Como funciona uma entrevista de emprego na Irlanda?

Como funciona uma entrevista de emprego na Irlanda?

Rubinho Vitti

4 semanas atrás

Siga o E-Dublin no Instagram

Quem aí está na corrida para encontrar o emprego dos sonhos na Irlanda? Uma das etapas essenciais neste processo é a (temida) entrevista. Ou melhor, as entrevistas. O processo seletivo para muitas vagas na Irlanda é rigoroso e diversas empresas realizam inúmeras conversas para saber se é realmente você que elas querem.

Muita gente costuma ficar nervosa, ansiosa e muito, muito insegura. E não é por menos. Mas calma! Para essa hora é que existe uma palavrinha mágica que pode te deixar mais calmo e confiante: treino. Selecionamos alguns dos melhores pontos sobre entrevistas de emprego das Dicas do Edu, uma seleção de vídeos sobre a vida profissional na Irlanda.

A primeira entrevista por telefone

Vamos recapitular? Você montou seu currículo, escreveu sua cover letter e já aplicou para as vagas. Um recrutador se interessou pelo seu perfil e decidiu ligar. É nesse momento que ele te chama para uma entrevista de emprego. Nessa hora você precisa estar preparado para aceitar e confiar que vai dar tudo certo.

A primeira entrevista geralmente acontece já por telefone. Vocês marcam para conversar um horário, com tempo marcado, geralmente de 15 a 30 minutos. O recrutador é quem vai ligar. Nesse telefonema, ele vai explicar sobre a vaga e você vai demonstrar interesse (ou não).

Ele vai perguntar algumas coisas, entre elas se você está trabalhando no momento. Ele também vai querer entender qual o seu perfil (junior ou senior) e se realmente está qualificado para aquela vaga. É uma checagem inicial, uma triagem para ver se você vai passar pelo processo de entrevista.

A segunda entrevista por telefone

Passando por essa triagem, o recrutador pode agendar uma segunda ligação com alguém que provavelmente será seu futuro chefe ou alguém da sua área na empresa. Esse é o momento em que a empresa quer saber se você tem habilidades para o cargo. É uma checagem mais especializada.

Se você passar, então vai para o processo “on site”, ou seja, dentro da empresa. Nesse momento, acontece uma bateria de uma média de quatro entrevistas de 30 a 40 minutos.

Entrevistas ‘ao vivo’ na empresa

Quando o recrutador agendar a entrevista na empresa, ele vai explicar como tudo vai acontecer. Provavelmente, antes de sua entrevista, você saberá quem vai entrevistá-lo. Essa é a hora de você saber quem são essas pessoas. Por meio do perfil do LinkedIn é possível descobrir de qual área cada pessoa é, e, assim, você pode desenhar a maneira como você vai apresentar suas informações.

Pessoas que lidam com o lado humano podem prestar mais a atenção na maneira como você se apresenta. Profissionais de áreas de marketing podem se interessar na maneira como você se vende. Outros podem querer mais dados e informações técnicas.

Quem são os entrevistadores?

Geralmente, o recrutador será o seu hostess quando você chegar à empresa. Ele receberá na recepção do prédio, sentará com você para falar sobre o processo. Cada pessoa que for entrevistar você vai focar em uma área. Eles são responsáveis para saber do seu conhecimento nesses determinados aspectos. Vamos falar de cada um deles:

  • Culture fit. Esse entrevistador vai falar sobre cultura, ou seja, como a pessoa se adéqua à cultura da empresa. Você tem o perfil similar ao que a empresa está procurando? Você é uma pessoa honesta? Fala sempre na primeira pessoa ou como um time?
  • Role fit. Como você se ajusta à vaga? O quanto você está pronto para essa vaga? Quais são suas habilidades, qual o seu trabalho anterior? Tem experiência?
  • Smarts. Como você raciocina? Como você pensa? Como é sua linha de raciocínio? Como chega a uma conclusão?
  • Motivation. O quão está interessado naquela posição, naquela empresa? Essa parte é difícil, pois você geralmente está procurando emprego em vários lugares. Você precisa tentar encontrar o que está te motivando a entrar lá. Algo específico que se assemelhe com o que você busca como carreira.
  • Capstone (higher manager). A pessoa que está acima desse grupo ou a pessoa que é efetivamente o recrutador, aquele que vai dar o sim ou não, bater o martelo.

Como você se prepara para a entrevista de emprego?

Você está se candidatando a uma vaga. Você sabe do que essa vaga trata? Um exemplo: você é professor educação física e já atuou no Brasil. Chega aqui, a vaga é para educador físico para deficientes.

Você vai precisar saber lidar com as deficiências, com diferentes maneiras de tratar os deficientes, com exercícios específicos. Então, se você aplica para a vaga, você precisa estudar sobre como tornar sua profissão evidente nesse contexto. Nesse caso, como um profissional de educação física pode atuar junto aos deficientes.

De outra forma, se você já tem experiência, você pode usar isso a seu favor. Palavras-chave são importantes nessa hora. Elas dão “match” entre sua vida profissional e o que a empresa está buscando.

A segunda parte é da empresa em si. Como se preparar para falar da empresa? Não adianta saber a história da empresa que você pesquisou no Wikipedia. Você precisa buscar notícias a mais sobre a companhia. Saber o que está acontecendo na organização naquele momento. Sabendo da história e do momento atual, você pode se encaixar como quem vai poder auxiliar para o crescimento.

Formato S.T.A.R.


Geralmente, um entrevistador na Irlanda vai gostar se sua resposta às perguntas dele sejam em formato S.T.A.R. Você sabe como é isso? Esse é um formato clássico na entrevista de emprego na Irlanda. A palavra vem de um jogral:

  • Situation (situação)
  • Task (tarefa)
  • Action (ação)
  • Results (resultado)

Nas perguntas feitas pelo entrevistador, a resposta precisa ser pensada nessa forma. Você descreve a situação (problema), dizer qual foi a sua tarefa dentro dessa situação, qual foi a ação tomada para resolver o problema e o resultado gerado.

Uma pergunta padrão que os entrevistadores fazem: descreva uma situação em que você teve um problema com seu chefe e o que você fez para resolver. É importante ter algumas histórias na manga. Não precisa ser algo incrível nem que tenha dado certo. As informações devem ser reais e naturais, com dados, números, tempo etc.

Lado pessoal também conta

Tem gente que vê o lado pessoal como algo positivo. No seu currículo, muitas vezes, colocar o hobby pode ser algo que agregue valor profissional. E tudo que agrega é bom para o resultado de sua candidatura a uma vaga.

Um exemplo: seu hobby é futebol e, nas horas vagas, você é o técnico do time de futebol do seu filho. Um entrevistador que procura um gerente pode achar interessante o candidato ser técnico de um time de futebol de crianças. Afinal, isso requer criatividade e administração na hora de lidar com pessoas, mesmo sendo crianças ou os pais das crianças, a família etc.

Linguagem do corpo

O body language, ou linguagem do corpo, é a forma como você movimenta com o corpo na hora de falar. Também é preciso estar atento a isso e treinar na frente do espelho para se dar bem na hora da entrevista.

  • Como se sentar? A maneira correta é estar com o corpo ereto e correto, o contrário de sentar “largado”, como se estivesse na mesa de bar com os amigos.
  • Como falar? É importante olhar diretamente para os olhos do entrevistador, sempre se portando mais para a frente na hora de responder, de forma direta e ativa. Isso demonstra interesse em responder e enfatizar a resposta. Mas lembre-se: não invada o espaço do entrevistador.
  • Onde colocar as mãos? As mãos também são importantes. Não mexa muito com elas, como roer as unhas ou cutucar os dedos. As mãos devem ser usadas para enfatizar as respostas. Criar dimensões das falas. Elas te ajudam a enfatizar e não a distrair o entrevistador
  • E os olhos? Olhos nos olhos mostra que você está interessado. Claro que ficar encarando a pessoa não é algo legal o tempo todo. Pode ser até desconfortável.
  • Esqueça o seu celular. Deixe ele no bolso, desligado ou no mute. Não mostre que você está interessado em receber mensagem ou telefonema, nem mesmo está preocupado com o horário. Mostre total interesse na conversa.
  • Manias! Tente se policiar em manias como mexer no cabelo, no nariz, estalar os dedos, coçar os olhos, mexer na barba, entre outros. Deve-se ficar neutro o máximo possível.

Como é o processo após a entrevista?

Após entrevistar todos os candidatos, entrevistadores se reúnem para falar sobre cada um e dar pontos positivos ou negativos. Foto: Pxhere

Depois que a entrevista é feita com você e mais alguns candidatos, acontece um “debrief”, que é quando todos os entrevistadores se juntam para falar sobre os entrevistados. Analisam-se os seguintes pontos: Como é a questão cultural? Como é o role fit? Como é a questão de motivação? Como é a questão de smart? Como essa pessoa é?

Os entrevistadores falam dos pontos negativos e positivos. Os negativos são chamados de “red flags”. Podem ser coisas pequenas como não olhar nos olhos, olhar para o celular, estar sentado com uma postura incorreta, tudo o que o body language pode mostrar. Respostas incorretas também são analisadas, como mentiras durante a entrevista ou a percepção de que o entrevistado não estava se comportando naturalmente.

Depois disso, ocorre uma avaliação geral, e o grupo vota quem é a favor de ou contra cada candidato. Uma negativa entre quatro entrevistadores já é péssimo, 25%. Dois, 50%, nem se fala. Três, já era mesmo.

Os entrevistadores, no entanto, conversam, justificando suas respostas. O debate pode virar o voto de outro, pois toda justificativa é válida. Existe um trabalho longo, pois há candidatos que muita gente gostou ou que ninguém gostou… Vira um debate.

O higher manager é o principal, pois ele pode ter gostado da pessoa, mas se todo o grupo está contra ele vai querer abrir uma discussão. Ou o contrário: ele pode não ter gostado da pessoa, mas todo mundo está a favor.

O que acontece após a aceitação?

O “higher manager” é o entrevistador principal e é ele que “bate o martelo” na hora de escolher o candidato que ganhará o emprego. Foto: Pxhere

Depois de o “higher manager” dar sinal positivo e decidir te contratar, o recrutador vai ligar, dar as boas notícias e passar a job offer (oferta de emprego). Ele também vai pedir alguns contatos para fazer um referral check (checagem de referências). Eles vão checar seu histórico com ex-gerentes, ex-chefes, vão ligar para essas pessoas e perguntar sobre você e ver se o que você disse está correto.

Geralmente, não há nenhum empecilho, a não ser que você tenha causado um grande problema na empresa onde você estava anteriormente.

Para quem vem do Brasil, o referral check pode ser algo difícil. O recrutador vai para seu antigo trabalho e pergunta sobre você. Se ninguém souber falar inglês por lá, ele não conseguirá se comunicar.

Muitas vezes, a saída é mandar e-mail ou ver se algum funcionário fala português e pode traduzir. Por isso, é importante também saber e pensar qual contato você vai passar para a ligação acontecer.

Chegando nessa fase, você já está 98% garantido no emprego.

Job offer

Assinando e retornando a job offer, pode acontecer o que chamam de background check. Isso é, enviar toda a documentação que comprove sua vida. Por exemplo, diplomas universitários, certificado de cursos, cartas de referência, carta de confirmação de trabalho em diferentes empresas. Isso tudo é para validar realmente se tudo o que você falou é verdade.

Essa é a hora que você consegue aplicar para o visto. Com uma oferta de trabalho efetivamente, é possível aplicar para o “work visa”.

Contrato de trabalho

Quando tudo estiver pronto, basta assinar o contrato e ser feliz em seu novo ambiente de trabalho. Assim como no Brasil, existem as primeiras semanas de experiência, e o empregador ainda pode não querer mais você se ele não ficar feliz com o desenvolvimento do trabalho. É bem raro, mas pode acontecer.

No mais, enjoy! Você agora tem um emprego na Irlanda.

Assista mais dicas do Edu e outros vídeos sobre carreira profissional na Irlanda no canal do E-Dublin no Youtube.

Rubinho Vitti
Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar