Empregos em Portugal para brasileiros: vistos e áreas mais comuns

Empregos em Portugal para brasileiros: vistos e áreas mais comuns

Colaborador E-Dublin

3 semanas atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Ir para Portugal está na lista de desejos de muitos brasileiros, e encontrar um emprego por lá torna mais real a possibilidade de viver novas experiências e permanecer por mais tempo no país. Mas quais são os empregos em Portugal para brasileiros?

Neste artigo, vamos apresentar informações sobre possibilidades de emprego para brasileiros em Portugal, assim como as principais dicas para você começar a procurar e fazer o sonho sair do papel.

Quais são os mais comuns empregos em Portugal para brasileiros?

Área de RH é comum na lista de empregos em Portugal para brasileiros. Foto: Photo by Cytonn Photography/Unsplash

Hoje, vivemos um tempo de muitas incertezas e uma alta nas taxas de desemprego. É uma situação que atingiu todos os países, e Portugal também faz parte dessa lista. Em agosto de 2020, o país apresentou um crescimento de 8,1 % em falta de oportunidades de emprego, um valor alto em relação aos últimos anos. Por isso, o cenário não está favorável nem para portugueses nem para estrangeiros.

De qualquer forma, existem algumas vagas de empregos em Portugal para brasileiros que são mais conhecidas pela grande disponibilidade. São elas: Marketing, Recursos Humanos, Logística, Construção Civil e Finanças, Vendas, Tecnologia da Informação, Saúde e Estética.

Apesar de muitas das oportunidades envolverem alta qualificação e serem preenchidas pelos nativos, que contam com ótimo nível de educação, os brasileiros também chamam a atenção por meio de sua experiência e qualificação técnica e acadêmica.

Ainda existem muitas vagas nas áreas em que não há necessidade de formação no ensino superior, como auxiliar de cozinha, recepcionista, garçonete, etc. A remuneração, nesses casos, é de, pelo menos, um salário mínimo português.

Leia também: Universidades em Portugal: as sete melhores instituições para estudar

Onde encontrar empregos em Portugal para brasileiros?

Além dos sites de emprego, você pode utilizar plataformas como o LinkedIn, que apresenta diversas oportunidades disponíveis. Mas lembre-se de manter seu perfil atualizado e completo, pois ele poderá ser avaliado por várias empresas, já que se trata de uma ferramenta essencial em toda a Europa.

Algumas dicas importantes são:

  • pense bem na descrição do seu trabalho na sua página;
  • conte sua história de forma criativa;
  • seja ativo, criando conexões com outras pessoas e produzindo conteúdo;
  • use palavras-chaves para que os recrutadores o encontrem (“Skills & Endorsements”).

Também é possível pedir recomendações do seu chefe anterior ou de pessoas que trabalharam com você.

Como estão as restrições da Covid-19 e o que isso afeta os empregos em Portugal para brasileiros?

Atualmente, as fronteiras portuguesas estão fechadas para viagens não essenciais de vários países, como forma de conter o alastramento da pandemia e limitar a disseminação das variantes da Covid-19. Brasileiros, por exemplo, só podem viajar para o país se tiverem dupla cidadania, sendo uma delas europeia, ou com autorização de residência em Portugal.

As novas medidas restritivas de Portugal envolvem a suspensão de voos oriundos do Reino Unido e do Brasil, até dia 16 de março de 2021. Pessoas que tiveram escala nesses países precisam apresentar comprovante de exame de Covid-19 (diagnóstico RT-PCR), com resultado negativo, realizado nas últimas 72 horas antes do embarque (com exceção de crianças de até 24 meses de idade).

Esses viajantes também precisam ficar isolados durante 14 dias em Portugal até o voo de ligação ao seu destino final.

Hoje, com as restrições implementadas, a taxa de incidência de Covid-19 em Portugal é uma das cinco menores da Europa. Você pode encontrar informações atualizadas sobre a pandemia no Portal Estamos On, nos diplomas publicados em Diário da República, no Portal das Comunidades Portuguesas ou do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Como tirar o visto de trabalho em Portugal?

São vários os vistos possíveis para empregos em Portugal para brasileiros. Foto: Serban Enache | Dreamstime.com

Portugal já provou o interesse em receber estrangeiros para estudar, trabalhar ou residir no país, por meio da criação de diversos benefícios e mudanças em leis que facilitam o processo de entrada dos estrangeiros.

Um dos grandes benefícios foi o fato de não ser necessário ir até o consulado para solicitar o visto de trabalho. Sem contar que quem já está no país e precisa fazer a renovação pode agendar por meio da empresa contratante, agilizando prazos e regularizando sua situação.

Desde abril de 2019, as solicitações de visto ficam sob responsabilidade do Centro de Solicitação de Visto, gerido pela “VFS Global”, parceira do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal.

No entanto, devido ao momento atual, a instituição paralisou a recepção e processamento de vistos e permanecerá assim, pelo menos, até o dia 16 de março de 2021, podendo ser prorrogada. (Acompanhe esse processo pelo site da VFS Global).

Existem três tipos de visto que podem ser solicitados por estrangeiros, em Portugal, que são diferenciados conforme a finalidade de sua viagem, atividade a ser exercida, período de estadia, entre outros. Cada categoria também apresenta suas subdivisões. Saiba mais.

Visto de Residência

Esse modelo foi criado para pessoas que ficarão em Portugal por um período de estadia maior que 1 ano. Dentro dele, estão:

  1. Visto de Residência para exercício de atividade profissional subordinada (D1);
  2. Visto de Residência para o exercício de atividade profissional independente (D2): contrato de trabalho que seja válido por um período superior a 9 meses sob regime de prestação de serviços;
  3. Visto para emigrantes empreendedores e Start up visas: autorização de residência a estrangeiros que tenham efetuado operações de investimento em Portugal. “A concessão ou indeferimento do pedido de visto levará em conta a relevância econômica e social do investimento feito ou proposto. O fato de ter aberto uma empresa no país não é, por si só, garantia de que o visto será concedido”;
  4. Visto de Residência para atividade docente: estrangeiros que vão exercer atividades de docência por um período superior a 9 meses;
  5. Atividade altamente qualificada ou cultural: estrangeiros que vão exercer atividade altamente qualificada como cargos diretivos de grandes corporações ou atividades culturais por um período superior a 9 meses;
  6. Atividade altamente qualificada exercida por trabalhador subordinado: esse visto destina-se aos solicitantes altamente qualificados com contrato de trabalho válido por um período superior a um ano, no qual o trabalhador pertence ao quadro de funcionários da empresa contratante. Abrange trabalhadores do setor de tecnologia, podendo incluir outras áreas;
  7. Visto de Residência para investigação, estudo, intercâmbio de estudantes do ensino secundário, estágio e voluntariado: todas atividades realizadas por períodos superiores a 1 ano;
  8. Visto de Residência para efeitos de reagrupamento familiar: destina-se aos familiares (cônjuge, filhos com até 24 anos, dependentes legais, etc.) de detentores de visto de residência em Portugal;
  9. Visto de Residência para a fixação de residência de reformados: destinado aos aposentados que pretendem viver em Portugal tendo como meio de subsistência seus benefícios/aposentadorias;
  10. Visto de Residência para religiosos;
  11. Visto de Residência para pessoas que vivem de rendimentos: esse visto destina-se aos estrangeiros que pretendem viver em Portugal tendo como meio de subsistência seus rendimentos provenientes de atividades não laborais como investimentos, aplicações financeiras, etc.

Leia também: Como ir para Portugal trabalhar?

Visto Temporário

Os vistos de estada temporária destinam-se a todos que vão para Portugal exercer atividades cuja estadia seja inferior a 12 meses.

  1. Visto de estada temporária para tratamento médico;
  2. Visto de estada temporária para acompanhamento de familiar sujeito a tratamento médico;
  3. Visto de estada temporária no âmbito de transferências de cidadãos nacionais de Estados partes na Organização Mundial do Comércio (OMC), no contexto da prestação de serviços ou formação profissional: nesse visto, estão incluídas pessoas que tenham poderes de direção, trabalhem como quadros superiores da empresa e façam a gestão de um estabelecimento; pessoas com conhecimentos técnicos específicos essenciais à atividade, ao equipamento de investigação, às técnicas ou gestão da empresa; ou pessoas que devam receber formação profissional no estabelecimento situado em território nacional;
  4. Visto de estada temporária para o exercício de uma atividade profissional independente;
  5. Visto de estada temporária para o exercício de uma atividade de investigação científica; atividade docente num estabelecimento de ensino superior ou de atividade altamente qualificada por período inferior a 1 ano;
  6. Visto de estada temporária para o exercício de uma atividade de desportiva amadora;
  7. Visto de estada temporária para permanência de período superior a 3 meses; frequência de programas de estudo, intercâmbio de estudantes, estágio profissional não remunerado, voluntariado;
  8. Visto de estada temporária para trabalho sazonal por período superior a 90 dias (e máximo de 270 dias): envolve áreas de agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca; alojamento, restauração e similares; indústrias alimentares, das bebidas e tabacos; comércio por grosso e a retalho; construção; transportes terrestres;
  9. Frequência de curso em estabelecimento de ensino ou de formação profissional: para solicitantes que vão realizar um período de estudo em estabelecimento de ensino ou de formação profissional por um período inferior a 12 meses.

Visto SCHENGEN

Esse tipo de visto destina-se a requerentes não brasileiros, que vão a Portugal para turismo ou viagens de negócios. É aplicável apenas para uma lista específica de nacionalidades. Clique aqui para verificar nacionalidades cujo visto SCHENGEN será obrigatório para ingresso nas terras lusitanas.

Caso seu país não esteja na lista, você não precisará desse documento.

Visto D1

Um dos vistos mais conhecidos para estrangeiros que desejam trabalhar em Portugal é o Visto D1, para atividade profissional subordinada. Você pode tirá-lo ainda no Brasil e demora, em média, 90 dias para adquirir o parecer do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras. É destinado a pessoas que buscam estadia superior a um ano no país.

Os documentos solicitados para o D1 são:

  1. Contrato de trabalho, promessa de contrato ou manifestação de interesse da empresa contratante;
  2. Parecer do IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional): deve ser solicitado pela empresa que pretende fazer a contratação;
  3. Comprovante das habilitações acadêmicas e profissionais, junto ao currículo;
  4. Comprovante dos meios de subsistência durante o período de permanência ou cópia da última declaração de imposto de renda;
  5. Comprovante de alojamento (apresentação de comprovante de arrendamento de habitação feito pelo próprio requerente, carta-convite feita por um cidadão que resida legalmente em Portugal, dizendo que vai hospedar o requerente durante o tempo que for necessário ou comprovar o alojamento provisório por meio da reserva em hotel, por um período mínimo de uma semana);
  6. Seguro médico internacional de viagem válido pelo período em que estiver em Portugal. O seguro de saúde privado pode ser substituído pelo PB4, caso seja beneficiário do INSS (para isso, clique aqui). O PB4 é seguro de saúde gratuito do governo brasileiro firmado com Cabo Verde e Portugal;
  7. Atestado de antecedentes criminais: emitido pelo site da Polícia Federal do Brasil (www.dpf.gov.br);
  8. Duas fotos 3×4 coloridas e recentes;
  9. Passaporte: cópia simples das páginas de identificação e das folhas usadas. O documento deve ter validade superior a três meses;
  10. Autorização destinada ao SEF — Serviço de Estrangeiros e Fronteiras — para consultar o registro criminal português do requerente (clique aqui para obter o modelo);
  11. Declaração de ciência do fato de não dever viajar a Portugal sem o devido visto (clique aqui para obter o modelo);
  12. Declaração concordando em receber o passaporte pelo correio em sua residência (download aqui). Se desejar retirar o visto nos Vice-Consulados de Curitiba ou Porto Alegre, deve preencher a respectiva solicitação (clique aqui);
  13. Cópia simples da carteira de identidade: RG para brasileiros;
  14. Envelope (preferencialmente de plástico) para devolução de documentos com o endereço do requerente já preenchido no destinatário;
  15. Cópia do boleto bancário pago.

Se for casado(a), também será necessário enviar cópia simples da certidão de casamento. E, se tiver filhos, enviar cópias simples das certidões de nascimento.

Ao reunir todos os documentos listados acima, você pode preencher o Formulário de Pedido de Visto (clique aqui). Em seguida, receberá o formulário preenchido para imprimir, assinar, colar sua fotografia, reunir aos demais documentos e enviar via correio. Após o envio, você poderá acompanhar o status de sua análise por aqui.

Visto de trabalho independente/prestadores de serviço (D2), um dos possíveis para empregos em Portugal para brasileiros

Governo Português facilita a vida de quem deseja morar no país. Imagem: Pixabay

Existem empregos em Portugal para brasileiros em diversas áreas e com possibilidade de visto. Imagem: Pixabay

Os documentos que devem ser apostilados para solicitação do visto D2 e que diferem da lista acima são:

  • Declaração emitida pela ordem na qual for inscrito;
  • Comprovante de que o requerente está inscrito e apto ao exercício da profissão;
  • Contrato de arrendamento para o funcionamento do escritório ou consultório;
  • Declaração de início de atividade fiscal para o exercício da atividade independente ou contrato de prestação de serviços fornecido pelo empregador de Portugal, assinado por ambas as partes.

Visto de atividade profissional altamente qualificada (D3)

Atividades altamente qualificadas podem facilitar o visto e empregos em Portugal para brasileiros. Foto: ThisisEngineering RAEng/Unsplash

Tanto para a solicitação de visto de residência para atividade docente quanto para atividade cultural ou altamente qualificada, exercida por trabalhador subordinado, envolvem o apostilamento de:

  • Contrato de trabalho, promessa do contrato de trabalho ou bolsa de investigação científica, assinados por ambas as partes;
  • Carta redigida pela empresa explicando os motivos pelos quais a contratação do requerente de visto é fundamental para a empresa e que características o requerente apresenta que o tornam indispensável para o preenchimento da vaga de empregos em Portugal para brasileiros, em detrimento da contratação de qualquer outro trabalhador.

Onde enviar o requerimento de visto?

Após identificar o tipo de visto aplicável e estar munido de todos os documentos necessários, você deverá fazer a entrega de seu processo no centro de solicitações correspondente à sua jurisdição.

Deverão ser enviados: o formulário preenchido, junto ao passaporte válido, documentos aplicáveis, fotografias e recibos originais de pagamento bancário (Taxa de Visto, Taxa de Serviço, SMS e Courier) em um envelope lacrado.

Visto para Startups (StartUp Visa)

O StartUp Visa é válido desde o ano de 2018 e permite que cidadãos de fora da União Europeia ou que não tiveram residência regular recentemente em países do Espaço Schengen se candidatem para abrir uma startup em Portugal. Para participar, você deve seguir os passos:

  • Acessar o site do programa, que conta com a lista de incubadoras certificadas pelo IAPMEI (Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação), que estão disponíveis para abrigar e apoiar empreendedores estrangeiros na criação de startups;
  • Submeter sua candidatura na plataforma online do programa, sendo necessário atender alguns requisitos como:
  1. Demonstrar interesse em desenvolver um projeto empreendedor e/ou inovador em Portugal;
  2. Cópia do passaporte e, quando o cidadão tiver residência permanente ou de longa duração noutro país fora do espaço Schengen, cópia do documento de autorização de residência aplicável no respectivo país;
  3. Não ter antecedentes criminais;
  4. Ter mais de 18 anos de idade;
  5. Declaração bancária que demonstre a existência de meios financeiros próprios e de subsistência correspondentes a € 5.146,80 e que confirme a possibilidade de transferência desses fundos para uma instituição bancária que opere em Portugal.
  • Se sua inscrição for aceita, você será aprovado pela incubadora e receberá uma notificação no portal informando sobre isso.
  • Passar pela fase de autorização de residência em Portugal.

O projeto será avaliado conforme seu caráter inovador, potencial de crescimento, escalabilidade do negócio no mercado e perspectivas de fixação em Portugal.

Todo o processo de avaliação/aprovação é fiscalizado pela IAPMEI, que ainda garante nenhuma incubadora concentrar mais que 20 startups ao mesmo tempo.

Uma vez feito o pedido do StartUP Visa em Portugal, a decisão é disponibilizada no prazo máximo de 30 (trinta) dias úteis a partir da submissão.

Golden Visa

O visto para pessoas que desejam viver em Portugal com base em seus rendimentos ou investimentos financeiros é oficialmente chamado de Autorização de Residência para Atividade de Investimento (ARI), mas amplamente conhecido como “Golden Visa”.

Essa é uma possibilidade disponível desde 2012 para pessoas que desejam investir valores acima de 250 mil euros no setor imobiliário, realizar transferência de capitais no montante igual ou superior a 1 milhão de euros, gerar, pelo menos, 10 postos de trabalho no país, investir em produções artísticas ou investigação científica, fundos de investimento ou, mesmo, em uma sociedade comercial com sede em Portugal.

Um de seus grandes benefícios é que, ao manter o investimento por, pelo menos, cinco anos, você pode solicitar a nacionalidade portuguesa.

O governo português, no entanto, estabeleceu uma série de mudanças nas regras do programa, que valerá a partir de 1º de julho de 2021. Um dos pontos de mudança é que pedidos de Golden Visa só serão aceitos para pessoas que desejem investir no interior do país ou em regiões onde a taxa de moradores seja menor (baixa densidade).

Devido à pandemia, as alterações devem ser implementadas aos poucos até o ano de 2022, mas o que se sabe é que a participação será mais limitada. Portanto, se possível, busque se candidatar o quanto antes.

Tech Visa

Mais uma possibilidade de entrada em Portugal é por meio do Tech Visa, oferecido desde 2018, com o objetivo de suprir uma demanda de profissionais qualificados no setor tecnológico.

Entre os profissionais mais admitidos estão: designers, cientistas da computação, engenheiros de software, programadores, etc. Nesse caso, a própria empresa se candidata ao programa e, ao ser aprovada, poderá seguir para o processo de abertura de vagas e contratação. Por isso, a possibilidade de aplicação para esse tipo de visto apenas é possível com a oferta de emprego e qualificações necessárias.

Saiba mais no site da Agência para a Competitividade e Inovação (IAPMEI).

Lembramos que só existe a possibilidade de não precisar de visto quando o estrangeiro tem cidadania europeia, o que permite viver legalmente tanto em Portugal, quanto em qualquer país membro da União Europeia.

Quais são os empregos mais comuns para brasileiros?

Contabilidade, finanças, marketing, entre outras áreas, são as que mais buscam novos funcionários em Portugal. Foto: ​Mooshny | Dreamstime.com

Hoje, vivemos um tempo de muitas incertezas e uma alta nas taxas de desemprego. É uma situação que atingiu todos os países e Portugal também faz parte dessa lista. Em agosto de 2020, o país apresentou um crescimento de 8,1 % em falta de oportunidades de emprego, um valor alto em relação aos últimos anos. Por isso, o cenário não está favorável nem para portugueses, nem para estrangeiros.

De qualquer forma, existem algumas vagas de emprego que são mais conhecidas pela grande disponibilidade de brasileiros. São elas: Marketing, Recursos Humanos, Logística, Construção Civil e Finanças, Vendas, Tecnologia da Informação, Saúde e Estética. Apesar de muitas das oportunidades envolverem alta qualificação e serem preenchidas pelos nativos, que contam com ótimo nível de educação, os brasileiros também chamam a atenção por meio de sua experiência e qualificação técnica e acadêmica.

Ainda existem muitas vagas em áreas em que não há necessidade de formação no ensino superior, como auxiliar de cozinha, recepcionista, garçonete, etc. A remuneração, nestes casos, é de pelo menos um salário mínimo português.

Onde encontrar empregos para brasileiros em Portugal?

Além dos sites de emprego, você também pode utilizar plataformas como o LinkedIn, que possui diversas oportunidades disponíveis. Mas, lembre-se de manter seu perfil atualizado e completo, pois ele poderá ser avaliado por várias empresas, já que trata-se de uma ferramenta essencial em toda a Europa.

Algumas dicas importantes são:

  • Pensar bem na descrição do seu trabalho ideal na sua página,;
  • Conte sua história de forma criativa;
  • Seja ativo, criando conexões com outras pessoas e produzindo conteúdo;
  • Use palavras-chaves para que os recrutadores te encontrem (“Skills & Endorsements”)
  • Você também pode pedir recomendações do seu chefe anterior ou de pessoas que trabalharam com você.

Uma possibilidade, além do LinkedIn, é acompanhar grupos no Facebook, que estão disponíveis com a finalidade de compartilhar oportunidades de emprego e possíveis candidatos. Mas busque sempre ter cuidado com a segurança dos dados oferecidos, não só sobre a vaga, como da empresa recrutadora.

Lembramos que as áreas mais promissoras do mercado portugues, segundo pesquisa da Hays, de 2020, são: Engenharia (82%), Office Support (81%), Contabilidade e Finanças (80%) e Tecnologias de Informação e Turismo e Lazer (79%). Além da área de estética, que tem crescido muito, principalmente no número de brasileiros empregados, devido a sua alta qualificação nessa área.

É possível viajar para Portugal sem ter um trabalho?

O ideal é ir para Portugal com um contrato assinado ou pelo menos uma promessa de contratação, ainda mais no período que estamos vivendo. O processo seletivo português costuma ser mais demorado do que no Brasil e o mercado de trabalho português está passando por uma crise, o que dificulta mais ainda as possibilidades de conseguir um trabalho rapidamente.

Não queremos dizer que seja impossível. Muitas pessoas já conseguiram emprego, mesmo indo para Portugal sem essa certeza. É uma questão de avaliar o mercado de trabalho, a situação do país e também as suas possibilidades. Quanto mais você se preparar, melhor.

E lembre-se: Não deixe para pesquisar na hora, acreditando na boa sorte ou apenas em suas qualificações.

Sites de emprego em Portugal

Existe uma série de sites de emprego em Portugal, que podem te ajudar muito na sua busca. Entre eles estão:

Lembre-se também de que as indicações podem ser grandes aliadas no seu processo de busca por uma vaga de emprego. Por isso, as pessoas que você conhece e que moram em Portugal podem te auxiliar, tanto com informações, quanto como pontes em alguma empresa do seu segmento.

Como fazer um currículo válido para o mercado português?

O recrutador tem seis segundos aproximadamente para avaliar seu CV.© BiancoBlue | Dreamstime.com

Currículo no modelo europeu é essencial para conseguir empregos para brasileiros em Portugal. Foto: BiancoBlue | Dreamstime.com

O modelo mais utilizado e melhor avaliado nos processos seletivos é o da plataforma Europass. A indicação é não utilizar o formato de currículo brasileiro, pois não será bem recebido. Essa plataforma ajuda na hora de criar o currículo, assim como um resumo profissional por competência.

Profissionais da área de recrutamento de Portugal também podem te ajudar na hora de desenvolver seu documento.

Separamos algumas dicas para você:

  • Vá direto ao ponto, sem encher linguiça. Utilize palavras-chaves e seja conciso nas ideias.
  • Informe que está pensando em morar em Portugal por tempo indeterminado.
  • Cuidado com os erros de português;
  • Pesquise termos e nomenclaturas da sua profissão que podem ser diferentes;
  • Explique espaços vazios de tempo, como período em que atuou como freelancer, fez intercâmbio ou algo do tipo.
  • Trabalhos voluntários também são bem valorizados no currículo europeu e devem ser descritos;
  • Destaque suas conquistas como promoções em outros empregos, assim como destacar seus pontos positivos, valores e motivações.
  • Procure ser objetivo, claro e enfático.

Leia também: Como elaborar seu “currículo europeu”?

Carta de apresentação

A carta de apresentação é um documento que é adicionado como capa ao seu currículo e que serve para que o recrutador possa te conhecer melhor. Na Europa, essas cartas são essenciais e fazem a diferença nos processos seletivos.

Geralmente são compostas por dois ou três parágrafos, nos quais você deve se perguntar como pode se vender, de forma que realmente chame a atenção do recrutador. Estude a empresa para a qual está se candidatando e o contexto no qual ela está inserida. Dessa forma, você mostra que a conhece e de que forma pode contribuir.

Quais são os salários mínimo e médio em Portugal?

O salário mínimo de Portugal, em 2021, atingiu o valor de € 665, sendo pago 14 vezes ao ano, ao contrário do que acontece na maioria dos países. O salário médio é o dobro do salário mínimo, ou seja, € 1.330. Como essas definições envolvem grande parte dos trabalhadores, podemos concluir que boa parte da população recebe a remuneração mínima.

Se você deseja saber os valores médios para sua profissão, pode acessar o site Meusalário. E entenda que os custos de vida variam de acordo com a região de Portugal. Os locais mais afastados da região central costumam ser mais acessíveis.

Cada país da Europa determina seu salário mínimo de forma totalmente independente. Por isso, o valor de uma nação pode ser muito diferente da outra. Essa definição leva em conta questões como políticas internas, nivelamento do poder de compra, impostos e outros.

Experiência de brasileiros que trabalham em Portugal

Naian Nicholas

Naian Nicholas trabalha em Portugal na área de ‘due diligence’, um dos tipos de empregos para brasileiros em Portugal. Foto: acervo pessoal

Naian Nicholas é formado em Administração de Empresas, com habilitação em Marketing, e trabalha hoje em um banco francês na área de “due diligence” — um processo aprofundado de estudo, análise e avaliação de informações e documentos de diversos setores de uma empresa.

Ele foi para Portugal através da compra de cotas de uma empresa, mas sempre se interessou pelo mercado corporativo e seguiu esse desejo.

“Depois de um ano e oito meses, me desfiz das cotas e comecei a aplicar para vagas no meio corporativo e consegui a oportunidade no banco que trabalho hoje. Estou muito feliz, tenho aprendido muito, ganhado muita experiência, e como a língua oficial do banco é o inglês, eu não perdi a oportunidade de continuar praticando”.

“No caso da empresa que trabalho hoje, por ser francês, a gente considera que o banco também é um imigrante aqui dentro do país. Existe uma cultura coletiva, então não há discriminação. Mas, no geral percebo que brasileiros sim, tem dificuldades, mesmo que qualificados, para entrar em áreas corporativas, porque essas vagas são muito concorridas pelos próprios portugueses e eles possuem excelentes graduações. Então, realmente é muito difícil concorrer, mas uma área que vejo que está em alta é Tecnologia da Informação, porque existe uma carência de profissionais, já que a maioria das pessoas dessa área vão para outros países por conta dos salários serem melhores. Muitos brasileiros vêm para cá para trabalhar nessa área através do visto de trabalho altamente qualificado”.

Tiago Soares

Tiago Soares trabalha na companhia aérea portuguesa TAP Air. Foto: Acervo pessoal

“Chamo-me Tiago Soares, tenho 33 anos e, atualmente, trabalho no Contact Center da TAP Air Portugal, uma das companhias aéreas mais conhecidas da Europa.

Morei na Irlanda durante três anos. Como a maioria dos intercambistas, adoro viajar e uma dessas viagens foi para Portugal, em dezembro de 2018. Logo de início, já adorei o país, pois, come-se muito bem por preços absurdamente baixos e o clima é muito mais parecido com o Brasil.

Em 2019, voltei a visitar Lisboa e aproveitei o verão. As férias que eram para durar apenas um mês, acabaram se estendendo para dois meses e depois para três meses, e, de repente, já estava morando em Portugal e enviando os documentos para solicitar a autorização de residência.

A facilidade de obter os documentos no país e o valor cobrado pelas faculdades para os cursos de pós-graduação e mestrado foram os principais motivos que me fizeram ficar por aqui. O que eu acreditava que seria mais difícil, acabou acontecendo em questão de horas: achar um emprego.

Como tinha experiência com hotéis, bares e restaurantes, por ter trabalhado em Dublin, apliquei para as mesmas áreas ao chegar em Lisboa. E consegui o primeiro emprego em um dia.

Enviei CV para alguns hotéis, no dia seguinte fiz a entrevista e já assinei contrato. Meu primeiro emprego aqui foi no Ibis Hotel, como “Empregado de Mesa”, nome usado em Portugal para a profissão de Waiter/Garçom.

Após quase um ano nesta função, apliquei para outras vagas de emprego e hoje trabalho para a TAP.

Em geral, os empregos para quem acaba de chegar em Portugal são na área de Customer Service (atendimento ao público de padarias, bares e restaurantes), para cuidador de idosos em lares especializados ou mesmo para vendas no setor imobiliário e lojas em geral.

Uma das vantagens portuguesas é que não é necessário ter a Autorização de Residência para começar a trabalhar. Também penso que como falamos o mesmo idioma, é mais fácil ser contratado em Portugal do que em outros países que não falam português.

Vim para ficar um mês, e hoje penso em morar aqui por alguns anos, já que farei mestrado e verifiquei que é menos burocrático e muito mais barato comprar uma casa em Portugal do que na Irlanda.

Uma dica que dou para quem quer morar em Portugal é que tenha uma grande reserva financeira e que se planeja muito bem antes de embarcar. Pesquise quais são os documentos necessários e o tempo médio que demora para conseguir a residência por aqui.”

Fabiano Oliveira

Morando há dois anos em Lisboa, Fabiano trabalha no ramo da gastronomia, área comum entre os empregos para brasileiros em Portugal. Foto: Acervo pessoal

“Meu nome é Fabiano Oliveira, tenho 37 anos e sou formado em gastronomia pela faculdade IESB, no Distrito Federal. Moro em Lisboa há dois anos e trabalho, hoje, no ramo de comidas saudáveis, um projeto desenvolvido por mim no meio da pandemia. Me vi na necessidade de me alimentar melhor e levar às pessoas uma comida mais saudável, por isso criei essa iniciativa.

O que me trouxe a viver aqui foi justamente a questão do visto. Eu morava em Dublin, na Irlanda. Morei lá por três anos, com visto de estudante, e fui obrigado a sair do país por não ter passaporte europeu. Sair de lá, depois de começar a construir a minha vida, me acostumar com a língua e a diversas outras áreas, foi doloroso, mas, ao mesmo tempo, muito enriquecedor. Isso porque fui recebido em Portugal de braços abertos.

A princípio, fui morar em Viseu, onde meus pais vivem, mas por ser uma cidade pequena e mais calma, não era o que procurava no momento. Depois de um mês, resolvi mudar para Lisboa. Fui viver em um hostel por uma semana, no centro da cidade, e na primeira noite foi muito gratificante, porque pude conhecer algumas pessoas de diversos países, principalmente brasileiros que aqui já trabalhavam na mesma área que sou formado. Pra mim, foi uma facilidade maravilhosa achar um local para morar e arrumar trabalho. Tudo isso foi muito fácil, mas porque os brasileiros não desistem nunca. Não podemos desistir dos nossos sonhos. Se você é brasileiro, e quer vir morar em Portugal, vá em frente, lute pelos seus objetivos e sonhos. Nunca desista.

Aqui em Portugal, também atuei em algumas novelas e faço alguns trabalhos como modelo fotográfico. Continuarei vivendo aqui por tempo indeterminado, até porque estou desenvolvendo esse projeto de comidas saudáveis e que estou gostando muito de fazer.

A todos os brasileiros que querem vir para Portugal, venham quando for possível, façam um planejamento, se organizem, guardem o dinheiro que tiverem e façam tudo que for necessário para que possam construir o seu objetivo e realizar o seu sonho. Não sintam medo, não sintam vergonha, não se deixem abater.”

Veja também

Roteiro de Intercâmbio na Irlanda por quem o viveu

ALESSANDRA POSTALI,

jornalista, formada pela UNIMEP, é criadora de conteúdo e copywriter desde 2017 e ainda se aventura nas áreas de fotografia e vídeo, com a sua produtora A&M Filmes. Já passou por diferentes países como Itália, Espanha, Albânia e Angola, desenvolvendo projetos com organizações de transformação social. Ama viajar e capturar as nuances de diferentes culturas, usando a comunicação como ferramenta para contar suas histórias

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar