Irlanda contrata enfermeiros estrangeiros

Irlanda contrata enfermeiros estrangeiros

Ávany França

7 meses atrás

Siga o E-Dublin no Instagram

Recentemente o HSE, órgão responsável pela Saúde Pública na Irlanda lançou uma campanha convidando enfermeiros irlandeses de férias no país para as festas de Natal, a considerarem regressar ao Ilha Esmeralda para o promissor mercado profissional para enfermeiros na Irlanda.

New Year New Career recruitment mostra como o mercado de enfermagem anda pulsante no país e ele está aberto também para estrangeiro. E eu sou um deles. Minha carreira no setor de saúde na Irlanda iniciou-se quando eu ainda possuia apenas o visto de estudante, o stamp 2 e por indicação acabei sendo contratado por uma agência de recrutamento. Consegui a vaga e por oito meses atuei como care staff, trabalhando em diversos hospitais.

Três anos depois aqui estou eu, trabalhando como enfermeiro para o governo irlandês, em um dos hospitais de maior referência na Irlanda. Você deve estar se perguntando como eu cheguei ao mercado profissional pela porta da frente. Pois é essa história que venho contar hoje.

O mercado de enfermeiros na Irlanda

Job Search Human Resources Recruitment Career Concept

Job Search Human Resources Recruitment Career Concept

A verdade é que o setor de enfermagem sempre foi uma boa aposta para quem pretende sair do país e continuar trabalhando na área. Não importa em que lugar do mundo você esteja, como enfermeiro, a sua experiência sempre terá um lugar de destaque. Por isso não é surpresa que no mercado irlandês não seja diferente.

O que mudou de uns anos para cá, é que os enfermeiros irlandeses que antes supriam a demanda tranquilamente do país, debandaram na época da recessão e o resultado é um buraco profissional profundo e muita carência. Ponto positivo para nós estrangeiros que agora temos mais chances de aplicar para vagas na Irlanda.

Por outro lado, a situação nos hospitais irlandeses também contribuíram para a contratação quase diária de novos profissionais, sejam eles irlandeses ou estrangeiros. A Irlanda enfrenta hoje um caos nos hospitais, que chegam a lembrar o Brasil, com macas nos corredores e pacientes a espera de um quarto para internação.

Resultado disso? O mercado está de porta aberta para médicos, enfermeiros e outros profissionais do setor de saúde.

Os filipinos dominam, mas os brasileiros estão descobrindo o setor

Um fato simples para se constatar a abertura para profissionais estrangeiros no setor de saúde é a quantidade de Filipinos que atuam em hospitais e nursing homes na Irlanda. Eles, que possuem boa reputação no setor de saúde internacional, foram talvez os primeiros a observarem a carência na Irlanda e vieram em massa para o país.

Profissionais do leste europeu também marcam presença, mas nós brasileiros estamos começando a adentrar no sistema de saúde irlandês com pompa e circunstância.

Atualmente a Irlanda aparece entre os dez destinos que melhor pagam profissionais enfermeiros ao redor do mundo. O que é um plus par quem quer ter a experiência da profissão em outro continente.

A cidadania europeia com certeza acelerou o meu processo

Como já comentei aqui em um outro texto, eu não entrei no mercado de saúde na Irlanda diretamente como enfermeiro. Antes foram três anos trabalhando como care staff/auxiliar de saúde. Um caminho aliás que eu recomendo, pois como auxiliar, você consegue ir se profissionalizando, conquistando treinamento geralmente oferecido pelas próprias empresas e assim, direcionando a sua carreira no país.

Na primeira agência que trabalhei como auxiliar de saúde havia uma pressão da minha supervisão para que eu conseguisse um visto que me permitisse trabalhar mais horas, já que como estudante, eu só podia atuar 20h por semana. A pressão existia, mas eles continuavam contratando estudantes com stamp 2. Depois descobri que a pressão vinha justamente pela demanda grande que as agências possuem.

No entanto, tenho que dizer, que a minha contratação em uma das melhores instituições de saúde do país, foi mais tranquila pelo fato de eu ter conquistado a cidadania europeia e assim, tem uma maior flexibilidade de trabalho. Porém, a nacionalidade europeia não é um pré-requisito oficial para a contratação.

Requisitos para trabalhar como enfermeiro na Irlanda

É enfermeiro? A Irlanda está a sua procura. © ProductionPerig | Dreamstime.com

É enfermeiro? A Irlanda está a sua procura. © ProductionPerig | Dreamstime.com

O que você precisa mesmo é de informação. Claro, que ao contrário do trabalho como cuidador/auxiliar de saúde, o enfermeiro precisa de certificação, experiência e no caso da Irlanda, de um bom nível de inglês e do IELTS também.

Para nós brasileiros, o processo pode ser aplicado do Brasil, mesmo que a pessoa nunca tenha vindo para a Irlanda antes. Para o processo é realizado online no site do Nursing and Midwifery Board of Ireland – NMBI. Como o setor de saúde é um dos presentes na lista de Critical Skills, as empresas pagam por todo o processo e aplicação do visto do interessado. E em alguns casos ainda dão suporte no processo de relocação, aluguel de moradia e despesas como passagens aéreas pagas.

Atualmente acompanho o processo de alguns colegas brasileiros que estavam na Irlanda como estudante e aplicaram para o visto vagas como enfermeiros. Em alguns desses casos, a pessoa teve que retornar ao Brasil, para iniciar a aplicação por meio da empresa. Existem também uma grande quantidade de enfermeiros brasileiros interessados em iniciar o processo com o NMBI e se programar para respirar novos ares em suas carreiras aqui na Irlanda.

Para  conhecer de perto a experiência de dois brasileiros que estão atuando no mercado Irlandês, aperta o play para o nosso E-Dublincast sobre o tema. 

Sobre o autor:

BrunoCanha

Bruno Canha. Enfermeiro pela Faculdade Anhanguera de Campinas. Com experiência de mais de 10 anos em atendimento hospitalar e domiciliar com foco em gestão da assistência de pacientes de alto grau de complexidade

Avatar
Ávany França, Jornalista por profissão, já passou por editorias de moda, gastronomia, história e turismo. Uma vida sem desafios não foi desenhada para essa baiana de Salvador. Amante das viagens, coleciona mais de 80 destinos no passaporte. Quer saber mais? Corre porque até você terminar de ler esse perfil já terei alguma novidade.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar