Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Inglês

Já pensou em melhorar o inglês lendo em voz alta?

Colaborador E-Dublin postou em 16 jun 2017

© Lasse Behnke | Dreamstime.com

© Lasse Behnke | Dreamstime.com

Embora soe como uma atividade “forever alone”, um dos maiores poliglotas do mundo, o libanês Ziad Fazah, apostava na prática da conversação solitária. Isso não quer dizer que atividades em grupo não sejam recomendadas, todavia, se você já está em um nível intermediário, também deveria apostar nessa técnica, subestimada por muitos.

Leia em voz alta e deslanche no inglês

Nos meus primeiros meses na Irlanda, tive contato com um centro que prestava serviços à comunidade e havia a possibilidade de fazer aulas extras de inglês gratuitas. Essas aulas eram basicamente leitura em voz alta. A princípio eu duvidei do método e abandonei as aulas. No entanto, depois de algum tempo, resolvi me redimir e descobri sua eficiência – e também o quanto essa prática pode se tornar uma grande aliada no seu aprendizado de uma outra língua.

O método é muito simples e apenas reproduz uma prática muito natural, que é a da correção. Quando conversamos com nativos ou com outras pessoas fluentes, a tendência é que eles corrijam possíveis erros que cometemos sem perceber. E, sejamos honestos, seria muito chato interromper uma pessoa o tempo todo para corrigir sua pronúncia ou um erro qualquer de colocação de uma palavra em uma frase.

Ler em voz alta ajuda na identificação de erros de pronúncia.© Dreamstime.com Agency

Ler em voz alta ajuda na identificação de erros de pronúncia. © Dreamstime.com Agency

A leitura em voz alta é positiva justamente nessa questão e foi o pulo do gato para melhorar minha dicção e pronúncia em inglês. A atividade de ler ou falar em voz alta educa os músculos da fonação e da articulação, disciplinando os movimentos respiratórios. Sem falar que, ao ler em voz alta, você mesmo acaba notando com mais facilidade algo que foi dito incorretamente.

Dentre muitos benefícios da leitura em voz alta, estão o aprendizado muito mais eficaz e intuitivo da gramática em frases bem estruturadas e a aquisição de vocabulário. No mais, a leitura em voz alta também ajuda memorizar a relação entre som e grafia, uma vez que a palavra ouvida é fixada mais fortemente na memória.

Mas como aprender pronúncia se não sei as palavras em inglês?

A primeira e mais preciosa dica de todas é aprender o alfabeto fonético em inglês. Para mim, essa é a melhor contribuição que os professores de inglês podem dar a um estudante. Aprender o alfabeto fonético te ajudará a entender bem melhor os sons da língua inglesa e não sair falando por aí, por exemplo, ‘I’ll make a “caw”’ (call).

Ao aprender o alfabeto fonético, consultar o dicionário fica mais fácil, uma vez você pode descobrir a pronúncia de qualquer palavra. Se você ficou curioso e quer entender um pouco mais, uma busca rápida no YouTube te mostrará vários vídeos dedicados à pronúncia em inglês.

Para os amantes de leitura que tenham o dispositivo Kindle Fire, a dica é tirar vantagem da função em que é possível ler ou alterar entre texto e áudio os seus livros. Assim, você poderá ouvir o áudio do livro e ler junto com o texto ao mesmo tempo para treinar seu ouvido e sua pronúncia.

© Paul Hakimata | Dreamstime.com

Aproveite e também solte a voz acompanhando letras de músicas em inglês. © Paul Hakimata | Dreamstime.com

No mais, embora a maioria das músicas modernas possam falhar gramaticalmente, cantar é uma excelente atividade que não somente dá prazer, mas ajuda a destravar a língua e melhorar a pronúncia das palavras. Muito do que aprendi da pronúncia inglês, foi devido ao hábito de ouvir músicas em inglês e tentar cantar junto lendo a letra. Minha primeira canção em inglês – por favor, não riam – foi “A Whole New world”, tema do filme Aladdin. Aprendi o som do “r” seguido do “l” em inglês em duas cantadas.

Pronúncia é bem diferente de sotaque

Vejo muitas pessoas confundindo pronúncia com sotaque. Falar “Facebooky”, por exemplo, está mais para má pronúncia do que para sotaque.

Sotaque é o jeito de falar de um determinado grupo como, por exemplo, o jeito cantando de falar dos italianos. E sim, sotaque varia – nem todos os italianos tem o mesmo. Enquanto o sotaque não interfere e até concede um certo charme, a pronúncia, por sua vez, precisa ser correta ou pode atrapalhar na compreensão. Portanto, ter uma boa pronúncia é fundamental para que você se comunique de forma eficaz.

Sobre a autora:
Graziele MoreiraGraziele Moreira vive na Irlanda há três anos. Faz mestrado em Marketing e é estudante embaixadora pelo Education in Ireland. É apaixonada por Cultural Exchange e International Learning. Adora ler e escrever sobre assuntos variados e conhecer pessoas e culturas diferentes.

Imagens via Dreamstime
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Sobre o Autor


Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do colaborador do E-Dublin e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Quer ver sua matéria no E-Dublin ou ficou interessado em colaborar? Envie sua matéria por aqui!

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

Meu Intercâmbio

Existe hora certa para pedir demissão?

2 semanas atrás, por Andre Luis Cia
Meu Intercâmbio

A Irlanda é o destino que você procura?

3 semanas atrás, por Caroline Rodrigues
Publicidade

Estude e trabalhe em Dún Laoghaire, na Irlanda

3 semanas atrás, por Publicidade E-Dublin
Conte Sua Historia

Por que eu escolhi Dublin?

3 semanas atrás, por Colaborador E-Dublin
E-Dublin

E-Dublin XP II: A Experiência

1 mês atrás, por Deby Pimentel
Meu Intercâmbio

Quando o intercâmbio é apenas o primeiro passo

1 mês atrás, por Colaborador E-Dublin
Divã E-Dublin

Cinco dicas para criar coragem ao falar inglês

1 mês atrás, por Colaborador E-Dublin
Meu Intercâmbio

Síndrome do retorno: Voltei ao Brasil

1 mês atrás, por Colaborador E-Dublin
Publicidade

E-DublinXP II – Conheça nossos expositores: KLM

2 meses atrás, por Publicidade E-Dublin