minha vida”.

“A palavra África veio na minha cabeça e resolvi ir. Comprei minhas passagens dia 25 de outubro para embarcar dia 11 de novembro”

Leia também: O trabalho voluntário pode transformar seu intercâmbio na Irlanda

Rumo ao Quênia: ‘um tiro no escuro’

Lucas participou de um programa de voluntariado no Quênia, na África, que ensina crianças a jogar futebol. Foto: Acervo pessoal

A viagem à África, segundo narra Lucas, foi um “tiro no escuro”. “Não conhecia ninguém no Quênia. Não tinha um amigo. Fui na cara e na coragem para um lugar desconhecido”, relembra.

Em mãos, apenas um contato com o responsável por um projeto que Lucas conheceu pela internet, na cidade de Thika, a 40 km de Nairóbi, capital do país, e com cerca de 280 mil habitantes.

Lá, Lucas começou a participar do projeto de William, que é voluntário no local desde 2014. Ele o conheceu por meio do aplicativo WorldPackers, que auxilia pessoas de todo o mundo a encontrar programas de voluntariado.

William, como explica Lucas, tem um time de futebol na comunidade e usa a maior parte do seu tempo em prol da educação e recreação para crianças dos subúrbios e sem receber nenhum incentivo financeiro. “O sonho de cada uma daquelas crianças é virar jogador de futebol, fazer dinheiro e ajudar a família.”

Voluntariado na África: diversão de barriga vazia

Lucas serve almoço a crianças no Quênia, África

A participação como voluntário na África fez com que Lucas criasse seu próprio projeto no Quênia. Foto: Acervo pessoal

Durante o tempo que ficou no Quênia, entre novembro de 2018 e dezembro de 2019, Lucas percebeu que apenas entretenimento e diversão não eram suficientes para ajudar aquele povo. Eles precisavam de algo que era ainda mais fundamental: alimentação.

“As crianças literalmente passavam fome e não bebiam nem sequer água”, explicou o brasileiro. Foi com o intuito de ajudar o projeto de William e as crianças que ele auxilia que Lucas então criou o You in Africa.

“Minha função na África foi levar esperança para as crianças. Dar comida a elas diariamente foi o grande feito realizado e isso só foi possível realizar graças às doações dos meus amigos, principalmente os de Dublin. Cerca de 90% das doações vêm da Irlanda”, disse.

Lucas também já levou brasileiros para fazer voluntariado na África, especificamente no Quênia, onde acontece o projeto.

Leia também: Trabalhe como voluntário na Irlanda

Projeto alimenta hoje cerca de 500 crianças, diariamente

Lucas faz selfie com crianças no Quênia, África

De volta a Dublin, Lucas segue com seu programa de voluntariado na África, servindo alimentação para 500 crianças. Foto: Acervo pessoal

Lucas foi expandindo seu projeto You in Africa, que hoje atende cerca de 500 crianças, diariamente. Com o crescimento das doações, mais três comunidades são atendidas, além de Thika: Ruiru, Makuyu e Cheputulu.

“Nós começamos alimentando 40 crianças em novembro de 2018 e no começo de setembro de 2020 batemos a meta de 500 crianças”

O custo semanal para alimentar as crianças destas comunidades é em torno de 850 euros por semana. “Com esse valor, a gente consegue servir cerca de 3.500 refeições. Cem por cento do valor é custeado através de doações, de pessoas que querem mudar o mundo com a gente”, diz Lucas.

Em setembro, o You in Africa recebeu 112 doações (18 do Brasil e 94 da Irlanda) com valor total de €4,459.89. Foram 11 mil refeições servidas (1 tonelada de arroz, 1,6 tonelada de milho, 8 mil bananas), além de construção de uma cozinha com utensílios para a comunidade de Cheptulu, entre outros.

Para doar, basta usar o Pic and Pay do projeto. Também é possível fazer uma transação bancária com depósito na conta de Lucas Tilhaqui (IBAN IE29AIBK93104785647189).

Leia também: Brasileira evita desperdício produzindo sorvetes na Irlanda

Projeto arrecada fundos para cirurgia de criança queniana

 

View this post on Instagram

 

No dia 06/10, a Fidelis foi ao hospital Kijabe com os pais para fazer a segunda consulta com o Doutor Justin. Depois de examiná-la, o doutor chegou à conclusão que o melhor procedimento a ser adotado será dividir a cirurgia em 2 etapas. O espaço entre o olho direito e sua orelha é demasiadamente pequeno, por isso, será preciso colocar um mini balão nela para inflar a área e na hora da grande cirurgia ter espaço suficiente para trabalhar. Uma vez a cada quinze dias ela voltará ao hospital para a manutenção do balão. A primeira etapa está previamente marcada para a terceira semana de novembro e a segunda cirurgia acontecerá no fim de janeiro. Serão quase 15h para trazer o olho direito para a parte da frente do rosto, retirar o excesso do crânio, cobrir a fenda facial e consertar a via nasal. O Doutor Justin disse que a cirurgia é bem complexa, mas não é de altíssimo risco. Ela possui chances de perder o olfato ou ficar cega de um olho, mas o risco de morte é baixo. Cerca de 4 familiares irão ao hospital para doar sangue caso ela necessite, pois, será uma cirurgia longa e difícil. Serão 3 diferentes médicos, anestesista e enfermeiras. A boa notícia é que até agora recebemos €1,614.13 em doações. Esse valor será de uma importância enorme na recuperação da Fidelis, na compra de remédios, comida e transporte para o hospital. Nós estamos em contato com o seguro saúde para sabermos se a cirurgia dela será paga pelos órgãos governamentais ou não. Estamos aguardando a confirmação, e assim que recebermos, iremos publicar aqui para vocês. Compartilhe, divulgue e ajude o projeto! Seja a transformação não só na vida da Fidelis, mas de tantas outras crianças que precisam da sua ajuda! Faça parte dessa causa! #youinafrica #quenia #kenya #projetosocial

A post shared by You in Africa (@youinafricaoficial) on

Paralelamente às doações para alimentação das crianças, Lucas e o projeto You in Africa estão arrecadando fundos para a cirurgia de Fidelis, uma garota de sete anos de idade que sofre de hidrocefalia, uma doença rara que é causada pela falta de nutrientes e vitaminas durante a gestação do bebê.

“Hoje a Fidelis tem sete anos, mora com a mãe no Quênia e muitas vezes passava dias sem comer por falta de recursos. Com o You in Africa, ela está se alimentando todos os dias e sua mãe, que estava desempregada há anos, está trabalhando como cozinheira no projeto”, diz Lucas.

Uma vaquinha online está arrecadando fundos para que a cirurgia possa ser feita até o final de janeiro de 2021.

Como ser voluntário na África?

Assim como Lucas, muitos brasileiros podem estar agora passando por uma crise existencial ou pensando em como ajudar um projeto como o You in Africa.

É claro que o principal são as doações, mas a experiência do voluntariado pode ser uma troca incrível, tanto por quem vai trabalhar para uma comunidade como para aqueles que recebe a ajuda.

Lucas explica que é possível ser voluntário na África em apenas seis passos: 

  1. Escolha a data de embarque
  2. Compre a passagem aérea para Nairóbi
  3. Comunique a equipe sobre a data de chegada (voluntário será buscado no aeroporto de Nairóbi)
  4. A diária para permanecer hospedado no projeto é de 10 dólares, com direito a três refeições por dia
  5. O projeto dará as indicações de como você poderá ajudar durante sua estadia no local
  6. Na volta para casa, o voluntário também recebe o transporte para o aeroporto

Mais informações estão disponíveis no Instagram do You in Africa.

Rubinho Vitti
Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar