Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Esportes

Já pensou em praticar Futebol Gaélico na Irlanda?

Caroline Rodrigues postou em 16 set 2016

shutterstock_952021

Brian O’Driscoll, um dos grandes nomes da categoria em ação! Crédito: Shutterstock

Os intercambistas de Dublin estão convidados para comparecer à grande final do campeonato de futebol gaélico, que acontece no estádio Croke Park, neste domingo (18), às 15h30. Na partida, os times de Dublin e Mayo se enfrentarão no principal palco da modalidade e base da Associação Atlética Gaélica (GAA), que congrega os esportes Hurling, Camogie, Handebol e Futebol Gaélico.

Por ser muito popular entre os irlandeses, a expectativa é de arquibancada lotada e uma oportunidade imperdível para se conhecer nativos, praticar inglês e apreciar mais um aspecto da cultura local.

Mas afinal, o que é a GAA?

shutterstock_223920

Foto: Shutterstock

A GAA (Gaelic Athletic Association) é uma espécie de liga, que reúne os esportes tipicamente gaélicos e tem Michael Cusack (1847–1906) como principal fundador. Ele foi professor no Blackrock College, em Dublin, e mais tarde se juntou ao serviço público.

Cusack vivia em um tempo no qual os atletas e o esporte na Irlanda estavam sob o controle da English Amateur Athletics Association. Sendo assim, a Irlanda não possuía o autonomia para cuidar das regras e das competições em seu próprio país.

O cenário fazia com que o tradicional futebol gaélico fosse deixado de lado, bem como as outras modalidades esportivas tradicionais.

A partir daí, Cusack pensou em nacionalizar e democratizar os esportes na Ilha Esmeralda – uma espécie de “libertação esportiva” da Irlanda em relação aos ingleses.

Primeiro, ele convenceu alguns jogadores a participarem do Dublin Hurling Club, em dezembro de 1882. Mas, não obteve muito sucesso, devido a desentendimentos entre os jogadores.

Um ano depois, conseguiu criar o Metropolitan Hurling Club, que se tornou um dos primeiros clubes filiados ao que mais tarde se tornaria a GAA.

Em um país onde o esporte está na corrente sanguínea dos habitantes, a importância cultural e política do trabalho de Cusack torna-se ainda mais marcante.

Rugby e Handebol

shutterstock_84594481

Foto: Shutterstock

O rugby era visto como um esporte tipicamente inglês, mas se popularizou nas cidades irlandesas. No jogo, o contato físico é intenso e de forma superficial, parece uma mistura de futebol tradicional e futebol americano.

As partidas acontecem no campo e na modalidade olímpica. São permitidos sete jogadores, mas existem campeonatos onde são permitidos 11, 13 ou 15 atletas no time titular.

Durante as Olimpíadas deste ano, o rugby ganhou popularidade entre os brasileiros, sendo que a seleção masculina alcançou o 12° lugar e a feminina o 9° lugar no ranking geral.

Quem se interessar pelo esporte no Brasil, pode buscar informações no site da Confederação Brasileira de Rugby. Lá acontece toda a cobertura jornalística sobre o esporte, bem como os calendários das competições internacionais, nacionais e estaduais. E, para os futuros atletas, a indicação de espaços de treinamento pelo Brasil.

Quanto ao handebol, o esporte é conhecido no Brasil, e por muito tempo ficou restrito ao ambiente escolar por ser uma modalidade completa no que diz respeito ao desenvolvimento da musculatura corporal.

Porém, nos últimos anos, o esporte ganhou visibilidade devido aos resultados em competições internacionais.

Hurling e Camogie

shutterstock_174123296

Foto: Shutterstock

O Hurling é um esporte de origem Celta, tipicamente irlandês e muito parecido com o hóquei, inclusive nas habilidades exigidas do atleta, como força, agilidade e raciocínio rápido.

Cada equipe possui 15 integrantes, que com o auxílio de um bastão, tentam dominar a bola e jogá-la em direção a uma trave em forma de H. A prática é oferecida nas escolas irlandesas.

Já o Camogie tem regras semelhantes, equipamentos semelhantes, porém é praticado apenas por mulheres.

O Camogie existe desde 1904 e é praticado por mais de 100.000 jogadoras afiliadas a 550 clubes, principalmente na Irlanda, mas também está presente na Europa, América do Norte, Ásia e Austrália.

Futebol gaélico durante o intercâmbio? Por que não?

whatsapp-image-2016-09-13-at-05-11-30-660x660

Brenda e sua equipe de futebol gaélico. Foto: Arquivo pessoal

Quem se interessar pela prática, basta ir até o Phoenix Park às terças-feiras, por volta das 18h. Lá, uma escola de idiomas oferece gratuitamente aulas práticas do futebol gaélico e, o melhor, todos são welcome.

O futebol gaélico também acontece no gramado, mas é bem diferente do nosso tradicional bate-bola. Vale chute, embaixada e passes com os pés e com as mãos. E o aguardado gol passa por uma trave em formato de H.

Uma das brasileiras que decidiu apostar no esporte é Brenda Meira, de 18 anos. No Brasil, a atleta era adepta do vôlei, mas por aqui ela decidiu experimentar um esporte local e agora faz parte de um time que se prepara para enfrentar outra escola em um amistoso.

Ela obteve as primeiras informações sobre o esporte durante os preparativos da viagem, por meio da internet, e se interessou muito. Já na primeira semana de aula, passou a frequentar os treinos e admite que sentiu um pouco de dificuldade no começo, principalmente pelo fato do jogador poder usar as mãos. “Foi muito estranho na primeira vez que eu joguei. Algumas regras são diferentes e você pode usar as mãos, correr com a bola ou solar – um tipo de embaixadinha”.

Além dos benefícios corporais da atividade física, Brenda assegura que estar no time foi importante no processo de adaptação devido às amizades e prática frequente do inglês.

Revisado por Tarcísio Junior
Imagens via Shutterstock
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Sobre o Autor


Caroline Rodrigues estudou Jornalismo na Universidade Federal de Mato Grosso e trabalhava em Cuiabá, onde perambulou por vários veículos de comunicação e assessorias de imprensa por 13 anos. Depois de tomar um café e conversar com amigos, achou que estava engaiolada e resolveu encarar um intercâmbio depois dos 30.

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

E-Dublin TV

Curiosidades sobre Dublin que você não sabia

2 meses atrás, por Tarcisio Junior
Publicidade

Estude e trabalhe em Dún Laoghaire, na Irlanda

2 meses atrás, por Publicidade E-Dublin
Cultura

Como é a Páscoa na Irlanda?

2 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Curiosidades

12 curiosidades sobre o St. Patrick’s Day

2 meses atrás, por Tarcisio Junior
Eventos e Festivais

5 fantasias para curtir o St. Patrick’s Day

2 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Cultura

Um passeio pelos símbolos Celtas

3 meses atrás, por Elaine Wzorek
Cultura

The Little Museum of Dublin

3 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Cultura

Comemore o Carnaval com panquecas

3 meses atrás, por Júlia Paniz
Dublin

9 curiosidades interessantes sobre Dublin

4 meses atrás, por E-Dublin Press
Cultura

4 curiosidades sobre casamento na Irlanda

4 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Cultura

10 coisas imperdíveis para curtir na Irlanda em dezembro

6 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Cultura

No Ar! Radio Natalina na Irlanda (Christmas FM)

6 meses atrás, por Ávany França
E-Dublin TV

Dança irlandesa no Brasil

7 meses atrás, por Edu Giansante
E-Dublin TV

Jogos de tabuleiro na Irlanda

7 meses atrás, por Tarcisio Junior
E-Dublin TV

Música irlandesa no Brasil

7 meses atrás, por Edu Giansante