Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Outros Cursos

Intercâmbio para universitários: além do curso de línguas

Elaine Wzorek postou em 09 set 2014

Universidade de Brunel

Universidade de Brunel

Se você pensa que fazer faculdade fora do país ou se envolver com atividades de pesquisa lá fora são sonhos impossíveis, prepare-se para este artigo, pois estudar uma língua estrangeira não é a única modalidade de intercâmbio capaz de proporcionar uma temporada no exterior.

Pensando em oferecer aos alunos uma experiência internacional, muitas universidades brasileiras estão fazendo parcerias com instituições de ensino estrangeiras. Assim, cursar parte da graduação, da pós ou fazer um curso extra fora do país fica mais fácil. Praticamente todas as grandes universidades têm um divisão internacional que oferece suporte para documentação e apoio ao aluno, sem custo. A universidade ainda pode ajudar na intermediação de bolsas de estudo parciais ou integrais.

Entre os critérios para concorrer às bolsas está a proficiência no idioma do país escolhido para o intercâmbio. Como esta é uma exigência que nem todos os universitários conseguem cumprir, quem já fala inglês, espanhol ou outras línguas, como alemão e italiano, pode estar mais perto da bolsa do que imagina! Grande parte dos auxílios não cobre custos de locomoção e acomodação, apenas as mensalidades. Considerando que a anuidade de um bom curso lá fora pode passar dos 40 mil dólares, vale a pena checar!

Parcerias que envolvem cursos aqui no Brasil com especialistas internacionais, pesquisas em conjunto com universidades estrangeiras e troca de informações entre os países também são excelentes oportunidades para incrementar o currículo.

O E-Dublin selecionou alguns programas de instituições brasileiras que podem enviar você para o exterior. De qualquer forma, não deixe de checar na sua universidade se existe algum sistema parecido, pois nem sempre eles são bem divulgados entre os alunos.

Rio de Janeiro

A parceria da Puc do Rio de Janeiro com a University of Oslo, na Noruega, oferece bolsas de estudos para alunos de graduação e pós-graduação. Os cursos fazem parte do programa de verão, duram seis semanas e são ministrados em inglês.

O valor das bolsas é de $3.870,00 para cobrir os gastos com o curso, acomodação, alimentação e seguro saúde. Entre os destaques estão Recursos Humanos, Desenvolvimento Global e Estudos de Mídia.

São Paulo

A Universidade Anhembi Morumbi está entre as 29 instituições da América Latina conveniadas com a Rede Internacional Laureate, que reúne 75 estabelecimentos em 30 países.

Os alunos podem participar de intercâmbios de férias, seis meses ou um ano letivo. O programa não tem por costume ofertar bolsas de estudo, mas a rede oferece algumas oportunidades de subsídio para estudantes com bom desempenho acadêmico.

A FVG tem convênio com cerca de 100 universidades fora do país. Os programas variam de acordo com a instituição. Os cursos de MBA, por exemplo, oferecem aos alunos a chance de experiências práticas e vivência em instituições renomadas no exterior. Só que aí o investimento é mais alto.

Minas Gerais

O Centro Universitário Una tem quatro programas de parcerias internacionais com bolsas de estudo.

Na Florida International University, o aluno bolsista pode cursar um semestre letivo de Engenharia, Tecnologia da Informação, Biologia, Pedagogia ou Rede de Computadores sem custos.

Em Portugal a parceria é com a Universidade de Aveiro e alunos de todos os cursos podem participar. As bolsas não incluem despesas pessoais como deslocamentos e alojamento, cobrindo apenas o valor dos cursos.

Ceará

A UNIFOR (Universidade Federal de Fortaleza) mantém convênio com mais de 100 instituições de ensino superior espalhadas pelo mundo todo. As seleções acontecem de uma a duas vezes por ano. A bolsa subsidia o custo da universidade, mas as outras despesas também ficam por conta do aluno.

Esses são apenas alguns exemplos. Procure se informar na sua universidade e prepare-se para carimbar seu passaporte e viver uma experiência acadêmica internacional!

Este texto foi revisado por Camilla Gómez em Novembro/2014.

Sobre o Autor


Co-fundadora do portal Reinventa Jornalista, brasileira, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná, ex-repórter do E-Dublin TV. Em 2011, deixou o Brasil para aperfeiçoar o inglês e realizar mais um sonho: conhecer a Europa. O intercâmbio, em Dublin, deveria durar 6 meses, mas se estendeu por dois anos e mudou sua forma de ver a vida e a profissão.

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

Trabalho

Engenheiros também têm chances na Irlanda

3 meses atrás, por Deby Pimentel
Ensino Superior

Quais são as melhores universidades irlandesas?

5 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Ensino Superior

MBA na Irlanda: É possível para brasileiros?

7 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Irlanda

Que tal investir em cinema na Irlanda?

8 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Ensino Superior

Como se candidatar a uma universidade em Portugal

8 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Ensino Superior

Saiba como estudar numa universidade na França

9 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Ensino Superior

Como validar o seu diploma na Irlanda

9 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Destinos de Intercâmbio

Que tal estudar em Perugia, Itália?

11 meses atrás, por Colaborador E-Dublin