Chegou na Irlanda como estudante? Como solicitar o seu visto?
49 minutos de leitura

Chegou na Irlanda como estudante? Como solicitar o seu visto?

Ávany França

2 semanas atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Depois de toda preparação e expectativa, finalmente, chega o dia em que você desembarca no seu destino. E se achou que os preparativos para a viagem terminariam quando você saísse do Brasil,você está muito enganado!

Ao chegar na Irlanda o próximo passo é organizar documentação para o visto. Foto: Shutterstock

Ao chegar na Irlanda o próximo passo é organizar documentação para o visto. Foto: Shutterstock

Ainda há algumas etapas importantes a cumprir na chegada à Irlanda, antes de você receber o Irish Residence Permit — IRP e o tão sonhado visto de estudante (Stamp 2).

Chegando à Irlanda — Imigração no Aeroporto

Todo mundo tem um certo medo da imigração. A boa notícia é que esse não é um bicho de 7 cabeças, mas, quanto mais preparado você estiver, com todos os documentos que precisa comprovar, mais fácil será sua entrada no país.

Oficialmente, os documentos que você deverá apresentar no aeroporto são:

– Passaporte com validade mínima de seis meses. Lembrando que, de acordo com a nova regra de 2013, os países da Europa que estão no Tratado de Schengen — o que exclui a Irlanda — também exigem a validade mínima de três meses a partir da data de saída do país;

– Carta de confirmação da escola (Letter of Acceptance), comprovando que você pagou tudo certinho para estudar na Irlanda;

Seguro-saúde (Health Insurance);

– Passagem de volta para o Brasil: não é sempre que este documento é solicitado mas, de acordo com as regras, você precisa comprovar que vai voltar depois de 6 meses, mesmo que o visto tenha uma validade maior. O que a maior parte das pessoas faz é alterar posteriormente a data de volta da passagem com a companhia aérea. Muita gente sempre costuma voltar nesse período, mas alguns intercambistas gostam da experiência e resolvem ficar mais, renovando o visto ou arranjando um trabalho;

– Endereço na Irlanda, caso você vá ficar em residência estudantil, hostel, casa de família agenciada pela escola ou, até mesmo, uma carta convite do amigo em que você vá ficar hospedado na casa>;

– Três mil euros, que podem ser comprovados em dinheiro ou em extrato bancário.

Alguns oficiais são mais tranquilos e, em alguns casos, só é preciso mostrar a carta da escola e o passaporte. Porém, como toda situação implica riscos, é melhor prevenir do que remediar.

Lembre-se de que, na imigração, o ideal é ficar calmo, respondendo apenas às perguntas que lhe forem feitas. Se você tem algum conhecido no país e não fala inglês, uma boa dica é pedir uma carta para essa pessoa, contendo informações como número para contato, endereço e passaporte. Isso pode ajudar você a não entrar em desespero.

Dúvidas frequentes

Chegada na Imigração na Irlanda costuma ser tranquilo. Foto: Shutterstock

Chegada na Imigração na Irlanda costuma ser tranquilo. Foto: Shutterstock

Muitas pessoas questionam a possibilidade de ir para a Irlanda sem ter adquirido o curso, já que contatar a escola aqui pode ser mais barato.

Em relação ao preço, é muito relativo. Dependerá mais das promoções lançadas pelas escolas. Alguns estudantes já pagaram 100 euros de diferença no mesmo curso em questão de semanas, mesmo estando na Irlanda.

Sobre vir para cá com o visto de turista, é importante lembrar que, caso o seu carimbo no passaporte seja de turista, você não pode solicitar a troca para o visto de estudante posteriormente. Ou seja, para que isso seja feito, será necessário sair do país (mesmo que seja algum outro destino da União Europeia) para voltar e requerer novamente o visto de estudante, com todos os documentos em mãos.

Para algumas pessoas, isso pode valer a pena, mas tudo precisa ser muito bem planejado. No final das contas, o que parece ser mais barato pode sair bem mais caro e dar muitas dores de cabeça.

Também não é todo mundo que precisa comprovar os três mil euros logo na entrada, mas isso pode acontecer. Portanto, fica o aviso: caso você esteja trazendo seu dinheiro no cartão VTM, traga também o extrato impresso do dia do seu embarque para comprovar o valor.

Na imigração, o oficial vai carimbar seu passaporte com um visto temporário. Lembre-se de checar, pois, embora a maioria seja para três meses, há estudantes que recebem um mês ou até uma a duas semanas. Não há regra definida para isso.

Portanto, se esse for o seu caso, tome cuidado para agilizar tudo que precisa o quanto antes para tirar o visto de estudante e resolver toda a parte burocrática da chegada.

O melhor a fazer é contatar a escola ou alguém de confiança que possa mostrar como resolver tudo da forma mais fácil. Feito isso, você terá a prazerosa sensação de estar em solo verde pela primeira vez! Welcome!

A Carta da Escola

Chegando no país, precisa de apresentar a Acceptance letter: Cartinha mágica que apresentamos à emigração no momento de tirar o visto, que comprova que você está matriculado e que já quitou o curso. Ou seja, não é um caloteiro e está apto para tirar o visto.

É esta carta que abrirá as suas portas para viver na Irlanda, como estudante por 8 meses sem grandes preocupações.

Nela constará todas as informações do seu curso e dados da Escola.

Passagem de Ida e Volta

Para o visto de estudante, uma das seguranças que o governo exige é que você retorne ao seu país após o período de estudo e por isso, a passagem de ida e volta é um requisito importante ao apresentar-se na imigração.

 

 

Comprovação dos 3 mil euros

Antigamente, ao chegar na Irlanda você tinha que abrir uma conta bancária para depositar os três mil exigidos pela imigração. Para isso, a escola tinha que te apresentar a Bank letter.

O bank draft é uma forma de comprovação financeira e pode facilitar a sua vida. Crédito: RightFramePhotoVideo | Dreamstime.com

O bank draft é uma forma de comprovação financeira e pode facilitar a sua vida. Crédito: RightFramePhotoVideo | Dreamstime.com

Mas desde 2016, o Serviço de Imigração Irlandês (INIS), alterou a forma da  comprovação financeira de estudantes internacionais que se registram na Irlanda pela primeira vez.

Ao contrário do que vêm se especulando há muito tempo, o valor que os estudantes devem comprovar na conta bancária não foi aumentado. Na verdade, as mudanças anunciadas devem facilitar bastante a vida dos intercambistas brasileiros que estão para chegar por aqui.

Isso acontece porque, a partir de agora, abrir conta em um banco irlandês não será mais o único método aceito para comprovação financeira. Além dessa, as novas opções disponíveis são:

– Extrato de conta bancária estrangeira: Você pode trazer o extrato da sua conta no Brasil, desde que este tenha menos de um mês de emissão, além de um extrato anterior. Ambos devem estar acompanhados pelo cartão de débito vinculado à mesma conta bancária. Atenção: o titular da conta corrente deve ser o próprio estudante. Importante também atentar se o seu banco permite saques no exterior, para você poder utilizar o dinheiro;

– Extrato atual de cartão pré-pago (de débito ou crédito): O extrato deve comprovar que o cartão possui fundos suficientes, de acordo com o valor solicitado pela imigração;

– Comprovante de instituição irlandesa: Comprovação de que o montante que o estudante possui está seguro em uma instituição financeira irlandesa – por exemplo, através de um Bank Draft.

Quanto devo trazer?

Na Irlanda para visto de estudante, é necessária a comprovação de três mil euros. foto shutterstock

Na Irlanda para visto de estudante, é necessária a comprovação de três mil euros. foto shutterstock

Para estudantes matriculados em cursos com duração de seis a oito meses, nada mudou – ainda é necessária a comprovação de três mil euros, que deve ser feita de uma das maneiras mencionadas acima.

Para estudantes matriculados em cursos cujas aulas serão encerradas num período inferior a seis meses, estes devem comprovar que possuem 500 euros para cada um dos meses que ficarão no país. Ou seja, vai fazer um curso de quatro meses? Você não precisa trazer três mil, mas sim dois mil euros!

Nada mudou para os estudantes não europeus que permanecerão no país por um período inferior a 90 dias, já que nesse caso eles não precisam se registrar na imigração, permanecendo com o visto de turista. (Saiba mais sobre os tipos de visto na Irlanda)

Alunos beneficiados por bolsas de estudos devem apresentar uma carta da instituição, confirmando detalhadamente se as tarifas escolares e verbas destinadas ao custo de vida do estudante no país serão cobertas pela bolsa parcial ou integralmente.

Por que a mudança?

Como salvar dinheiro para o seu intercâmbio na Irlanda. Fonte: Sutterstock

Como salvar dinheiro para o seu intercâmbio na Irlanda. Fonte: Sutterstock

De um tempo para cá, dado a descoberta de muitas fraudes, o sistema bancário irlandês ficou muito mais restritivo e muitas vezes tem exigido, por exemplo, o número do PPS para a abertura da conta. O problema é que as regras para solicitar o PPS também mudaram, e os não europeus, como é o caso da maioria dos brasileiros na Ilha, só podem solicitá-lo caso tenham uma proposta de trabalho, o que não é o caso de pelo menos 80% dos recém-chegados. Por conta dessa exigência, muitos estudantes têm encontrado sérias dificuldades para abrir a conta e dar sequência no processo do visto (Stamp 2). Com o uso do Bank Draft, esse transtorno deixará de existir!

Vale reforçar que essa não é a única restrição criada pelos bancos irlandeses. Atualmente a alteração de endereço também está muito mais criteriosa.

Mas o que é o Bank Draft?

O bank draft é uma das formas de pagamento mais seguras no sistema bancário. Foto: Shutterstock

O bank draft é uma das formas de pagamento mais seguras no sistema bancário. Foto: Shutterstock

O bank draft é uma das formas de pagamento mais seguras no sistema bancário, além de ser muito utilizado em transações internacionais.

Fomos pesquisar em um dos bancos mais populares entre os brasileiros na Irlanda, o Bank of Ireland, e descobrimos algumas informações importantes:

•     O Bank of Ireland não realiza o bank draft online ou por telefone!
•     O banco também indica que o valor mínimo para a realização do bank draft é de 500 euros – item que não é um problema no caso dos estudantes!
•     Alguns bancos não realizam o bank draft para não clientes – o Bank of Ireland não deixa isso claro, apenas recomenda que a pessoa dirija-se a uma das unidades e solicite ajuda de um atendente.

O Inis também enfatiza que:

•     O comprovante do bank draft deve ser original, nunca uma cópia;
•     
Deve conter o nome completo do estudante;
•     
Deve exibir o valor mínimo de 3 mil euros.

Se você optar pelo Bank Draft como comprovação financeira, vale sempre solicitar ajuda na sua escola. Por outro lado, é bem provável, por exemplo, que para facilitar ainda mais a vida dos estudantes, o valor dos 3 mil euros para comprovação de renda seja futuramente incorporado no momento que o aluno for pagar o pacote de intercâmbio, e o bank draft fique a cargo da própria escola/agência (algumas delas já possuem convênios com bancos), mas, a princípio, isso é apenas uma especulação. Logo logo, com o andar da carruagem, voltaremos a falar sobre esse assunto e esclarecer essas questões.

Por enquanto é isso! O valor de três mil para comprovação de renda continua o mesmo, mas para comprová-lo, a partir de agora o estudante também terá a opção de realizá-lo com um bank draft.

*Lembrando que a comprovação através de uma conta bancária, como acontece hoje em dia, também continua valendo normalmente.

Se você quiser aproveitar a oportunidade, já ir praticando o inglês e entender melhor sobre o bank draft, acesse: What is a Bank Draft?

Também não deixe de visitar o site do Inis.gov.ie, para ficar atualizado de tudo referente à imigração na Irlanda.

Como abrir a conta na Irlanda?

Abrir conta na Irlanda como estudante é um processo muito simples. Shutterstock

Abrir conta na Irlanda como estudante é um processo muito simples. Shutterstock

Normalmente, o requerente precisa de dois documentos para abrir uma conta em bancos da Irlanda: ID (passaporte) e comprovante de residência (conta de luz, gás, etc). Se você tem cidadania europeia, muito provavelmente serão apenas esses os requisitos para abrir uma conta.

Mas para a maioria dos estudantes isso pode ser um pouco mais complicado. A principal exigência do banco, nesse caso, é saber se você tem permissão para residir na Irlanda e se possui residência fixa. Para estudantes com passaporte brasileiro, portanto, é preciso do passaporte, cartão do IRP (Irish Residence Permit), o antigo GNIB, além de um comprovante de residência.

Antigamente os bancos aceitavam cartas de agências ou escolas de inglês para comprovar residência. Mas isso não está mais acontecendo. Para intercambistas, eles só aceitam a carta que você recebeu do IRP ou do Revenue, onde consta seu endereço.

Se você arrumar um emprego, a própria empresa pode fornecer uma carta para abertura de conta, afinal, você só receberá o seu salário se tiver uma conta corrente irlandesa. Basicamente ela atesta que você é funcionário da empresa, com o número no Revenue e seu endereço.

O sistema bancário irlandês passou por algumas mudanças para aumentar a segurança e evitar fraudes – e isso vale para todos, incluindo os próprios irlandeses. Esses e outros fatores acabaram por implicar na vida dos estudantes internacionais.

Ivan Silvestrin, 33 anos, conta que demorou um pouco para correr atrás do visto e foi pego pelas alterações no meio do processo. Para evitar problemas, pois o prazo para emissão do visto estava expirando e ele não conseguiu abrir uma conta no Bank of Ireland, optou por fazer o Bank Draft. “Agora vou ficar com os cheques em casa até conseguir um emprego e, assim, a oportunidade de tentar novamente abrir a conta bancária”.

Passo a passo para abrir uma conta na Irlanda:

  • Converse com sua escola para saber se existe convênio com algum banco específico
  • Agende um horário para abertura de conta em uma agência bancária
  • No dia marcado, tenha em mãos os seguintes documentos:
  • Passaporte
  • IRP (Irish Residence Permit)
  • Carta do IRP ou Revenue
  • Ou carta da empresa onde você trabalha

Como escolher um banco?

AIB, Bank of Ireland e Ulter Bank são os bancos mais conhecidos da ilha. Foto: Pxhere

AIB, Bank of Ireland e Ulter Bank são os bancos mais conhecidos da ilha. Foto: Pxhere

Se nem sua escola ou sua agência possui convênio com um banco específico, você vai precisar descobrir qual é o melhor banco para suas exigências. É importante lembrar que intercambistas de escolas de inglês podem abrir uma conta corrente normal (Personal Bank Account). A conta de estudante (student account), que geralmente oferecem menos taxas, é voltada para universitários.

Abrindo uma conta, você receberá uma carta com a senha do seu cartão em poucos dias. Na sequência, seu cartão chegará na sua residência. Você estará apto a utilizar o cartão em menos de duas semanas.

A opção do cheque/Bank Draft e seus problemas

Se levar dinheiro em especie precisa ir ao correio irlandês e fazer uma espécie de cheque, chamado Bank Draft. Foto: Shutterstock

Se levar dinheiro em especie precisa ir ao correio irlandês e fazer uma espécie de cheque, chamado Bank Draft. Foto: Shutterstock

A pessoa que trouxe o dinheiro em cédula precisa ir ao correio irlandês e fazer uma espécie de cheque, chamado Bank Draft. Cada uma das folhas custa 3,7 euros e o valor máximo para cada unidade é 650 euros. Sendo assim, para garantir os três mil exigidos pela imigração aos estudantes que vão passar 8 meses, serão necessários quatro cheques de 650 euros e um de 400 euros, o que gera uma despesa extra de 18,50 euros. Ou seja, um investimento que o estudante não tinha planejado!

Depois de conseguir o visto, os cheques são guardados em casa e descontados à medida que o estudante quiser. Precisou de dinheiro? Dirija-se ao correio com passaporte e o cheque em mãos e resgate a importância desejada. Aí vem a primeira dúvida: Mas eu não quero sacar os 650 euros de uma vez, como fica? Posso sacar valores inferiores? Ou terei que pagar por outro cheque com o valor do montante atualizado? Ainda não conseguimos essas respostas.

Infelizmente os problemas não param por aí. E se o estudante perder um desses cheques? Caso haja perda ou roubo dos Bank Drafts, o estudante precisa procurar o correio irlandês imediatamente, registar a ocorrência e esperar uma espécie de investigação, que pode demorar cerca de 6 meses. Desta forma, há o risco de acabar o intercâmbio e ele não recuperar o dinheiro.

Então, apesar do inconveniente dos 18,50 euros de custo, se você optar pelo Bank Draft, mantenha esses cheques a sete chaves, para evitar transtornos maiores no caso de qualquer eventualidade.

Remessa Internacional

Estudantes não europeus precisam comprovar três mil euros na Irlanda.Foto: Shutterstock

Estudantes não europeus precisam comprovar três mil euros na Irlanda.Foto: Shutterstock

Outro serviço adotado por algumas agências para facilitar e garantir a segurança do transporte dos três mil euros é o trâmite via remessa internacional, que estava funcionando muito bem. O serviço, oferecido ainda do Brasil, é como uma espécie de casa de câmbio virtual, em que o intercambista deposita os valores em reais na conta da agência contratada no Brasil e a conversão em euros é realizada. Uma vez aberta a conta bancária pelo estudante na Irlanda, o valor é automaticamente transferido. Ao final do processo, basta o estudante tirar um extrato e levar ao escritório da imigração para comprovar a renda e conseguir o visto.

No entanto, a dificuldade enfrentada por alguns estudantes para a abertura da conta bancária na Irlanda acabou prejudicando essa facilidade. Sem conta aberta, as agências não conseguem efetuar a transferência para os estudantes e estudam formas de contornar a situação.

Uma das estudantes que está passando por esse contratempo é Marília Carraro, de 23 anos. Recém-chegada à Irlanda, ela foi pega de surpresa pela mudança, pois não conseguiu abrir uma conta. “Estou há quase um mês na Irlanda e ainda não posso utilizar os 3 mil euros, já que o valor deve ficar guardado para eu comprovar a renda para a imigração. O dinheiro que trouxe em cédulas usei para pagar o aluguel e os gastos diários, como alimentação e transporte”.

Relembrando que, no momento, o problema está ocorrendo apenas com o Bank of Ireland, que está se negando a abrir novas contas. Para os estudantes que trabalharão com o banco AIB, por exemplo, a abertura ainda pode ser feita e a remessa para esses alunos não foi afetada.

Programe-se ainda do Brasil

Antes de sair do Brasil, o estudante deve ficar atento às opções de comprovação de renda e se preparar para evitar problemas. Entre as alternativas atuais, as mais utilizadas são:

» Um extrato bancário recente, comprovando a origem do dinheiro. É preferencial que o valor esteja na conta do aluno e a imigração está exigindo também a apresentação do cartão do banco brasileiro.

» Colocar todo o valor no VTM (cartão pré-pago) e retirar o extrato para comprovar que o valor está depositado – O extrato deve ser atualizado, então deixe para imprimi-lo dias antes do seu embarque.

» Trazer o valor em espécie e ir ao correio para transformá-los nos Bank Drafts, que poderão ser apresentados à imigração.

Como as mudanças são recentes, continue acompanhando o E-Dublin para todas as novidades em relação ao andamento das novas regras e também sobre como estará a situação dos estudantes nessas próximas semanas.

Também recomendamos sempre consultar sua agência ou sua escola, para que possam lhe informar a melhor opção para o seu caso.

Teoria vs Prática

Fomos verificar tanto com algumas escolas quanto com os intercambistas recém-chegados se a flexibilização tem realmente agilizado o processo.

O que dizem as escolas?

De acordo com duas instituições de ensino* que entrevistamos, para emitir o bank draft os bancos têm exigido que os estudantes abram primeiramente uma conta bancária, o que inutiliza a opção proposta pelas autoridades irlandesas.

As escolas, que inicialmente receberam a notícia de forma positiva e estavam prontas para auxiliar os estudantes nesse processo, acabaram de mãos atadas, já que sem a abertura da conta o bank draft não poderia ser realizado em nome do estudante.

O que dizem os estudantes?

Para a nossa surpresa, alguns estudantes ainda desconhecem essa segunda opção disponibilizada pelo governo.

Fabrício de Souza Barros

Fabrício Barros preferiu utilizar o método tradicional. Foto Arquivo Pessoal

Esse foi o caso do carioca Fabrício de Souza Barros, de 34 anos. Ele, que desembarcou na Irlanda no final de maio/2016 e utilizou o método de comprovação de renda tradicional, diz aprovar o intento das autoridades irlandesas. “Não sabia nada acerca do bank draft até antes da minha viagem. Pesquisei um pouco sobre isso e acho que, se ajustada, a flexibilização pode ser super positiva, já que pode encurtar o processo e evitar atrasos na emissão do GNIB”.

Viviane Wissocosky

Viviane Wissocosky acredita que com mais informação a opção pode ser útil. Arquivo Pessoal

Viviane Wissocosky, de 36 anos e recém-chegada em solo irlandês, também percebe positivamente a iniciativa proposta pela imigração, ainda que algumas falhas devam ser corrigidas. Na opinião da intercambista, qualquer alternativa que venha facilitar a vida dos estudantes é bem-vinda. Viviane optou por realizar a comprovação dos euros a partir do extrato bancário, por imaginar “ser preciso um conhecimento mais apurado dos processos e regras antes de decidir-se pelo bank draft”.

Thayane Rodrigues

Thayane Rodrigues desconhecia a opção. Arquivo Pessoal

A bibliotecária Thayane Rodrigues, 25 anos, é mais uma que declara não ter utilizado o bank draft para demonstrar reserva financeira à imigração. “Não o fiz, na verdade, por desconhecer a opção”, admite.

Também procuramos alguns bancos para elucidar o tema, mas até o fechamento dessa matéria não obtivemos resposta.

O que concluímos até agora?

A possibilidade de comprovar renda via bank draft existe, porém parece que falta sincronismo entre a intenção do governo e a aplicação do método junto às redes bancárias. No final das contas, a tentativa da imigração de driblar a morosidade dos bancos acabou na já conhecida burocracia. É importante estar sempre atento às novidades, pesquisar e verificar as opções disponíveis para esses processos. Nunca deixe as coisas para a última hora, assim você terá tempo de sobra caso aconteça algum imprevisto.

*As instituições de ensino entrevistadas nessa matéria tiveram seus nomes preservados a pedido das mesmas. Sugerimos que os estudantes recém-chegados ao país sempre consultem a instituição escolhida para um melhor auxílio sobre o processo de obtenção de visto.

O Seguro Saúde e o Seguro Governamental

O seguro governamental, que custa 150 euros, pode ser adquirido com as agências de intercâmbio ou, no caso da compra sem agência, diretamente na escola que oferece o curso. Ele só é válido em território irlandês e serve apenas para cobrir emergências.

Seguro Saúde Governamental é obrigatório para o intercâmbio na Irlanda. Foto: Shutterstock

Seguro Saúde Governamental é obrigatório para o intercâmbio na Irlanda. Foto: Shutterstock

Mas afinal, o seguro governamental dá direito a quê?

Com ele, é possível ter acesso ao atendimento público de saúde — que, na verdade, não é tão público assim. No caso de consultas médicas, é preciso pagar pelo serviço para ser atendido por um clínico geral que, depois, encaminhará você para algum especialista. Cada uma dessas consultas custa mais de 50 euros.

Apesar de ser obrigatório, o seguro governamental é limitado, pois cobre apenas casos mais graves, como morte ou perda de algum membro. O que ele faz é encaminhar o paciente ao atendimento e só, o que pode resultar em uma conta maior do que você imagina.

Ou seja, pagamos para ter acesso, mas isso não garante gratuidade. Por isso, falaremos também de duas opções extras que podem ajudar muito no caso de algum problema de saúde, seja ele pequeno ou não: o Seguro ou Assistência Viagem e o plano de saúde na Irlanda.

Em 2011, no caso de visto de estudante, o governo passou a aceitar também qualquer plano de saúde privado, desde que a sede da empresa fornecedora do serviço esteja situada na Irlanda.

Esse plano precisa possuir cobertura de 25 mil euros em casos de acidentes e doenças durante o período de validade do visto e dar cobertura ilimitada em caso de internação hospitalar.

Para quem possui uma doença preexistente ou precisa de atendimento médico com certa frequência, o ideal é adquirir uma das opções abaixo:

Seguro ou Assistência Viagem

Essa modalidade de seguro, em geral, é oferecida pelas agências para quem está viajando para fora do Brasil, mas o seguro também pode ser adquirido diretamente com as empresas fornecedoras do serviço.

Viajando a turismo? Vale lembrar que os cidadãos brasileiros não precisam de visto prévio para entrar nos países do bloco europeu que façam parte do Espaço Schengen, mas que essa permissão é para estadias curtas de, no máximo, 90 dias (visto de turismo).

Todavia, os cidadãos que entrarem nessas condições também deverão ter contratado um seguro viagem que tenha cobertura de, no mínimo, 30 mil euros, assim como deverão cumprir outros requisitos, como ter passaporte válido por pelo menos três meses após o término da viagem. A Irlanda não faz parte do tratado, mas mesmo assim, é preciso ter o seguro privado.

Portanto, se você está indo para a Irlanda e pensa em conhecer outros países, é importante ponderar isso na hora de fechar o seu pacote. A partir do momento em que você possui o visto irlandês, essa exigência não será mais cobrada. Mas, antes disso, se você pretende viajar, é preciso ficar de olho.

O pacote pode ser fechado ainda no Brasil, e é possível escolher o tipo de cobertura. Quanto mais abrangente, mais caro. É importante observar que esses tipos de seguros cobrem desde problemas com saúde, emergência até extravio de bagagem.

Os preços de cada seguro podem variar, mas os mais baratos estão custando cerca de R$ 2 mil para o período completo do intercâmbio (8 meses). Entre as empresas que oferecem o serviço estão Assist-Card, GTA, Cori, Intermac Assistance, entre outras. O melhor é fazer um levantamento de todas e avaliar qual possui o melhor “custo-benefício” para você.

Ninguém gosta de pensar que vai ficar doente ou ter algum problema de saúde, mas é sempre melhor prevenir do que precisar pagar muito mais caro por isso ou se prejudicando.

Seguro privado

O seguro saúde é fundamental no Intercâmbio na Irlanda. Foto: Shutterstock

O seguro saúde é fundamental no Intercâmbio na Irlanda. Foto: Shutterstock

Esse seguro funciona de forma similar aos convênios de saúde que temos no Brasil. Aqui na Irlanda, é possível adquirir um desses seguros, que pode valer para o visto de estudante, desde que a empresa esteja estabelecida em território irlandês.

Ou, então, quem não está certo de adquirir o seguro antes de chegar aqui, também pode comprar o governamental e avaliar, depois, se é vantajoso ou não adquirir o privado na Irlanda.

Alguns exemplos são Vhi, Laya Healthcare, Hibernian Aviva e Plano de Saúde HSF. Nesses casos, o convênio médico oferece consultas em casa, exames, internação, etc. Tudo vai depender da cobertura e do valor pago pelo seguro.

Existem planos apenas para uma pessoa, casais ou família. Os mais básicos (para apenas uma pessoa) iniciam a partir de 40 euros por mês, com a possibilidade de plano anual, mas podem chegar a mais de 100 euros por mês.

Assim como o seguro viagem, é preciso pesquisar e avaliar qual será o melhor para você.

Cada plano tem uma cobertura diferente, exatamente como no Brasil. Então, o ideal é entrar em contato com as empresas para ter certeza antes de contratar o seguro.

Vantagens

Já sabemos que viajar apenas com o seguro governamental não é problema algum. Contudo, seja para se prevenir, seja para aqueles que possuem problemas de saúde que exijam acompanhamento médico, o melhor é adquirir um seguro-saúde extra.

Para pessoas que já tenham algum quadro preexistente ou doença crônica, o melhor é avaliar qual seguro privado se encaixa dentro das suas necessidades.

Em caso de acompanhamento médico, o seguro extra pode ser um grande aliado no exterior, até porque os médicos podem receitar remédios que não são autorizados para venda sem prescrição.

Preparações obrigatórias para um intercâmbio na Irlanda

Seguro Governamental na Irlanda Foto: Freepik

Seguro Governamental na Irlanda Foto: Freepik

Para fazer um intercâmbio na Irlanda por um período máximo de três meses, você vai precisar:

– Passaporte com validade de pelo menos seis meses após a data de retorno;
– Documento de acomodação (se for ficar na casa de um amigo, pode ser carta convite);
– Ter um seguro de saúde particular;
– Passagem de volta ao Brasil;
– Comprovação de que você tem como se sustentar (pode estar declarado na carta convite);
– Se for fazer um curso de curta duração, documento de matrícula.

Para estudantes que ficarão por pelo menos oito meses (período base do visto Stamp 2), são necessários os seguintes documentos:

– Passaporte com validade de pelo menos seis meses após a data de retorno;
– Documento de matrícula da escola;
– Documento de acomodação de pelo menos uma semana;
– Ter o seguro governamental;
– Passagem de volta ao Brasil;
– três euros para comprovação financeira.

Aqui vamos dar prioridade para o seguro governamental, mas já temos alguns posts que explicam melhor sobre a documentação para fazer intercâmbio em Dublin.

O comprovante de residência

A corrida pela residência fixa em Dublin

Se você pensa que só chegar na Irlanda é difícil, você ainda não viu nada! Arrumar acomodação fixa, no início do ano acadêmico, por exemplo – que ocorre de setembro a outubro – não é tarefa para os fracos.

Os desafios de arrumar uma casa para morar. Foto: Shutterstock

Os desafios de arrumar uma casa para morar. Foto: Shutterstock

Eu, por exemplo, cheguei achando que seria eu que escolheria a acomodação que melhor se aproximasse das minhas necessidades, mas logo nas primeiras visitas percebi que não é bem assim que a banda toca, e que procurar uma casa em Dublin parece mais uma entrevista de emprego, pois quem escolhe, na verdade, não é você! Também percebi logo de cara, que nesse processo, não é só a idade que pesa, mas também como você se apresenta.

Mas posso dizer que tive sorte, pois consegui minha acomodação no último dia da minha residência temporária. Nem acreditei quando depois de 10ª entrevista recebi a mensagem dizendo que havia sido aprovado para aquela casa! Conheci várias pessoas que levaram semanas e até meses para encontrar a tão sonhada residência fixa.

Coisas que acontecem…

Uma colega de classe, após passar dias sendo entrevistada, foi aprovada para dividir quarto com mais duas meninas, mas ao chegar na casa com suas malas, viu que a escolha não tinha sido uma das melhores. No quarto destinado apenas para meninas, uma de suas novas flatmates estava dormindo com o “namorado”. Isso não fazia parte de seus planos e a mesma resolveu voltar para sua vaga temporária.

Outro caso foi de um rapaz que chegou na Irlanda cheio de expectativas para passar o período de seis meses, mas após ter visitado várias casas, passado por várias entrevistas e ter morado em várias vagas temporárias (aqui quando alguém viaja, aluga sua cama para cobrir as despesas do mês, ou seja, uma vaga temporária), sucumbiu à frustração e decidiu voltar ao Brasil.

Esse é um caso dos mais extremos que eu presenciei, mas ficar de galho em galho não é uma situação confortável, principalmente em um país distante. Sem falar que nessa brincadeira gasta-se muito mais, e aqueles três mil euros que parecem uma fortuna se dissolvem sem você ao menos perceber.

A realidade é dura…

Recomendo fugir desses meses caóticos para conseguir uma moradia. Foto: Shutterstock

Recomendo fugir desses meses caóticos para conseguir uma moradia. Foto: Shutterstock

Dada a minha experiência, recomendo fugir desses meses caóticos (set/out). Além dos brasileiros, muitos outros estudantes chegam à Ilha para estudar e fica realmente complicado encontrar o lar doce lar.

Começar a procurar logo nos primeiros dias também é super recomendado, pois nunca se sabe se você demorará alguns poucos dias ou semanas para encontrar o novo lar.

Fórmula certa? Desculpe amigo, não existe. Seja você mesmo e prepare-se para bater perna e receber muitos nãos nas “entrevistas”!

Pesquise, e muito. Infelizmente a questão de habitação na Irlanda tem sido um problema nos últimos anos e, com isso, é fácil encontrar casas repletas de gente ou em condições não muito ideais. Por isso, estar preparado para bater muita perna é importante.

Não achei que o fato de estar com quase 40 anos implicou nesse processo de busca por casa. Penso que seja aqui na Irlanda ou no Brasil, a estratégia será sempre a mesma: buscar por afinidades. A idade é apenas um fator entre muitos.Não esqueça do boca a boca! Comunique a sua busca aos colegas de sala, parceiros de pubs, amigos de amigos, etc. Nessa hora da acomodação evitar os brasileiros é um erro, pois geralmente serão eles que irão te indicar a uma boa vaga. Acredite em você e tenha perseverança que a vaga vai aparecer, afinal de contas todos estamos remando na mesma direção.

Minhas dicas?

Considere seus limites! Se você é uma pessoa mega organizada, aceitar aquela vaga de quarto com mais dois pode ser um forte indicativo de problemas. Se você tem restrições com determinadas idades, não adianta aceitar aquela vaga com uma turminha muito jovem, pois as chances de conflitos serão grandes.

Lembre-se: ter um lugar agradável para viver durante esse período tão importante longe de casa é algo fundamental, então não se desespere aceitando qualquer lugar, pois pior que não encontrar uma residência fixa é ter que se mudar dela depois de alguns dias.

Chegue com a mente e o coração abertos. O intercâmbio tem tempo de começar e terminar, então encare esse processo de dividir casa como uma coisa pontual e algo que te ajudará a melhorar como pessoa no quesito tolerância e na convivência com o outro.

Como agendar seu visto na imigração?

Como tirar o Irish Residence Permit em Dublin?

Muita coisa tem mudado no processo de aquisição de visto de estudante na Irlanda, e uma delas foi o sistema criado pelo governo para minimizar as longas filas na frente na imigração em Dublin. E é sobre essa mudança que vamos contar hoje.

Mas, antes de contar sobre o sistema de agendamento em Dublin, vale um lembrete! Desde Dezembro de 2017, o antigo GNIB mudou de nome e de cara. Ele agora se chama Irish Residence Permit (IRP)e de acordo com o INIS, órgão de imigração irlandês, o objetivo da mudança é alinhar o registro e identificação dos imigrantes da Irlanda de acordo com os padrões já utilizados por outros países da União Europeia.

Após muitos meses de filas intermináveis, muita reclamação e demanda crescente, finalmente entra no ar o sistema online de agendamento para solicitação de visto em Dublin. E isso vale para qualquer cidadão não europeu que escolheu a capital irlandesa como novo endereço, e que tenha intenções de permanecer no país por um período superior a 90 dias. Seja como estudante de línguas, cursos universitários, com propósito de trabalho ou para as demais categorias de visto dedicadas a não europeus.

Como funcionará a partir de agora? Vamos ao passo a passo!

Todo estudante não europeu que pretende permanecer no país para um período de estudos superior a 90 dias, terá 30 dias, desde a chegada no país, para solicitar o visto de estudante Stamp 2. Para isso, o primeiro passo é agilizar a documentação necessária assim que você pisar em solo verde.

Passo 1: Providenciar a documentação para a solicitação do IRP e do Visto de estudante

O passaporte tem de ter validade de  ao menos seis meses após data de saída da Irlanda. Crédito: © Diego Grandi Dreamstime

O passaporte tem de ter validade de  ao menos seis meses após data de saída da Irlanda. Crédito: © Diego Grandi Dreamstime

Para um estudante de línguas matriculado em um curso de 25 semanas, os documentos necessários são:

» Passaporte válido

» Carta da Escola (curso fulltime,  em horário diurno -entre 9h e 17h- e duração semanal mínima de 15h)

» Comprovação dos três mil euros

» Comprovação do Seguro Saúde Governamental/ seguro privado

» 300 euros – valor pago por meio de cartão de débito/crédito no ato da emissão do IRP

Obs: Vale lembrar que com as mudanças anteriores, a carta da escola também precisa apresentar o seguro de proteção ao estudante, que garante que, em caso de problemas na instituição de ensino, você será relocado para outra instituição equivalente.

Passo 2 : Hora de testar o novo sistema de marcação ONLINE

Acesse o link: burghquayregistrationoffice.inis.gov.ie

Duas informações importantes!  Primeiro, o sistema de marcação online é válido apenas para a Imigração em Dublin: Burgh Quay Registration Office.

Segundo, antes de solicitar o agendamento, tenha em mãos o Passaporte, o seu endereço de e-mail e o IRP, se for uma renovação.

•  Se essa for a sua primeira vez no sistema, clique na primeira opção: MAKE APPOINTMENT. Como indicado na figura abaixo, você também poderá posteriormente checar e até cancelar o seu agendamento, escolhendo uma das demais opções.

66

Na janela seguinte preencha os dados de acordo ao visto solicitado. Neste caso, o English Language Course (para estudantes de língua).

CATEGORY: Nesse caso vamos clicar na opção STUDY

0

SUB CATEGORY: Para escolher o tipo de curso que você frequentará

sistemaonline1

“I have a GNIB card or I have been registered before”: Escolha a opção NÃO caso esta seja a sua primeira solicitação do GNIB.

gnib

Confirme que você está ciente das condições necessárias para o visto

22

O próximo passo é preencher o formulário com seus dados pessoais e clicar em: LOOK FOR APPOINTMENT.

Escolha a data do seu agendamento. Você pode solicitar ao sistema o agendamento para a data mais próxima ou indicar uma data específica.

Uma vez escolhida a data, o sistema vai gerar a confirmação do agendamento, como segue abaixo.

44

Vale ler atentamente as instruções no agendamento para evitar transtornos no dia indicado

» Não esqueça de imprimir e levar o comprovante de agendamento no dia marcado;
» Chegue com 10 minutos de antecedência do seu agendamento. O objetivo do sistema é justamente evitar aglomerações;
» Teoricamente, você será atendido exatamente no horário do seu agendamento, porém o documento indica que em momentos de pico podem acontecer atrasos.
» Preencha com cuidado a categoria do visto,  pois caso esteja incorreto, o seu agendamento será desconsiderado.
» E, para finalizar, confira com atenção se você tem todos os documentos necessários para aplicar para o visto. Caso contrário, terá que agendar novamente.
» Para reforçar, segue abaixo a lista de documentos exigidos para o visto, de acordo com o site:

55

Reprodução

O processo de agendamento levou exatamente 12 minutos e a confirmação por e-mail chegou 10 minutos depois da finalização do agendamento! Agora é cruzar os dedos e acreditar que no dia marcado tudo seja tão rápido e eficiente como o sistema online!

Vale lembrar mais uma vez que o sistema online, por hora, é para atendimento apenas no departamento de imigração em Dublin, localizado na Burgh Quay Registration Office. Até o momento não há informação de que o sistema de agendamento online será estendido para outros condados.

Veja também o post que fizemos sobre uma das principais perguntas que nos fazem: Intercâmbio: Preços

Como tirar o Irish Residence Permit (IRP), antigo GNIB, em Galway?

Se você escolheu Galway como destino, hoje vamos contar como solicitar o seu Irish Residence Permite por lá. Para quem ainda não sabe, ao chegar na Irlanda, todo estudante que optar pelo visto Stamp 2 (referente aos cursos de 25 semanas) terá 30 dias para solicitar o visto de estudante, que lhe permitirá permanecer na ilha por oito meses iniciais, com a possibilidade de renovação.

Irish Residence permite ficar na Irlanda por oito meses. foto reprodução

Irish Residence permite ficar na Irlanda por oito meses. foto reprodução

 

 

 

 

 

 

 

A boa notícia é que se você escolheu Galway e ainda está no Brasil se preparando para vir, não precisa correr para fazer o agendamento on-line, como acontece na capital, Dublin. Na cidade, ainda é possível chegar e agilizar todo o processo, simplesmente indo a imigração e esperando a sua vez de ser atendido. Isso ainda é possível, porque a demanda continua baixa nessa parte do país.

Onde fica a Imigração em Galway?

Com a pastinha toda organizada seguimos para o prédio da Garda, que abre todos os dias às 7h30 da manhã. Porém, convém chegar com pelo menos 40 minutos de antecedência. Como citamos no início do texto, não é necessário marcação prévia ou agendamento, porém, além de brasileiros, outras nacionalidades também passam pelo mesmo processo e pode acontecer de você ir em um dia cheio, por isso recomendamos chegar sempre um pouco mais cedo, por cautela.

O que acontece na imigração?

Você será chamado pelo atendente que, de trás da cabine, lhe fará aquelas tão temidas perguntas sobre o motivo da sua solicitação e se você porta todos os seus documentos. Mas não há razão para pânico se tudo estiver em ordem.

Após analisados todos os papéis, quando somos aprovados, é hora de passar o cartão do banco para pagar os 300 euros, valor do se IRP, com as informações do seu visto. É importante lembrar que o pagamento na Imigração só é aceito no cartão de débito.

Depois disso, é hora de sorrir para a foto, passar pelas impressões digitais e sair para comemorar. Dentro de um prazo de mais ou menos dez dias, o seu cartão  estará pronto para você ir buscá-lo.  O atendente lhe dirá a data exata.

O visto e o Irish Residence Permit- IRP

O Irish Residence Permit — IRP é um certificado de registro da Garda National Immigration Bureau, a imigração da Irlanda. Ele é um pequeno cartão que comprova você estar vivendo legalmente no país (antigamente chamado GNIB).

Nele constam informações básicas como nome, nacionalidade, data de nascimento e tipo de visto, além da validade do documento.

Para tirar o IRP é preciso ter tudo organizado: passaporte, comprovante dos três mil euros, carta da escola confirmando que você pagou o curso com a carga horária correta e apólice do seguro de saúde em inglês, que precisa ter cobertura mínima de 30 mil euros.

Por isso, este é um dos últimos documentos a serem tratados. O IRP custa 300 euros e deve ser pago com cartão de crédito ou débito no momento em que você tira o visto.

Muitas especulações indicam que os valores de comprovação — três mil euros e 300 euros do IRP — aumentarão em breve, mas a informação no site da imigração continua a mesma.

Como tirar o IRP?

Antigamente, bastava se dirigir ao prédio da imigração para fazer o registro em Dublin. Porém, devido às filas imensas, as regras mudaram e o atendimento é realizado apenas com agendamento prévio, realizado online.

De acordo com o INIS, órgão responsável pela emissão dos vistos na capital irlandesa, devido à alta demanda, os agendamentos têm um prazo de espera de até 10 semanas.

Ao agendar seu atendimento na imigração, você receberá um e-mail de confirmação com a lista de documentos necessários para tirar o IRP. Imprima e leve uma cópia desse e-mail com você no dia de tirar o visto. Além disso, é recomendado chegar com 10 minutos de antecedência.

Ressaltamos aqui que o agendamento é válido somente para quem vai morar em Dublin. No caso de outras cidades do país, continua valendo a regra de se dirigir diretamente ao escritório da imigração mais próximo, sem necessidade do cadastro online. A lista completa de endereços pelo país pode ser consultada aqui.

Quando chegar sua vez de ser atendido, o oficial fará perguntas básicas sobre o seguro-saúde, o tempo que você ficará na Irlanda, entre outras coisas. Você também tirará uma foto e registrará sua digital na imigração – tudo isso em inglês.

Nesse momento, você já paga o cartão e aguarda até que ele seja emitido. Basta esperar mais um pouco até que eles chamem seu nome. Então, você confere se tudo está correto, assina o que tiver que assinar e pronto.

Dicas importantes para as primeiras semanas de Irlanda

Carteira de Estudante: Student Leap Card: Você já adquiriu o seu?

Sabe o famoso bilhete único que salva a vida de muita gente no Brasil? Pois bem, aqui na Irlanda também existe uma versão similar: o Leap Card.

Leap Card é aceito em diversos meios de transportes, além de dar descontos em diversos lugares. Foto: Divulgação

Leap Card é aceito em diversos meios de transportes, além de dar descontos em diversos lugares. Foto: Divulgação

Que o Leap Card já dá uma boa ajuda com descontos nos meios de transporte público, muita gente sabe. Em Dublin, o cartão é aceito no sistema de trens, Dart, no Bus Eireann (viagens intermunicipais), no Luas (o trem de superfície) e, claro, no Dublin Bus.

Mesmo quem está só de passagem por Dublin pode adquirir o seu Leap Card padrão para ter acesso ao cartão para uso na rede de transportes, mas se sua estadia na Ilha Esmeralda for um pouco mais longa, como estudante você terá direito a Student Leap Card, com ainda mais vantagens e descontos.

Quem pode obter o cartão?

Estudantes irlandeses matriculados com carga horária mínima de 16 horas semanais, com curso de pelo menos 6 meses de duração, estão aptos a fazer um cartão, assim como estudantes estrangeiros de instituições aprovadas pelo governo irlandês ou de Contabilidade, de acordo com o ICCA, Institute of Chartered Accountants. CPA trainees, trainees de Direito registrados, trainees full time e estudantes PLC também podem aderir ao cartão.

Estudantes de cursos online, porém, não são elegíveis, exceto se a instituição estiver inscrita. Em caso de dúvida, consulte com sua instituição antes de fazer a requisição do cartão.

Adesão

Você pode aderir ao cartão de quatro formas: pelo site, pelo aplicativo, pelo correio ou pessoalmente, nos agentes credenciados. Basta preencher o formulário da plataforma de adesão escolhida e fazer o pagamento da taxa. Estudantes pagam uma taxa de adesão de € 7 (caso você opte por fazer a requisição com um agente credenciado, além dos 7 euros você também pagará mais € 3, valor referente à foto para o documento, que é feita no próprio local).Quando optar em fazer o seu Student Leap Card pelo aplicativo, o usuário receberá em casa uma comunicação que o redirecionará para um agente emissor mais próximo, que será responsável pela confecção do cartão.

Na opção pelos correios, é necessário preencher o formulário e enviá-lo juntamente com 2 fotos em tamanho passaporte (5×7), que deverão ser assinadas atrás. Porém, se algum de seus dados estiver incorreto, você deverá pagar uma taxa administrativa de €5 para a correção e reedição do mesmo.

Descontos

Além da rede de transporte, os descontos para estudantes são variadíssimos, tais como Boots, Say It Travel, a rede de lanches McDonald’s, entre outros.

Direitos e deveres ao andar de bike em Dublin

Reprodução: Wikipedia

Para quem não tem bike, o Dublinbikes super funciona e você nem precisa se preocupar com a manutenção! Reprodução: Wikipedia

No comecinho do E-Dublin, o Edu deu dicas preciosas sobre como andar de bike por Dublin. Mas, de lá para cá, a situação dos ciclistas mudou e muito – nesse caso, para melhor.

Entrou o Dublinbikes, que já é considerado um dos melhores sistemas de empréstimo de bicicletas do mundo, a Irish Rail liberou o acesso das bikes nos trens e DARTs e o que mais tem se visto por aí é brazuca pedalando pelas ruas da cidade. Mas você já se deu conta que na condição de ciclista, também tem direitos e deveres a cumprir?

Pois é, meu caro. A coisa aqui não é bagunçada e além do saquinho para proteger o bumbum do banco molhado na chuva, tem um monte de coisas que você precisa saber antes de sair por aí pedalando! Vamos ao caminho das pedras… ops, digo, das rodas!

O uso de lâmpadas refletoras é obrigatório

Sinalizadores e outros itens de segurança são obrigarórios para ciclistas na Irlanda. Crédito: Shutterstock

Sinalizadores e outros itens de segurança são obrigarórios para ciclistas na Irlanda. Crédito: Shutterstock

•   Não use as calçadas (elas são para pedestres, não para ciclistas);
•   Use seu braço para indicar que vai virar (à esquerda ou direita);
•   Por quase toda a cidade existem as ciclovias, específicas para ciclistas;

•   Pare no semáforo. Assim como os motoristas, você também deve respeitar o fluxo do trânsito e os pedestres.
•   Uma recomendação que poucos seguem: deixe o fone de ouvido no bolso e mantenha-se alerta sobre tudo o que anda rolando à sua volta;
•   Mantenha-se sempre à esquerda;
•   O uso de roupa refletiva é indicado;

Coletes reflexores também são fundamentais para cliclistas. Crédito: Shutterstock

Coletes reflexores também são fundamentais para cliclistas. Crédito: Shutterstock

•   O uso de capacete não é obrigatório, mas recomendado;
•   Ao utilizar as ruas normais, pedale sempre no mesmo fluxo dos carros;

Dicas de amigo

•   Compre uma corrente e um cadeado resistente, pois são comuns casos de furtos de bicicletas;
•   Kit chuva para pedalar (ele é bem baratinho em lojas como Penneys e Dunnes Store).

Para saber como pedalar em segurança.
Para conhecer mais regras, clique aqui.

Cinco dicas úteis para quem acabou de chegar em Dublin

Acabou de desembarcar na Irlanda e anda meio confuso? Acalme-se! Todos nós passamos pelas mesmas situação e é por isso que hoje venho aqui listar algumas dicas para os primeiro dias de susto no seu novo endereço, a Ilha Esmeralda!

Spire será o seu ponto de encontro

Spire fica localizado no centro de uma das principais ruas de Dublin Foto: Shutterstock.

Spire fica localizado no centro de uma das principais ruas de Dublin Foto: Shutterstock.

Ponto de encontro de qualquer grupo, o Spire fica localizado no centro de uma das principais ruas de Dublin, a O’Connell Street, e vai te dar aquela “mãozinha” para não se perder nos primeiros dias. Não precisa ficar desesperado e querendo voltar na primeira semana. Lembre-se sempre do “espigão” ou da “agulha” e procure por ele, caso achar que se perdeu pelo centro.

Vale também utilizá-lo como referência se você estiver longe do centro e não souber como voltar. Basta se informar com qualquer um pela cidade que você precisa chegar no Spire. Certamente saberão te indicar a direção.

Quero ligar pra minha mãe – e agora?

Você chegou e já quer postar aquela foto, falar com sua mãe, seu pai, dar notícias pra toda a família que sobreviveu ao voo? A Irlanda conta com algumas operadoras de celular que oferecem planos acessíveis pra quem acabou de desembarcar na Ilha Esmeralda. Alguns exemplos são Vodafone, Lyca Mobile, Three, Tesco Mobile, entre outras. Você pode encontrar as lojinhas de todas elas na Henry Street, bem próximo ao Spire. (Não disse que ele seria importante para você?!).

Ai que fome!!!

Como manter a saúde em dia no intercâmbio. Shutterstock

Como manter a saúde em dia no intercâmbio. Shutterstock

Para quem não quer torrar seus euros (suados!) nos primeiros meses em restaurantes, os mercados oferecem preços que chegam a ser inimagináveis em alguns produtos!

Se estiver pelo centro, na Parnell Street é possível encontrar o Tesco, o Lidl na outra esquina e ainda outros no mesmo quarteirão, além das diversas redes de supermercados espalhadas por toda a cidade. E antes que você descubra isso pelo lado doloroso, já vou te avisando: é melhor começar a aprender a cozinhar! Vida de intercambista não combina com fast-food e restaurantes caros todo dia.

Escritório da Imigração

Esse, sem dúvidas, é frequentado por praticamente todos os intercambistas que aqui desembarcam. Não vá se perder no dia de fazer o visto ou chegar atrasado, hein?! Localizado às margens do Rio Liffey, na Burgh Quay, Dublin 2, a Garda National Immigration Bureau é um endereço no qual você deve prestar bastante atenção. Depois de ter seu visto aprovado, aí sim vá passear pelo Liffey até as docas, que vale a pena!

Vai de Google Maps!

Não tem nenhum endereço que esse cara aí não saiba! Você vai andar muito até conhecer bem a cidade, mas até lá esse aplicativo é indispensável. Descubra o endereço da sua escola e faça um teste antes! E se você aí tiver alguma história engraçada de como e quando ficou perdido em Dublin, conta pra gente aqui nos comentários!

O intercâmbio começou! E agora?

Celebre sua conquista

Permita-se celebrar a realização do seu sonho. Foto: Shutterstock

Permita-se celebrar a realização do seu sonho. Foto: Shutterstock

Antes de se preocupar com o que você tem que ter e fazer, permita-se celebrar a realização do seu sonho. Isso não significa viver vida de turista, festejar durante semanas ou gastar todo o seu dinheiro sem moderação, mas sim, após sonhar e trabalhar muito para conseguir viver seu intercâmbio, ter a chance de explorar o nosso país, admirar a beleza de cada cantinho e se surpreender com o novo. A alegria e prazer que você sentirá nesse momento serão muito importantes para que você possa reforçar o seu objetivo inicial de se mudar para o exterior.

Crie uma rotina

Você terá uma nova vida e nos primeiros dias o sentimento será: O que eu faço primeiro? Será normal se sentir perdido sem saber por onde começar? Contudo, você deverá trabalhar a autodisciplina e focar nos objetivos que já escreveu quando ainda estava no Brasil – se você não leu os textos anteriores, não deixe de conferir. Uma agenda, um app no celular ou um diário de bordo serão fundamentais para planejar seu dia a dia, principalmente para o desenvolvimento do novo idioma.

Estabeleça prioridades e controle sua ansiedade – as coisas não irão acontecer da noite para o dia, não importa quanto tempo, dinheiro ou networking você tenha. Saiba quais são as suas prioridades (estudo, trabalho, vida social, viagens, etc.) e crie um plano de ação para cada um, estabelecendo o passo a passo para cada etapa.

Conecte-se com outras pessoas

De todo o aprendizado no exterior, as amizades serão as maiores riquezas. Foto Shutterstock

De todo o aprendizado no exterior, as amizades serão as maiores riquezas. Foto Shutterstock

Já dizia o poeta… “é impossível ser feliz sozinho”. De tudo o que você poderá adquirir e aprender com a sua vivência no exterior, sem dúvidas, uma das maiores riquezas serão as amizades que você fará. Encontre pessoas que estejam no mesmo barco que você e que estejam despostas a compartilhar essa aventura – mas seja seletivo e lembre-se do outro ditado, muito importante, “antes só que mal acompanhado”.

Pratique acreditar em você

Acredite em você e no seu poder de ser 100% responsável pelos seus resultados. Visualize suas metas e acredite que tudo dará certo. Aprenda com cada erro ou desafio que surgir no seu caminho e se torne uma pessoa melhor. Afinal, o intercâmbio é uma oportunidade e tanto para desenvolver sua autoconfiança.

PPS: Será que você precisará de um?

Se você decidiu estudar ou morar na Irlanda e começou a pesquisar o máximo de informações sobre o país, é certeza que já tenha lido ou ouvido falar sobre o PPS (Personal Public Service Number). Mas o que é e para que serve? Aqui contamos um pouco, além do passo-a-passo para que você possa se preparar

O que é?

O PPS é o equivalente ao nosso CPF no Brasi. Foto: Divulgação

O PPS é o equivalente ao nosso CPF no Brasi. Foto: Divulgação

O PPS é o equivalente ao nosso CPF no Brasil, sendo o número de referência para o acesso aos benefícios de assistência social, informações e serviços públicos como a carteira de motorista, necessário para se registrar e trabalhar legalmente no país.

Novidades

Antes, todo intercambista, ao chegar no país, tinha na sua lista de prioridades tirar seu PPS, assim como abrir a conta no banco e tirar seu visto para estudo/trabalho. No entanto, no final de 2014 foram publicadas alterações onde só tem direito ao PPS quem se classifica nas seguintes situações:

• Estar empregado no país;
• Candidatar-se a obtenção da carteira de motorista ou na alteração pela carteira de motorista irlandesa;
• Ser responsável pela conta de água da sua residência.

Mas isso muda algo no processo de obtenção do visto?

Não, não há alteração alguma. Aliás, anteriormente não era necessário ter o PPS para tirar o visto e isso continua funcionando da mesma forma.

E qual o processo de obtenção do PPS?

Para tirar o PPS precisará do passaporte e um comprovante de residência. Foto reprodução.

Para tirar o PPS precisará do passaporte e um comprovante de residência. Foto reprodução.

Por ser cidadão não-europeu, você precisará apenas apresentar o seu passaporte e um comprovante de residência. Verifique aqui se você se encontra em outra categoria. Embora especule-se que seja necessário, também, uma carta da empresa que pretende te contratar, no site do governo essa informação não é citada.

O passo seguinte é se registrar e agendar um horário utilizando-se do MyWelfare website. Uma vez realizado o agendamento, o próprio site te informará em qual endereço você deverá se dirigir, com os documentos em punho.

Após a entrega dos documentos, o prazo de entrega do número varia de três a cinco dias úteis. Ele será enviado diretamente para o endereço do solicitante.

Mudanças desde 2013

O Departamento de Proteção Social (DSP) viu com a necessidade de ampliar os números do PPS por conta do esgotamento no estoque remanescente de números utilizáveis. Desde então, os novos formatos possuem 9 dígitos: 7 números, seguidos de 2 letras. Para pessoas físicas, a segunda letra no número PPS é ‘A’ – por exemplo, 1234567FA.

Avatar
Ávany França, Jornalista por profissão, já passou por editorias de moda, gastronomia, história e turismo. Uma vida sem desafios não foi desenhada para essa baiana de Salvador. Amante das viagens, coleciona mais de 80 destinos no passaporte. Quer saber mais? Corre porque até você terminar de ler esse perfil já terei alguma novidade.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar