Como fazer intercâmbio: guia básico para realizar esse sonho

Como fazer intercâmbio: guia básico para realizar esse sonho

Ana Carolina Brunelli

6 dias atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Fazer um intercâmbio é a melhor forma de se perder e encontrar ao mesmo tempo. Em um primeiro momento, essa frase pode até parecer clichê, mas só quem já viveu essa experiência sabe que não é! Afinal, mudar para o outro lado do mundo, sair da zona de conforto e ficar longe das pessoas que você mais ama na vida fazem parte dessa aventura. Mas não tem como fazer intercâmbio de outro jeito, não é mesmo?

É se abrir para novas oportunidades, sem medo de ser feliz. E mais: é estar disposto a superar muitos obstáculos para aprender e crescer.

Porém, antes de fazer as malas e embarcar para o seu destino dos sonhos, existem algumas coisas que você precisa entender sobre como fazer um intercâmbio no exterior, evitando futuros perrengues ou frustrações.

Neste artigo, vamos falar um pouco, de maneira geral, sobre como fazer intercâmbio. Se você está pensando em sair pelo mundo, este texto é para você. Acompanhe…

Leia também: Intercâmbio na Irlanda: o guia definitivo (2021)

Tipos de intercâmbio

Se você tem dúvidas sobre como fazer intercâmbio, o primeiro passo é definir o país e a cidade onde você sonha passar uma temporada. E para fazer essa escolha, é fundamental muita pesquisa sobre todos os pontos positivos e negativos do lugar, entender como funciona a logística da cidade, os preços, etc.

Depois de tomar essa decisão, aí é a hora de você escolher qual tipo de intercâmbio gostaria de realizar. Afinal, existem vários programas com diferentes propósitos. Vamos apresentar alguns deles para você agora!

High school

O intercâmbio High School é para quem está no ensino médio, e a ideia é que o adolescente passe um ano da escola em outro país, sendo esse período validado no Brasil e, geralmente, o estudante fica na casa de uma família local.

Esse tipo de intercâmbio também é conhecido como “host family” e é necessário ter entre 14 e 19 anos para embarcar nessa experiência.

Leia também: Intercâmbio gratuito: dicas, destinos e programas de bolsas

Au pair

Au pair é mais um tipo de intercâmbio diferente, com o objetivo de trabalhar e estudar ao mesmo tempo e, geralmente, tem duração de um ano. O mais comum é a pessoa morar na casa de uma família local e ajudar a cuidar das crianças. Porém, recebe um salário e a moradia é gratuita.

A vantagem é poder estar imerso na cultura e no idioma do país de escolha, além do custo-benefício ser mais acessível.

Para participar do au pair, é obrigatório ter de 18 a 30 anos, carteira de motorista válida e ensino médio completo. Às vezes, também pode ser exigida alguma experiência com crianças.

Leia também: 5 coisas que você deve saber antes de ser au pair na Irlanda

Estudo de idiomas

Estudar um novo idioma está na lista de quem quer fazer intercâmbio. Foto: Rawpixelimages | Dreamstime

Quando o assunto é como fazer um intercâmbio, um dos mais procurados é o programa de estudo de idiomas. Nesse caso, o foco é o aprendizado de uma nova língua.

Esse tipo de intercâmbio costuma ser feito em um período mais curto, e o propósito de quem decide fazer esse intercâmbio tem que ser mergulhar de cabeça na cultura local, pois a rotina será em torno de aulas diárias e diversas atividades práticas.

É uma boa escolha para quem quer ter a chance de conviver com pessoas de diferentes partes do mundo e trocar muitas experiências.

Graduação

Já imaginou estudar fora do Brasil enquanto faz a sua graduação?

Esse tipo de intercâmbio existe e é o combo perfeito para quem deseja aperfeiçoar um novo idioma, sem abrir mão de estudar aquilo que ama. Sem contar que é a chance de fazer parte de uma universidade estrangeira, o que pode agregar muito ao currículo.

Nesse caso, é preciso ter determinado nível de proficiência e, às vezes, a instituição de ensino oferece um curso intensivo para o estudante aprender mais o idioma.

No entanto, o custo desse tipo de intercâmbio pode ser uma desvantagem para algumas pessoas, já que é mais alto que outras opções e inclui matrículas da faculdade e outras taxas.

Porém, se você sonha fazer uma graduação no exterior, mas sem gastar muito, é possível ir atrás desse sonho e procurar bolsas de estudo gratuitas. É claro que precisará passar por diferentes testes e há muitos requisitos, mas, se for aceito, existe a chance de conseguir o curso e todo o intercâmbio pago.

Leia também: Faculdade na Irlanda: cursos, universidades e processos seletivos

Trabalho voluntário

Fazer intercâmbio voluntário pode render muito aprendizado no exterior. Foto: Roman Synkevych/Unsplash

O intercâmbio voluntário é bem diferente dos demais. Afinal, é uma viagem com o objetivo de contribuir com algum projeto social e pode funcionar como uma troca, pois existe a possibilidade de conseguir moradia, alimentação e transporte gratuito na casa de uma família local. Sem contar que é uma experiência literalmente transformadora, pois você se conecta com realidades completamente diferentes da sua.

É uma viagem que pode abrir a sua mente e que, certamente, vai tocar o seu coração. É uma chance de aprender muito e de mudar a vida de alguém.

No intercâmbio voluntário, você escolhe o tipo de programa com o qual gostaria de se envolver: se é com foco na saúde, na educação, na comunidade, nos impactos ambientais ou, até mesmo, nos cuidados com os animais. E os destinos mais comuns para esse tipo de intercâmbio são países da África e da Índia.

Leia também: Intercâmbio voluntário é possível: descubra como e por que fazer

Estudo e trabalho

Para quem deseja conciliar estudo e trabalho em um intercâmbio, a primeira dica é sempre pesquisar muito sobre o país de escolha para garantir que não há nenhuma restrição nesse sentido.

Geralmente, a ideia é estudar em uma parte do dia e ter tempo para trabalhar. É uma ótima oportunidade de aperfeiçoar um idioma e, ao mesmo tempo, se jogar na cultura de um país, já que você estará em contato com muita gente.

Além disso, com um intercâmbio de estudo e trabalho, você amplia os horizontes, adquirindo inúmeras experiências profissionais para o currículo e, ainda, consegue fazer sobrar uma graninha no final do mês para realizar um passeio tão sonhado.

Deu para ver que não faltam opções para realizar um intercâmbio no exterior, né?! Agora você só tem que decidir com qual mais se identifica. Faça uma listinha com tudo o que você espera de uma experiência como essa e o que considera prioridade nesse período fora de casa, assim vai ficar mais fácil tomar essa decisão.

Documentos necessários para fazer um intercâmbio

Dica importante! É preciso checar toda a documentação necessária antes de embarcar para um intercâmbio. E isso precisa ser feito com muita antecedência!
Atenção!

  1. Passaporte
    A primeira coisa a se fazer é verificar se está com o passaporte em dia. Afinal, sem isso você não pode nem embarcar.
  2. Visto
    Descubra com antecedência se o país que você escolheu exige algum tipo de visto. A melhor forma é entrar no site da embaixada do país, pois lá sempre tem todos os detalhes.
  3. Imigração
    Quando você passar pela imigração no local de destino, provavelmente vão solicitar alguns documentos de comprovação do intercâmbio, por exemplo:
  • carta de aceitação da escola ou da família;
  • seguro-saúde;
  • carteira de vacinação;
  • extrato bancário;
  • cópia da passagem de ida e volta.

Por isso, não deixe de fazer uma lista com todos esses documentos e cheque várias vezes antes de ir para o aeroporto. Isso vai garantir uma viagem tranquila e que nada atrapalhe os primeiros momentos do seu intercâmbio.

E lembre-se: se der medo, vai com medo mesmo! Porque você vai viver uma das melhores experiências da sua vida. Entregue-se a essa nova jornada!

Leia também: Quais são os tipos de visto na Irlanda?

Foto de capa: Nitish Meena/Unsplash

 

Veja também

Guia completo sobre acomodação na Irlanda

Ana Carolina Brunelli
Ana Carolina Brunelli, Formada em jornalismo pela UNIMEP. Criadora de conteúdo para redes sociais, com experiência em Diversidade & Inclusão. Esteve na Irlanda duas vezes e, desde a primeira vez no país, soube que Dublin era o seu lugar no mundo. Ama inspirar e incentivar as pessoas a viverem a incrível experiência de conhecer a Ilha Esmeralda.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar