Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Inglês

Especial de 6 meses! Inglês

postou em 06 out 2008

Bom amigos, este é o primeiro do Especial de 6 meses. Acho que faz todo sentido falarmos de inglês primeiro, pois quer sim quer não, é um aprendizado que faz parte do dia-a-dia de todos que vem para cá!

Antes de virmos para cá estavamos preocupados com o sotaque deles, e postamos até um vídeo do Collin Farrell (ator irlandês) para ter uma demonstração. Porém, descobrimos chegando aqui que o monstro não era tão grande quanto as pessoas falavam. Mas existem muitos e muitos sotaques diferentes aqui, o que é estranho para um país tão pequeno, e as vezes é realmente mais difícil entender pessoas de certas regiões. É uma briga se acostumar com TANTOS sotaques.

Nós demos sorte de conseguir morar com 2 irlandeses. Até agora 1 continua o mesmo, e já tivemos outros 3 colegas irlandeses por aqui. Todos eles com sotaques diferentes um do outro, nos ajudou bastante. Procurem fazer isso, procurem morar com estrangeiros, principalmente irlandeses.

Para estudar aqui, escolhemos a Grafton College e fechamos com a Gotolondon, vejam um pouco dos tramites.

Depois disso, quando já estávamos aqui, começamos a ver uma outra dificuldade, as gírias. Eles tem algumas coisas muito específicas por aqui, principalmente aquelas que tem a ver com Gaélico, ligua original da Irlanda antes do Reino Unido, como “What’s the Craic?” que significa a mesma coisa que “What’s up?”, ou “Waaaaazzzzzuup?” pra que assistiu o filme Todo Mundo em Panico (relembrem abaixo).

Outra coisa importante que eu nunca tinha dado bola, e percebi o quanto é importante, phrasel vers. Para aprender sobre eles aconselhamos um dicionário on-line muito bom. Eles sao realmente a maior dificuldade, pois muitas vezes eles nao tem nada a ver com o verbo original.

Quanto a escola, nas nossas Primeiras Impressões, já percebemos que a escola era desorganizada. Entretanto, depois de 1 mês de aula fizemos uma primeira avaliação, e naquele momento, a Grafton não parecia tão ruim. Demos nota 5,9 naquele momento, vejam aqui!

Nesses 6 meses de aulas, o Edu teve 8 professores diferentes (um absurdo) ele os avaliou. Ele avaliou o cheiro da escola também. Pelo meu lado, eu tive uma professora muito boa, e um professor gente fina, mas preguiçoso demais.

Recebemos nossa carta de férias no último dia de aula, sem nenhum problema.

Nos 6 meses aqui avaliamos também as escolas DBL e Abbey.

Também, falamos sobre as principais certificações de inglês para as quais você pode se preparar nos cursos aqui.

Avaliação pós 6 meses!

Antes de virmos para cá eu tinha feito curso no CNA e o Edu no CCAA. Chegamos aqui já com inglês avançado.

Acredito que a nossa principal evolução aqui seja a compreensão! Praticamente não temos problemas para entender conversas do dia-a-dia. Eu acho que eu evoluí bastante na escrita e também na pronúncia, elogiado inclusive pela Professora pela evolução.

Na questão de melhorar o inglês eu percebi algumas importantes pra mim, mas que divergem um pouco do que o Edu acredita (veja a opinião dele na avalição final da Grafton).

Quando eu tinha 14 a 18 anos, era muito mais fácil aprender. Era praticamente um processo osmótico, aprendia muito fácilmente, sem estudar, só indo as aulas. Hoje, com 23 já não é mais assim. Claro que se aprende muito no dia-a-dia e por “osmose” também, mas hoje acho imprescindível estudar para ter melhoras realmente sinificativas no inglês. Nos últimos 2 meses de curso estudei um pouco mais, e percebi que realmente fez diferença… até me arrependi de ter sido tão “vagal” no início.

Quando eu falo de estudar, não é abrir livro de gramática e se matar de estudar, são algumas coisas básicas:

– Vá as aulas, sempre que possível (quando não tiver que trabalhar, estiver doente, ou algo realmente impeditivo). Faça isso uma prioridade!
– Faça sua lição de casa, normalmente não toma mais de 30 minutos, e nem é todo dia
– Participe nas aulas! Não adianta ir com má vontade, e se está lá, PARTICIPE! Você só tem a ganhar
– Compre um livro (romance) em inglês, leia algumas páginas por dia e ou leia sempre bons jornais (Metro e Herald entregue na rua não são a melhor escolha normalmente no quesito inglês)
– Anote vocabulário e pontos gramaticais na aula, releia antes de dormir (antes de ler as páginas do livro que você comprou)
– FALE!

Conheço brasileiros que moram há 3 anos em países de língua inglesa, e até hoje não falam um inglês bom. Conheço estrangeiros (filipinos, poloneses, etc) que estão aqui há 5 anos e falam precariamente também, isso porque nunca estudaram! Se não acredita em milagre no aprendizado e não tem mais 15 anos ESTUDE!

Na próxima quinta-feira vamos falar das Festas e Baladas por aqui, não percam!

Sobre o Autor


Fundador e CEO do E-Dublin, Edu chegou na Irlanda em 2008, no ano pré-crise, pegou a nevasca de 2010 e comeu cérebro de cabra em Marrakesh. O Edu também é baterista da banda Irlandesa Medz.

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

Conte Sua Historia

Decidi enfrentar o intercâmbio quase aos 40

1 mês atrás, por Colaborador E-Dublin
Crônicas

Você é fluente em portunglês? 

4 meses atrás, por Lívia Alen
Idiomas

Cinco aplicativos para você aprender outro idioma

5 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Crônicas

Tombos e resistências de um intercâmbio 

7 meses atrás, por Colaborador E-Dublin