Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Trabalho

Já imaginou trabalhar em um “escritório móvel” ao redor do mundo?

Colaborador E-Dublin postou em 24 mar 2017

Se tem um coisa que aprendemos quando fazemos as malas e saímos pelo mundo, é sobre o leque de oportunidades que surge à nossa frente. Caem por terra todos os modelos pré-estabelecidos, o óbvio e, principalmente, o previsível. O post convidado de hoje chega para mostrar um jeito interessante de empreender.

Fugindo das convenções engendradas e do roteiro básico (casa + trabalho + casa), a jovem Edite Amorim mostra que é possível pensar “fora da caixa” e criar um jeito diferente de trabalhar. No seu caso, a fórmula é a mobilidade: seu escritório pode ser qualquer café simpático pelo mundo! As ferramentas? Um laptop sempre em punho, muita criatividade e sempre pensando grande!

Por Edite Amorim, da Thinking Big

Edite Amorim

Edite Amorim “on the go”! Foto: Arquivo Pessoal

Escrevo esta crônica na cafeteria da Fundacão Joan Miró, em Barcelona. Sentei-me com o cortado ao lado – tirei o computador e o caderno da mochila depois de ver rapidamente a exposição e de sentir as ideias para esta crônica chegarem espontaneamente.

Este é o processo que me tem acompanhado há tantos anos – todos os que tenho de freelancer: fazer escritório de qualquer lugar, receber inspiração de todo lugar. Um espaço agradável para sentar, conexão internet, o caderno e uma caneta preta. Se puder acrescentar algo, seriam alguns post-its coloridos. Pronto! O escritório está montado nos lugares onde a vontade de trabalhar se manifestar.

escritório móvel

O escritório móvel. Foto: Arquivo pessoal

Já trabalhei para uma empresa. Já pensei em trabalhar para várias. Mas ao longo dos anos, a conclusão é sempre a mesma: a instabilidade, a precariedade, a necessidade de planificação enorme e a imprevisibilidade do caminho freelancer são compensados largamente pela flexibilidade, liberdade e sensação de criação constante dadas por esta forma de “inventar” o trabalho a cada dia.

Trabalho em progresso

Trabalho em progresso, em cenários distintos! Foto: Arquivo Pessoal

Os recursos estão online e à minha volta. Online encontro as redes sociais, onde divulgo o meu trabalho (FacebookLinkedInTwitter, Youtube), as ferramentas em que crio uma colagem de fotos, como o Canva, onde recolho e guardo artigos ou vídeos de apoio, onde preparo as faturas ou através das quais me comunico com os clientes ou colegas de todo o mundo, como o Skype. Tudo dentro deste computador pequeno, que sempre me acompanha.

E à minha volta estão os amigos com quem partilho pontos de vista diferentes, os colegas de várias áreas que encontro em eventos como as Creative Mornings ou outros eventos abertos, de áreas de interesse distintas; em conferências da minha área; em coffices (café + office) onde vários freelancers trabalham separados, mas juntos de alguma forma.

Workshop em Madrid

Levando a filosofia de “pensar grande” à uma empresa em Madrid. Arquivo Pessoal

Os clientes chegam de maneiras diferentes. Uns porque leram um artigo que escrevi para uma revista; outros porque os contatei através do LinkedIn só porque gostava da forma como apresentavam o seu trabalho; outros porque me viram presencialmente em alguma conferência aberta ou em algum vídeo no meu canal do YouTube.

Quase sempre de formas mais espontâneas, mais coerentes com um caminho mais centrado em “produzir e divulgar o que faço” do que em “vender o que quero fazer”.

Custa e demora mais, é certo, mas os projetos que surgem transformam os clientes em pessoas-com-quem-tomar-um-bom-café e partilhar mais do que faturas e necessidades de empresa. Criam-se relações entre duas partes que, antes de serem profissionais, são pessoas. E com pessoas é sempre mais fácil, direto e interessante desenvolver projetos.

trabalhar em um café

Os cafés também servem de office para reuniões com clientes. Arquivo Pessoal

É por elas, pelas pessoas, que me movo. Raramente, uma empresa me contrata pelo que faço, mas pelo que sou. E é nessa relação de proximidade que nasce a confiança suficiente para me levarem a apresentar uma formação em Moscou, para apresentar um workshop em Estocolmo ou uma palestra em São Paulo. E viajar entre os países torna-se algo comum e simples. Implica apenas a deslocação de uma pessoa e nenhum tempo é perdido, já que os transportes são também oportunidades de continuar a preparar um PowerPoint ou terminar um artigo.

workshop em Galway

Edite Amorim após workshop com jovens irlandeses em Galway. Arquivo Pessoal

E depois há os imprevistos. Os negativos, como o estar muito tempo sem projetos – ou ter vários projetos ao mesmo tempo,que trazem stress excessivo e pouco tempo de respirar. E os positivos, como encontrar colegas que colaboram num projeto no qual se pensa há muito tempo sem saber como implementar.

Não sei se desse lado, do de quem lê, fica mais a ideia de facilidade ou dificuldade. Não sei se devo frisar que, obviamente, nem tudo é fácil, ou se devo destacar que, apesar de muitas vezes ser complicado, é uma forma bonita e compensadora de viver uma profissão que se escolhe.

Quis, sobretudo, levar cada leitor numa viagem por dentro do que é o dia a dia inventado diariamente, do que é ser freelancer empreendedor, de mala nas costas. Com os recursos que vão na mala, as dificuldades ultrapassadas e uma resistência de pôr a paciência à prova. Numa viagem que faz com que um texto comece num museu e acabe num balcão de um bar onde se pede uma caña.

Sobre a autora:
edite
Edite Amorim é uma empreendedora portuguesa, nascida em 1980. Desde 2011, coordena a THINKING-BIG, uma marca que une os conhecimentos da Psicologia Positiva Aplicada a experiências de vida e viagens. Já ministrou vários workshops e desde 2014 tem também o curso online sobre Creative Thinking

Revisado por Tarcísio Junior
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Sobre o Autor


Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do colaborador do E-Dublin e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Quer ver sua matéria no E-Dublin ou ficou interessado em colaborar? Envie sua matéria por aqui!

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio

Recentes e populares

Trabalho

É possível trabalhar com enfermagem na Irlanda?

1 dia atrás, por Elizabeth Gonçalves
E-Dublin TV

Engenharia Elétrica na Irlanda

6 dias atrás, por Edu Giansante
Publicidade

Conquiste uma experiência internacional na Irlanda

1 semana atrás, por Publicidade E-Dublin
Trabalho

5 sites para procurar vagas de marketing na Irlanda

3 semanas atrás, por Elizabeth Gonçalves
Trabalho

Você conhece os contratos de trabalho vigentes na Irlanda?

4 semanas atrás, por Elizabeth Gonçalves
Trabalho

Engenheiros também têm chances na Irlanda

1 mês atrás, por Deby Pimentel
Conte Sua Historia

Meu primeiro emprego na vida foi na Irlanda

2 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
E-Dublin TV

Trabalho de bartender na Irlanda

2 meses atrás, por Edu Giansante
Trabalho

5 sites para procurar emprego na área de saúde

2 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Mercado

Irlanda têm vagas para biotécnicos e químicos

4 meses atrás, por Deby Pimentel
E-Dublin TV

Empreendendo no exterior

4 meses atrás, por Edu Giansante
E-Dublin TV

Visto de trabalho na Irlanda – Hevialand#7

4 meses atrás, por Tarcisio Junior
E-Dublin TV

Como escrever e-mails efetivos

4 meses atrás, por Edu Giansante
E-Dublin TV

Trabalho de chef de cozinha na Irlanda

4 meses atrás, por Edu Giansante