Como fazer uma ‘cover letter’: dicas e passo a passo

Como fazer uma ‘cover letter’: dicas e passo a passo

Edu Giansante

4 meses atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

A busca por um espaço no mercado de trabalho no exterior pode ser bem diferente do que estamos acostumados no Brasil. Ao aplicar para uma vaga de emprego, além de caprichar no currículo e no perfil do LinkedIn, é essencial preparar uma boa “cover letter”, ou seja, uma carta de apresentação.

Neste artigo, vamos mostrar detalhes sobre o que é e como escrever essa carta de apresentação de forma correta para aumentar suas chances de conseguir o tão sonhado trabalho no exterior.

Leia também: Como trabalhar na Irlanda: regras, vistos e profissões para brasileiros

O que é a ‘cover letter’?

‘Cover letter’ é uma carta de apresentação, fundamental na hora de conquistar uma vaga de emprego na Europa. Foto: Artur Szczybylo / Dreamstime.com

“Cover letter” é exatamente o que o nome diz: uma carta de apresentação do seu currículo. Quase uma sinopse de um filme ou aquele resumo na parte de trás de um livro, que dá uma visão geral da história.

No Brasil, não é muito comum criar formalmente uma carta de apresentação, mas, em geral, aquele e-mail que você envia dando um breve descritivo da sua carreira tem o mesmo papel.

Entre os recrutadores brasileiros, esse e-mail que resume sua vida profissional em alguns parágrafos não é tão avaliado. Já na Europa, é quase obrigatório ter uma “cover letter”, tamanha a sua importância.

Desenvolver um bom texto e enviá-lo junto ao currículo é uma forma de se apresentar de forma mais direcionada para a empresa que você está aplicando. E esse detalhe pode despertar a atenção do recrutador e fazer com que seu CV seja avaliado e assim, possivelmente, você será chamado para uma entrevista.

Por onde começar a escrever uma ‘cover letter’?

O primeiro passo para escrever uma “cover letter” é saber o que você quer da vida, ou seja, em qual área você pretende atuar. Isso vai alterar alguns detalhes importantes do seu texto, já que cada profissão tem suas particularidades a serem exaltadas.

Supondo que você vá aplicar para a área de TI. O que é o mais importante ser mencionado? As suas certificações.

TI é uma das áreas em que as certificações fazem toda a diferença. Ao criar sua carta, é importante mencioná-las, uma por uma. Se você está se candidatando para área de marketing, o mais importante é citar grandes campanhas que tenha feito/gerenciado, premiações e clientes que atendia (seja como criativo ou como atendimento).

Ao começar a redigir sua “cover letter”, pergunte-se: “por que eu?”. Tenha a resposta para essa pergunta e sua carta de apresentação será bem-sucedida. Afinal, é preciso saber qual qualidade sua o transforma no profissional exato para a vaga oferecida pela empresa. Em outras palavras, é uma forma de “se vender” ao recrutador, fazendo com que ele sinta vontade de abrir seu currículo.

Passo a passo para criar uma ‘cover letter’

Pesquisar sobre a empresa e demonstrar isso na ‘cover letter’ aumenta suas chances de conseguir uma entrevista. Foto: Chernetskaya | Dreamstime.com

“O que devo incluir na minha ‘cover letter’? Para quem devo direcionar a carta? Como me mostrar interessante para o recrutador?”

Vamos responder todas essas perguntas!

Personalize e direcione

Ao iniciar sua “cover letter”, procure ser o mais específico possível, mostrando que você sabe a quem se dirige. Tente trocar o “Dear. Mr/Mrs Manager” pelo nome do recrutador, por exemplo. Mostre que você fez o dever de casa e realmente se interessou pela vaga, e não copiou e colou, atirando para todos os lados.

No primeiro parágrafo, escreva para qual vaga está aplicando e apresente-se provando ser um bom candidato. Cite as habilidades e qualificações que o difere dos demais. Não deixe também de dizer o motivo pelo qual se interessou pela oferta de emprego e pela empresa. O que nos leva à próxima dica.

Leia também: Intercâmbio na Irlanda: o guia definitivo (2021)

Pesquise sobre a empresa

Estude a empresa para a qual você vai se candidatar. Assim, o recrutador percebe, de forma indireta, que você já adquiriu conhecimento sobre o trabalho que é feito na companhia, bem como os valores dela. Procure entender como a instituição funciona, o que ela preza e procura em um funcionário, e você sairá na frente.

Ao pesquisar sobre a empresa, você pode descobrir que é exatamente o profissional que ela procura no mercado de trabalho. Identifique o que o diferencia, o que o torna essencial e uma ferramenta que vai contribuir para a empresa, e insira isso de forma direta na sua “cover letter”.

Por exemplo, se você descobrir que a empresa irlandesa está buscando ampliar seus negócios para o mercado da América do Sul, não deixe de mencionar que você é brasileiro e tem vasta experiência sobre o mercado local. Isso já o coloca à frente de candidatos europeus que não apresentam tal conhecimento.

Responda possíveis perguntas do recrutador

Além de se identificar, dizer sua formação e sua experiência, é preciso responder algumas perguntinhas que farão o recrutador querer analisar ou descartar o seu currículo.

Saiba quais são:

  • Quando você pode começar a trabalhar?
  • Tem alguma viagem marcada?
  • Qual é o seu tipo de visto?
  • Quais são as formas em que o recrutador pode entrar em contato com você?

Cuidado com erros de inglês

Erros de inglês podem ser seu grande inimigo na hora de criar uma ‘cover letter’ e aplicar para uma vaga de trabalho na Irlanda. Foto: Brad Calkins | Dreamstime.com

É muito comum, principalmente entre os principiantes, escorar-se nas ferramentas de tradução online para resolver qualquer situação. Fique atento: não dá para escrever uma “cover letter” dessa forma.

Fica sempre muito nítido quando o candidato fez uso desse atalho, isso porque os tradutores online são literais e, algumas vezes, o texto não faz sentido. Isso já faz com que o recrutador se desinteresse pelo seu perfil ou priorize algum outro, mais caprichoso.

O ideal, nesse caso, é sempre pedir a opinião de alguém que tenha um maior domínio da língua: um professor de inglês, um falante nativo ou um amigo mais experiente. Não faça com que um erro de tradução jogue sua chance na lixeira.

Agora que você já sabe o que fazer (e também o que não fazer), dá uma olhada no modelo de carta de apresentação para você se inspirar e entender como é na prática. Lembrando que o texto não deve passar de 200 palavras:

“Dear Mr. Giansante,

I am writing to apply for the Web Developer position advertised on the E-Dublin.

The opportunity presented in this listing is very interesting, and I believe that my strong technical experience and education will make me a very competitive candidate for this position. I am also certificated on:

Nuclear Power management
Tequila Shot DS3 and B52’s
Whatever Mega Foda III

I also have experience in learning and excelling at new technologies as needed. I am currently holding a student visa which allows me to work part-time during 6 months and full-time in the next 6 months, however I am flexible for freelancing negotiation.

Please find enclosed my CV for your appreciation.

I can be reached anytime via email at [email protected] or my mobile, 087 Vodafone 77.

Thank you for your time. I look forward to hearing back from you.

Sincerely,

Homer Simpson”

Modelos de ‘cover letter’

Como você pode ver, a “cover letter” é quase um resumão do seu currículo, acompanhado por algumas informações importantes como: a situação do seu visto e a sua flexibilidade para trabalhar.

Como já cansamos de falar, não se limite ao que foi dado a você. São detalhes como esse que podem fazer o recrutador pegar o telefone e ligar de volta.

Esse site apresenta vários modelos de cartas pra diversas áreas, mas fique de olho, pois é um site americano. Alguns termos e o tamanho podem ser diferentes do padrão europeu.

Ah, e tente não prolongar muito a sua carta. Seja sucinto e direto ao ponto.

Listamos abaixo os modelos mais comuns em algumas áreas:

Quer fazer intercâmbio na Irlanda? Clique aqui e peça seus orçamentos agora para os parceiros do E-Dublin e comece a comparar as opções!

Veja também

Como é o Regime Trabalhista na Irlanda?

Edu Giansante
Edu Giansante, Fundador e CEO do E-Dublin, Edu chegou na Irlanda em 2008, no ano pré-crise, pegou a nevasca de 2010 e comeu cérebro de cabra em Marrakesh. O Edu também é baterista da banda Irlandesa Medz.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

  • Como são os direitos trabalhistas na Irlanda

    Carreira Internacional

    Como são os direitos trabalhistas na Irlanda

    A regra é uma só: um imigrante que está inserido no mercado de trabalho tem...

    Rubinho Vitti

    3 dias atrás

    Como são os direitos trabalhistas na Irlanda
  • Como validar o seu diploma na Irlanda

    Dicas Profissionais

    Como validar o seu diploma na Irlanda

    Provavelmente, você já pensou em trabalhar na Irlanda na sua área de...

    Elizabeth Gonçalves

    5 dias atrás

    Como validar o seu diploma na Irlanda

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar