Como estudar medicina na Argentina?

Como estudar medicina na Argentina?

Ana Carolina Brunelli

2 semanas atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Salvar vidas sempre foi o seu sonho? No entanto, a gigantesca concorrência nas universidades brasileiras já fez você pensar em desistir de concretizá-lo? Então, saiba que estudar medicina na Argentina é a alternativa encontrada por muitos brasileiros que não conseguiram realizar esse sonho no Brasil. E você já vai entender o porquê.

Existe, sim, a possibilidade de estudar medicina na Argentina, país que tem a segunda maior economia da América do Sul e que oferece a possibilidade de fazer graduação em universidades públicas e gratuitas, mas que apresentam uma forma de acesso bem diferente: não existe o famoso “vestibular”, que é obrigatório para ingressar em uma instituição no Brasil.

Estudar medicina na Argentina significa entrar em uma instituição de ensino sem precisar realizar uma prova e disputar vagas. Nas principais universidades do país, você vai apenas precisar da documentação adequada, além de fazer uma inscrição.

É tão simples assim estudar medicina na Argentina?

Ciclo Básico Comum é necessário antes de estudar medicina na Argentina. Foto: Online Marketing /Unsplash

Sim! No entanto, ao se inscrever na faculdade, você não vai entrar imediatamente e começar o curso que escolheu. Todas as universidades oferecem o CBC (Ciclo Básico Comum), para todos que desejam estudar exatas, humanas e biológicas. É um curso preparatório e que tem duração de, aproximadamente, seis meses.

Durante esse período, são realizados dois exames (chamados de Parciales) para cada matéria e as notas vão de 0 a 10. Para ser aprovado no CBC, você deve cursar todas as matérias recomendadas e obter uma média de 7 pontos.

Se sua média estiver entre 0 e 3,5, você estará automaticamente reprovado e deverá cursar a matéria outra vez.

Se sua média estiver entre 4 e 6, você precisará realizar um exame final. Para ser aprovado nesse exame final, deve obter nota 4, no mínimo.

Lembrando que esse não é um método eliminatório, ou seja, todas as pessoas que conseguem tirar mais de 4 na prova final do CBC são aprovadas e podem fazer o curso superior. Em geral, o CBC pode ser feito tanto presencialmente quanto online.

Leia também: Faculdade de medicina na Irlanda: tudo o que você precisa saber

Como se matricular no CBC?

Não é difícil estudar medicina na Argentina. Foto: Derek Finch /Unsplash

Brasileiros que desejam se matricular no Ciclo Básico Comum da Universidade de Buenos Aires (uma das mais renomadas do país), por exemplo, vão precisar de dois documentos. Primeiro, um documento de identidade brasileiro (pode ser RG ou CPF). Segundo, o diploma do ensino médio. Esse diploma precisa ser validado pelo governo argentino, e você pode ver mais informações sobre esse procedimento clicando nesse link.

Também é preciso comprovar que você sabe falar espanhol, hein? Mais especificamente, você precisa ter um nível equivalente ao B2 no Quadro Comum de Referência Europeu. Isso pode ser feito por meio das provas SIELE (nível S5 ou Global B2), CELU (intermediário ou avançado) ou CEI.

Quanto custa estudar medicina na Argentina?

Se você optar por estudar em uma faculdade pública, ela será totalmente gratuita, tanto a matrícula quanto as mensalidades. Já nas faculdades particulares, as mensalidades e taxa de matrícula variam de R$900 a R$2000,00. Ou seja, os valores são muito mais acessíveis do que no Brasil, onde um curso de medicina particular chega a custar quase R$12.000,00 mensal.

É claro que existem as despesas com materiais. No entanto, também há livros que podem ser emprestados das bibliotecas públicas. Colocando na ponta do lápis, o custo de se estudar medicina na Argentina é muito menor do que estudar em uma universidade brasileira.

Quem escolhe estudar medicina na Argentina pode trabalhar no Brasil?

Argentina tem ótimas universidades para estudar medicina. Foto: Habib Dadkhah /Unsplash

Para exercer a profissão no Brasil, a legislação brasileira exige diploma reconhecido pelo MEC. Isso significa que o profissional formado no exterior depende da revalidação do diploma estrangeiro para solicitar ao Conselho Regional de Medicina a autorização para trabalhar.

Hoje em dia, existem duas maneiras para os médicos formados fora do Brasil fazerem a revalidação do diploma: o procedimento ordinário e o exame Revalida. Ambos se tratam de provas que vão avaliar a formação do profissional e exigirão uma nota mínima para aprovação.

Melhores universidades para estudar medicina na Argentina

Universidade de Buenos Aires — UBA

A Universidade de Buenos Aires é considerada a maior e mais tradicional instituição da Argentina. A UBA é reconhecida mundialmente e considerada a melhor universidade latino-americana pelo QS World University Rankings, que elenca as melhores universidades de todo o mundo.

Além disso, a faculdade de Medicina conta com seis hospitais, entre eles, o maior hospital da capital argentina, o Hospital das Clínicas. A duração do curso é de sete anos.

Para ingressar na UBA é fundamental fazer o Ciclo Básico Comum (CBC). No entanto, a UBA exige certificado de espanhol nível B2 na hora de realizar a matrícula para o CBC.

Universidad Nacional de La Plata — UNLP

De acordo com o QS World University Rankings, a Universidad Nacional de La Plata é a segunda melhor instituição pública de ensino superior da Argentina. Lá que se formaram importantes nomes, por exemplo, os ex-presidentes argentinos Raúl Alfonsín, Néstor Kirchner e Cristina Kirchner. A UNLP está localizada em La Plata, pertinho de Buenos Aires.

Seguindo a mesma linha da maioria das universidades, não é possível estudar Medicina na UNLP sem realizar um curso introdutório. No caso da Universidad Nacional de La Plata, o curso tem duração de um mês, e o estudante realiza apenas duas matérias: Introdução à Vida Acadêmica e Introdução à Vida Universitária.

O curso não é eliminatório, basta que o aluno tenha mais de 80% de presença e ele poderá, ao final, iniciar o curso de Medicina, que dura seis anos.

Na hora de realizar a inscrição, a UNLP exige o certificado Siele Global de proficiência em espanhol, com pontuação mínima de 700 pontos.

Universidad Nacional de Rosario — UNR

Curiosidade! A faculdade de Medicina da Universidade Nacional de Rosario foi a primeira instituição argentina a receber um prêmio por excelência educacional.

Situada na província de Santa Fé, a universidade está a 300 quilômetros da capital da Argentina e oferece curso de Medicina gratuito, com duração de seis anos.

O curso de ingresso na UNR é conhecido como Módulo de Inclusão Universitária (MIU), que engloba uma série obrigatória de seminários com duração de três meses. Ao final do curso preparatório, o estudante realiza uma prova na qual deve conseguir, no mínimo, nota 6.

O MIU não é eliminatório: caso o aluno não obtenha a nota mínima, poderá dar início à graduação e realizar a prova novamente antes das provas finais do primeiro ano.

Assim como a UBA, a UNR exige que os alunos apresentem o certificado de espanhol nível B2 na hora da matrícula.

Universidad Nacional de La Matanza — UNLAM

Localizada  na cidade de San Justo, a pouquíssimos quilômetros de Buenos Aires, a UNLAM é considerada uma das mais jovens instituições públicas de ensino superior da Argentina.

Para quem escolhe a estudar Medicina na Argentina, seu curso de ingresso na UNLAM tem duas etapas: a primeira, geralmente, vai de julho a dezembro e contempla as matérias biologia, filosofia e seminário de compreensão e produção de textos.

A segunda, que vai de fevereiro a março do ano seguinte, é composta da matéria Educação Médica. Para passar da primeira para a segunda etapa, é preciso conseguir 55 pontos nas provas de cada disciplina.

No caso de alunos estrangeiros, ainda é necessário fazer um curso de espanhol da própria universidade. O curso é presencial e tem uma carga horária de 80 horas, distribuídas ao longo de dez semanas. Além disso, a universidade aceita certificados de proficiência de nível intermediário.

Como se matricular para estudar medicina na Argentina?

Argentina é a segunda maior economia da América do Sul. Foto: Sasha • Stories / Unsplash

Antes de tudo, descubra os períodos de inscrição e todos os documentos exigidos especificamente pela universidade onde você deseja estudar Medicina na Argentina. Organize toda a documentação e busque as validações exigidas, tanto em órgãos brasileiros quanto argentinos.

Pesquise se a universidade escolhida exige o certificado de proficiência em espanhol ou se ela mesma avaliará seu domínio no idioma. Algumas instituições aceitam os exames CEI ou CELU, mas o exame SIELE tem se tornado a principal referência em proficiência em espanhol. Com certificado SIELE Global, você consegue se inscrever em qualquer universidade argentina.

Para estudar Medicina na Argentina, você vai precisar de um visto de residência. E existem duas maneiras de fazer a solicitação: entrar na Argentina como turista e, dentro de 90 dias, dar entrada no pedido junto às autoridades ou fazer a solicitação antes mesmo de sair do Brasil, por meio do consulado argentino. Não é necessário ter o visto de residência para fazer sua matrícula, mas é importante comprovar que você já deu início ao trâmite.

Prontinho! É basicamente esse o processo de admissão em uma universidade argentina. No entanto, geralmente demora cerca de seis meses para ter tudo regularizado. Por essa razão, é fundamental providenciar a documentação com bastante antecedência e se atentar às datas de inscrição, que normalmente ocorre meses antes do início oficial das aulas.

Para facilitar…

Esses são os principais documentos exigidos para você oficialmente se mudar e começar a estudar Medicina na Argentina:

  • Histórico escolar e certificado de conclusão do Ensino Médio;
  • RG ou passaporte;
  • Carteira de vacinação;
  • Histórico de antecedentes criminais;
  • Comprovante de residência;
  • Certidão de nascimento.

A graduação em Medicina na Argentina oferece uma série de vantagens em relação ao Brasil e é a oportunidade para milhares de brasileiros se formarem em um curso tão disputado, de forma muito mais acessível.

Agora confira 4 motivos para estudar Medicina na Argentina

Qualidade de vida

A Argentina é um dos países com melhor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do mundo, ou seja, é uma excelente opção para quem deseja ter um estudo de qualidade e, ao mesmo tempo, viver em um lugar com uma qualidade de vida elevada, com acesso à saúde, alimentação saudável e inúmeros locais destinados ao lazer.

Leia também: Cinco destinos para aprender espanhol

Processos seletivos diferentes

Só quem já passou pelos processos seletivos do Brasil sabe como é difícil e disputada uma vaga em um curso de Medicina. No entanto, diferentemente do território brasileiro, em terras argentinas não existe o famoso “vestibular”. Os processos seletivos são diferentes e muito mais fáceis. Porém, isso não significa que não existem pré-requisitos para ingressar. Muito pelo contrário! Só inicia o curso quem realmente prova conhecimento e tem muita dedicação.

Metodologias avançadas

Muitas universidades dos Estados Unidos e da Europa já adotaram em suas instituições metodologias ativas, em que o estudante faz parte do processo de aprendizagem. Esse é um modelo de ensino que cada vez mais apresenta resultados positivos.

Por isso, a Argentina também começou a adotar essa metodologia em algumas universidades. Ou seja, os estudantes têm carga horária flexível, pois, em grande parte do tempo, devem se dedicar aos estudos fora da sala de aula.

O modelo de avaliação também é diferente, pois o estudante recebe nota durante todo o processo de aprendizagem, somando pontos a sua iniciativa, interesse, estudos em casa e capacidade de se relacionar com os amigos e professores.

Experiências

A experiência de viver em outro país, poder adquirir conhecimentos, vivenciar uma outra realidade e estar em contato com uma nova cultura é muito valiosa.

Além, claro, de poder estar inserido por completo na área da saúde de um outro país, aprendendo a todo momento uma realidade médica completamente diferente da brasileira.

E aí, depois de ler isso tudo, vai começar a se planejar para realizar o seu sonho de salvar vidas em terras argentinas?

Veja também

Ensino superior na Irlanda: Por onde começar?

Ana Carolina Brunelli
Ana Carolina Brunelli, Formada em jornalismo pela UNIMEP. Criadora de conteúdo para redes sociais, com experiência em Diversidade & Inclusão. Esteve na Irlanda duas vezes e, desde a primeira vez no país, soube que Dublin era o seu lugar no mundo. Ama inspirar e incentivar as pessoas a viverem a incrível experiência de conhecer a Ilha Esmeralda.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar