BREXIT: Livre circulação mantida, porém mais taxas

BREXIT: Livre circulação mantida, porém mais taxas

Ávany França

2 anos atrás

Na semana em que a Primeira Ministra britânica, Theresa May, anuncia a estratégia e o plano de saída do Reino Unido da União Europeia, o cenário ainda é muito obscuro.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Em seu discurso, May reforçou que a livre circulação entre a Irlanda e o Reino Unido será mantida, o que é um alívio, uma vez que essa era uma das maiores preocupações do governo irlandês. Porém, se para os irlandeses e os residentes de ambas as ilhas isso pode soar positivo, May também deixou claro que as medidas para assegurar a proteção do Reino Unido contra o fluxo imigratório será levado até às últimas consequências.

O que isso significa?

Mesmo mantendo a livre circulação entre Irlanda e Reino Unido, a segurança e fiscalização será acirrada, já que esse será o único link direto entre o Reino Unido e os demais países da União Europeia.

Outro ponto importante que estremeceu o mercado financeiro, só que dessa vez negativamente, foi o plano de se implementar mais taxas para movimentação comercial de importação e exportação. Atualmente, pelo menos 14% das importações de bens de consumo provém do Reino Unido. Quando o tema é prestação de serviços, essa percentagem sobe para 18%. Na lista, entram serviços como transporte, comunicação, seguros e finanças, ou seja, as empresas irlandesas que possuem negócios diretos com o Reino Unido precisarão rebolar com as menções que estão por vir durante esses dois anos de processo de saída do bloco.

A Enterprise Ireland, por exemplo, já começou uma campanha para que as empresas irlandesas comecem a prospectar parceiros comerciais em outras bandas. O mesmo será o objetivo de setores como construção, engenharia e agricultura, sobretudo no que tange as ofertas de empregabilidade, já que atualmente os profissionais irlandeses desses setores apostam suas cartas nos países vizinhos.

De fato, a palavra que circunda em torno do assunto Brexit vs Irlanda é Hope. Esperança para que, no final, essa transição, que tem sido chamada de Hard Brexit, não provoque tantas rasuras na economia irlandesa. Segundo a primeira ministra britânica, daqui para frente as relações entre o Reino Unido e os países membros da União Europeia terá que ser na base do “dar e receber“.

O plano estratégico de saída da Brexit em 7 pontos

1. Promover uma maior unidade entre os países integrantes do Reino Unido;

2. Controlar o número de imigrantes no país;

3. Garantir o direito dos britânicos que atualmente vivem na UE e vice versa;

4. Proteger e aumentar os direitos dos trabalhadores na UE;

5. Possuir liberdade de negociação entre países membros da UE;

6.  Continuar a contribuir com a UE em temas como ciências, pesquisas, e tecnologia;

7.  Manter a livre circulação na fronteira com a Irlanda.

Revisado por Tarcísio Junior
Imagens via Shutterstock
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Avatar
Ávany França, Jornalista por profissão, já passou por editorias de moda, gastronomia, história e turismo. Uma vida sem desafios não foi desenhada para essa baiana de Salvador. Amante das viagens, coleciona mais de 80 destinos no passaporte. Quer saber mais? Corre porque até você terminar de ler esse perfil já terei alguma novidade.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar