Diário de uma intercambista na Irlanda em quarentena

Diário de uma intercambista na Irlanda em quarentena

Colaborador E-Dublin

2 meses atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Todos sabem que, por conta da pandemia, as escolas e universidades em todo o mundo estão fechadas. E se você, assim como eu, também é intercambista e se vê nesse momento perdido, ansioso e querendo voltar agora para casa, leia este texto com atenção.

Estou há oito meses na cidade de Cork, na Irlanda, e até duas semanas atrás minha vida estava seguindo perfeitamente bem, tinha minha rotina de intercambista, cansativa, mas uma vida que seguia normal.

Como estou sobrevivendo no intercâmbio e em isolamento por conta do Covid-19. © Everst | Dreamstime.com

Poucos dias após o início de Março, aconteceu o “BUM” do Covid-19 e logo estava eu sem emprego, consequentemente sem dinheiro, sem poder estudar e, para completar o pacote, tive uma crise de ansiedade como nunca na vida. Eu só não comi a parede de ansiedade (aliás “why eu não comi a parede?”), mas comi minha compra de quinze dias em apenas três.

Tenho certeza de que muitos de vocês pensaram o mesmo: “O que vou fazer da minha vida agora?”. E vou contar para vocês o que eu fiz. NÃO ENTRE EM PÂNICO (mas eu entrei).

Primeiro, respeitei o vírus, não é? Afinal, essa situação é bem séria e não podemos levar na brincadeira como uma simples “gripezinha”. Depois, apavorei, me dei esse direito. Pensei em largar tudo e voltar pro Brasil, em ficar lá quietinha na minha cama.

Passaram-se alguns dias, comecei a pensar com a razão e procurei listar na minha própria cabeça o que essa quarentena poderia me trazer de bom. Afinal, agora eu tinha todo o tempo do mundo, aquele tempo que eu vivia pedindo intimamente quando eu tinha trabalho, estudava e podia ir e vir pra onde eu quisesse sem medo.

Agradeça mais, reclame menos

Incorpore a meditação na sua rotina para manter a sanidade durante a quarentena. © Wachara Kireewong | Dreamstime.com

Vou listar aqui algumas coisas que iniciei nessa quarentena e que me fizeram muito bem, e assim espero que faça bem para você também:

Medite: Somente 20 minutos por dia e acreditem no benefício imenso que isso traz. Serão 20 minutos desligados de tanta notícia ruim que vem rondando as mídias sociais nos últimos meses.

Leia: Inicie o hábito da leitura. Não precisa ser o best-seller ou aquele livro de que sua amiga gostou, inicie por assuntos pelos quais você realmente se interesse, sejam quais forem. Eu me sinto bem lendo livros espiritualistas, e você pode se sentir bem lendo sobre culinária — e está tudo bem, mas LEIA.

Alimente-se bem: Ficar em casa sem nada pra fazer da uma vontade danada de comer tudo o que tem na geladeira. Eu confesso que me permito comer umas coisinhas mais gordas. Porém, coma saudável também, a vida balanceada vai fazer muito bem.

Beba água: Pode parecer óbvio, mas quando ficamos em casa e não temos um gasto calórico muito alto. Consequentemente, esquecemos de nos hidratar, porque não sentimos sede o tempo todo. Mas deixe uma garrafinha de água próxima a você. Hidratar faz bem e ajuda a evitar muitas doenças. Não quer ganhar pedras nos rins em plena quarentena, não é?

Exercite-se: Faça qualquer tipo de atividade física, suba escadas, ande no quintal, faça um série de exercícios no seu quarto, caminhe pela casa, mantenha seu corpo em movimento.

Jogos de interação online: Opte por jogos que desenvolvam sua mente e, se possível, que promova a interação com outras pessoas, por exemplo, o jogo stop.

Estude inglês: Lembre-se de que seu foco do intercâmbio é o inglês. Portanto, não deixe que essa situação passageira afete seu desenvolvimento, procure cursos de inglês online gratuitos, continue tendo contato com seus amigos de outras nacionalidades.

Ouça música: Passe um tempo ouvindo suas musicas preferidas, escolha também algumas em inglês, cante junto, cante errado, mas cante. Afinal, “quem canta seus males espanta”. Assim que a quarentena terminar, eu serei a própria “Galway Girl” do Ed Sheeran, de tanto que escuto essa música.

Faça cursos online: Muitas empresas disponibilizaram cursos gratuitos em sua plataforma. Aproveite o seu tempo para alimentar sua mente também. Faça aquele curso que já queria há muito tempo, mas com a correria do dia a dia não era possível, ou simplesmente um curso que não tem nada a ver com sua profissão mas é algo que te faz bem.

Leia boas notícias: Eu não sei vocês, mas quando eu leio e ouço muita notícia ruim, me sinto mal, como se nada fosse dar certo, negatividade atrás negatividade. Aproveite a facilidade da tecnologia para seguir perfis em redes sociais que te façam sorrir e não que propaguem somente notícias ruins.

Converse com amigos e familiares: Aproveite o tempo para conversar com pessoas que te fazem bem e se afaste de pessoas negativas, elas simplesmente não contribuem em nada com a sua vida.

Deixe de lado o hábito da reclamação: Por mais que as coisas não estejam fáceis, sabemos que estamos em tempos difíceis, evite reclamar, nada vai mudar.

Tenha empatia: Não transmita mensagens ruins por meio de suas redes sociais, procure saber se tem algum idoso na sua vizinhança precisando de ajuda, seja para ir ao supermercado, seja para comprar um remédio ou qualquer outra coisa.

Todas essas dicas eu estou colocando em prática, algumas estão sendo mais fáceis, outras nem tanto. O que não podemos é deixar que essa fase difícil afete nossos sonhos. Muitos dos leitores planejaram durante anos fazer um intercâmbio, guardaram dinheiro, deixaram famílias, empregos, amigos, uma vida toda para trás para recomeçar.

Só quem chega aqui para iniciar uma nova vida sabe qual a sensação, a montanha russa de emoções. Se você já é intercambista, sabe exatamente o que é acordar amando um país e ir dormir querendo voltar pra sua terra natal. A gente passa por cada perrengue fora da nossa zona de conforto e não vamos deixar um vírus atrevido acabar com o nosso sonho. Vamos nos cuidar, ficar em casa o quanto pudermos, nos proteger, proteger nossos colegas de casa, nossos vizinhos, nossos colegas de trabalho, todos que pudermos.

Mas jamais perca esse sonho, jamais perca essa vontade que te fez sair do seu país para tentar algo novo. Você já foi corajoso o bastante quando decidiu mudar a sua vida, não deixe tudo acabar agora.

Heloísa Lofrano,

Viciada em viagens, vinho e chocolate. Paulistana de 32 anos que deixou uma vida no Brasil para viver o sonho do intercâmbio

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar