Como não se sentir sozinho na quarentena

Como não se sentir sozinho na quarentena

Rubinho Vitti

3 meses atrás

Siga o E-Dublin no Instagram

Durante a pandemia do Covid-19, o distanciamento social é essencial. Com as pessoas fazendo autoisolamento, quarentena ou trabalhando em casa, um novo problema pode aparecer nas pessoas ou agravar um problema já existente, a solidão. Pessoas solitárias são mais propensas a sofrer de pressão alta, doenças cardíacas, depressão e demência. Mas o que fazer para não se sentir tão sozinho nesse momento tão difícil?

Dados da empresa Cigna pré-coronavírus mostram que a solidão atinge mais os jovens. Com 79%, a “geração Z” diz que se sente mais desconectada. Os millenials — geração que nasceu após o ano 2000 — também se sentem sozinhos. São 71% que dizem estar assim. A solidão também demonstrou diminuir o desempenho no trabalho, a criatividade, o engajamento e o compromisso com a organização.

Mas como é possível se manter são e menos sozinho durante a quarentena? O E-Dublin mostra algumas dicas de como interagir mesmo em casa, sem a companhia daqueles que amamos.

Aproveite as redes sociais

Quem está conectado deve já ter percebido a quantidade de “lives” que as pessoas estão fazendo durante a quarentena. Pode parecer até piegas, mas é uma forma de interagir com quem a gente gosta. As lives chegaram com tudo durante o isolamento. São artistas, profissionais de diversas áreas dando dicas e, até mesmo, amigos que ficam alguns momento ao vivo na internet para conversar.

Até mesmo quem não tinha muito o costume de acompanhar essa evolução tecnológica está aderindo. Festivais online estão disponíveis, com interação entre artistas e público sem sair de casa.

Leia também: 10 maneiras de usar bem o tempo livre na quarentena

Interaja em redes sociais

Participar de grupos de estudo, conversação, quiz sobre assuntos de que você gosta pode auxiliar na distração e na interação enquanto se está sozinho durante a quarentena. O aplicativo QuizUp é um deles. Você pode escolher um assunto e responder perguntas sobre aquilo que mais interessar.

Crie grupos de amigos

Videoconferências já não são, há tempos, uma facilidade para reuniões empresariais. Por que não unir amigos do Brasil e de todas as partes do mundo na tela do celular ou computador? O coronavírus acabou mudando a relação das pessoas na internet. WhatsApp e Instagram são alguns dos mais comuns para esse tipo de conversa a distância, mas muitos outros podem garantir uma interação ainda maior. Não dá para ter a desculpa de falta de tempo ou de tecnologia para conversar com quem mais ama.

Leia um livro

Há quem diga que um livro nunca decepciona quando o assunto é solidão. Ter a companhia de uma boa gama de páginas para devorar pode ser o antídoto para não se sentir sozinho. Quando se entra em uma história, é possível colocar o cérebro para viajar e ser acompanhado pelas palavras do autor ou, até mesmo, com os personagens daquela história.

E há várias formas de se ler livros gratuitamente durante a quarentena. A Amazon disponibilizou vários títulos gratuitamente. Editoras como a Companhia das Letras e a L&P Editora também colocaram produtos disponíveis para leitura online.

Leia também: Como lidar com surto de coronavírus em casas compartilhadas?

Converse com seu vizinho pela janela

A comunicação entre vizinhos pode não ser a melhor em dias normais, mas que tal abrir a janela ou ir para a sacada puxar um papo com aquele seu companheiro de bairro? Pode ser uma chance de afastar a solidão e conhecer alguém tão perto que antes estava tão longe. Basta seguir o exemplo da Itália, onde até música foi compartilhada via janelas durante o terrível surto que atingiu o país.

Esteja acompanhado de si mesmo

A solidão também pode ser uma forma de contato consigo mesmo. Estar só pode ser algo bom. Cuidar de si como praticar exercícios físicos, meditação, uma rotina de cuidados com a pele, com os dentes.

Faça atividades lúdicas

Todo mundo tem um lado artístico e se não tem pode conhecer durante o confinamento por causa do novo coronavírus. Pegue aquele violão empoeirado, dedilhe as cordas, tire uma música favorita. Utilize sites de cifras e cante sem parar. Ou preencha uma folha em branco com suas ideias, poemas, que tal desenhar? Nem sempre pode sair uma obra de arte, mas criar estimula o cérebro e ajuda a combater a solidão. Não tem papel e caneta? Use seu computador. Tem vários aplicativos bacanas para desenhar e colorir.

Veja também

Tudo sobre o sistema de saúde na Irlanda

Rubinho Vitti
Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar