Descubra formas econômicas de viajar no Brasil e no exterior

Descubra formas econômicas de viajar no Brasil e no exterior

Ávany França

7 meses atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Já se foi o tempo em que sair de férias significava fazer a reserva da passagem aérea, escolher o hotel mais próximo das atrações turísticas e se preparar para fazer da versão 10+ Guia Turismo, o seu melhor amigo de viagem.

Turismo alternativo inclui se hospedar de graça em outros países. © Lightfieldstudiosprod | Dreamstime.com

Turismo alternativo inclui se hospedar de graça em outros países. © Lightfieldstudiosprod | Dreamstime.com

Seja pela facilidade de viajar, seja pelo acesso aos meios tecnológicos, como a internet, o conceito de viagens tem mudado e tomado um sabor bem diferente.

As opções na hora de fazer as malas são imensas, e os turistas muito mais dispostos a experimentar o que andam chamando por aí de turismo alternativo!

Se você nunca se imaginou acordar no sofá de um desconhecido, bem-vindo ao universo do Couchsurfing. A comunidade, idealizada por um mochileiro de São Francisco, ganhou forma no mundo inteiro e tem atraído turistas, principalmente os econômicos, de olho em acomodação de graça e que têm instinto de aventura no sangue.

Mas se, para muitos, a empreitada pode exigir uma dose extra de coragem, para outros pode significar apenas uma alternativa de curtir um pouco da cidade pelo prisma de alguém que mora no local. Além da oferta de sofás (um lugar para dormir), há usuários dispostos a oferecer apenas informações sobre a cultura local ou, mesmo, algumas horas só para mostrar a cidade!

Encontros coletivos em parques são comuns entre os membros do couchsurfings. © Artesiawells | Dreamstime.com

Encontros coletivos em parques são comuns entre os membros do couchsurfing em várias cidades. © Artesiawells | Dreamstime.com

Em Dublin, por exemplo, você pode se juntar à turma do Couchsurfing para um picnic no Phoenix Park aos domingos, participar de jantares temáticos, geralmente envolvendo diferentes culturas ou, ainda, participar de caminhadas pelas belíssimas montanhas de Wicklow (a 1h de Dublin), na companhia de um irlandês apaixonado pela natureza.

O que você acha de passar suas próximas férias numa comunidade de desenvolvimento sustentável no sul da Holanda ou vivenciando de perto o dia a dia de uma comunidade ecológica na República Tcheca?

Esses são apenas alguns exemplos de destinos e práticas encontradas na comunidade Wwoof. O conceito de sustentabilidade, troca de experiências e intercâmbio invadiu os lares de pessoas comuns, dispostas a passar conhecimento, dividir suas histórias e propor um mundo muito mais consciente por meio da agricultura sustentável e maior responsabilidade nos hábitos de consumo.

Trabalhar como voluntário em comunidades rurais e fazendas é proposta do Wwoof. © Wavebreakmedia Ltd | Dreamstime.com

Trabalhar como voluntário em comunidades rurais e fazendas é proposta do Wwoof. © Wavebreakmedia Ltd | Dreamstime.com

Para quem levanta a bandeira da sustentabilidade e a busca por um mundo melhor, o Wwoof tem sido uma ótima oportunidade de ter essa experiência. No geral, os interessados não pagam pela acomodação durante o período da experiência, pois a troca acontece em forma de trabalho voluntário. O Wwoof tem associados no mundo inteiro, inclusive no Brasil.

Mas, se a sua proposta para a próxima viagem não envolve nenhuma grande aventura e você está longe de cogitar passar boa parte do tempo em campos e fazendas, que tal uma experiência de acomodação alternativa?

É assim com os hospitaleiros do Wimdu. A ideia é simples: o site organiza uma rede de acomodações privadas, de gente disposta a oferecer um quarto ou, até, a casa inteira para viajantes. Todo o processo é feito online e tanto o anfitrião quanto o hóspede contam com a estrutura do Wimdu como mediador.

© Pavel Losevsky | Dreamstime.com

No Wimdu, o anfitrião oferece a casa, com um preço mais barato. © Pavel Losevsky | Dreamstime.com

Em suma, o anfitrião oferece a casa, com um preço abaixo dos propostos em hotéis, e o viajante, por sua vez, embarca no clima e na receptividade de um local. A parte divertida é que os papéis podem ser invertidos e o próximo anfitrião pode ser você. Quer experiência mais intensa?

Para os menos aventureiros, esse conceito garante experimentar uma acomodação mais  alternativa sem se preocupar com surpresas.

Mas essa história de turismo alternativo vai muito além de poder interagir com o seu anfitrião ou fugir das hospedagens convencionais. Em Londres, esse conceito tem levado pessoas de diferentes idades a compartilhar paixões em comum.

Você pode encontrar gente disposta a apresentar um pouco das galerias de arte britânicas, fotógrafos que organizam tardes fotográficas por lugares inusitados da capital inglesa e, até mesmo, gente disponível para passar um dia ao seu lado, mostrando como é a real vida londrina longe dos limites da London Eye.

Tudo isso em prol do turismo alternativo, da troca de experiências ou, apenas, pelo prazer de um bom papo.

Pense nessas opções na próxima vez em que você decidir sair de férias e esteja pronto para trazer na bagagem, além de muitas histórias para contar, a sensação de ter deixado de ser apenas mais um turista no meio da multidão, para figurar na perspectiva de um local.

Avatar
Ávany França, Jornalista por profissão, já passou por editorias de moda, gastronomia, história e turismo. Uma vida sem desafios não foi desenhada para essa baiana de Salvador. Amante das viagens, coleciona mais de 80 destinos no passaporte. Quer saber mais? Corre porque até você terminar de ler esse perfil já terei alguma novidade.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar