Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Meu Intercâmbio

10 coisas que você fatalmente aprenderá no intercâmbio

Carol Braziel postou em 30 jan 2017

É, meu amigo intercambista. Não adianta achar que só de inglês é feito o intercâmbio. Aqui aprendemos muito, mas muito mais do que outro idioma. Listamos aqui as dez principais coisas que você fatalmente aprenderá no intercâmbio.

Saudade, convivência, novas amizades são apenas alguns aprendizados do intercâmbio. Foto: Shutterstock

Saudade, convivência, novas amizades são apenas alguns aprendizados do intercâmbio. Foto: Shutterstock

1. Saudades

Assunto quase que obrigatório, a saudade vem e não ache que é só da sua família e amigos, não! Aqui, quando menos esperamos, sentimos falta da nossa cama, banheiro, das broncas da nossa mãe, do cheiro do nosso pai ao entrar em casa, da comida caseira (Ah, a comida caseira…!), das brigas com nossos irmãos e, por que não, do trânsito? Ah sim, quando bate aquele tédio misturado com saudade, até do agito da cidade grande, que inclui um “transitosinho”, a gente sente.

2. Convivência

Talvez esse seja o assunto mais complicado dos dez tópicos listados nesse artigo. A convivência com pessoas de diferentes mundos é muito difícil, sim! Digo diferentes mundos, pois aqui lidamos com pessoas do Brasil e do mundo todo, que tem diferentes definições de espaço, higiene, educação e regras de bom convívio (quando sabem o que são regras de bom convívio). Não é fácil. Aqui as palavras-chaves são: Flexibilidade e resiliência. Sem essas benditas coisinhas, você pode se dar muito mal em um intercâmbio.

3. Carência

Não adianta achar que no intercâmbio teremos aquele colinho de mãe ou dos amigos de anos. A carência excessiva, assim como em qualquer lugar do mundo, não é algo bom, e aqui menos ainda. Entenda, não é por gostar ou não do outro, mas é que todos aqui estão no mesmo barco, sentindo saudades, TPM (mulheres), gripe, irritação, ou qualquer outra coisa que aumente a carência. Ficar choramingando de um lado para o outro ou agindo de forma mimada, esperando que todos vejam sua dor ou te ofereçam colo, não funciona. No máximo te afastará do restante do grupo. No intercâmbio, temos que aprender a lidar e a superar isso. Cada um da sua forma, mas sempre respeitando o espaço do outro (como dito no item 2: Convivência).

Você vai se sentir muito mais carente. Foto: Shutterstock

Você vai se sentir muito mais carente. Foto: Shutterstock

4. Controle financeiro

O assunto mais falado durante todo o intercâmbio é esse, e não tem como fugir! Quantas e quantas vezes nos vemos no meio de um bate-papo com um grupo de intercambistas, onde o assunto principal é o dinheiro ou onde conseguimos comprar mais barato? Fazer intercâmbio e não adquirir o dom do controle financeiro é se colocar em problemas, e dos grandes.

Vai aprender a economizar. Foto: Shutterstock

Vai aprender a economizar. Foto: Shutterstock

5. Ah, as emoções!

Entender nossas próprias emoções já é difícil em qualquer lugar do mundo, certo? Mas não o sei o que acontece na nossa mente quando fazemos intercâmbio, porque aqui as emoções funcionam com potência máxima. Um probleminha se torna um problemão em segundos, o choro se torna uma tempestade, as risadas não param até doer a barriga, ou seja, tudo à flor da pele.

6. Frio e chuva não são desculpas aceitáveis

Esse é um fato que você aprenderá se fizer intercâmbio em qualquer lugar que faça frio e que vente como nossa amada Irlanda. Se deixar para fazer as coisas quando o vento ou a chuva passar, você não fará nada! Para a chuva existem as roupas impermeáveis (por que guarda-chuva e Irlanda não combinam), e para o vento, bom… se ele não estiver a ponto de te carregar, é colocar sua blusa, gorro, protetor de orelhas e sair!

7. Open your mind

Abrir a mente sobre vários assuntos é fato! Até porque no intercâmbio conhecemos pessoas do mundo todo, e quando nos permitimos saber suas histórias, nos vemos em uma situação onde começamos a refletir sobre os conceitos às vezes fechados que tínhamos. Aí o mundo se torna imenso, e sua mente explode de tantas possibilidades.

8. Se não quisermos, NÃO aprendemos inglês

Ah! Acho que todo intercambista concorda com isso. É comum conhecer brasileiros que estão aqui há meses e não melhoraram nada o inglês. Principalmente se o destino escolhido é repleto de brasileiros. Nossas panelinhas brasileiras se formam mais rápido do que encontramos acomodação e, quando menos percebemos, estamos falando mais português do que inglês.

9. Amizade

Um dos primeiros fatos que aprendemos no intercâmbio é que existem, sim, pessoas que querem te prejudicar. Mas o bom é que, ao mesmo tempo, aprendemos que para cada pessoa dessa que aparece surgem duas outras completamente opostas e que te ajudam e muito! As amizades verdadeiras no intercâmbio não são fáceis de serem feitas, mas quando acontecem você sai agradecendo aos céus por elas. Seja da nacionalidade que for, a amizade acontece e te faz ver o intercâmbio de forma mais positiva. “Com amigos temos tudo”, é o que dizem, não é mesmo? No intercâmbio vemos que isso se torna um fato.

 10. Se você não fizer, ninguém fará por você.

Como falamos no item sobre a carência, no intercâmbio, mesmo com grandes amizades, amadurecemos a ponto de entender que não adianta reclamar. Nada mudará na nossa vida se não nos movimentarmos para que isso aconteça. Não arranjaremos emprego se ficarmos todo dia grudados no computador ao invés de arrumar o currículo e sair pelas ruas. Não falaremos inglês se não nos dedicarmos às aulas e não abrirmos espaço para conhecer pessoas de outras nacionalidades. Não teremos a casa limpa se não limparmos, e por aí vai. A independência tem um preço e se chama maturidade. Maturidade pra ver que o mundo é bem mais do que tínhamos em mente e nossos problemas, muitas vezes, não são da conta de ninguém a não ser nós mesmos.

Imagens via Shutterstock
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Sobre o Autor


Carolina Braziel é formada em Relações Públicas e pós-graduada em MKT pela ESPM|Brasil. Com mais de seis anos de experiência em MKT, decidiu vivenciar o sonho de morar na Europa, mais precisamente na terra dos Leprechauns. Apaixonada incurável por viagens, tem como vício a leitura e pesquisa sobre destinos, curiosidades e roteiros de viagens pelo mundo.

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

Mercado

Irlanda têm vagas para biotécnicos e químicos

20 horas atrás, por Deby Pimentel
Dublin

Problemas com moradia na Irlanda preocupam setor de TI

2 semanas atrás, por Elizabeth Gonçalves
Mercado

E se eu quiser abrir uma empresa na Irlanda?

2 semanas atrás, por Colaborador E-Dublin
Essenciais

Quais são os tipos de Vistos na Irlanda?

3 semanas atrás, por Colaborador E-Dublin
Clima

5 caminhadas perfeitas para um dia de verão em Dublin

3 semanas atrás, por Elizabeth Gonçalves
E-Dublin TV

Um dia de uma brasileira na Irlanda – Mah Marra

3 semanas atrás, por Tarcisio Junior
Dublin

5 atividades para curtir em dias de sol em Dublin

3 semanas atrás, por Elizabeth Gonçalves
E-Dublin TV

Roteiro alternativo em Barcelona – Hevialand

4 semanas atrás, por Tarcisio Junior
Documentos

Tire suas dúvidas sobre a cidadania portuguesa

1 mês atrás, por Colaborador E-Dublin