Lutador brasileiro Hugo Borim estreia no MMA da Irlanda

Lutador brasileiro Hugo Borim estreia no MMA da Irlanda

Rubinho Vitti

5 dias atrás

Vivendo na Irlanda há pouco mais de seis anos, o lutador brasileiro Hugo Borim da Rocha vai estrear no MMA do país no próximo mês. Ele luta no dia 6 de dezembro dentro do campeonato Clan Wars 38, que terá transmissão ao vivo pela internet.

Nascido na periferia de São Paulo, Hugo carrega consigo uma história de superação. Já foi ator, modelo e empresário no Brasil, mas largou tudo para viver na Europa.

No Velho Continente, trabalhou como palhaço nas ruas de Dublin e usou o dinheiro ganho para percorrer mais de dez países europeus. De volta à Dublin, participou de campeonatos de Jiu-Jitsu, ministrou seminários e acabou conquistando seu espaço no esporte do país.

Hugo conversou com o E-Dublin e falou um pouco sobre sua trajetória e sobre a sua estreia nos tatames de MMA da ilha.

História de luta desde criança

Hugo saiu da periferia de São Paulo para lutar Jiu Jitsu na Europa. Foto: Adam James (@adamjamesdop)

A história de luta de Hugo começou quando tinha apenas seis anos e praticava capoeira. “Nunca consegui dar muita sequência porque tive diversos problemas na infância. Era gordinho, hiperativo e tive diversos problemas com álcool e drogas. Nasci em Capão Redondo, sofri muito bullying e apanhei muito na rua”, conta.

Ele narra que os maus hábitos nas ruas e o mau desempenho na escola eram uma dificuldade para a família. “Eu só fui parar com a vida das ruas quando eu perdi uma competição aos 16 anos e meu professor me perguntou se eu queria lutar ou ser um viciado ou um criminoso”, relembra.

A partir daí, Hugo escolheu ser um atleta profissional de Jiu Jitsu. “Como um morador da periferia eu não conseguia me sustentar só fazendo Jiu Jitsu. Eu precisava trabalhar e, assim, quando fiz 20 anos de idade, eu decidi sair do Brasil em busca de viver do que eu amava”, relembra.

Entrando no universo do MMA

Hugo treina MMA em Dublin desde 2019, na SBG Charlestown. Foto: Adam James (@adamjamesdop)

Já na Europa, Hugo teve sua própria academia e fez trabalho voluntário com jovens irlandeses, conforme contou em sua primeira entrevista ao E-Dublin, em 2014.

Em 2017, Hugo foi atrás de sua cidadania italiana quando acabou conhecendo um coach que o convidou para fazer parte de um time de MMA no norte da Itália. “Depois de três meses intensos eu ganhei o campeonato italiano de MMA amador”, ressalta.

De volta a Dublin, em junho de 2019, Hugo entrou para a SBG Dublin, uma das melhores academias de MMA de Dublin. Ele ganhou o mundial de Jiu Jitsu em dezembro de 2019, depois de seis meses de treino no local.

“Tinham bastante treinos de MMA na academia eu decidi fazer as aulas à convite de nosso coach, Owen Roddy, que por sinal também é o coach do Conor McGregor”, disse.

Hugo já tinha lutado MMA amador e já havia ganho a maioria dos títulos no Jiu Jitsu. Para o treinador, era hora de um passo maior, o MMA.

“No Jiu Jitsu, eu já ganhei o campeonato paulista, brasileiro, europeu e o último foi o mundial. Por isso, achei que seria a hora certa para migrar para o MMA, já que eu tenho mais 10 anos na minha ‘prime’ e não quero morrer com a sensação de que deveria ter feito quando tinha tempo. ‘We only live once’”, disse.

Leia também: Coronavírus: os efeitos no calendário esportivo no mundo

A primeira luta de MMA na Irlanda

Hugo durante treino com o coach Owen Roddy, que também treina o Conor McGregor, na SBG Charlestown. Foto: Adam James (@adamjamesdop)

O campeonato Clan Wars 38 será o primeiro de Hugo em terras irlandesas e com um treinador de peso no país. “Estou muito feliz de ser o primeiro atleta brasileiro de MMA formado pelo coach Owen Roddy, que é uma pessoa bem conhecida no mundo do MMA”, disse.

O Clan Wars é um dos eventos de MMA irlandês mais antigos do país. Ele está há mais de um ano tentando entrar no campeonato. O oponente é irlandês tem mais experiência que Hugo mas, segundo ele, não haverá problema. “Estou muito preparado e vai ser tempo ruim o tempo todo.”

A categoria que Hugo está é acima de seu peso ideal. Mas ele tira de letra.

“A maior dificuldade é sempre a dieta. Como adoro comer porcaria com os meus filhos no final de semana, cortar peso é sempre a parte mais difícil, mas como é acima do meu peso eu estou megafeliz em ter essa oportunidade de lutar comendo pizza e tomando sorvete (risos). O mais importante é representar o Brasil em grande estilo.”

Hugo ressalta que, por causa do coronavírus, não haverá plateia e, por isso, ele não terá a comunidade brasileira mais perto, como ele queria. Assim, ele pede que o suporte seja online.

Para assistir à luta de Hugo no Clan Wars basta entrar no link do campeonato e se cadastrar.

Rubinho Vitti
Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar