O que você deve saber para morar na Irlanda em 2020?

O que você deve saber para morar na Irlanda em 2020?

Rubinho Vitti

2 meses atrás

O maior evento sobre a Irlanda no Brasil

O sonho de morar em outro país deve ser precedido de planejamento e iniciativa. Não se pega um avião a caminho de um novo lar tão longe de casa sem saber exatamente o que vai encontrar ao atravessar o oceano. Se você é um dos muitos brasileiros que têm como meta morar na Irlanda em 2020, prepare-se para encontrar desafios, mas nada que empenho, dedicação e uma boa pesquisa não façam esse sonho virar realidade.

A ideia deste artigo é justamente tentar mostrar, de forma básica, como é viver na chamada Ilha Esmeralda, que já é casa de tantos brasileiros como você. Vamos pontuar valores, cultura, emprego, moradia, vistos, entre outros pontos essenciais para que você perceba, dentro dos seus propósitos, se a Irlanda é realmente um destino ideal para o seu futuro.

Qual o propósito de viver na Irlanda?

Viver na Irlanda exige planejamento e propósito.© Andres Conema | Dreamstime.com

Viver na Irlanda exige planejamento e propósito.© Andres Conema | Dreamstime.com

Mesmo os brasileiros que residem na Irlanda há bastante tempo, hoje estão longe do primeiro objetivo que tiveram ao viajar para o país. A grande maioria chega na ilha com a ideia de aprender inglês. Já há alguns anos, a Irlanda é um dos principais destinos para intercambistas com ótimas escolas do idioma e uma boa relação com os brasileiros, já que é possível trabalhar enquanto se frequenta os cursos.

Outra pequena parcela vem para a ilha com a ideia de trabalhar na área de tecnologia. Estes conseguem um visto de trabalho ainda no Brasil. Há outros tipos de emprego que também dão visto de trabalho (vamos falar sobre os vistos logo em frente), mas é mais raro.

Vistos para morar na Irlanda

Existem diversos tipos de vistos possíveis para brasileiros na Irlanda. © Júlio Riccó | Dreamstime.com

Existem diversos tipos de vistos possíveis para brasileiros na Irlanda. © Júlio Riccó | Dreamstime.com

É possível morar na Irlanda sendo não-europeu por um período de tempo específico e isso vai depender do visto que você conseguir adquirir. Vamos tratar dos principais deles. Você pode saber sobre todos os detalhes de cada visto em um guia que publicamos no E-Dublin.

Visto de Estudante – Stamp 2

Esse visto é expedido aos intercambista que vêm para a ilha com o objetivo de estudar. As escolas mais comuns são de idiomas para aprender o inglês e é preciso estar matriculado em um curso de duração mínima de 25 semanas. O visto tem duração de oito meses, sendo dois deles considerados férias. É permitida ainda duas renovações de oito meses cada. O estudante pode trabalhar 20 horas semanais ou 40 horas no período de não-estudo.

Visto de turista – Stamp 0

A Irlanda possibilita que um estrangeiro entre no país como turista e permaneça na ilha durante o período máximo de três meses. Como o próprio nome do visto diz, é apenas voltado a turistas, mas durante esse tempo é possível fazer cursos rápidos de inglês durante algumas semanas ou aproveitar a visita da forma que preferir, menos trabalhando, é claro. Esse visto impossibilita o turista de exercer qualquer cargo no país. Existe ainda a possibilidade de pedir um adiamento do visto para mais 90 dias, que deve ser feito 30 dias antes de terminar o prazo para permanecer no país.

Visto de trabalho – Stamp 1

Quem deseja ir para a Irlanda com visto de trabalho precisa primeiro encontrar uma empresa que envie uma proposta de emprego. Alguns brasileiros conseguem isso ainda no Brasil, outros, durante o período de intercâmbio. O governo oferece vistos de trabalho limitados e geralmente os concedem a determinados tipos de profissão, as consideradas “Critical Skills”, que são habilidades que a Irlanda necessita com mais urgência.

Visto de relacionamento – Stamp 4

Esse visto dá direito de cidadãos não-europeus casados ou com relacionamento estável com outro cidadão europeu de viver na Irlanda. O companheiro ou companheira deve estar vivendo na ilha para que seu parceiro estrangeiro também possa viver.

Cidadão europeu UE

Ter cidadania de um país pertencente à União Europeia é sinônimo de tranquilidade na Irlanda. Não é preciso vistos ou permissões para viver no país. Basta mostrar seu passaporte no aeroporto e entrar feliz da vida. Os cidadãos europeus da UE podem trabalhar oito horas por dia na ilha, precisando apenas mostrar o passaporte na hora de assinar o contrato. Entre os brasileiros, as cidadanias europeias mais comuns são a portuguesa e a italiana.

Precisando de orçamento para o seu intercâmbio na Irlanda? Comece por aqui!

As melhores cidades para morar na Irlanda

A cidade de Cork é uma das principais escolhidas por estrangeiros para viver na Irlanda. © Michael Walsh | Dreamstime.com

A cidade de Cork é uma das principais escolhidas por estrangeiros para viver na Irlanda. © Michael Walsh | Dreamstime.com

Quando se fala em viver na Irlanda não é apenas pegar um avião e descer em qualquer ponto da ilha. É preciso pesquisar qual é a melhor cidade para se viver. A grande maioria dos estrangeiros optam pela capital, Dublin. Tanto que a cidade é cosmopolita e é possível conhecer pessoas de todas as partes do mundo. Mas existem outras opções Irlanda adentro e tudo vai depender do objetivo da pessoa. Fizemos um ranking das quatro cidades mais procuradas pelos brasileiros para se viver, tendo em mente a qualidade de vida, custo de vida e oportunidade de trabalho.

Dublin

É, sem dúvida, o local onde há mais oportunidade de emprego, com centenas de multinacionais instaladas na cidade e no condado de Dublin. O custo de vida pesa um pouco mais, já que Dublin conseguiu ultrapassar Londres em cidade cara para se viver. O aluguel é o que mais pesa, existindo ainda a dificuldade de encontrar casas disponíveis para alugar. Porém, a cidade é efervescente, com muitas opções de lazer, lindos parques, todos os tipos de lojas e uma variedade imensa de restaurantes e pubs. Aliás, há um pub para cada 773 habitantes de Dublin! A capital é ideal para estudantes, já que é a cidade onde se concentra mais escolas de inglês e universidades, além de ser mais fácil encontrar apartamentos e casas para dividir, pagando preços menores.

Galway

A cidade é praticamente o segundo destino dos brasileiros que escolhem a Irlanda para morar. É o coração cultural da Irlanda. Embora as perspectivas de emprego não sejam tão boas quanto Dublin, existem oportunidades e a concorrência é bem menor. Também há diversas escolas de inglês e a vantagem de ter menos estrangeiros vivendo no condado, o que torna a obrigatoriedade da comunicação em inglês maior. A cidadezinha é apaixonante e perfeita para quem quer mais tranquilidade.

Cork

Considerado o “condado rebelde” da Irlanda, é muito subestimado pelos brasileiros, mas ainda sim há muitos que escolhem a cidade de Cork para a vida de intercambista. Além de ter oportunidade de emprego, principalmente na área de tecnologia, Cork também possui ótimas escolas de inglês. Mais uma vez a vivência com brasileiros é menor, o que torna a obrigatoriedade em falar inglês mais alta. A vida cultural e noturna também é interessante. Cork também é considerada a “meca” da gastronomia na Irlanda.

Limerick

Com um movimentado centro de negócios e casa de muitas empresas internacionais, a cidade é perfeita para quem busca emprego sem a concorrência de Dublin. A qualidade de vida também compensa pelo baixo custo. Limerick possui um alta qualidade de moradias com preços de aluguel 50% mais baixos que Dublin, 25% mais baixos que Cork e 23% mais baixos que Galway.

Como é morar na Irlanda sendo brasileiro?

A comunidade brasileira na Irlanda é muito diversa na Irlanda. Com moradores vindos do Oiapoque ao Chuí, os brasileiros parecem “dominar” a cena dos estrangeiros na ilha. Mas apenas parece. Os brasileiros aparecem na sexta posição em número de estrangeiros na ilha, perdendo para cidadãos da Polônia, Reino Unido, Lituânia, Romênia e Letônia, além de ser seguidos com números próximos de espanhóis, italianos e franceses.

Com uma comunicação e cultura expressiva, nós, brasileiros, somos mais abertos e “aparecemos” mais, o que dá a impressão de sermos mais do que realmente somos no país. Além disso, com a maioria dos brasileiros tendo visto de estudante, a rotatividade é grande.

Os irlandeses são muito solidários com os brasileiros e a relação é muito amigável. Além disso, a própria comunidade brasileira é bem unida, ajudando uns aos outros com problemas e dúvidas, além de organizar eventos e encontros. Em Dublin, a “meca” dos brasileiros na Irlanda, muitos bares e restaurantes são voltados para o público brasileiro. Até mesmo as turnês internacionais de grandes astros da música brasileira passam por Dublin justamente por saber que há público brasileiro para esses eventos.

Precisando de orçamento para o seu intercâmbio na Irlanda? Comece por aqui!

Como encontrar trabalho na Irlanda

O mercado de trabalho na Irlanda é bem amplo e depende muito do tipo de visto que o estrangeiro que mora na ilha tem. Para intercambistas, áreas de hotelaria e restaurantes são os mais procurados, já que a frequência de apenas 20 horas semanais impediria um emprego mais formal.

Vagas na Irlanda: hospitalidade e tecnologia

Já quem tem possibilidade de trabalhar oito horas por dia, como brasileiros com dupla nacionalidade, podem encontrar uma outra barreira, o inglês. Para empregos em escritórios e multinacionais, o idioma deve ser fluente. Há muitas vagas para uma infinidade de funções nestas empresas, algumas delas não exigem experiência e dão treinamento, principalmente áreas de hospitalidade, customer service e data analytics.

Irlanda tem processo seletivo demorado

Um bom currículo nos padrões europeus é a porta de entrada para entrevistas em grandes empresas na Irlanda. Perfis atualizados em sites de emprego e no LinkedIn também são fortes.

Diferentemente do Brasil, o processo seletivo na Irlanda é trabalhoso. As entrevistas de emprego acontecem em diversas etapas e o candidato pode ser submetido a várias delas, além de testes, para conseguir a vaga.

Critical skills na Irlanda garante visto de trabalho

Como citamos acima, os vistos de trabalho são mais facilmente concedidos a pessoas que tenham Critical Skills, ou seja, habilidades que são necessárias na Irlanda. O governo atualiza a lista destas habilidades de forma trimestral.

Crise pode afetar mercado na Irlanda

O noticiário irlandês frequentemente tem entrado em um tema espinhoso na Irlanda. Uma possível crise econômica pode estar por vir e isso pode afetar diretamente o mercado de trabalho. O E-Dublin tratou desse tema no canal do portal no YouTube.

Custo de vida na Irlanda

Morar na Irlanda não é barato, principalmente se a cidade escolhida for a capital Dublin. A cidade chegou a ultrapassar Londres em custo. Outras cidades podem ser mais baratas que a capital como Cork, Galway e Limerick. O aluguel é o ponto mais alto, já que a Irlanda passa por uma crise imobiliária forte. Por isso, muitos estrangeiros preferem dividir apartamento e até quartos para conseguir pagar as despesas.

O transporte também não é dos mais baratos, mas a qualidade é superior que em outros países. Uma viagem de ônibus pelo Dublin Bus na capital irlandesa custa entre 1,50 e 3,30 euros, já o Luas, trem urbano de Dublin, vai de 2,10 a 3,30 euros, sempre dependendo do número de paradas.

Euro tem vasto poder de compra na Irlanda

Por outro lado, as compras nos mercados são mais baratas que outros países, muito por conta de redes como Audi, Tesco e Lidl, que possuem produtos com ótimo custo-benefício. O mesmo vale para roupas, com redes como Penneys (Primark), H&M e Zara, oferecendo bons descontos.

Aluguel é caro na Irlanda

O aluguel é o ponto mais negativo de e viver na Irlanda. O valor médio bateu recorde de 1.400 euros neste ano. Dublin é a pior cidade para se pagar aluguel na ilha. As contas de luz e gás também não são baratas, mas há chances de economia se o consumidor persistir. E não há cobrança pelo uso da água. Na média, um estrangeiro que divide moradia e vive de forma modesta no país gasta em média 1.000 euros mensais na Irlanda.

Como é o clima na Irlanda

A igreja Saint Patrick Cathedral debaixo de neve no inverno de 2018; clima na Irlanda é frio mesmo em outras estações do ano. Foto: Fábio Gibelli

A igreja Saint Patrick Cathedral debaixo de neve no inverno de 2018; clima na Irlanda é frio mesmo em outras estações do ano. Foto: Fábio Gibelli

Um dos pontos negativos em viver na Irlanda é seu clima. Conhecida por ser o país da chuva e dos ventos, a ilha vê calor poucos dias no ano durante o verão, que é bem ameno. Já o frio está presente em todas as estações do ano, sendo o inverno rigoroso, com risco de neve entre os meses dezembro e março. A chuva é responsável pelo clima ser pouco agradável. São 151 dias chuvosos por ano.

Vale a pena morar na Irlanda?

Pessoas com espírito aventureiro e sem medo de mudanças têm um bom perfil para viver na Irlanda. © Littleny | Dreamstime.com

Pessoas com espírito aventureiro e sem medo de mudanças têm um bom perfil para viver na Irlanda. © Littleny | Dreamstime.com

Se você tem o espírito aventureiro e gosta de desafios, aceita mudanças facilmente, gosta de viajar e tem garra para trabalhar a Irlanda é um país para você. Dividir casa e quarto com pessoas desconhecidas ou mudar de área de trabalho para conseguir um emprego são alguns dos desafios que você poderá encontrar para poder conseguir morar e trabalhar na Ilha da Esmeralda.

Por outro lado, a Irlanda possibilita uma boa qualidade de vida com a potência do euro permitindo o custo-benefício da compra muito melhor, além da possibilidade de poupar. Viajar é outro ponto, já que o país fica em um ponto estratégico do mapa, perto de muitos países europeus que são fortes no turismo como França, Itália, Reino Unido, Espanha e Portugal. A ilha é apaixonante, mas depende sempre de como você leva a vida nela. E então? Encara o desafio?

Precisando de orçamento para o seu intercâmbio na Irlanda? Comece por aqui!

Veja também

Onde morar na Irlanda? Capital ou no Interior

Rubinho Vitti
Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Stock Photos via Dreamstime
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar