Intercâmbio em Dublin: tudo o que você precisa saber

Intercâmbio em Dublin: tudo o que você precisa saber

Elizabeth Gonçalves

2 meses atrás

Quanto custa um intercâmbio?

Não vendemos pacotes e nem somos agência,
mas podemos te colocar em contato com elas.

A Irlanda é um dos principais destinos escolhidos por estudantes internacionais que pretendem aprimorar o inglês. Isso se deve, principalmente, pelo fato de o visto de estudante, válido por 8 meses, permitir que os estudantes trabalhem durante meio período (20 horas semanais); e, nos meses oficiais de férias do país (maio a agosto e dezembro), é possível trabalhar em período integral (40 horas semanais).

O salário irlandês é outro atrativo, já que, em 2020, o valor por hora será de  €10,10. O salário pode ajudar bastante nas despesas do dia a dia, como aluguel, mercado ou quando você quiser sair pra conhecer os diversos pubs espalhados pelo país.

Além dessas vantagens, a Irlanda se destaca pela variedade de cidades que oferecem programas de intercâmbio para estudantes estrangeiros e, é claro, a capital Dublin desponta como a primeira opção. Para entender um pouco mais o que faz de Dublin uma cidade tentadora para o seu intercâmbio, vamos destacar, neste guia, todos os prós e contras da capital irlandesa para estudantes internacionais. Vamos nessa?

Vantagens de estudar na Irlanda

O povo irlandês é conhecido por sua hospitalidade. Muita gente até compara os irlandeses com os brasileiros nesse quesito, pois eles podem ser tão calorosos como nós. Eles também valorizam bastante a força de vontade dos brasileiros, principalmente quando o assunto é trabalho.

Dublin é também uma cidade multicultural. Por ser extremamente cosmopolita, Dublin atrai não só intercambistas, mas turistas do mundo todo. Durante o tempo que estiver no país, certamente fará amigos não só irlandeses, mas também outros brasileiros, franceses, coreanos, mexicanos, americanos, e de tantos outros lugares. Essa troca de costumes e culturas é uma experiência única e enriquecedora durante o intercâmbio.

Como a Irlanda faz parte da União Europeia, é muito fácil viajar para os mais variados destinos no continente. Dessa forma não será problema entrar e sair do país enquanto seu visto estiver válido. Dublin também é sede de cia aérea de baixo custo Ryanair. Isso significa voos com preços impressionantes (muitas vezes por menos de 15 euros) para destinos como Liverpool, Londres, Paris, Bruxelas e tantos outros. Seu passaporte vai ganhar muitos carimbos novos.

Por que escolher Dublin

Dublin é um dos destinos favoritos para estudar inglês. Foto: Ericlaudonien/ Dreamstime

Capital e a maior cidade da Irlanda, Dublin é uma metrópole encantadora com cara de uma grande vila. Além de muito aconchegante, sua população é hospitaleira e convidativa. Sem falar que atividades culturais e de lazer também não vão faltar.

O maior atrativo para Dublin deve ser o seu povo. É o motivo pelo qual a cidade foi votada recentemente nas 10 principais cidades mais amigáveis do mundo. Isso somado a uma vida noturna agitada além de sua arte e cultura estar entre algumas das mais influentes e vibrantes encontradas em qualquer lugar.

Dublin tem uma história espetacularmente rica, repleta de grande arquitetura e museus de renome internacional. A National Gallery e a Chester Beatty Library são duas das melhores e mais diversificadas; por toda a cidade, desde Farmleigh House em Phoenix Park até Christ Church Cathedral, Trinity College, The Hugh Lane Gallery e o próprio Castelo de Dublin, belos edifícios contam séculos de histórias.

É impossível ficar entediado em Dublin – não importa como você gosta de passar o seu tempo livre. Seja você um apaixonado pela história, um aficionado por arte, um viciado em esportes ou uma coruja da noite, esta cidade possui museus, montanhas, galerias, mercados, vida noturna e muito mais para mantê-lo entretido.

Dublin é casa de multinacionais

É importante ressaltar que Dublin é sede de diversas empresas multinacionais, principalmente na área de tecnologia. Para se ter uma ideia, a capital irlandesa aloca nomes como HP, Dell, Dropbox, Facebook, Google, Yahoo!, Twitter, PayPal e IBM.

Google é uma das multinacionais cuja sede está localizada em Dublin. Foto: Bruno Coelho | Dreamstime

A instalação de multinacionais estrangeiras em Dublin ajudou a aumentar em quase 14.000 o número de empregos na Irlanda. Os resultados de 2019 mostram que o FDI (Foreign Direct Investment) — investimento direto estrangeiro — ofereceu 10,5% dos empregos em todo o país — o dobro de uma década atrás. Nessa área, o emprego cresceu 6% em 2019, o que significa ser o dobro da taxa geral de crescimento de empregos do país.

Qualquer pessoa pode se candidatar às vagas e, dependendo da empresa e da colocação disponível, se candidatar a um visto de trabalho. Só não esqueça que o objetivo principal do intercâmbio deve ser aprender o novo idioma e vivenciar uma nova cultura, portanto, não abandone os estudos para apenas trabalhar!

Quanto custa estudar em Dublin?

A Irlanda é o terceiro país mais procurado pelos brasileiros para se fazer um intercâmbio. Um dos motivos é o custo-benefício. O pacote de 6 meses de curso de inglês, mais dois meses de férias, custa em torno de R$ 15 mil, incluindo 20 horas semanais de aula e duas semanas de hospedagem.

Porém, o estudante ainda terá que arcar com outros gastos como documentação, passagem aérea, custo de seguro saúde, além de 3 mil euros necessários na comprovação da imigração. Vale também acrescentar uns 500 euros a mais para adversidades que podem acontecer no primeiro mês no país.

Isso gera em torno de R$30 mil, mas depende muito da cotação do euro, época escolhida para viajar, qualidade da escola e escolha de agência.

Como funciona o visto para estudar em Dublin?

O visto de estudante, chamado Stamp 2, é concedido sob a condição de o imigrante entrar no país com o objetivo de frequentar aulas regulares, podendo trabalhar até 20h durante o período de aulas e até 40h em meses específicos (entre os meses de junho e setembro; e entre 15 de dezembro e 15 de janeiro).

O prazo de expiração do visto, que tem um total de 8 meses, também deve ser respeitado e o imigrante com esse tipo de permissão não poderá recorrer a nenhum tipo de serviços oferecidos pelo governo, tais como saúde, seguro desemprego, etc. Para se enquadrar nesta categoria de visto é necessário se matricular em um curso com duração mínima de 25 semanas em uma instituição aprovada pelo governo Irlandês e presente na lista ILEP.

Ao desembarcar na Irlanda, o oficial te dará um visto temporário de um mês para que você tenha tempo para providenciar os demais itens necessários ao candidato a estudante no país, comprovando-se assim que você é um estudante genuíno. Esses documentos incluem:

– Carta da escola, com curso de carga mínima semanal de 15h/aula por semana

– Ter seguro governamental ou médico privado de uma empresa estabelecida na Irlanda

– Comprovante de pagamento do curso

– 3.000 euros comprovados em extrato de uma conta em banco irlandês ou outro método aceito pelo governo

– Comprovação de endereço

– Prova de que a escola possui o Learner Protection.

– O valor de 300 euros pelo registro do Irish Residence Permit – IRP

Como solicitar o visto de estudante em Dublin

Os estudantes residentes em Dublin devem realizar agendamento prévio online, através deste link.  Uma vez realizado o agendamento é só se dirigir ao endereço indicado com apenas 15 minutos de antecedência, apresentar os documentos acima e pagar a taxa de 300 euros.

Vale destacar que você pode agendar a sua visita ao escritório da imigração com até 10 semanas de antecedência. Portanto, é recomendável que você já saia do Brasil com o seu agendamento realizado.

Atualmente, apenas estudantes universitários de nível superior que moram na cidade ou condado de Dublin, que tenham-se registrado anteriormente no INIS (Irish Naturalisation and Immigration Service), serviço de imigração da Irlanda, e que estão progredindo para o segundo ou último ano de um curso de graduação, poderão enviar sua inscrição e toda a documentação online, sem precisar pegar filas ou ir pessoalmente fazer a renovação.

Para isso, basta pagar a taxa de inscrição e, em seguida, postar o passaporte original, cartão de IRP original e uma cópia do e-mail de confirmação ao INIS.

Lembramos que o passaporte é necessário para completar o registro, pois sua permissão deve ser colocada em seu documento na forma de um carimbo. Se a solicitação for concedida, ele será carimbado e devolvido ao estudante por uma postagem registrada, e o novo cartão IRP seguirá em uma postagem separada.

Melhor época para fazer intercâmbio em Dublin

Sempre haverá prós e contras na escolha do período da sua viagem de intercâmbio. Se você prefere o verão, por exemplo, a sua viagem pode sair um pouco mais cara, já que nesse período passagens aéreas e atividades no geral são mais caras na Europa, por ser período de férias escolares.

Por outro lado, o clima do verão permite que você aproveite várias das atividades ao ar livre que acontecem somente nesta época do ano, como os famosos festivais.

Para as pessoas que preferem o inverno, também há vantagens: além de economizar nas passagens da viagem, o país estará em baixa temporada, o que permite ao intercambista conhecer melhor o país, pois neste período a quantidade de turistas é bem menor, o que, consequentemente, diminui filas de espera em locais como restaurantes e atrações turísticas.

Se o seu foco é chegar e tentar conseguir logo um emprego, os meses de julho e agosto são ótimos para isto, já que, por ser início do verão, os dias são mais longos e o comércio fica aberto por mais tempo.

No inverno, os meses de outubro e novembro também são bons para quem está em busca de um trabalho, pois novas vagas de emprego temporário surgem por conta das preparações para as festas natalinas. Porém, vale lembrar que, por conta das limitações do visto de estudante, só é possível trabalhar 20h semanais na maior parte do ano, o que pode limitar as possibilidades dos intercambistas.

Apesar das nossas dicas, é importante ressaltar que a melhor época para fazer o intercâmbio na Irlanda também depende do gosto pessoal de cada um, além da adaptação ao clima e do orçamento. Geralmente, os meses escolhidos são sempre abril, maio, junho e setembro, pois o impacto do clima é menor.

Onde morar em Dublin

Se tem algo capaz de tirar o sono dos estudantes na Irlanda — e também de muitos irlandeses — é encontrar um imóvel para alugar a preços minimamente acessíveis. Esse tema já foi debatido aqui no E-Dublin muitas vezes nos últimos anos e, de lá pra cá, praticamente nada mudou.

De acordo com a última pesquisa realizada pelo portal Daft, por exemplo, no último ano houve um aumento de, aproximadamente, 10% no valor dos aluguéis. Com isso, o valor médio nacional do aluguel de um imóvel ultrapassa os 1000 euros mensais.

Encontrar moradia em Dublin é um desafio para os intercambistas. Foto: Yulia Plekhanova | Dreamstime

Não é surpresa para ninguém que Dublin tem os aluguéis mais caros da Irlanda, certo? Pois bem, a pesquisa aponta que quem quiser alugar uma casa ou apartamento completo na região central da cidade, sem dividir imóvel com mais ninguém, precisará desembolsar sozinho, em média, 1900 euros.

O valor cai um pouco na zona norte da cidade, onde a média de custo mensal é cerca de 1761 euros. Entretanto, morar na zona sul de Dublin é ainda mais caro, com preços que podem, até, ultrapassar 2000 euros por mês.

Claro, isso considerando o aluguel completo de uma casa ou apartamento.

Para fugir dos preços altos, recomenda-se evitar a região central de Dublin e buscar os bairros mais periféricos da cidade. O Daft pode ser uma boa opção para se ter uma ideia das médias de valores durante a preparação para o seu intercâmbio.

Como procurar moradia?

Dividir uma casa ou apartamento continua a solução mais em conta para os intercambistas. A região central da cidade é a mais concorrida. Então, se você ainda não arrumou um emprego para ajudar nas despesas ou pretende economizar um pouco mais, considerar os bairros mais afastados vai ajudar.

Durante a busca, fique atento ao portal Daft, onde a maioria das vagas são divulgadas tanto por irlandeses quanto estrangeiros.

Vale se atentar também a grupos do Facebook sobre intercâmbio na Irlanda, onde diversas vagas são publicadas diariamente.

Por questões de segurança, jamais pague o depósito ou alugue uma vaga antes de visita-la pessoalmente. Durante esta ocasião, aproveite para verificar se tudo está regularizado com o landlord e se inteire sobre as regras da casa e quantas pessoas vivem por lá.

Qual a situação dos estudantes brasileiros?

A situação das condições de moradia na Irlanda, principalmente em Dublin, não é das mais animadoras.

Ainda são recorrentes os casos de superlotação de casas e apartamentos. Um dos mais emblemáticos foi um apartamento na região do Temple Bar que virou notícia em rede nacional por hospedar dezenas de pessoas. Os 45 moradores, na sua maioria estudantes e pessoas com baixa renda, estavam alocados em um flat com apenas um chuveiro para atender a 10 apartamentos.

É claro que esse foi um dos casos mais extremos que já vimos por aqui, mas a realidade é que a bolha da crise imobiliária só cresce e não surgem novas opções para hospedar tanta gente que chega na cidade.

Na frustração de visitar várias acomodações, há quem comece a flexibilizar tanto que acaba até topando morar na sala. É colchão no chão, sofá que vira cama e por aí vai. Essas vagas tendem a ser bem mais baratas, mas é necessário um convívio mais que respeitoso e compreensivo de todos na casa, pois você pode estar querendo dormir na mesma hora que alguém quer cozinhar, por exemplo.

Dependendo do caso, você também pode optar por viver como Au Pair Live In, isto é, quando você mora no mesmo local que trabalha. Isso te ajudará a economizar uma boa grana, mas acrescentará o gasto com transporte no seu orçamento, já que as casas costumam ser mais afastadas do centro, onde a maioria das escolas está localizada.

Vale ressaltar, também, que existem muitas pessoas que vão querer te enganar, inclusive brasileiros, infelizmente: moradores que querem cobrar mais ou que passam a vaga e vão embora deixando vários problemas. Tenha atenção, pergunte sobre o contrato da casa, sobre o Landlord. Várias pessoas são expulsas das casas, pois os moradores te aceitam, pegam depósito, mas não avisam o proprietário.

Para viver em Dublin, é preciso colocar todas vantagens e desvantagens na ponta do lápis. Você irá descobrir que morar na Europa não é tão fácil assim.

Como funciona o transporte de Dublin?

Dublin é uma cidade compacta e altamente acessível, que também é bem servida de transporte público.

Transporte público de Dublin é um dos mais caros da Europa. Foto: Drx | Dreamstime

Por outro lado, a cidade possui o quarto sistema de transporte público mais caro do mundo. Assim, uma boa maneira de economizar é adquirir o cartão de transporte de estudante, chamado aqui de Student Leap Card.

O Leap Card de estudante permite que você utiliza o transporte público a vontade, pagando em média 20 euros por semana. Com esse cartão você também pode obter descontos em diversas lojas, perfumarias, restaurantes, cinemas etc.

Os principais meios de transporte público disponíveis em Dublin são:

Ônibus

Dublin possui uma extensa rede de rotas de ônibus públicos, facilitando a locomoção não apenas pelo centro da cidade, mas também pelos subúrbios.

Para facilitar a sua vida, baixe em seu celular o aplicativo do Dublin Bus. Por lá você poderá acompanhar o horário de chegada do seu ônibus em tempo real.

DART

O icônico sistema DART (Dublin Area Rapid Transit) da capital é uma maneira rápida e frequente de viajar pela cidade. O DART atravessa a costa do Mar da Irlanda durante grande parte de sua jornada, criando uma das rotas ferroviárias suburbanas mais pitorescas da Europa.

Os trens circulam regularmente dentro e fora dos horários de pico, são equipados com Wi-Fi gratuito e oferecem uma das maneiras mais rápidas de transitar pela cidade.

Dublin também é um ponto central de chegada e partida para visitantes que desejam explorar o resto do país de trem. Cork, Galway, Limerick, Killarney, Belfast e Sligo são apenas algumas das rotas interurbanas servidas nas duas estações principais da cidade: Heuston e Connolly.

Luas

Luas é o serviço de transporte ferroviário leve de Dublin – um sistema de bonde de superfície, que atravessa a cidade em duas linhas.

Os bilhetes do Luas podem ser comprados nas máquinas de venda na rua. Eles estão disponíveis para viagens individuais, ida e volta, ou flexíveis, cobrindo viagens por sete ou 30 dias. Você também pode utilizar o seu Leap Card para pagar a tarifa.

Melhores universidades de Dublin

O governo irlandês tem deixado bem claro que um dos principais objetivos educacionais do país é aumentar o número de estudantes internacionais inscritos em cursos superiores de graduação, mestrado e doutorado. A meta é que até 2020 o número de estudantes matriculados nessas instituições suba para 44 mil.

Trinity College é uma das mais tradicionais universidades irlandesas. Foto: Aitor Muñoz Muñoz | Dreamstime

E se você está planejando seguir a vida acadêmica na Irlanda e pretende investir num curso em uma instituição renomada, a boa notícia é que muitas universidades na Irlanda têm se destacado em rankings internacionais que avaliam a qualidade do ensino. Um dos principais é o QS World University 2018, no qual sete universidades públicas do país estão classificadas entre as 700 melhores do mundo. Entre elas estão:

Trinity College Dublin

Fundada em 1592, a Trinity é a instituição de ensino superior mais antiga da Irlanda e também a que melhor representa o país no ranking internacional, ocupando a 88ª posição. Mais de 17 mil estudantes estão matriculados na universidade, que oferece cursos nas áreas de artes, humanas, ciências, engenharia e saúde.

University College Dublin

A UCD é outra tradicional universidade irlandesa. Fundada em 1854, ela ocupa atualmente a 168ª posição no ranking. Com mais de 33 mil alunos, a universidade se divide em cinco faculdades. Entre os célebres alunos da universidade, estão nomes como o escritor James Joyce, o ator Gabriel Byrne e o diretor de cinema Neil Jordan.

Dublin City University

Apesar de jovem, fundada em 1975, a DCU tem obtido um ótimo desempenho educacional e ocupa a 391ª posição entre as melhores do mundo. Também localizada em Dublin, a DCU tem mais de 16 mil alunos e oferece cursos nas áreas de engenharia, negócios, artes e ciências.

Dublin Institute of Technology

Fundada em 1887 com foco no ensino técnico no país, o DIT ocupa a 651ª posição no ranking das melhores universidades do mundo. Além disso, é uma das maiores universidades irlandesas, com mais de 20 mil alunos matriculados e é reconhecida pela qualidade em cursos como marketing, arquitetura, engenharia, música, jornalismo, entre outros.

Além das sete instituições mencionadas acima, vale destacar a National University of Ireland Maynooth, que ocupa a 701ª posição no ranking, enquanto a Royal College of Surgeons (RCSI) está entre as 500 melhores universidades de medicina do mundo, de acordo com o ranking da consultoria QS.

Cursos gratuitos pelo programa Springboard

Você sabia que algumas pessoas, incluindo estrangeiros, podem estudar gratuitamente na Irlanda? Sim, é isso mesmo! Anualmente, uma série de cursos extracurriculares, além de graduação, pós e mestrado, são oferecidos pelo programa Springboard.

O foco do programa é oferecer cursos que visem a inserção rápida do participante no mercado de trabalho. É justamente por esse motivo que todos os cursos pertencem às áreas em crescimento no país e que necessitam de mão de obra qualificada, como, por exemplo, TI, finanças, marketing digital, empreendedorismo, entre outras.

O programa é aberto tanto a irlandeses quanto a estrangeiros residentes no país. Entretanto, só é elegível quem está desempregado e possui cadastro no benefício social chamado jobseeker ou que se enquadre em uma das outras categorias elegíveis, que podem ser consultadas aqui.

Estudantes estrangeiros portadores do visto stamp 2 infelizmente não são elegíveis aos cursos do programa Springboard. Por outro lado, a Irlanda possui um número considerável de brasileiros com cidadania europeia ou visto stamp 4. Portanto, se esse é o seu caso e você tem interesse, confira aqui se você se qualifica ao programa.

Ao todo, são oferecidos cursos em 36 universidades e instituições de ensino ao redor do país. Entre os destaques estão DCU, UCD, Griffith College, National College of Ireland, Cork Institute of Technology, entre outras universidades.

A maioria dos cursos são part-time e tem a duração máxima de um ano. Todos são regulados de acordo com o National Framework of Qualifications, chamado de NFQ, e vão desde o nível 6 ao 9 QQI.

Cultura em Dublin

Dublin possui diversas fortificações medievais. Foto: Klodien | Dreamstime

As ruas do centro de Dublin possuem uma rica herança histórica. A cidade, que séculos atrás foi invadida pelos vikings, possui de fortificações medievais e catedrais góticas a elegantes casas georgianas e prédios modernos.

A cidade é também berço de muitos grandes escritores, sendo Oscar Wilde e Samuel Beckett apenas alguns exemplos.

Quando se trata de museus, Dublin abriga na sua National Gallery, obras de Caravaggio, Velazquez, Vermeer, entre outros. Enquanto a biblioteca de Chester Beatty tem uma das maiores coleções de arte oriental e islâmica do mundo.

A música também é uma grande parte da vida de Dublin. Bandas como U2, Westlife, The Dubliners, entre outros, iniciaram suas carreiras musicais na cidade.

O que explorar enquanto estiver em Dublin

Independentemente de como você goste de passar o seu tempo livre, é praticamente impossível ficar entediado em Dublin. Seja você apaixonado por história, aficionado por arte, viciado em esportes, amante da noite etc, Dublin possui uma série de museus, galerias de arte, castelos, montanhas e bares para te manter entretido.

Dublin possui também todas as comodidades que você espera de uma movimentada capital. É compacta e fácil de se locomover.

Boêmio bairro do Temple Bar é um dos preferidos entre turistas. Foto: Alpegor | Dreamstime

Além dos famosos e imperdíveis pubs de Dublin, a cidade possui diversos cafés descolados, além de uma grande variedade de restaurantes.

Quando se trata de pubs, opções não faltam em Dublin. O mais famosinho deles, o The Temple Bar, fica localizado na região de mesmo nome e atrai milhares de turistas que garantem um a foto na frente de sua fachada vermelha icônica.

E é claro que você não vai conhecer os pubs sem pedir uma Guinness, a cerveja local mais famosa. Que tal também conhecer a fábrica dela? Aparentemente é o que os turistas mais gostam de fazer por aqui. A visita da Guinness Storehouse é simplesmente a campeã dos pontos mais visitados em 2018. Mais de 1 milhão de 700 mil turistas passaram por lá.

A cidade conta também com paisagens naturais deslumbrantes. Para isso, basta visitar o Phoenix Park, um dos maiores parques europeus, ou fazer um passeio pelo litoral da cidade, cujo visual é de tirar o fôlego.

Veja também

Ensino superior na Irlanda: Por onde começar?

Elizabeth Gonçalves
Elizabeth Gonçalves, Jornalista viciada em cinema, música e literatura. Paulistana, se apaixonou por Dublin, onde mora há cinco anos e sonha em fazer uma viagem de volta ao mundo.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar