Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Publicidade

Campanha na China luta contra o mercado de casamentos

Publicidade E-Dublin postou em 07 abr 2016

As mulheres na China estão avançando socialmente cada vez mais, em um movimento sem precedentes: estão estudando, se tornando independentes financeiramente e agarrando cargos de importância na sociedade – indo muito além da vida doméstica de mãe e esposa.

Em resposta à esse movimento, em 2007 o conservadorismo do país introduziu o termo Sheng-Nu, que em inglês significa “leftover women” (algo como mulheres “encalhadas”, ou que não encontram um marido). O termo é utilizado no país para designar as mulheres que já passaram dos 25 anos e não se casaram, sugerindo que elas foram “descartadas” pelos homens.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Na China, não se fala de amor mas de responsabilidade

Desde então, a mídia internacional tem relatado que as mulheres chinesas estão sofrendo uma pressão ainda maior para se casar jovens, abrindo mão de uma carreira de sucesso e se concentrando apenas em seus maridos e sua vida familiar. Na China, as mulheres solteiras e independentes são retratadas como infelizes e solitárias, e quem decide “esperar pela pessoa certa” é estigmatizada.

Para piorar, a pressão muitas vezes vem da própria família e amigos. Em Xangai, todos os finais de semana centenas de pais se reúnem no People’s Park para o chamado “mercado de casamentos”. Lá os pais podem publicar anúncios de seus filhos e compará-los com outros existentes, que incluem detalhes como altura, peso, salário e personalidade. Muitas vezes, as mulheres nem sabem que estão listadas nesses mercados.

Apesar de tudo, a luta das mulheres chinesas pelo direito de se casar com quem quiserem está cada vez mais feroz. As mulheres começaram a perceber que não precisam de um homem para tomar conta delas, como a sociedade chinesa impõe.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Mas infelizmente há quem não consiga resistir à pressão familiar: Uma mulher de 29 anos, produtora de um grande festival de cinema na China, revelou que só aceitou uma nova proposta de trabalho para um cargo superior, após prometer aos pais que iria arranjar um marido no prazo de um ano.

A campanha

Foi criada uma nova versão desses “mercados de casamento” – uma gigante instalação em Xangai, no próprio People’s Park, com “anúncios” diferenciados que, na verdade, eram mensagens de centenas de mulheres e filhas independentes, afirmando que querem estar no controle de seu próprio destino.

Key_Images_00095787

Foto: Divulgação

O resultado é um vídeo emocionante sobre essas mulheres inspiradoras, que não vão deixar a pressão da sociedade ditar seu futuro, mostrando que as Sheng-Nus não são um “resto” ou um descarte da sociedade. Pelo contrário, são mulheres fortes, que decidem sua própria vida, com quem, quando e se vão se casar, e o mais importante: seu próprio futuro.

Sobre o Autor


Posts patrocinados exibem informações escritas e fornecidas pelo próprio anunciante/agência. Os editores do E-Dublin não têm relação direta com os anunciantes e não influenciam na mensagem.

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

E-Dublin TV

Casamento entre irlandês e brasileira

3 meses atrás, por Mah Marra
Vistos

Irlanda muito além do visto de estudante

1 ano atrás, por Elizabeth Gonçalves
Cultura

Como Fazer? Casamento com irlandês

1 ano atrás, por Edu Giansante