Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Documentos

Como fazer tradução juramentada de documentos

Colaborador E-Dublin postou em 09 mai 2018

Muitos intercambistas vêm pra Dublin com a intenção de fazer cursos em sua área de formação depois dos seis meses de inglês. Há, ainda, aqueles que chegam com a intenção de conseguir um emprego na área. Nesses dois casos será necessário comprovar através de documentos suas qualificações adquiridas no Brasil. É aí que surge a necessidade de se traduzir o diploma, o histórico escolar ou certificações. Mas como fazer?

shutterstock_268435511

Foto: Shutterstock

No Brasil

Por se tratarem de documentos oficiais, é necessário que as traduções feitas no Brasil sejam realizadas por Tradutores Juramentados, pois eles podem atestar a veracidade dos documentos e das informações neles contidas.

O SINTRA (Sindicato Nacional dos Tradutores) informa que é possível obter os contatos dos tradutores de cada estado através da Junta Comercial dos Estados. Se por um acaso não houver um tradutor na sua cidade, você deve entrar em contato com um tradutor em uma cidade próxima e enviar-lhe os documentos a serem traduzidos. *Lembre-se sempre de negociar os valores de envio e reenvio.

A tradução juramentada é regulamentada por leis federais e resoluções das juntas comerciais dos estados e suas determinações são compulsórias. Em MG e SP, por exemplo, as traduções juramentadas devem ser cobradas com base no número de laudas de caracteres dos documentos traduzidos, 1100 caracteres com e 1200 caracteres sem espaços, respectivamente.

Somente o tradutor juramentado e concursado pelo estado é habilitado a fazer traduções juramentadas no Brasil. Como o serviço é regulamentado e tabelado pelo estado, o valor da tradução não é negociável.

As juntas comerciais dos estados publicam anualmente nos diários oficiais dos estados e em seus sites as listas de tradutores juramentados habilitados para os diversos idiomas.

Na Irlanda

Quando a tradução dos documentos é feita na Irlanda, a necessidade de ser juramentado dependerá da instituição onde você for apresentá-lo, por isso, antes de qualquer coisa, pergunte na instituição ou empresa onde você irá entregar o documento qual o tipo de tradução que eles exigem.

Existem várias empresas que oferecem o serviço de tradução de documentos, principalmente em Dublin. A Language Services, na DCU (Dublin City University), por exemplo, oferece um serviço de tradução que é amplamente aceito por empresas, instituições e pelo governo Irlandês.

A cotação de valores na maioria das empresas na Irlanda pode ser feita enviando uma cópia digitalizada dos documentos a serem traduzidos.

Legalização de documentos*

Desde 14 de agosto de 2016, entrou em vigor no Brasil a “Convenção de Apostila de Haia”, que elimina a exigência de legalização de documentos públicos estrangeiros, simplificando o trâmite internacional de documentos públicos entre o Brasil e os 111 países signatários, incluindo a Irlanda.

Com isso, a legalização de documentos no Setor Consular foi suprimida. Os documentos brasileiros serão apostilados no Brasil e aceitos na Irlanda. Os documentos irlandeses serão apostilados na Irlanda e aceitos no Brasil. Ao documento será anexada uma “Apostila de Haia” pela autoridade competente do país emissor do documento, tornando-o válido em todos os Estados partes da Convenção. Esse procedimento será aplicado a certidões de atos de registro civil (nascimento, casamento e óbito); certidões de atos notariais (procuração pública, escritura pública, testamento); sentenças judiciais (de adoção, de divórcio, de regulamentação de guarda de menor etc); e documentos escolares.

Sempre verifique com quem receberá os documentos e traduções se elas são necessárias. Geralmente instituições dos países de língua inglesa dispensam qualquer forma de autenticação e normalmente, quando necessário, somente as traduções de documentos brasileiros são consularizadas ou apostiladas, quando exigido, considerando que o documento em português original é reconhecido como autêntico no Brasil.

Contudo, é sempre bom verificar com quem receberá os documentos se é necessário autenticar os originais e/ou traduções. Já, para documentos a serem enviados para o Brasil, a consularização ou apostilamento são obrigatórios. Os consulados brasileiros poderão dar maiores informações e como proceder em cada caso.

No Brasil, as Apostilas são emitidas por cartórios autorizados, cuja lista atualizada será publicada na página do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), com link nesta página web.

Na Irlanda, a aposição da apostila (certificado de autenticidade) é feita diretamente pelo Department of Foreign Affairs – DFA. Uma vez apostilados pelo DFA, os documentos emitidos em território irlandês serão válidos no Brasil.

*Informações da Embaixada do Brasil em Dublin

Imagens via Shutterstock
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Sobre o Autor


Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do colaborador do E-Dublin e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Quer ver sua matéria no E-Dublin ou ficou interessado em colaborar? Envie sua matéria por aqui!

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

Vistos

Onde tirar o visto no interior da Irlanda

1 mês atrás, por Ávany França
Documentos

Renovando seu visto na Irlanda! Como fazer?

1 mês atrás, por Edu Giansante
Documentos

Você sabe como autenticar documentos na Irlanda?

3 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Destaques

Como planejar o seu intercâmbio na Irlanda: Preparação

3 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Saúde

Conheça o Seguro Governamental da Irlanda

11 meses atrás, por E-Dublin Press
Inglês

Tropeçando no inglês! Quem já não passou por isso?

1 ano atrás, por Elizabeth Gonçalves
Documentos

Perdi meu cartão do banco, e agora?

2 anos atrás, por Elizabeth Gonçalves