Coronavírus: Dublin tem fim de semana com ruas lotadas

Coronavírus: Dublin tem fim de semana com ruas lotadas

Rubinho Vitti

1 mês atrás

Siga o E-Dublin no Instagram

Com os pubs tecnicamente “fora de funcionamento”, a Irlanda viu sua capital Dublin ferver de pessoas bebendo pelas ruas centrais, sem distanciamento social ou qualquer medida restritiva como forma de impedir a contaminação pelo novo coronavírus.

Cerca de 60% dos pubs da Irlanda reabriram como restaurantes no dia 29 de junho. Isso significa que eles precisam obrigatoriamente servir pratos para seus clientes, além de pints. Entre outras regras, a permanência é limitada a 105 minutos.

Por isso mesmo, no fim de semana havia longas filas na porta de pubs populares da capital. Quem quisesse ir ao Pyg Malion, por exemplo, teria que enfrentar ao menos duas horas de espera.

Foi assim que aqueles que não conseguiram entrar em nenhum estabelecimento foram para as ruas. Locais como a South William Street, próximo ao shopping Powerscourt Townhouse Centre, ou a Dame Lane, ruazinha cheia de pubs, ficaram completamente lotadas. Pessoas levaram “caixinhas” de som, compraram bebidas nos supermercados e fizeram das ruas grandes baladas.

Leia também: Conheça todos os pontos da 3ª fase de flexibilização do lockdown

No supermercado Dunnes, da George Street, as cervejas acabaram das geladeiras. O mesmo aconteceu com lojas de conveniência aos arredores como Spar e Centra. A Garda até chegou a ir a esses locais, mas sem sucesso na repressão. Como se sabe, na Irlanda não é permitido beber em locais públicos como ruas e praças.

Primeiro-ministro pretende adiar reabertura dos pubs e viagens

Micheál Martin reagiu às ruas lotadas de Dublin, dizendo que deve adiar reabertura oficial dos pubs, em 20 de julho. Foto: Divulgação

O primeiro-ministro irlandês (Taoiseach), Micheál Martin, fez um comunicado nesta segunda-feira, 6 de junho, alertando que a reabertura dos pubs, marcada para acontecer no dia 20 de julho, poderá ser adiada se os números da Covid aumentarem. O comunicado surge após as cenas de ruas lotadas em Dublin e Cork.

Leia também: Irlanda investe € 4,8 milhões em pesquisa para vacina contra o Covid-19

“Temos que colocar a saúde pública em primeiro lugar. Essa é a questão abrangente. A única maneira de recuperar a economia é se mantivermos o Covid-19 em baixa. Qualquer alteração a isso seria um desastre para o país”, disse ao Cork’s 96FM, segundo reportagem da RTÉ.

Martin também reafirmou a ideia de uma “green list” de países onde pode-se viajar e voltar para a Irlanda sem precisar fazer quarentena deve sair apenas após 20 de julho.

Foto de capa: Christine Jou/Unsplash

Veja também

Tudo sobre o sistema de saúde na Irlanda

Rubinho Vitti
Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar