DJs brasileiros que tocam na cena irlandesa: Marc V

DJs brasileiros que tocam na cena irlandesa: Marc V

Colaborador E-Dublin

1 mês atrás

Você já parou pra pensar quem são os DJs que tocam na maioria da festas brasileiras aqui em Dublin? Aliás, muitos deles na real, tocam em várias festas com público irlandês também. A nossa colunista de música eletrônica, Julia Moreno, que também compartilha muita coisa bacana no Vibez, bateu um papo com 5 DJs brasileiros que fazem parte do cenário musical irlandês: (Marc V, Dellucht, Rocco, Kalish e Reverbate).

Hoje, quem conta um pouco dessa trajetória é o DJ Marc V.

Foto: Divulgação

Quando você começou a tocar e o que lhe inspirou pra que você escolhesse essa carreira?

Bom, comecei a tocar na metade dos anos 90, fiquei fascinado quando vi um DJ tocar pela primeira vez, e o que “aquele” cara fez com a pista de dança até hoje eu lembro e me arrepia, o que me inspirou e ate hoje me motiva é a possibilidade de ter uma troca de energia com o público através da música.

Qual estilo você toca e quem são os DJs que você mais se inspira? Conte-nos um pouco do seu processo criativo na montagem do seu set.

Meus sets variam do house ao techno, procuro criar sets únicos, depende do momento, horário que eu estou tocando (warm up ou head line) e tipo de público. Quanto ao processo para a montagem do set, isso vem de um forte background em cima de muita pesquisa musical e de ter uma sensibilidade para saber o que funciona na pista. Não levo nada pronto, as coisas acontecem ao vivo e somente assim é possível surpreender o publico. Quanto aos DJs que eu me inspiro a lista é grande, mas os mais completos dentro dos meus critérios são: Carl Cox, Kolsch, Richie Hawtin, Fabricio Peçanha e Marco Carola.

Há quanto tempo você mora na Irlanda e por que escolheu aqui? Você acha que a Irlanda possui uma cena forte para música eletrônica? Por que?

Moro na Irlanda a quase 4 anos. Vim para Dublin para fazer um intercambio de 8 meses, melhorar o inglês, viajar, conhecer novas culturas e voltar para o Brasil, inicialmente não vim em busca de gigs, mas acabei me apaixonando pela Irlanda e aproveitei a oportunidade que apareceu e consegui retomar minha carreira como DJ. Quanto a cena Irlandesa, sim acho que é uma cena forte, os clubs e festivais trazem grandes nomes da cena eletrônica mundial e além disso a cena local é muito forte, existem inúmeros núcleos que organizam festas de pequeno porte e contribuem muito com a evolução da cena com informação e inserção de novos nomes.

Hoje você é DJ em tempo integral ou também concilia a carreira com outros trabalhos? Como faz para conciliar essa jornada dupla?

Atualmente não consigo viver somente da musica, trabalho também como Chef de cozinha. A rotina é bastante corrida para poder conciliar o trabalho como Chef, produção musical, pesquisa, gigs e a família/amigos, para isso eu tenho algumas programações de horários dentro da minha rotina diária para estudo/pesquisa, trabalho, lazer e também tempo off deste meio (musica e cozinha) para curtir com a esposa. Acredito que organizando as jornadas consigo atender bem todas as necessidades.

Quais são as suas baladas/clubes favoritos aqui na Irlanda? Existe algum dj irlandês que chame a sua atenção?

Curto muito a District 8, Pygmalion, Berlin D2, Bernard Shaw e rolês com som mais underground independente do club, gosto de sair para ver DJs tocarem independente do local. Na cena local curto o trabalho de um monte de djs (não tenho certeza se todos são irlandeses), mas estão inseridos aqui na cena a um bom tempo e curto muito o trabalho deles: EVE Djs, Kielly, Josh Coakley, Ammy Kizza, pessoal da Ecletrika (Mauro e Pierr), Moduse, KETTAMA e Nancy.

Existe alguma dica que você da pra galera que ainda está começando a tocar, ou pra quem é DJ e ainda esta no Brasil com planos de vir pra Irlanda?

A Irlanda é pequena e tem uma cena muito forte, sendo assim a cena é muito concorrida, tem muita gente boa e de toda parte do mundo, então vou listar umas 5 dicas que servem para desde iniciantes até DJs com mais experiência que estão aqui ou pretendem vir para cá, são elas:

– Ache o seu rolê certo: Existem várias cenas, dos mais variados estilos, procure a que você se encaixe mais, que o seu som possa encaixar mais facilmente

– Pense fora da caixa: saia do top 10 dos charts, o publico aqui é curioso, gosta de novidades e diversidades, a galera reconhece e valoriza quando um DJ tem este diferencial

– Esteja preparado para as oportunidades que vão aparecer: muitas pessoas acreditam em sorte, mas você esta preparado para quando sua “sorte” aparecer?

– Saia de casa, só assim você vai conhecer pessoas (Promoters, DJs, Produtores)

– E por último: Acredite em você mesmo e corra atrás dos seus sonhos

Se o pessoal quiser te achar online, quais os seus canais?

Facebook
Instagram
SoundCloud
Set

Julia Moreno,

Formada em fotografia e marketing, é apaixonada por música eletrônica, festas e festivais e está sempre em busca das melhores vibez que acontecem no mundo!

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar