Coronavírus: 10 motivos para não entrar em pânico

Coronavírus: 10 motivos para não entrar em pânico

Rubinho Vitti

7 meses atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

O catedrático de Microbiologia da Universidade de Navarra, Ignacio López-Goñi, escreveu um texto que mostra 10 motivos para não ter pânico a respeito do Covid-19. Ele traz uma certa esperança sobre o futuro do vírus. Seu texto tem viralizado por todo o mundo, inclusive sendo republicado na mídia. Conheça um resumo desses dez motivos:

Doença está sendo controlada e até vacinas já estão sendo testadas para o novo coronavírus. Foto: Dimitri Karastelev on Unsplash

1. Nós sabemos o que é

Os primeiros casos de AIDS foram descritos em junho de 1981 e foram necessários mais de dois anos para identificar o vírus (HIV), causador da doença. Com o COVID-19, os primeiros casos de pneumonia grave foram relatados na China em 31 de dezembro de 2019 e em 7 de janeiro o vírus já havia sido identificado.

2. Nós sabemos como detectar o vírus

Desde 13 de janeiro, um teste para detectar o vírus está disponível.

3. A situação está melhorando na China

As fortes medidas de controle e isolamento impostas pela China estão dando resultado. Há várias semanas, o número de casos diagnosticados todos os dias está diminuindo.

4. 80% dos casos são leves

A doença não causa sintomas ou é leve em 81% dos casos.

5. As pessoas se recuperam

A maioria das pessoas infectadas é curada. Há 13 vezes mais casos curados que mortes, e essa proporção está aumentando.

6. Os sintomas parecem leves em crianças

Apenas 3% dos casos ocorrem em pessoas com menos de 20 anos, e a mortalidade com menos de 40 anos é de apenas 0,2%. Os sintomas são tão leves em crianças que podem passar despercebidos.

7. O vírus pode ser aniquilado

O vírus pode ser efetivamente inativado de superfícies com uma solução de etanol, peróxido de hidrogênio ou hipoclorito de sódio em apenas um minuto. A lavagem frequente das mãos com água e sabão é a maneira mais eficaz de evitar o contágio.

Leia também: Coronavírus: Irlanda fecha escolas, instituições e cancela eventos

8. A ciência está presente globalmente

É a era da cooperação científica internacional. Após pouco mais de um mês, 164 artigos puderam ser acessados. São trabalhos preliminares de vacinas, tratamentos, epidemiologia, genética e filogenia, diagnóstico, aspectos clínicos, etc.

9. Já existem protótipos de vacinas

Nossa capacidade de projetar novas vacinas é espetacular. Já existem mais de oito projetos em andamento buscando uma vacina contra o novo coronavírus.

10. Ensaios antivirais estão em andamento

Já existem mais de 80 ensaios clínicos analisando tratamentos com coronavírus. Estes são antivirais que foram usados para outras infecções, já aprovados e que sabemos que são seguros.

A pandemia de gripe de 1918 causou mais de 25 milhões de mortes em menos de 25 semanas. Algo semelhante poderia acontecer agora? Provavelmente não; nunca estivemos melhor preparados para combater uma pandemia.

Leia o artigo original aqui. 

Veja também

Como cuidar da saúde durante uma viagem no exterior?

Rubinho Vitti
Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar