Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Cultura

Entenda quem foi São Patrício | St. Patrick’s Day

Ávany França postou em 17 mar 2017

Sai o paganismo Druida e entra a fé cristã, introduzida por São Patrício. Imagens: Reprodução

Sai o paganismo Druida e entra a fé cristã, introduzida por São Patrício. Imagens: Reprodução

Já imaginou andar pela calçadas de Dublin e dar de cara com um homenzinho com aspecto do Gandalf, do Senhor dos Anéis? Pois acredite, a Irlanda já esteve repleta de “Gandalfs” – e não apenas no aspecto físico, mas também com todo o aparato de mistério, bruxaria e poderes sobre a natureza, ou seja, uma aberração para a Santa Igreja Católica do século V. Foi aí que surgiu a figura de São Patrício, um jovem ex-escravo e sacerdote, incumbido de levar a doutrina Cristã para a Ilha Esmeralda.

E tenho que confessar, Patrício foi “O Cara”! Com muito jogo de cintura, paciência e um pezinho na bruxaria (pelo menos é o que contam muitas lendas irlandesas), ele bravamente mudou a crença do povo da época.

Reza a lenda que ele também botou para correr todas as serpentes da Ilha. Mas a verdade é que as serpentes foram usadas apenas como uma metáfora para que o povo daquela época (Druidas) compreendesse que os ritos pagãos e todas as coisas que a fé católica colocava como pecado deveriam ser banidos. Bom, funcionou. Não existe Irlandês que não acredite na história, além do que, até onde sei, nunca tivemos notícia de nenhuma cobra com cidadania irlandesa. :)

São Patrício foi um diplomata do seu tempo

Reprodução: YouTube

Reprodução: YouTube

Ao contrário do que acontecia no resto da Europa, onde a fé católica era imposta pelo Império Romano e muitas vezes com apelo de guerra, Patrício foi muito mais esperto. Ficou íntimo do que os Druidas acreditavam e, aos poucos, foi misturando elementos da fé cristã na cultura local. Quer um exemplo? O trevo! Quer elemento mais irlandês que esse?! Ou você acha que essa foi uma invenção do Patrício? Nada, o povo pagão na cultura Celta já acreditava no conceito da trindade, só que para eles a representação era de corpo, alma e mente.

O Santo apenas “adaptou” algo que já existia e passou a doutrinar os Druidas usando o trevo (Shamrocks) para explicar a Santíssima Trindade (Pai, Filho e Espírito Santo). Trino e Santo, pronto! Era o que o povo precisava para simpatizar com fé cristã.

Créditos: Pixabay.

Créditos: Pixabay.

Ai você deve estar se perguntando: OK, São Patrício foi um santo e tanto, saiu da condição de escravo fugido e se tornou a figura mais importante da Irlanda, embutindo o catolicismo numa sociedade 100% pagã. Mas o que tudo isso tem a ver com a farra que se comemora no seu dia? Não era para ser uma celebração religiosa? – Na verdade é!

Não é à toa que São Patrício também é venerado em outros países. Os irlandeses mantêm o costume de ir à missa para rezar pelos missionários de todo o mundo, porém, desde 461 d.C (pensa, só!) até os dias de hoje, muita coisa aconteceu nessa terra de vales verdes.

A tradicional St. Patrick’s Day Parade se popularizou por países como Estados Unidos, Canadá, Austrália e até Russia.

St. Patrick's Day Parade, em Dublin

St. Patrick’s Day Parade, em Dublin

Vamos aos fatos!

>Primeira coisa, o dia 17 de março é, na verdade, o dia em que São Patrício teria morrido – assim como os dados de seu nascimento, tudo é muito incerto. E como patrono da Irlanda, muitas coisas relacionadas à ele são ovacionadas pelos irlandeses: o trevo, o verde, além de março ser o período de se saudar a primavera que está chegando (ou seja, época de renovação em todos os sentidos). Todas essas simbologias acompanharam os nativos pelo mundo afora.

Aliás, já contamos aqui um pouco sobre um dos períodos mais difíceis da Irlanda, a The Great Irish Famine, quando os irlandeses abandonaram a ilha para fugir da fome que alastrava o país. Eles emigraram e carregaram consigo a fé cristã e todas as simbologias associadas ao São Patrício, inclusive a festa. A cada mês de março, no dia de São Patrício, era a oportunidade máxima de gritar aos quatro cantos o orgulho de ser irlandês. Imagine, você, o que isso representava!

Os irlandeses saíam às ruas vestidos de verde e celebrando o St. Patrick’s Day. A culinária, a música, a dança e, claro, a bebida, fechavam o pacote. E o detalhe: a alegria dos irlandeses era tanta que eles disseminaram a ideia de que no dia de São Patrício todos viram irlandeses. Daí, para virar carnaval, ou melhor, Parada, foi um pulo só. E assim chegamos à comemoração que conhecemos hoje.

Reprodução: Metro/Peter Muhly

Reprodução: Metro/Peter Muhly

No Canadá, Austrália e Estados Unidos, onde há muitos imigrantes irlandeses, o Dia de São Patrício é comemorado oficialmente com direito a decoração nas escolas e até os córregos e rios costumam ganhar o tom verde irlandês.

O resto do mundo também entrou na dança e, assim como acontece até mesmo aqui no Brasil, os pubs costumam organizar programação especial no mês de março em homenagem ao patrono irlandês.

E já que é para virar irlandês, que seja em grande estilo. Com muitas pints de Guinness, decorações de trevo, duendes… E não esqueça de usar algo na cor verde! Dizem que aquele que não seguir a tradição pode voltar para casa com algumas marcas de beliscão. Eu não pagarei para ver :)

Leitura recomendada

Para quem quer conhecer mais sobre St. Patrick e sobre a história irlandesa, duas recomendações de leitura:

A Short History of The Irish People
(Autores Mary Hayden, MA e George A. Moonan)

A Traveller’s History of Ireland
(Autor Peter Neville)

Happy St. Patrick’s Day! 🍀

Revisado por Tarcísio Junior
Imagens via Shutterstock
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Este artigo é de autoria de E-Dublin - Tudo para seu intercâmbio em Dublin e na Irlanda!

Sobre o Autor


Uma vida sem desafios não foi desenhada para essa baiana de Salvador. Jornalista por profissão, já passou por editorias de moda, gastronomia, história e turismo. Amante das viagens, coleciona mais de 50 destinos no passaporte. Quer saber mais? Corre porque até você terminar de ler esse perfil já terei alguma novidade.

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio

Recentes e populares

Cultura

Dez curiosidades sobre o Halloween

2 semanas atrás, por Colaborador E-Dublin
Dublin

9 curiosidades interessantes sobre Dublin

3 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Cultura

5 atividades para interagir com a cultura irlandesa

4 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Cultura

A literatura do escritor irlandês Oscar Wilde

6 meses atrás, por Thaiz Beltrão
Cultura

8 símbolos celtas para quem curte tatuagem

6 meses atrás, por Thaiz Beltrão
Cultura

Páscoa: tempo de renascimento e muito chocolate

6 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Festivais

Vem aí o Five Lamps Festival

7 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Eventos e Festivais

5 fantasias para curtir o St. Patrick’s Day

7 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Festivais

20 eventos para curtir o St. Patrick’s em Dublin

7 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Cultura

Comemore o Carnaval com panquecas

8 meses atrás, por Júlia Paniz
Cultura

5 símbolos irlandeses para você levar na mala

8 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Cultura

5 destinos para curtir o carnaval na Europa

8 meses atrás, por Ávany França
Papo de Chef

Beef & Guinness Stew: já provou?

8 meses atrás, por Lays Gomes
Cultura

Já ouviu falar no Livro de Kells?

9 meses atrás, por Ávany França
Irlanda

Você sabe qual é a origem do termo “knacker”?

9 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Cultura

Afinal, quem foi Molly Malone?

9 meses atrás, por Colaborador E-Dublin