Como preparar as malas para o Intercâmbio?
42 minutos de leitura

Como preparar as malas para o Intercâmbio?

Rael Pimenta

2 semanas atrás

Quanto custa um intercâmbio?

Não vendemos pacotes e nem somos agência,
mas podemos te colocar em contato com elas.

Depois de acertar tudo para finalmente chegar perto de partir para o sonho de um intercâmbio na Irlanda — com a agência e escolas fechadas, passagem comprada e todos os documentos e exigências providenciados — resta ainda uma dúvida que deixa muita gente sem saber o que fazer: o que levar na mala?

Depois de tudo pronto para o intercâmbio, resta a dúvida de o que levar na mala?© Iakov Filimonov | Dreamstime.com

Depois de tudo pronto para o intercâmbio, resta a dúvida de o que levar na mala?© Iakov Filimonov | Dreamstime.com

Se você nunca viajou para a Irlanda ou para o exterior, talvez fique bem preocupado em saber como é o clima e quais são as roupas mais apropriadas para o país escolhido. Provavelmente, você vai sair do Brasil com temperaturas altas, ou perto disso, dependendo da região onde mora. Mas, por mais frio que esteja, não se compara com o tempo quase sempre chuvoso, com ventos fortes e temperaturas lá embaixo, situações bem comuns na Irlanda.

Há ainda tantas outras perguntas: será que preciso levar comida? Será que levo dinheiro vivo ou cartão de viagem? E os remédios? Vai caber tudo na mala? Quantas malas posso levar? O E-Dublin responde a essas e outras questões para você chegar pronto e relaxado no seu novo destino de intercâmbio: a Irlanda.

Que tipo de mala é a ideal para a suaa viagem?

Existem inúmeros modelos de malas disponíveis no mercado. Elas são feitas de inúmeros tipos de material, como plástico, tecido, couro, vinil, entre outros. Os tamanhos também variam, bem como as repartições. E, claro, tudo influencia no valor daquele que será o protetor dos seus bens materiais. Por isso, escolher a melhor mala vai depender muito do volume necessário (e permitido), além do nível de proteção para manter os objetos sem danos.

Saber escolher a mala é o primeiro passo no seu processo pré-intercâmbio. © Viktor Stoilov | Dreamstime.com

Saber escolher a mala é o primeiro passo no seu processo pré-intercâmbio. © Viktor Stoilov | Dreamstime.com

Divisões dentro das malas podem auxiliar uma melhor compactação de roupas e objetos. Assim, zíperes, bolsas laterais e alças vão deixar tudo mais organizado. Outra facilidade a ser pensada são as rodinhas duplas (traseiras e dianteiras) e que rodam 360º. Elas facilitam, e muito, a sua vida durante percursos nos aeroportos. Busque também puxadores que regulam a altura até o máximo confortável possível.

Por fim, não se esqueça de escolher uma mala que combine com seu estilo e personalidade, sendo uma parceira ideal para viagens.

Segurança da bagagem

Opte por malas que possuem proteção de plástico resistente. © Vudhikul Ocharoen | Dreamstime.com

Opte por malas que possuem proteção de plástico resistente. © Vudhikul Ocharoen | Dreamstime.com

Na hora de escolher, opte pelo custo benefício, mas lembre-se: os aeroportos não costumam tratar as malas muito bem. Elas passam por diversos meios de transporte, esteiras, mãos… Por isso, quanto mais proteção, melhor.

Opte por malas que possuem proteção (casco) de plástico resistente. Eles protegem melhor o conteúdo da mala. Modelos novos de bagagem já possuem o código no fechamento do zíper com uma fechadura de chave universal, que permite a abertura pela imigração (se necessário) sem danos à mala. Malas com forro que pode ser aberto por zíper também evitam danos em caso de revista.

Malas com cores diferentes facilitam a identificação na esteira de recolhimento de bagagem. Outra maneira de identificar com facilidade sua bagagem é colocar um marcador registrado com seus dados como telefone e endereço.

Mala para turismo e para quem vai morar

Empacotar para uma viagem de intercâmbio é bem diferente que fazer aquelas viagens de uma ou duas semanas a turismo. A primeira coisa a ter em mente é: desapegue. Você não vai conseguir colocar todo o seu guarda roupa em duas malas de 23kg (ou até menos, dependendo da companhia aérea).

Desapegue em seu intercâmbio, pois não vai conseguir levar tudo que você queira. © Grafvision | Dreamstime.com

Desapegue em seu intercâmbio, pois não vai conseguir levar tudo que você queira. © Grafvision | Dreamstime.com

Pense sempre que uma mala de intercâmbio precisa seguir um estilo de vida mais compacto, já que não existe muito espaço nas moradias e tudo o que precisar você vai encontrar na Irlanda, até mesmo produtos brasileiros nas lojinhas específicas para isso.

As meninas também devem ser cautelosas ao querer levar muitas opções de estilo de roupas, já que vão encontrar vestimentas baratas e uma diversidade enorme nas lojas irlandesas.

Como organizar as malas?

Existem muitas dicas de como montar uma mala para viajar, mas a grande maioria delas foca em um só objetivo: organização.

Colecione dicas de empacotar e como otimizar o espaço na mala.© Aleksandra Suzi | Dreamstime.com

Colecione dicas de empacotar e como otimizar o espaço na mala. © Aleksandra Suzi | Dreamstime.com

As malas devem ter roupas mais pesadas e longas por baixo (calças, jaquetas, blusas) e mais leves por cima (camisetas, blusinhas, roupa íntima).

Troque a nécessaire por pequenos saquinhos contendo os produtos de higiene separados, para que caibam nos espaços que sobrarem. Distribua grandes potes de shampoo em frascos com pequena quantidade, para uso apenas durante alguns dias.

Use sacos de viagem de embrulho a vácuo (space bags ou vacuum bags) perfeitos para diminuir o espaço entre as peças. Mas mais espaço não significa menos peso, lembre-se disso.

Alguns truques infalíveis para fazer a mala:

Aproveite bem as divisões de sua mala.© Sebnem Ragiboglu | Dreamstime.com

Aproveite bem as divisões de sua mala.© Sebnem Ragiboglu | Dreamstime.com

  1. Não dobre as roupas em muitas camadas. Acredite, quando dobradas elas tomam mais espaço;
  2. Invista um tempo para aprender como dobrar roupas com eficiência; existem vários tutoriais na internet para cada tipo de roupa;
  3. Calçados sempre na lateral: aproveite e os preencha com miudezas, meias e roupas íntimas, bijuterias, relógio, etc;
  4. Organize todos os itens de higiene pessoal em saquinhos;
  5. Roupas longas, na parte de baixo: (casacos, calças, jaquetas);
  6. Aproveite bem as divisões de sua mala;
  7. Utilize necessaires, estojos e saquinhos para miudezas ou objetos como cabos, fios e cordões;
  8. Sacos à vácuo são muito úteis pois tiram o ar de peças de pano que ocupam muito espaço como toalhas e casacos;

Faça uma lista antes de preparar as malas?

É sempre bom fazer uma lista do que você precisa essencialmente colocar na sua bagagem. Por isso é importante saber o que levar e o que não levar.

Que fazer uma mala 100%? Faça uma lista com todos os itens que precisa levar, assim nada ficará de fora. © Melpomenem | Dreamstime.com

Que fazer uma mala 100%? Faça uma lista com todos os itens que precisa levar, assim nada ficará de fora. © Melpomenem | Dreamstime.com

A mala de mão, que você vai levar na cabine, deve conter alguns itens itens básicos. Não têm como errar: higiene pessoal, eletrônicos (celulares, notebooks, tablets), roupa íntima e roupa básica (cueca, calcinha, camiseta e calça jeans, por exemplo), agasalho, pertences pessoais como óculos e um kit básico de remédio.

Mala de mão! Vamos ao checklist:

É preciso fazer um checklist para não esquecer nada.© Melpomenem | Dreamstime.com

É preciso fazer um checklist para não esquecer nada.© Melpomenem | Dreamstime.com

  1. Carregador portátil;
  2. Medicação de uso contínuo (com receita);
  3. Objetos pessoais como óculos, um livro, etc;
  4. Máscara para dormir e protetor auricular;
  5. Almofadinha de pescoço
  6. Manta pequena
  7. Dinheiro, cartões e objetos de valor, como joias e relógios;
  8. Notebook, tablets, câmeras fotográficas, celulares, etc;
  9. Uma ou duas trocas de roupa em caso de mala extraviada;
  10. Itens básicos de higiene: creme dental, escova de dente, fio dental, etc (limite de 100 ml por produto – leia neste guia).
  11. Adaptador de tomada universal para carregar o celular (principalmente em conexões longas);

Já a mala (ou as malas) que será despachada tem um limite maior de peso (geralmente 23 kg em voos internacionais) e será nela que você vai levar “sua vida” para o intercâmbio. E aí que mora o problema.É preciso fazer um checklist preciso onde será possível se sentir confortável, sem aquela sensação de que esqueceu ou sentirá falta de alguma coisa, e ao mesmo tempo pensar que não será possível levar e manter as mesmas coisas que você tem no conforto do seu lar brasileiro.

Outro ponto é que muitas coisas são possíveis de adquirir durante o intercâmbio e que provavelmente você não precisará levar de volta para o Brasil.

Mala Despachada! Vamos ao checklist:

No despache de sua bagagem deixe para trás tudo o que é supérfluo.© Keechuan | Dreamstime.com

No despache de sua bagagem deixe para trás tudo o que é supérfluo.© Keechuan | Dreamstime.com

  1. Descarte itens que você já não utilizava há séculos;
  2. Deixe para trás tudo o que é supérfluo;
  3. Escolha as melhores e mais “potentes” roupas de frio, mas tenha em mente que você precisará comprar roupas apropriadas para temperaturas mais baixas;
  4. Mesmo viajando no inverno, não deixe de levar roupas que mais gosta para sair, pois os ambientes como pubs e baladas geralmente são aquecidos e possuem espaço para deixar os casacos e bolsas; assim, é possível usar blusinhas, camisetas e até saias mais curtas;
  5. Lembre-se, roupa na Europa é barata, então não lote a sua mala, pois terá a chance de comprar novidades por lá;
  6. Viaje leve, desde a saída do Brasil até a acomodação definitiva, você mudará pelos menos duas vezes. E claro, terá que lembrar das malas;
  7. Tênis confortável para caminhar é essencial;
  8. Sapato fechado contra chuva e neve também devem constar na lista;
  9. Calças jeans básicas para o dia a dia;
  10. Camisetas manga longa e curta, básicas para o dia a dia;
  11. Roupa social (caso de entrevista de emprego);
  12. Monte looks para diversas ocasiões: balada, pub, passeios diurnos, etc;
  13. Jumper básico;
  14. Óculos escuros para o verão;
  15. Pijama de inverno;
  16. Cortador de unha;
  17. Itens de higiene em embalagens pequenas: pasta de dente, sabonete, shampoo, desodorante, etc;
  18. Remédios para dor de cabeça, enjoo, diarreia, ressaca, antigripal, antialérgico, etc.
  19. Para fumantes: pacote de cigarro (custam mais caro na Europa, então você pode economizar levando do Brasil, porém existem regras específicas; leia neste guia);
  20. Item brasileiro que considera importante: garrafa de cachaça, farinha de mandioca, guarana, etc.
  21. Meias (cano longo)
  22. Especial para homens: Kit de cuecas modelo favorito, barbeador elétrico, creme para o rosto, pomada para o cabelo, etc;
  23. Especial para mulheres: leggings, meia-calça reforçada, joias e bijuterias, sapatos fechados.

Roupas de frio: levar ou não levar na mala?

Para falar bem a verdade, se tratando da Irlanda as estações são bem demarcadas, porém, o frio, o vento é bem constante, então a sua mala não deve variar muito, mesmo se você desembarcar no país na primavera ou verão.

Se o destino é a Irlanda pode caprichar no casaquinho, pois o clima é gelado.© Marina Morozova | Dreamstime.com

Se o destino é a Irlanda pode caprichar no casaquinho, pois o clima é gelado.© Marina Morozova | Dreamstime.com

Já contamos em alguns textos no E-Dublin, que o verão irlandês costuma ser curto, e que pode-se chover mais de 260 dias no ano, sem falar que as temperaturas no polo norte é naturalmente mais baixas que a que estamos acostumados nos trópicos. Agora, se você está se preparando para desembarcar na Europa nos primeiros meses do ano, aí nesse caso, a atenção deve ser maior.

Você terá que pelo menos investir em um casaco pesado para suportar o choque térmico da chegada. Aquelas blusinhas segunda pele, para usar como dupla pele ajuda muito também, sem a necessidade de utilizar várias camadas de blusas. Aliás, esse é um dos erros mais comuns dos brasileiros recém-chegados.

Enquanto os europeus circulam com um casaquinho básico, de material apropriado, geralmente nós, os brasileiros, andamos com 3kg de roupa a mais tentando apaziguar o frio.

Dica de ouro para dias de neve. O ice grip pode ser adaptado a qualquer calçado e evita escorregões. © Martinmark | Dreamstime.com

Dica de ouro para dias de neve. O ice grip pode ser adaptado a qualquer calçado e evita escorregões. © Martinmark | Dreamstime.com

Além de uma peça estratégica e de qualidade, vale investir em um antiderrapante para sapatos. Ele é prático e pode ser incorporado a qualquer calçado, prevenindo assim escorregões na chuva ou neve. Em inglês eles chamam “ice grip”. Não são caros e você pode usar em praticamente todos os tipos de sapatos. Capa de chuva também é essencial. Existem vários modelos, mas pagando um pouquinho mais é possível ter uma versão mais estilosa e prática para levar sempre na bolsa.

Inevitavelmente, algumas coisas você precisará comprar estando em terras irlandesas. Roupas de frio, por exemplo, já que no Brasil não somos acostumados a ter agasalhos com a resistência necessária para enfrentar as baixas temperaturas. Claro, traga alguns para sobreviver nos primeiros dias (os mais resistentes possíveis) até saber o que comprar e não passar apuros, principalmente durante o inverno.

Leve casacos para sobreviver nos primeiros dias, para não passar apuros.© Vilgun1 | Dreamstime.com

Leve casacos para sobreviver nos primeiros dias, para não passar apuros.© Vilgun1 | Dreamstime.com

De qualquer forma, as roupas de frio não são tão caras na Irlanda e outra opção seria encontrar bons produtos nos diversos brechós espalhados pela ilha.

Outro motivo para não encher a mala com agasalhos é saber exatamente o que vai precisar no frio: meias grossas, luvas, blusas antivento e chuva, etc.

O que funciona no inverno Irlandês e o que será bobagem trazer?

Na hora de fazer as malas, compensa comprar roupas de inverno na Irlanda. Mas se você já tiver pode trazer. © Alena Mozhjer | Dreamstime.com

Na hora de fazer as malas, compensa comprar roupas de inverno na Irlanda. Mas se você já tiver pode trazer. © Alena Mozhjer | Dreamstime.com

  • Calças jeans: Muitos brasileiros e brasileiras reclamam do shape dos jeans europeus, para não acabar sendo o seu caso, melhor já garantir uns pares de calças à brasileira.
  • Meias: Na Irlanda, além de todo tipo apropriada para o clima elas custam muito pouco. É possível comprar embalagens com cinco na Penneys em épocas de promoção por um euro. As de melhor qualidade também são bem acessíveis. Então, trazer muitas do Brasil é bobagem.
  • Luvas, gorros e cachecóis: Assim como as meias, esses itens são bem acessíveis na Irlanda e se você quiser economizar ainda mais nem precisa comprar novinho. Dá para fazer a festa geral por aqui!
  • Leggins e segunda pele: Sim, elas serão necessárias tanto para homens como para mulheres nos dias mais frios. Não se preocupe, elas estão disponíveis em diversas lojas de departamento e por um preço bem em conta.
  • Casacos e jaquetas: Vale ir as compras antes do intercâmbio para comprar casacos e jaquetas apropriados para a Europa? NÃO! Se você já possuir uma peça bacana, super ok, mas comprar no Brasil certamente será mais caro. Deixe para investir em uma peça bacana já na Europa.
  • Blusas de lã: Em boa parte do Brasil as blusinhas de lã resolvem e muito no inverno, mas a depender do modelo, se elas forem vazadas, por aqui será uma tortura.  Sendo assim, vale trazer uma dois duas bem quentinhas, mas você achará modelos de toda qualidade e outros materiais muito mais eficientes para o clima europeu.
  • Botas: Vale a mesma história dos casacos. Se você tiver ótimo, traga, mas não vale comprar no Brasil. Os modelos europeus são superacolchoados, quentíssimos e você encontra praticamente todo o ano para comprar, incluindo nas liquidações de inverno, brechós e lojas de segunda mão. A própria brasileirada vive anunciando a precinhos camaradas nos grupos de classificados.

Preciso levar roupa de cama?

Roupa de cama não é necessário levar para um intercâmbio.© Anton Starikov | Dreamstime.com

Roupa de cama não é necessário levar para um intercâmbio.© Anton Starikov | Dreamstime.com

Na dúvida se leva ou não, não leve. É melhor uma mala com menos coisas do que inutilidades. Deixe espaço para coisas mais importantes. Roupa de cama, por exemplo, não é necessário, visto que casas de família, de estudante ou hostels já têm tudo e quando se mudar para uma casa fixa é possível comprar os famosos duvet (um edredom sem muitos detalhes, para ser utilizado com uma capa lavável), além de conjuntos de lençol e fronha, por preços bem justos em lojas como Penneys ou na gigante Ikea, que possui produtos de cama, mesa, banho e para casa em geral.

Documentos: O que é essencial levar com você?

Existe uma dúvida constante na hora de embarcar para um intercâmbio: quais são os documentos que eu preciso levar comigo nesta viagem?

Passaporte é um documentos que não podem faltar em sua viagem ao exterior.© Filipe Frazao | Dreamstime.com

Passaporte é um documentos que não podem faltar em sua viagem ao exterior.© Filipe Frazao | Dreamstime.com

Passaporte é o primeiro da lista, por ser indispensável para entrar em outro país (principalmente fora da América do Sul). No entanto, outros documentos não são tão lembrados assim, mas que devem fazer parte daquela pastinha contendo a papelada importante que deve estar embaixo do braço para apresentar na imigração e também para usar durante sua estadia no país.

É bom lembrar que a maioria dos documentos brasileiros não tem uma função no exterior. Outros podem ser usados para comprovar idade (como RG) ou para dirigir (Carteira Nacional de Habilitação). Tudo vai depender do uso. Uma dica importante é guardar os documentos originais bem guardados e andar apenas com cópias autenticadas para evitar transtornos na perda de algum deles.

Lista de documentos importantes para levar na mala para o intercâmbio:

Passaporte é um documente essencial para entrar em um país estrangeiro.© Filipe Frazao | Dreamstime.com

Passaporte é um documente essencial para entrar em um país estrangeiro.© Filipe Frazao | Dreamstime.com

  1. Passaporte (essencial para entrar em um país estrangeiro)
  2. RG (pode ser usado para identificação de idade para compra de bebida alcoólica ou entrada em algum estabelecimento para maiores de 18 ou 21 anos
  3. Visto (dependendo do país, é necessário, mas ele estará fixado em uma das páginas do passaporte)
  4. Carteira de Habilitação – CNH (em alguns países ela é válida para dirigir, exigindo, porém, a PID)
  5. Permissão Internacional para Digiri – PID (é o documento que comprova que você está apto a dirigir)
  6. Comprovante de hospedagem (dependendo do país você precisa comprovar que tem um local para ficar, seja comprovando o agendamento em um hotel ou hostel, seja com uma carta convite de uma família, no caso de casa de família, ou de um amigo ou parente)
  7. Certificado Internacional de Vacinação (dependendo do país, você precisa comprovar que está em dia com as vacinas, entre as mais preocupantes está a febre a amarela)
  8. Título de Eleitor (se o intercambista estiver apto a votar e desejar mudar sua Zona Eleitoral para o exterior ele deverá portar seu título de eleitor)
  9. Cópia do diploma com tradução juramentada (dependendo da empresa em que se deseja trabalhar é possível que seja exigido este documento para comprovar o estudo).

Como levar medicamentos na bagagem?

Muita gente se desespera na hora de fazer mala, pensando na quantidade de medicamentos levar para a viagem. De fato, comprar remédios na Irlanda é bem diferente do Brasil e muitos dos quais estamos acostumados a encontrar em farmácias brasileiras são vendidos nas farmácias irlandesas apenas com receita médica.

Levar medicamentos na mala. Saiba o que é permitido e o que é proibido. Foto: Eyewave | Dreamstime

Levar medicamentos na mala. Saiba o que é permitido e o que é proibido. Foto: Eyewave | Dreamstime

Porém, embarcar com muitos remédios na bagagem pode ser um problema. De acordo com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), pessoas que usam ansiolíticos ou medicamentos para asma, até diabéticos, que precisam aplicar insulina, devem providenciar todas as receitas, em dia, com o nome do paciente e os remédios em suas caixas originais.

Os medicamentos que não precisam de prescrição médica são colírios, solução fisiológica para lentes de contato,  etc. Esses itens não podem ultrapassar os 100 ml estabelecidos.

Oficialmente, você precisa de receita até para carregar paracetamol e antigripal, já que a Anvisa não explica o que são os “etc”. Mas calma, até hoje nunca ficamos sabendo de alguém que foi deportado por carregar uma caixa de remédio para dor de cabeça! Isso não existe.

A regra é mais rígida para os medicamentos controlados ou especiais. Nesse caso, receita na mão!

Se ainda restar alguma dúvida, vale a pena passar no Centro de Orientação ao Viajante. Lá eles vão analisar o seu caso e esclarecer qualquer problema.

O melhor é trazer a quantidade suficiente para o tempo que vai ficar no país. Muitos acabam caindo na tentação de comprar remédios tipicamente “brasileiros” via redes sociais, o que acarreta uma série de riscos, além de ser ilegal.

Medicamentos liberados para compra sem receita na Irlanda:

Panadol, é como se fosse o nosso paracetamol, ele é vendido na Irlanda sem receita médica.© Denismart | Dreamstime.com

Panadol, é como se fosse o nosso paracetamol, ele é vendido na Irlanda sem receita médica.© Denismart | Dreamstime.com

  1. Panadol – Funciona como nosso Paracetamol. Esse remédio pode ser encontrado na farmácia e nos mercados. Valor: 1,90 até 5 euros.
  2. Aspirin – É a nossa aspirina – inclusive a mesma caixinha, nas cores verde e branco. Valor: 3,79 euros.
  3. Anadin – É similar ao nosso Anador. Valor: 1,89 euros.
  4. Omeprazol – Você pode encontrar nas farmácias pelos nomes de “Omeprazole” ou “Nexium”. Os preços va 7 a 14 euros.
  5. Cought Control – Xarope para tosse e alívio de dores peitorais. É possível encontrá-lo na farmácia e nos supermercados no valor de 5 euros.
  6. Vaporub – O nosso famoso Vick Vaporub. Você encontra nas farmácias o pote com o gel e o inalador, e os valores podem variar de 4,50 a 7 euros.
  7. Lemsip – Chás para resfriado ou gripe. Ele é vendido nas farmácias e supermercados e o valor varia de 3 a 5 euros.
  8. Strepsils – Pastilha para alívio da dor de garganta. A partir de 4 euros.
  9. Gaviscon – Alívio para “queimação” do estômago. Existe o remédio líquido e também a opção em pastilhas. Valor: 4 a 7 euros.

Coisas de meninas! O que levar e o que não levar

A vida das meninas em um intercâmbio na Irlanda pode ter suas complicações. Começando por um item que elas geralmente não encontram com facilidade na ilha: os anticoncepcionais. Quem está acostumada a tomar o medicamento vai precisar pagar uma consulta médica para conseguir comprar ele na Irlanda. Isso porque ele é vendido apenas com receita.

Levar anticoncepcional, secador de cabelo, chapinha? O que as meninas devem ou não levar na mala. © Lightfieldstudiosprod | Dreamstime.com

Levar anticoncepcional, secador de cabelo, chapinha? O que as meninas devem ou não levar na mala. © Lightfieldstudiosprod | Dreamstime.com

Para uma intercambista que ficará oito meses na Irlanda, levar a quantidade certa de anticoncepcional na mala é uma forma de garantir o medicamento até o fim dos estudos.

Caso seja necessário, porém, o anticoncepcional é o único medicamento em que é possível ter a receita despachada por um “doutor online”, que são médicos que fazem atendimento pago via internet.

Outro ponto em que as meninas devem ficar atentas é com produtos de beleza. A Europa é conhecida por ser uma das capitais deste tipo de produto. Por isso, muitas vezes os tipos de creme, maquiagens, antimaquilantes, etc, são bem mais baratos. Para se ter uma ideia, muitos deles são vendidos nas lojas de 1,50 euro (parecidas com o R$ 1,99 brasileiro). A garota pode até trazer os produtos que mais gosta, mas é bom saber que a diversidade na Irlanda é enorme.

Os modelos de vestimentas das irlandesas podem causar estranheza nas brasileiras. Calças altas, sem cintura, por exemplo, fazem o shape do jeans ser um pesadelo para muitas que chegam para estudar. Mas garimpando de loja em loja é possível encontrar o modelo favorito.

O que vale trazer:

Roupas íntimas e lingerie não podem faltar em sua bagagem. © Erik Reis | Dreamstime.com

Roupas íntimas e lingerie não podem faltar em sua bagagem. © Erik Reis | Dreamstime.com

  1. Blusinhas básicas. Elas podem ser um coringa na hora de montar um look. Apesar do frio, elas podem ser usadas embaixo das jaquetas, para ir em uma balada, por exemplo.
  2. Sapatos confortáveis. Mais que um, já que chove muito na Irlanda e é possível que molhe pelo caminho.
  3. Sabe aqueles modelos que estão na moda? São uma resposta boa ao tempo chuvoso.
  4. Roupas íntimas e lingerie. Os modelos irlandeses podem ser diferentes do que você usa, então é bom não arriscar.
  5. Calças jeans. Elas também podem ter formatos diferentes na Irlanda e causar estranheza.

O que não vale trazer:

Sandálias não deve levar, devido o clima frio.© Edjbartos | Dreamstime.com

Sandálias não deve levar, devido o clima frio.© Edjbartos | Dreamstime.com

  1. Roupas muito velhas. Deixe essas no Brasil, já que você vai encontrar muitas novidades baratas nas lojas irlandesas.
  2. Os modelos brasileiros não servem para o inverno irlandês.
  3. O mesmo vale para jaquetas e casacos. É possível encontrar modelos reforçados a preços acessíveis na Irlanda.
  4. Sandálias. Será muito raro usar por aqui devido ao clima.
  5. Você pode até achar que vai usar dentro de casa, mas logo vai preferir trocar por uma pantufa.
  6. Elas são baratas e mais úteis para o frio em lojas irlandesas.
  7. Perfume. Se o frasco estiver pela metade, melhor comprar na Irlanda. Os preços são mais acessíveis.

Lingerie é outro problema. Muitas meninas trazem do Brasil com medo de não achar aquela ideal na Irlanda, já que os modelos podem ser diferentes. A dica é a mesma das calças, garimpar. Há lojas famosas como Victoria’s Secret em Dublin, por exemplo.

Restrições internacionais? Entenda as proibições de importação

Alguns produtos não podem entrar na Irlanda vindos de outros países fora da União Europeia. São itens óbvios como armas e drogas, mas outros nem tão óbvio assim, como plantas e bulbos. Neste caso, só podem ser importados sob licença. Outros, são restringidos a números limitados. É o caso de bebidas alcoólicas e cigarros, por exemplo.

Óbvios que armas e drogas não são liberados para entrar em outro país.© Couperfield | Dreamstime.com

Óbvios que armas e drogas não são liberados para entrar em outro país.© Couperfield | Dreamstime.com

Principais itens que não podem ser importados ou devem ser importados sob licença:

Estes itens que não podem ser importados ou devem ser importados sob licença. © Les Cunliffe | Dreamstime.com

Estes itens que não podem ser importados ou devem ser importados sob licença. © Les Cunliffe | Dreamstime.com

  1. Drogas (maconha, cocaína, heroína e anfetaminas, etc)
  2. Armas de fogo
  3. Munição
  4. Explosivos e fogos de artifício
  5. Armas ofensivas
  6. Material indecente ou obsceno (livros, periódicos, gravuras e vídeos)
  7. Plantas ou bulbos
  8. Animais vivos ou animais mortos (incluindo gatos e cachorros)
  9. Aves ou ovos
  10. Espécies em perigo
  11. Carne e produtos à base de carne, leite e produtos lácteos e certos alimentos (com exceções específicas)
  12. Feno ou palha (mesmo se usado como embalagem)
  13. Produtos de tabaco sem combustão oral

Quantidade máxima de produtos restringidos de passageiros vindos for a da UE para a Irlanda:

Alguns itens você pode levar, mas tem um limite, cigarros são 200 unidades.© Dulsita | Dreamstime.com

Alguns itens você pode levar, mas tem um limite, cigarros são 200 unidades.© Dulsita | Dreamstime.com

  1. Cigarros – 200 unidades
  2. Cigarrilhas – 100 unidades
  3. Charutos – 50 unidades
  4. Tabaco – 250 gramas
  • Bebidas destiladas (vodka, whisky, gin, etc) – 1 litro
  • Intermediários (frisante, vinho do porto, xerez, etc) – 2 litros
  • Vinhos – 4 litros
  • Cervejas – 16 litros
  • Compras (presentes, souvenirs, perfumes, roupas, etc) – €430 (por adulto) ou  €215 (por criança até 15 anos)

* os produtos são fracionados de acordo com a categoria. Por exemplo, um passageiro pode levar 100 unidades de cigarros mais 50 unidades de charutos. Ou então meio litro de vodca e um litro de frisante. Álcool ou tabaco deve ser transportado por pessoas com mais de 17 anos. As pessoas que viajam juntas não podem combinar suas licenças individuais para comprar mercadorias.

Levar dinheiro ou cartão de viagem?

Os brasileiros que viajam para a Irlanda precisam pensar em uma série de custos —valor da passagem, pagamento da agência, escola, moradia, seguro — incluindo a comprovação de 3 mil euros necessária para se estabelecer na ilha. Esse valor deve ser provado na passagem pela imigração. A dúvida que fica é: deve-se usar cartão de viagem (travel money) ou levar em dinheiro vivo (cash)?

Levar dinheiro na mala ou optar por travel money? Já pensou nisso? Crédito: dreamstime

Levar dinheiro na mala ou optar por travel money? Já pensou nisso? Crédito: dreamstime

A opção mais barata é em dinheiro (IOF de 1,1%), já que trocar reais por euros no Brasil sai mais em conta que utilizar qualquer tipo de transferência bancária. Porém, essa é a opção menos segura e também será necessário declarar o valor para a Receita Federal (acima de R$ 10 mil, ou seja, acima de cerca de 2.100 euros).

A comprovação dos 3 mil euros também pode ser feita via conta corrente de um banco brasileiro. Porém, transferir do Brasil para a Irlanda pode ser ainda mais caro (a transição pode ter custo de mais de 6%), o mesmo para o Travel Money, que também cobra taxas para sacar dinheiro em caixas eletrônicos.

É possível ainda ter mais de uma opção como possibilidade, uma parcela no cartão e a outra em dinheiro, algo feito por muitos estudantes.

Lembrando que vir para a Europa fica um pouquinho mais caro com uma nova regra vai cobrar 7 euros para brasileiros. Depois de entrar na ilha e estiver já iniciando seu intercâmbio, daí é a vez de pensar em como administrar o dinheiro. Mas vamos com calma, cada passo de uma vez!

Levar meu laptop, celular ou tablet do Brasil ou comprar na Irlanda?

Celular, computador, tablet, aparelhos eletrônicos em geral. Quem tem bons itens como esse no Brasil não deve pensar em comprar novos na Irlanda. O país não oferece preços absolutamente mais baratos. E dependendo do valor da cotação do euro, eles podem ficar até mesmo mais caros. Tudo vai depender da qualidade dos seus eletrônicos e da necessidade e prioridade de gastos de cada um.

Aparelhos eletrônicos em geral não tem preços absolutamente mais baratos na Irlanda.© Rawpixelimages | Dreamstime.com

Aparelhos eletrônicos em geral não tem preços absolutamente mais baratos na Irlanda.© Rawpixelimages | Dreamstime.com

Para se ter uma ideia, um iPhone X custa a partir de 1.179 euros na Irlanda. No Brasil, seu valor é a partir de R$ 5.199. Se convertermos o preço irlandês (euro a 4,25, cotação de outubro/2018), em reais sai a R$ 5.010, quase a mesma coisa.

Já um notebook da Dell modelo Inspiron 15 500, processador Intel Core i5, 8GB de memória e 1 TB de HD custa 629 euros na Irlanda R$ 2.673. O mesmo modelo sai por R$ 3.918, pouco mais de R$ 1.000 de diferença.

Por isso, vale a pena pesquisar antes de sair do Brasil e estudar se a compra compensa ou não.

Média de preços de aparelhos eletrônicos na Irlanda:

iPhone X é vendido na Irlanda por 1.179 euros.© Bigtunaonline | Dreamstime.com

iPhone X é vendido na Irlanda por 1.179 euros.© Bigtunaonline | Dreamstime.com

  1. iPhone 8 – 709 euros
  2. iPhone X – 1.179 euros
  3. iPad Pro – 909 euros
  4. Macbook Air – 1.379 euros
  5. Samsumg Galaxy S9 – 969 euros
  6. Notebook Dell – 629 euros
  7. Notebook Microsoft Surface – 1.169 euros
  8. Caixa de Som JBL Charge 3 – 142 euros

Compre em brechós e “charity shops” ao chegar na Irlanda

A Irlanda possui uma tradição de compra e venda de roupas usadas. Os brechós (ou “second hand”) geralmente são administrados por instituições filantrópicas, por isso o nome “charity shop” (loja de caridade). Eles estão espalhados por toda a ilha. A ICSA – Irish Charity Shops Association (Associação das Lojas de Caridade da Irlanda) possui 40 instituições cadastradas que administram 440 lojas por todo o país. A renda vai para auxiliar idosos, sem-teto, crianças, imigrantes, entre outros projetos.

Não leve roupas de frio, prefira comprar as apropriados nos brechós da Irlanda.© Olga Vorobeva | Dreamstime.com

Não leve roupas de frio, prefira comprar as apropriados nos brechós da Irlanda.© Olga Vorobeva | Dreamstime.com

Além de praticar a caridade, comprar em “charity shops” é uma grande vantagem, principalmente quando o assunto é roupa de frio. São muitos casacos, sobretudos, cachecóis, jumpers, botas, entre muitos outros itens de vestuário, muitas vezes de marcas famosas, disponíveis para a venda a preços bem em conta, já que essas roupas são doadas e depois lavadas e reformadas para a venda.

Nem todos os brechós são de instituições de caridade. Alguns deles são famosos por terem estilos mais excêntricos, outros pela diversidade ou com marcas mais caras. O que não faltam são opções para explorar. O E-Dublin listou alguns deles localizados em Dublin.

Lista de 15 brechós em Dublin:

Há vários brechós em Dublin, Oxfam é um deles.© Chris Dorney | Dreamstime.com

Há vários brechós em Dublin, Oxfam é um deles.© Chris Dorney | Dreamstime.com

  1. Vincent, Rathmines
  2. Barnardos, Rathmines
  3. Oxfam, Rathmines
  4. Irish Cancer Society, Rathmines
  5. Simon Community, Camden Street
  6. Age Action, Camden Street
  7. Irish Cancer Society, Camden Street
  8. Debra, Camden Street
  9. Wa Wa, Aungier Street
  10. Vincent’s, Aungier Street
  11. Enable Ireland, George’s Street
  12. Vincent’s, George’s Street
  13. Oxfam, George’s Street
  14. Second Abbey, Abbey Street Lower
  15. Gorta, Enable Ireland, Irish Cancer Society, Capel Street

Vale a pena comprar usados nos Grupos no Facebook?

Uma forma popular de comprar e vender na Irlanda é por meio das páginas do Facebook destinadas a brasileiros que moram ou fazem intercâmbio na ilha. Como a rotatividade é grande por conta do período limitado de visto para intercambistas, muitos deles acabam vendendo bem mais barato (ou até doando) peças de roupa por meio da rede social.

Uma forma popular de comprar e vender na Irlanda é por meio das páginas do Facebook.© Jarretera | Dreamstime.com

Uma forma popular de comprar e vender na Irlanda é por meio das páginas do Facebook.© Jarretera | Dreamstime.com

São muitos os grupos com o nome Classificados Dublin. O maior deles possui mais de 100 mil membros. Outros variam entre Brasileiros em Dublin, Brasileiros na Irlanda, Brasileiros em Cork (ou outra cidade irlandesa).

Além de vestuário, roupas de cama, toalhas, coisinhas para casa, micro-ondas, televisão, entre outros objetos, podem ser encontrados nos grupos de discussão.

Quero levar meu animal de estimação? Como proceder?

Trazer um bichinho de estimação na viagem para a Irlanda é uma tarefa que exige preparo. Semanas antes do embarque, o dono do pet precisa começar a planejar a viagem de seu filho de quatro patas. Existe um período de quarentena. O cão ou gato precisa tomar novamente a vacina da raiva e aguardar 90 dias para viajar. Isso vai comprovar, de fato, que ele está imune à doença. Também é preciso microchipar o pet ainda no Brasil. Outro processo é o da sorologia, que vai comprovar que a saúde do pet está em dia.

xx

Cães ou gatos precisam ser transportados como “carga” para chegar na Irlanda. Foto: Shutterstock

Os animais de estimação precisam ser transportados como cargas especiais (por uma pessoa jurídica) em voos para Irlanda, diferente de outros países da Europa em que o cão ou gato pode acompanhar o dono na cabine. Por isso, é preciso contratar uma empresa especializada na viagem de pets. No entanto, o valor pode ser bem mais caro que uma passagem comum de uma pessoa.

Uma alternativa para economizar é fazer o transporte com uma companhia que permite o voo com o animal na cabine até um país que não exige o transporte via carga, como Portugal, por exemplo. A partir deste país é possível contratar uma empresa terceirizada para fazer o transporte via carga até Dublin.

Se o dono não quer se afastar nem um segundo do seu animal de estimação, uma alternativa é pegar um avião até a França com a companhia AirFrance, que permite pets na cabine, e da França viajar de ferry-boat até a Irlanda.

Passo a passo de como levar animais de estimação do Brasil à Irlanda:

Como levar animais de estimação do Brasil à Irlanda.© Damedeeso | Dreamstime.com

Como levar animais de estimação do Brasil à Irlanda.© Damedeeso | Dreamstime.com

  1. Microchipar o animal de acordo com os padrões internacionais
  2. Encontrar uma companhia aérea que faça o transporte de animais de estimação
  3. Confirmar se todos os voos do trajeto (incluindo conexões) fazem o transporte
  4. Encontrar companhia tercerizada para o transporte do pet como carga
  5. Confirmar se os aeroportos das conexões permitem o desembarque dos animais ou se exigem documentação específica
  6. Reservar antecipadamente o transporte do animal por conta do limite por voo
  7. Adquirir caixa para transporte dentro dos padrões exigidos, com trancas de cadeado ou lacre
  8. Alimente o bicho até três horas antes do voo
  9. Dica: coloque uma peça de vestuário com seu cheiro dentro da caixa de transporte
  10. Vacina anti-rábica precisa ser aplicada até três meses antes do voo ou estar dentro do prazo de um ano
  11. Passaporte do pet (não é obrigatório, mas auxilia na identificação)
  12. Sorologia do animal (após 30 dias da vacinação contra raiva) 90 dias antes da viagem para comprovar saúde em dia
  13. Carteira de vacinação em dia
  14. Certificado de saúde assinado pelo veterinário
  15. Emitir certificado CZI (zoosanitário) internacional
  16. É proibido sedar o animal para o transporte, mas a área em que ficam é igual a uma cabine de avião, sendo seguro, bem ventilado e confortável

Restrições de bagagens nos aeroportos

Segundo regulamentação internacional para voos, uma série de restrições é estabelecida para proibir diversos itens nas bagagens de mão e nas despachadas. As regras são explicadas na Portaria 676 da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

O que fazer se a sua mala for extraviada? Pode acontecer. Foto: Nomadsoul1 | Dreamstime

O que fazer se a sua mala for extraviada? Pode acontecer. Foto: Nomadsoul1 | Dreamstime

 

Restrições para bagagens de mão:

Algumas restrições para bagagens de mão, como os pontiagudos.© Vadim Ginzburg | Dreamstime.com

Algumas restrições para bagagens de mão, como os pontiagudos.© Vadim Ginzburg | Dreamstime.com

  1. Armas: de fogo, de pressão, de choque elétrico ou químicas (inclusive réplicas ou de brinquedo), estilingue, sprays de pimenta, ácidos ou neutralizantes)
  2. Objetos pontiagudos ou cortantes: tesouras, cortadores de unha, pinças, etc.
  3. Armas brancas: machados, picadores de gelo, estiletes, equipamentos de artes marciais, navalhas, facas, tesouras, canivetes ou instrumentos multifuncionais com lâminas superiores a 6 cm
  4. Ferramentas de trabalho: Pés de cabra e alavancas similares, furadeiras e brocas (inclusive portáteis e sem fio), chaves e fendas e cinzéis com lâmina ou haste superior a 6 cm, serras (inclusive portáteis ou sem fio), maçaricos, martelos, marretas, pistolas de pregos (e similares), dispositivos de alarmes.
  5. Substâncias explosivas, incendiárias ou inflamáveis: explosivos, munições, espoletas, fusíveis, detonadores, estopins, minas, granadas ou similares, fotos de artifício, cartuchos geradores de fumaça, dinamite, pólvora, pós metálicos e similares, líquidos inflamáveis, aerossóis, gases inflamáveis, isqueiros do tipo maçarico, repelentes de animais em aerossóis
  6. Substâncias químicas, tóxicas e outros itens perigosos: cloro, alvejantes líquidos, baterias com líquidos corrosivos derramáveis, mercúrio, ácidos, venenos, materiais infecciosos e radioativos
  7. Líquidos e géis em embalagens com mais de 100ml: limite máximo de líquidos a ser transportado deve caber em uma embalagem plástica transparente de no máximo 1 litro com fechamento hermético (tipo ziplock).
  8. Medicamentos: apenas com prescrição médica
  9. Alimentos especiais: é permitido apenas alimentação de bebês e líquidos de dietas especiais, que poderão ser transportados na quantidade necessária à utilização no período total de voo (incluídas eventuais escalas) e deverão ser apresentados no momento da inspeção de segurança.

Itens proibidos na bagagem despachada (e, claro, de mão também):

Líquidos inflamáveis são proibidos despachos.© Baloncici | Dreamstime.com

Líquidos inflamáveis são proibidos despachos.© Baloncici | Dreamstime.com

  1. Dispositivos de alarme.
  2. Explosivos, inclusive cartuchos vazios, munições, material pirotécnico, armas de caça, armas portáteis e fogos de artifício.
  3. Gases (inflamáveis, não inflamáveis e venenosos), tais como butano, oxigênio, propano e cilindros de oxigênio.
  4. Líquidos inflamáveis usados como combustível para isqueiros, aquecimento ou outras aplicações.
  5. Sólidos inflamáveis, tais como fósforo e artigos de fácil ignição.
  6. Substância de combustão espontânea.
  7. Substância que, em contato com a água, emita gases inflamáveis.
  8. Materiais oxidantes, tais como pó de cal, descorantes químicos e peróxidos.
  9. Substâncias venenosas (tóxicas) e infecciosas, tais como arsênio, cianidas, inseticidas e desfolhantes
  10. Materiais radioativos.
  11. Materiais corrosivos, tais como mercúrio, ácidos, alcalóides e baterias com líquido corrosivo.
  12. Materiais magnéticos.
  13. Agentes biológicos, tais como bactérias e vírus.
  14. Produtos perecíveis contendo gelo em barras ou cubos soltos no interior da embalagem.
  15. Quaisquer tipos de tinta (inclusive serigráfica).
  16. Produtos perecíveis e alimentícios, comestíveis em geral devem ser acomodados em embalagem à prova de vazamentos, abertura acidental ou mau cheiro.
  17. Transporte de armas, deverão ser observadas as restrições e instruções especiais tratadas em legislação específica.

Itens que são considerados como bagagem especial:

A prancha de surf é um item que é considerados como bagagem especial.© Elizaveta Galitskaya | Dreamstime.com

A prancha de surf é um item que é considerados como bagagem especial.© Elizaveta Galitskaya | Dreamstime.com

  1. Vara de pescar
  2. Prancha de surf
  3. Bicicleta
  4. Ski/snowboad por unidade
  5. Arco e flecha
  6. Kite surf
  7. Patinete
  8. Caiaque
  9. Windsurf

Regras de pesos e medidas de bagagens

Novas regras da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) estabelecem que empresas que realizam viagens internacionais não são mais obrigadas a liberar um certo número de bagagens ou peso pré-estabelecidos.

Empresas podem cobrar por bagagem e peso extra.© Paffy1969 | Dreamstime.com

Empresas podem cobrar por bagagem e peso extra.© Paffy1969 | Dreamstime.com

Sendo assim, podem cobrar por bagagem e peso extra, de modo que é preciso verificar as regras de cada empresa antes de embarcar. É importante saber que no caso de escalas, prevalece as regras de bagagem da companhia que atua majoritariamente no voo. Exemplo: um voo comprado do Brasil para Dublin, com escala em Londres. Vale as regras da companhia que leva o passageiro do Brasil para Londres.

Pesos, medidas e taxas de bagagens das principais companhias brasileiras para voos internacionais na classe econômica:

Avianca

Passageiro Avianca pode despachar até duas bagagens dependendo do país.© Santiago Rodríguez Fontoba | Dreamstime.com

Passageiro Avianca pode despachar até duas bagagens dependendo do país.© Santiago Rodríguez Fontoba | Dreamstime.com

O passageiro tem direito a levar uma mala (23 kg) despachada em voos para América Latina e duas malas (23 kg cada) para voos para os Estados Unidos. A bagagem despachada precisa ter  158 cm, somadas as três dimensões de largura, altura e comprimento. É permitido uma mala de mão (máximo 10 kg e 35 cm de largura, 55 cm de altura, 25 cm de profundidade) e um item pessoal para levar junto à poltrona (45 cm de largura, 35 cm de altura, 20 cm de profundidade).

Azul

A companhia aérea Azul, em seus voos internacionais, permite duas malas.© Tupungato | Dreamstime.com

A companhia aérea Azul, em seus voos internacionais, permite duas malas.© Tupungato | Dreamstime.com

A companhia aérea Azul, em seus voos internacionais, permite duas malas (23kg cada) para os Estados Unidos e Lisboa na tarifa econômica. Em voos pela América do Sul, uma mala despachada (23 kg) é inclusa na tarifa Mais Azul, mas custa 20 dólares (na compra pela internet) e 30 dólares (no guichê do check in) na tarifa comum. Uma bagagem de mão é permitida em todos os voos. Ela precisa ter no máximo 10 kg e 115 cm na soma de todas as suas medidas.

Gol

Na Gol a bagagem de despache não é oferecida gratuitamente em voos Promo ou Light. © Boarding1now | Dreamstime.com

Na Gol a bagagem de despache não é oferecida gratuitamente em voos Promo ou Light. © Boarding1now | Dreamstime.com

Uma mala de mão é permitida em todos os voos, além de uma peça pessoal para levar nas mãos. A bagagem de cabine deve respeitar o máximo de 10 kg e as dimensões 40 x 25 x 55 cm (comprimento x largura x altura). A passagem despachada deve seguir o tamanho  50 x 28 x 80 cm (comprimento x largura x altura) e o máximo de 23 kg. Ela não é oferecida gratuitamente em voos Promo ou Light. O espaço deve ser adquirido durante a compra da passagem e custa R$ 50 (pela internet) ou R$ 100 (no balcão check in). Elas estão incluídas apenas nos voos Plus (uma bagagem de 23 kg) e  Max e Premium Economy (duas bagagens de 23 kg cada).

Latam

Em voos internacionais, é possível levar duas bagagens de até 23 kg sem adicional.© Andre DurÃo | Dreamstime.com

Em voos internacionais, é possível levar duas bagagens de até 23 kg sem adicional.© Andre DurÃo | Dreamstime.com

Voos para América do Sul nas tarifas Promo e Light tem cobrança a partir de 20 dólares para malas despachadas, mas é possível levar mala de mão de até 10 kg sem cobrança. Em outros voos internacionais, é possível levar duas bagagens de até 23 kg sem adicional.

Extravios de bagagem? O que fazer?

Em voos internacionais com uma ou mais escalas o extravio da bagagem é algo normal. Pelas mudanças de voo, muitas vezes rápida, a mala pode tomar outros caminhos e chegar depois ao aeroporto de destino. Por isso, não há de se preocupar. Geralmente a companhia aérea resolve com facilidade o problema e entrega a mala em mãos no lugar onde você estiver. Porém, existem regras, prazos e multas no caso de malas perdidas, furtadas ou avariadas.

Em voos internacionais o extravio da bagagem é algo normal.© Toxawww | Dreamstime.com

Em voos internacionais o extravio da bagagem é algo normal.© Toxawww | Dreamstime.com

De acordo com a Anac, não encontrando a bagagem na esteira de retirada, o passageiro deve comunicar imediatamente o extravio à companhia aérea. Geralmente, as empresas possuem balcões específicos para isso próximo às esteiras de malas. Elas pedem para que o passageiro preencha uma ficha indicando a mala, número do voo, contato telefônico, endereço, etc. Por isso, é importante e essencial guardar o comprovante de despacho da bagagem para identificação precisa.

Segundo a Anac, a bagagem poderá permanecer na condição de extraviada por, no máximo, 7 dias (voos nacionais) e 21 dias (voos internacionais). Se não encontrada, a companhia aérea deverá indenizar o passageiro em até 7 dias. São as empresas aéreas as responsáveis por definir a forma e os limites diários de ressarcimento.

De acordo com a Convenção de Varsóvia, porém, a responsabilidade da companhia aérea custa 20 dólares por quilo de bagagem extraviada. Existe a possibilidade do passageiro fazer uma Declaração Especial de Interesse que pontua qual é o conteúdo da mala. Com esse documento, é possível ser indenizado integralmente em caso de extravio.

Dano, violação ou furto da bagagem

Encontrada a bagagem violada ou com dano, a empresa deve ser comunicada.© Wave Break Media Ltd | Dreamstime.com

Encontrada a bagagem violada ou com dano, a empresa deve ser comunicada.© Wave Break Media Ltd | Dreamstime.com

Encontrada a bagagem violada ou com dano, a empresa deve ser comunicada imediatamente. O passageiro deve fazer um comunicado por escrito em até sete dias após o desembarque ou recebimento da bagagem. É preciso comprovar os danos causados para o pagamento de indenização correspondente.

Já no caso de furto, a empresa também precisa ser comunicada, pois é responsável pela bagagem do momento do despache até a retirada. O passageiro também é orientado a fazer um BO (Boletim de Ocorrência) na polícia.

A difícil tarefa de fazer a mala na volta ao Brasil

Fazer as malas para sair do Brasil e chegar na Irlanda para iniciar o intercâmbio pode parecer difícil, porém quase ninguém se lembra de um desafio ainda maior: a volta para o Brasil. O momento é sofrido para muitos intercambistas que precisam aplicar o desapego para conseguir encaixar tudo no volume permitido para embarcar de volta. Depois de semanas de passeios, viagens e, claro, compras, escolher o essencial pode ser bem complicado.

O difícil é conseguir encaixar tudo na mala de volta para o Brasil. © Picstudio | Dreamstime.com

O difícil é conseguir encaixar tudo na mala de volta para o Brasil. © Picstudio | Dreamstime.com

Os mais apegados podem escolher outras opções como enviar bagagem pelo correio ou viajar de cruzeiro para o Brasil, que permite mais bagagens a bordo.

Como desapegar?

Na hora de desapegar pensa no que vai caber na mala e o que vai usar.© Lithian | Dreamstime.com

Na hora de desapegar pensa no que vai caber na mala e o que vai usar.© Lithian | Dreamstime.com

Sabe aquele checklist que você fez no Brasil antes de embarcar para a Irlanda? Pois é, agora para voltar é preciso fazer o mesmo processo, porém, pensando no que é possível desapegar. É claro que aquela jaqueta super-reforçada que você usou o inverno todo é linda, mas será que vai ser usual no inverno brasileiro? Esse é só um exemplo, mas

Nesse checklist, pense em tudo o que é possível vender nos classificados brasileiros (como citado acima) para brasileiros que estão chegando agora na Irlanda e precisam comprar objetos, roupas de frio entre outras coisas mais baratas.

O que você não vai precisar levar embora com você para o Brasil:

Bicicleta não precisar levar para o Brasil.© Tatyana Nyshko | Dreamstime.com

Bicicleta não precisar levar para o Brasil.© Tatyana Nyshko | Dreamstime.com

  1. Blusa de frio super-reforçada
  2. Meias grossas
  3. Duvet ou roupa de cama em geral
  4. Kettle (usado para esquentar água)
  5. Eletrodomésticos em geral
  6. Bicicleta
  7. Botas cano alto

Mala por correspondência, como funciona?

Mala por correspondência passa por fiscalização da receita federal e pode ser taxada.© jaouad elkhamluchi | Dreamstime.com

Mala por correspondência passa por fiscalização da receita federal e pode ser taxada.© jaouad elkhamluchi | Dreamstime.com

Enviar um pacote de objetos para o Brasil, como forma de conseguir manter algumas coisas adquiridas no intercâmbio, pode custar um pouco mais caro que o esperado. Os preços variam com o peso da caixa e a urgência. Eles variam entre 40 e 80 euros, em média.

Além disso, os produtos enviados passam por fiscalização da receita federal e podem ser taxados ao chegar ao centro de recebimento em Curitiba.

Outro ponto a ser questionado é o extravio. Apesar de haver opção de seguro para o envio, é sempre desconfortável para o usuário ter seus pertences pessoais extraviados. Há inúmeros relatos de brasileiros que passaram pelo problema.

No frigir dos ovos, vale uma reflexão para avaliar se o correio vale a pena mesmo. Dependendo do peso, pagar uma mala extra para levar no voo compensa, tanto pela segurança como pela facilidade de levar seus objetos junto com você, de forma mais segura. Vale a pena visitar o PostOffice irlandês e conversar sobre a possibilidade de enviar suas coisas por correspondência.

Preço de envio de correspondência da Irlanda para o Brasil:

Preço de envio de correspondência da Irlanda para o Brasil depende da urgência.© Xuanmai2009 | Dreamstime.com

Preço de envio de correspondência da Irlanda para o Brasil depende da urgência.© Xuanmai2009 | Dreamstime.com

  1. Envio comum (8 a 10 dias úteis, até 2,5 kg): 40 euros
  2. Envio premium (entrega segura com seguro): 49 euros
  3. Correio internacional (entrega rápida, 1 a 5 dias úteis): 77,5 euros

Existe ainda a opção de enviar a mala via contâiner. O custo pode ser bem mais em conta, em torno de 60 euros. A duração do frete é de 30 a 60 dias. É importante pagar todas as taxas necessárias para evitar surpresas. Também, se possível, contrate uma empresa que envie sua bagagem até sua casa para não precisar retirar em algum porto ou então pagar a mais para o envio terrestre.

Enviando mala por contêiner:

O envio da mala via contêiner deve ser em caixas numeradas.© Pressfoto | Dreamstime.com

O envio da mala via contêiner deve ser em caixas numeradas.© Pressfoto | Dreamstime.com

  1. Conteúdo deve ser disponibilizado em caixas numeradas
  2. Faça uma declaração de bens autenticada com valor total
  3. Não coloque objetos de valor (laptop, máquina fotográfica, etc)
  4. Contrate a empresa de frete direto
  5. Leia contrato para evitar taxas extras na retirada
  6. Retire uma declaração de residência consularizada na Embaixada Brasileira
  7. Documentação necessária: RG, CPF, comprovante de residência autenticado e passagem aérea

Outra opção é conseguir que algum brasileiro que esteja viajando para o Brasil possa levar seus objetos na bagagem. Geralmente cobra-se uma taxa para isso, mas que é bem mais em conta que o envio por postagem.

Cruzeiro para o Brasil

No cruzeiro da Europa para o Brasil, o limite de bagagens e peso depende de cada cruzeiro.© Brett Critchley | Dreamstime.com

No cruzeiro da Europa para o Brasil, o limite de bagagens e peso depende de cada cruzeiro.© Brett Critchley | Dreamstime.com

Você sabia que existem diversos transatlânticos que saem da Europa em direção ao Brasil? Além de um belo passeio, passando por diversas cidades europeias, esse também pode ser seu meio de transporte para voltar à sua terra natal. E o mais importante, via navegação, é permitido portar mais bagagem incluído no valor da passagem.

O limite de bagagens e peso depende de cada cruzeiro, assim como as companhias aéreas. Mas no geral, é permitido levar até 90 kg separados em três malas, além da bagagem de mão. Ou seja, uma média de 30 kg por mala.Outubro é o mês em que mais cruzeiros fazem o trajeto até o Brasil, passando por cidades como Recife, Salvador, Rio de Janeiro e Santos.

Rael Pimenta
Rael Pimenta, Mineira, casada, mãe de dois meninos, jornalista por formação, empreendedora, amante de viagens e causos da vida real. Apaixonada pela Irlanda desde 2011, quando desembarcou na Ilha para um intercâmbio.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar