Conheça os escolhidos para a websérie Minha Carreira no Exterior

Conheça os escolhidos para a websérie Minha Carreira no Exterior

Rubinho Vitti

4 meses atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

“We are the champions, my friends/ And we’ll keep on fighting ‘til the end”… Essa foi a música escolhida por Edu Giansante, CEO do E-Dublin, para anunciar os três vencedores da websérie Minha Carreira no Exterior. Os escolhidos ganharam uma mentoria exclusiva com o Edu que será aberta para espectadores em lives entre os dias 25 e 27 de maio.

O anúncio ocorreu na noite de domingo, também em uma live e com a participação dos vencedores, que contaram um pouco da história de cada um. Edu também explicou como funcionou o processo seletivo e como vai funcionar a mentoria a partir de agora.

Mais de 1.000 inscritos para a mentoria

Para escolher entre mais de 1.000 candidatos inscritos, Edu teve auxílio dos recrutadores Ana Tex e Rick Regolão. Edu explicou que quem não foi selecionado não deve se sentir mal e desistir, já que a mentoria será pública e ajudará todo mundo. “A gente está junto nessa, tentando se ajudar. Por isso que escolhi essa música, ‘We are the champions’. Somos nós os campeões, não eu ou você”, disse.

Três perfis distintos participam da websérie

Três profissionais com três perfis bem diferentes foram escolhidos para a mentoria com o Edu Giansante. Ludmilla Flôres, Carlos José e Clara Alves serão auxiliados por Edu na formatação de seus perfis, definição de objetivos, além de terem ajuda para criar um perfil no LinkedIn e um currículo profissional. Conheça cada um deles.

Leia também: Edu Giansante oferece mentoria gratuita online

Ludmilla Flôres

Aos 47 anos, Ludmilla procurou a mentoria com Edu Giansante para mudar de carreira no exterior. Foto: Acervo pessoal

Com 47 anos de idade e 25 de experiência na área de TI, Ludmilla quer muito mudar de carreira, por se sentir estressada. No entanto, ela se vê preocupada com a idade e sem ter experiência em outras possíveis novas áreas de atuação.

Ludmilla já vive na Irlanda, onde atua como “customer assistance”. Ela possui o visto Stamp 1G, que possibilita ficar no país após a conclusão de um curso universitário.

O desejo de Ludmilla é se reinventar, entrar em um mercado novo. “Estou com uma expectativa enorme com a mentoria para dar um rumo em minha vida nos 45 do segundo tempo”, disse Ludmilla.

Carlos José

Carlos está no Brasil e pretende se mudar para a Irlanda em breve. Foto: acervo pessoal

Funcionário público em Manaus, no Amazonas, trabalhando na área de TI, Carlos já conhece a Irlanda como turista, quando foi visitar a esposa, que já mora no país. Ele se apaixonou pela ilha e, cansado da situação política e econômica do Brasil, tem o sonho de começar uma nova carreira em terras irlandesas.

Aos 51 anos, porém, uma pergunta ecoa em sua mente: “será que com essa idade eu vou conseguir mudar completamente?”. Carlos se disse feliz em ser escolhido. “Vou tirar um bom proveito dessa mentoria”. A esposa possui cidadania portuguesa, o que dá a Carlos a chance de ter um Stamp 4, visto para cônjuges de cidadãos europeus.

Clara Alves

Intercambista, Clara vai aproveitar a mentoria com o Edu para focar na carreira de produtora cultural. Foto: acervo pessoal

Típica intercambista, com visto de estudante de inglês (Stamp 2), Clara atualmente trabalha como staff de um restaurante em Dublin, fazendo serviços como atendente, garçonete, entre outros. Formada em produção cultural, quer voltar à área e conseguir um espaço na Irlanda para trabalhar com o que ama.

Para conseguir a mentoria, Clara “saiu da caixinha”. Foi pró-ativa, fez um vídeo criativo de apresentação e teve muita atitude, além de garra, energia e ideias de projetos.

Edu se diz empolgado com os candidatos. “Vai ser muito legal trabalhar com perfis distintos, mas muito próximos de muita gente que vem conversar comigo.”

Balanceamento dos candidatos foi método para escolha

Segundo Edu, houve uma mudança pessoal dele enquanto fazia a seleção de participantes, tentando entender um pouco mais da história de cada um antes de tomar uma decisão.

“Tem gente que realmente precisa de uma mentoria e gente que quer uma mentoria. As que querem já têm algum objetivo, uma coisa em mente, já testaram algumas coisas, já fizeram mentorias antes, têm algum conhecimento, experiência e um caminho já trilhado. Mas há pessoas que precisam dessa mentoria, porque não sabem nem por onde começar”, definiu.

Segundo ele, houve um balanceamento entre candidatos que não possui planos, não tem perfil no LinkedIn ou estão presos em crenças limitantes pessoais ou profissionais. “Não quis pegar extremos de um e de outro lado”, ressaltou.

Aulas abertas: 25, 26 e 27 de maio

Edu explica que a primeira fase das mentorias acontece durante esta semana. “Vou fazer reuniões iniciais com eles, algumas introduções, fundamentos e exercícios”, disse. Tudo será feito com sessões individuais e privadas, de início.

Depois das sessões individuais, acontecem as conversas ao vivo, que poderão ser acompanhadas pelo público, sempre às 19h (horário de Brasília).

  • Segunda, 25 de maio, 19h
    Autoconhecimento e fundamentos: princípios e premissas, os seus pontos fortes, o seu porquê e seus objetivos. Serão feitos exercícios sobre como se descobrir, entender os pontos fortes de cada um.
  • Terça-feira, 26 de maio, 19h
    Seu CV e LinkedIn: transformando seu conhecimento em uma história contada e impactante. Como colocar todo o conteúdo gerado pelo autoconhecimento em um perfil do LinkedIn ou transformando isso no seu currículo.
  • Quarta-feira, 27 de maio, 19h
    Buscar emprego e ser encontrado.
    Estratégias para conexão com pessoas, como falar com os recrutadores, como “se vender” como um bom profissional.

As lives não ficarão salvas. Para ter acesso a elas, em caso de não pode comparecer ao vivo durante a exibição, será montado um grupo exclusivo para compartilhar o vídeo salvo.

Veja também

É possível fazer intercâmbio com criança na Irlanda?

Rubinho Vitti
Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar