Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Pré-intercâmbio

O que levar na sua bagagem para o intercâmbio?

Colaborador E-Dublin postou em 03 abr 2018

Alguns deixam a bagagem para o último dia antes da viagem, outros começam a preocupar-se com ela antes mesmo de comprar as passagens! A verdade é que não importa quando você vai fazer suas malas, mas como.

Fazer uma viagem internacional é bem diferente de uma viagem nacional. É preciso estar atento ao limite de bagagem, aos itens proibidos e a várias outras coisas. Então, confira algumas dicas aqui!

Dica 1: Malas x Quilos

Leia as especificações da cia aérea para bagagens. Crédito: Shutterstock

Leia as especificações da cia aérea para bagagens. Crédito: Shutterstock

No Brasil, a regulamentação da ANAC aplica-se a todos os voos internacionais que saem do nosso país. Sendo assim, cada passageiro terá direito a transportar duas bagagens despachadas, de até 32 kg cada. Para saber as dimensões permitidas para o transporte de sua bagagem e, também, sobre bagagens de crianças de colo, consulte a empresa aérea da sua escolha. As mesmas regras valem para a passagem de volta.

Para os voos que saem originários de outros países, aplicam-se as normas do local de origem da viagem – no caso da Irlanda, por exemplo, se você comprar sua passagem partindo inicialmente da Ilha Esmeralda, você poderá despachar 2 malas de 23 kg.

Quanto à bagagem de mão, esta deve ser acomodada no compartimento de bagagem na cabine de passageiros ou sob a poltrona, com peso e dimensões apropriados, conforme definição da empresa aérea.

Não se esqueça de que NÃO são permitidos frascos com mais de 100 ml na bagagem de mão, muito menos ferramentas e objetos cortantes. Na bagagem de mão, recomenda-se trazer laptop e itens de valor, 1 muda de roupa, 1 conjunto de underwear, 1 toalha pequena e artigos de higiene pessoal.

Dica 2: Check-List

shutterstock_143149675

Não esqueça do Checklist! Foto: Shutterstock

Depois de descoberto o quanto sua companhia aérea te autoriza trazer, faça uma lista com os itens da viagem. Ela vai te ajudar a lembrar de coisas extremamente importantes e assim você conseguirá priorizar o que colocar.

Não esqueça de verificar se você vai precisar de:

Pilhas para tudo o que for eletrônico, câmeras, cartões de memória adicionais, um baralho ou outro jogo, um livro bom e leve, bloco e caneta, cartões de visita, celular, lanterna, informações sobre câmbio, hotel, comprovantes das passagens e aluguel de carro (se for o seu caso), documentos, dinheiro, secador de cabelo/chapinha (se você não vive sem), pente, escova de dentes, barbeador, desodorante, óculos escuros, capa de chuva ou guarda-chuva compacto, chaves, relógio com despertador, transformadores, carregadores, adaptadores de tomadas, extensões, ferramentas, roupas para diferentes ocasiões, etc. A lista vai depender de cada um. Lembre-se, também, que no caso do intercâmbio, muitos desses itens poderão ser comprados depois que você chegar. Traga apenas o essencial para as primeiras semanas.

Dica 3: Os básicos, roupas / sapatos / higiene

Considerar as estações do ano também é importante. Foto: Shutterstock

Considerar as estações do ano também é importante. Foto: Shutterstock

Se você vai ficar, no mínimo, oito meses fora, enfrentará todas as estações do ano no outro país, então coloque um pouco de tudo e, principalmente, aquelas roupas mais confortáveis e as suas preferidas, mas tenha em mente o clima do país de destino e não exagere. Por exemplo, mesmo você adorando suas roupas de praia, não adianta encher sua mala com elas porque o clima na Irlanda não vai permitir que você use-as com frequência.

Em Dublin, você consegue encontrar roupas, sapatos e artigos para higiene bem baratos, nas grandes lojas populares como a Penneys e a Dunnes. Apesar das roupas dessas lojas não serem da melhor qualidade, elas são muito baratas e quebram um galho.

Dica 4: Objetos vindos do Brasil x Objetos comprados na viagem

Por mais que você ainda nem tenha saído do Brasil, seria bacana lembrar que aqui será inevitável não comprar algumas coisas (tanto por necessidade quanto por capricho e vontade), portanto, você terá as suas coisas do Brasil e MAIS as que comprar por aqui.

Vale ficar atento, também, em que época do ano você vai chegar. Se for no inverno, você deverá trazer pelo menos uma roupa mais quentinha para usar até conseguir comprar um casaco apropriado e compatível com o frio da região.

Cuidado para não trazer sua “casa do Brasil”, porque na hora de voltar você vai querer levar sua “casa da Irlanda” com você. É melhor ter espaço para as coisas que você adquiriu aqui, já que você também não vai querer deixá-las pra trás.

Dica 5: Versatilidade

shutterstock_70050673

Conforto é tudo na hora de embarcar! Crédito: Shutterstock

Traga roupas e sapatos que você consiga combinar com mais de uma peça.

Na minha opinião, tênis, aqui, é o que você mais vai usar no dia a dia – ou então um sapato que seja muito confortável. A cidade é plana e a maioria das pessoas tem como meio de transporte os próprios pés. Para quem pensa em trazer bota, saiba que aqui tem modelos de todos os tipos, das baratas até as bem caras, com salto, sem salto, de plástico, de couro… mas se mesmo assim você quiser trazer aquela sua favorita do Brasil, vale a dica: compre uma bota baixa e CONFORTÁVEL – nada de saltos.

Dica 6: Jeans

Por aqui, o pessoal costuma alertar futuros intercambistas a trazer calça jeans do Brasil. Dica para as meninas: o corpo da mulher na Europa é um pouco diferente do nosso e, muitas vezes, as calças jeans não caem bem (e as que caem bem são sempre as mais caras!).

Dica 7: Espaço na Mala

Peças como relógios, meias e artigos pequenos, você pode colocar dentro dos tênis e sapatos para poupar espaço.

Se sobrar espaço na mala, traga os seus produtos de higiene mais usados: desodorante, sabonete, absorvente, shampoo, condicionador, hidratante, etc, mas, como já dissemos, não é um estoque, ok?! Um de cada basta, só para você ter tempo de explorar a cidade e encontrar estes produtos ou similares por aqui.

Se você for ao Tesco ou até mesmo à loja de “tudo por 2 euros”, é possível encontrar artigos que estamos acostumados no Brasil, como sabonetes Dove, Neutrogena, Johnson & Johnson, Elsève, Pantene, Nivea, Rexonna (por aqui o nome da marca muda, é Sure) por preços bem acessíveis e a sua mala pode ficar um pouquinho mais leve. Com relação aos produtos mais sofisticados, agora você pode encontrá-los com uma maior facilidade e num preço bem mais acessível.

Dica 8: Achando sua mala

Não esqueça de identificar sua mala. Você pode amarrar algumas fitas coloridas na alça, por exemplo. Isso vai te ajudar a encontrá-la mais rápido na esteira ao chegar no aeroporto. Mesmo assim, não se esqueça de preencher a etiqueta com seu nome, e-mail e telefone (não é aconselhado escrever o endereço completo por questões de segurança).

Peso
Quando a mala estiver pronta, pese-a para checar se não ultrapassou o limite. Se não tiver como fazer isso em casa, leve-a até a farmácia e pese-a para ter uma ideia. É muito desagradável chegar no check-in e descobrir que a sua mala está acima do limite permitido. Nesse caso, ou você coloca a mão no bolso e paga o excesso ou então abre a mala e deixa ali algumas coisas.

Dividindo a mala
Se você está vindo com um(a) amigo(a) ou namorado (a), mescle algumas roupas e pertences da sua mala com a da outra pessoa. Assim, os dois evitam de ficar sem nada caso uma das malas seja extraviada e se poupam de ter que sair por aí desesperados para comprar algum item emergencial.

Em tempo: Muitos deixam de trazer roupas, acessórios e sapatos para deixar espaço e trazer alguns pacotes de cigarro e cachaça para vender aqui e ganhar algum dinheiro. Esses itens são caros na Irlanda e sempre tem “um brasileiro, que conhece outro que queira ou um brasileiro que conhece um irlandês que tenha se interessado”. Isso pode ser uma boa, desde que feito de uma maneira segura e dentro da lei. Não ultrapasse 2 pacotes (aqueles grandes fechados) de cigarro e 2 garrafas de cachaça!

Veja também o post que fizemos sobre uma das principais perguntas que nos fazem: Intercâmbio: Preços

Texto: Marina Bandória

Revisado por Tarcísio Junior
Imagens via Shutterstock
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Sobre o Autor


Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do colaborador do E-Dublin e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Quer ver sua matéria no E-Dublin ou ficou interessado em colaborar? Envie sua matéria por aqui!

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

Crônicas da Ilha

Dizem que sou louco

4 dias atrás, por Leandro Mota
Pré-intercâmbio

Não deixe o seguro saúde para depois

1 semana atrás, por Deby Pimentel
Agenda Cultural

Vem aí mais uma edição da Culture Night

2 semanas atrás, por Elizabeth Gonçalves
Agenda Cultural

12 eventos para você curtir em setembro na Irlanda

2 semanas atrás, por Elizabeth Gonçalves
Quanto custa

Quanto custa manter um carro na Irlanda?

2 semanas atrás, por Colaborador E-Dublin
Dicas de Viagem

Que tal veranear em Dingle?

2 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Destinos de Intercâmbio

O destino do meu intercâmbio: EUA

2 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Idiomas

Português de Portugal é mesmo parecido com o do Brasil?

2 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Idiomas

Cinco destinos para aprender espanhol

2 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Divã E-Dublin

Quando a saudade de casa aperta

2 meses atrás, por Juliana Polydoro
Crônicas

Eu quero mais

2 meses atrás, por Lívia Alen
Crônicas

Carta a um futuro intercambista 

2 meses atrás, por Lívia Alen
Agenda Cultural

10 eventos imperdíveis na Irlanda em agosto

2 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Curiosidades

Dez nomes irlandeses que vão enrolar a sua língua

2 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Saúde

Venda de medicamentos nas redes sociais: entenda os riscos

2 meses atrás, por Colaborador E-Dublin