Coronavírus: após crescimento de casos, Irlanda revê flexibilização do lockdown

Coronavírus: após crescimento de casos, Irlanda revê flexibilização do lockdown

Rubinho Vitti

1 mês atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

O governo reviu alguns pontos da flexibilização do lockdown por conta do crescente aumento no número de novos casos do novo coronavírus registrados na Irlanda nos últimos dias.

O principal objetivo é que idosos e vulneráveis não sejam atingidos pelo crescimento do Covid-19 no país. No último sábado foram registrados 200 novos casos, seguidos de 66, no domingo, e 56, na segunda. As novas medidas devem permanecer até 13 de setembro.

O governo vai limitar a presença dessas pessoas fora de suas casas, sejam doentes crônicos ou idosos com mais de 70 anos, voltando ao chamado “cocooning” (casulo) do início do lockdown no país.

Assim, eles serão solicitados a restringir seus movimentos para evitar o contágio e o possível agravamento da doença, levando-os a hospitais. Deverá haver horário especiais para essas pessoas em mercados e lojas.

Outra atitude tomada pelo governo é limitar novamente o número de pessoas que visitam outras casas em no máximo seis pessoas, ante 50 liberados anteriormente. Além disso, encontros em espaços abertos devem ser limitados em até 15 pessoas. Antes eram 200 permitidas. Isso evitaria festas privadas e abertas.

Restaurantes e cafés poderão abrir, mas devem estar fechados até 23h30.

Leia também: Vídeo que mostra ‘festa’ em pub choca irlandeses e revolta governo

Em pronunciamento, o primeiro-ministro irlandês Micheál Martin confirmou todas as novas restrições, dizendo ainda que os transportes públicos devem ser evitados.

Ele também confirmou que até 13 de setembro todas as empresas deverão manter seus funcionários trabalhando em casa. Eventos esportivos deverão acontecer com as portas fechadas e a Garda terá poderes adicionais para forçar as medidas de saúde pública.

“A evidência é que um grande número de pessoas está agindo como se o vírus não fosse uma ameaça para elas, ou que não há problema em correr mais alguns riscos”, disse Martin.

Micheál Martin disse que a Irlanda não está na fase em que se possa regressar à normalidade. “Estamos em outro momento crítico. Agora, mais do que nunca, devemos nos lembrar de nossas responsabilidades mútuas.”

Leia também: Coronavírus: Irlanda registra recorde de novos casos desde maio

Rubinho Vitti
Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar