Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Alimentação

Compras do mês em Dublin por Felipe Franco

postou em 09 jun 2014

Hoje, quem vem atualizar mais uma vez nossos queridos intercambistas é o recém-chegado Felipe Franco. Ele já veio aqui contar como foi encontrar moradia e também falou sobre como é fácil torrar os reais economizados por anos se você se empolgar nas primerias semanas em solo verde. E como a alimentação pode ser incluída nessa empolgação, no texto de hoje ele conta como está conseguindo viver com uma compra mensal de 100 euros. Será que isso é possível?

Por Felipe Franco 

Nem só de pint vive o intercambista. Comer também é preciso. Então, partiu supermercado.

_DSC0632

Afinal, custa muito comprar comida nos supermercados irlandeses? De fato, não. O básico de uma alimentação saudável sai por um preço atrativo, principalmente para aqueles que se arriscam na cozinha. Para quem não pilota fogão, as opções são aprender, viver à base de congelados ou comer fora. Aos amantes do churrasco ou de uma carne com qualidade: lamento. Além de a carne não ser muito saborosa, o preço é alto. Mas não se desespere, coxas de frango e carne moída estarão ao seu alcance e enganam bem.

Em Dublin, os supermercados mais populares, no geral, não diferem muito em termos de preço dos produtos. Aos poucos você vai descobrindo qual gênero alimentício sai mais em conta em cada um deles. O Tesco faz a nossa alegria com o famoso “reduced, que são promoções de comida pela proximidade do vencimento. É possível encontrar produtos pela metade do preço ou até por menos. Mas esteja atento à aparência de alguns alimentos perecíveis na hora da compra, como no caso da carne.

thumb-reduced

Reprodução

Quem for viver na região da Parnell Street, Dublin 1, estará próximo a um Tesco com reduced frequentemente abastecido. Se vier morar aqui em Dublin 2, lamento informar que a sessão promocional das duas unidades da Baggot Street é praticamente inexistente. 

Atenção aos queijos com preços atrativos, pois eles costumam não ter gosto de queijo. Já no Polonez é possível encontrar o derivado do leite para fatiar e muitas vezes pedaços menores com valor mais baixo. Lá você também pode adquirir carne em ambiente de açougue, podendo escolher o tipo e a quantidade. Tem até coração de frango! Ovos também costumam sair mais em conta por lá; recentemente comprei uma dúzia por 1,99 euros.

Na cidade você também encontra alguns mercados que oferecem uma pequena gama de produtos de origem brasileira, inclusive carne. Caso goste de bacon, está vindo ao lugar certo. Há uma considerável variedade de marcas e preços e, particularmente, o mercado Aldi foi o mais em conta que encontrei. Batata, nem se fala! Há de vários tipos, tamanhos e preços. É só jogar no forno e aguardar o resultado. Os mercados também comercializam verduras e legumes a bons preços. Eu costumo comprar um mix de cenoura, ervilha, milho e algum tipo de vagem, o pacote de 1 kg custa em torno de 1,50 euros.

Fonte: groceryinsight.com

Fonte: groceryinsight.com

Aos que incluem em suas refeições diárias algumas frutas, a feira de rua em Dublin 1 pode ser uma boa alternativa já que os valores costumam ser mais baixos do que em supermercado. Inclusive há diferença de preço entre as próprias barracas, ou seja, vale a pena dar uma passada por todas antes de fazer a compra. Acabei não levando sorte na aquisição de algumas frutas em Dublin. Para mim, nem de longe possuem o mesmo sabor das compradas no Brasil. Sem contar o fato de que algumas variedades são vendidas por unidade, como a manga, que pode custar cerca de 1 euro cada. As bananas acabam sendo as mais “comíveis” e baratas – 6 unidades por 1 euro -, além das maçãs.

Na minha lista de produtos mais baratos estão incluídos arroz, massa, feijão em lata, biscoitos, chocolates e alguns peixes enlatados como atum e sardinha, o que tem resultado num gasto mensal de aproximadamente 100 euros. Entretanto, deixo claro que a minha dieta tem sido a de um intercambista recém-chegado e que ainda não conseguiu emprego, sem luxos, só mesmo o necessário.

É normal que aprendamos com os próprios erros ao comprar alimentos que desconhecemos, atraídos principalmente pelo valor. Portanto, é racional pedir dicas aos que chegaram a Dublin antes de você. Assim, evitará jogar comida fora como, infelizmente, já aconteceu comigo ao degustar um patê infeliz e um suco de laranja que me arrancou lágrimas durante o inesquecível gole.

 Este texto foi revisado por Camilla Gómez em Junho/2014.

Sobre o Autor


Uma vida sem desafios não foi desenhada para essa baiana de Salvador. Jornalista por profissão, já passou por editorias de moda, gastronomia, história e turismo. Amante das viagens, coleciona mais de 50 destinos no passaporte. Quer saber mais? Corre por que até você terminar de ler esse perfil já terei alguma novidade.

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

Recentes e populares

Cultura

6 dicas para aproveitar a Black Friday na Irlanda

2 meses atrás, por Ávany França
Dicas de Viagem

Roteiro de compras em Milão

9 meses atrás, por Carol Braziel
Essenciais

Quanto custa viver na Irlanda?

11 meses atrás, por Júlia Paniz
Dicas de Viagem

Roteiro de compras em Paris

12 meses atrás, por Carol Braziel