Os desafios de estudar em uma universidade europeia

Os desafios de estudar em uma universidade europeia

Elizabeth Gonçalves

5 meses atrás

Quanto custa um intercâmbio?

Não vendemos pacotes e nem somos agência,
mas podemos te colocar em contato com elas.

A experiência de estudar fora do Brasil para conquistar um diploma de graduação ou pós, sem dúvida, pode trazer muitos benefícios para a carreira profissional do intercambista no retorno ao seu país — ou, até mesmo, na busca de uma colocação no mercado de trabalho estrangeiro.

Estudar no exterior reserva desafios. Foto: Khunaspix | Dreamstime

Estudar no exterior reserva desafios. Foto: Khunaspix | Dreamstime

Mesmo assim, apesar de todas as vantagens que uma temporada de estudos no exterior pode reservar, há também uma série de desafios que o estudante vai enfrentar ao longo desse período. Confira alguns deles.

Idioma

Um dos requerimentos básicos para se aplicar a um curso superior em universidade estrangeira é ter fluência no idioma local, comprovada por meio de um exame de proficiência. No caso da Irlanda, por exemplo, a maioria das universidades solicita o IELTS ou TOEFL.

Entretanto, mesmo conquistando uma boa nota no exame de proficiência, é absolutamente normal ter dificuldades com termos técnicos ou conteúdos densos em inglês durante o curso. Afinal, o estudante vai se deparar com um vocabulário novo, que, até então, não fazia parte do seu cotidiano.

Em alguns casos, essa dificuldade fica ainda mais evidente na escrita, já que muitos cursos teóricos requerem a realização de longas dissertações, o que pode ser um verdadeiro desafio para o estudante durante os primeiros semestres do curso. Com o tempo e a familiaridade com o conteúdo, esse percalço é minimizado, mas é importante estar preparado para tal dificuldade.

Custos

Anuidades são mais caras para estudantes estrangeiros. Foto: Oleg Dudko | Dreamstime

Anuidades são mais caras para estudantes estrangeiros. Foto: Oleg Dudko | Dreamstime

Outro desafio para quem quer investir em uma instituição europeia é o preço. Na Irlanda, por exemplo, praticam-se preços diferenciados para quem não tem cidadania europeia. Com isso, as anuidades para estudantes internacionais podem custar até três vezes mais do que para um europeu.

A solução para quem quer estudar por aqui, mas não tem condições financeiras para bancar o curso dos sonhos, é investir em pequenas universidades privadas voltadas para estudantes estrangeiros, nas quais as anuidades são mais acessíveis. O problema é que, nesses casos, a oferta de cursos é extremamente limitada, geralmente se restringindo a duas opções: business e tecnologia (IT).

Sistema Educacional

Estudantes passam maior parte do tempo nas universidades. Foto: Ammentorp | Dreamstime

Estudantes passam maior parte do tempo nas universidades. Foto: Ammentorp | Dreamstime

O sistema educacional na Europa também é diferente do Brasil. Isso já começa com o ano letivo, que, nessa parte do continente, inicia-se em setembro e é finalizado em maio. Outra diferença é o período de duração das aulas, muitas vezes integral. Assim, o estudante passa grande parte da semana dentro da universidade.

Ao contrário do Brasil, não há a opção de fazer um curso de graduação durante a noite, por exemplo. Cursos noturnos até existem por aqui, mas as opções se restringem a cursos de curta duração e algumas especializações.

A experiência de quem estuda na Irlanda

Revalidação do Diploma

Esse é um tema importante para quem planeja retornar ao Brasil para trabalhar na área de formação que obteve no exterior. Dependendo da carreira de formação, é necessário revalidar o diploma, o que pode ser um processo longo e burocrático, além de custoso. Em geral, esse é um requisito para quem quer seguir carreira acadêmica no Brasil ou prestar concurso público.

Apesar de todos esses entraves, tem-se observado um número crescente de brasileiros nas universidades estrangeiras, muitos deles custeando seus cursos sem o auxílio de bolsas. Então, você aí que já considerou fazer uma graduação na Irlanda ou Europa, tenha em mente que existem, sim, as dificuldades citadas acima. Porém, superá-las faz parte do processo para atingir a qualificação estrangeira que você tanto almeja.

Imagens via Depositphotos
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Elizabeth Gonçalves
Elizabeth Gonçalves, Jornalista viciada em cinema, música e literatura. Paulistana, se apaixonou por Dublin, onde mora há cinco anos e sonha em fazer uma viagem de volta ao mundo.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

  • 5 formas de boicotar o seu intercâmbio

    Planeje seu Intercâmbio

    5 formas de boicotar o seu intercâmbio

    É muito mais comum ouvir dicas sobre o que fazer no seu intercâmbio do que...

    Colaborador E-Dublin

    1 semana atrás

    5 formas de boicotar o seu intercâmbio
  • 5 atitudes assertivas para o seu projeto de intercâmbio

    Planeje seu Intercâmbio

    5 atitudes assertivas para o seu projeto de intercâmbio

    Hoje, para ajudar você a ser ainda mais assertivo na elaboração do seu plano...

    Colaborador E-Dublin

    2 semanas atrás

    5 atitudes assertivas para o seu projeto de intercâmbio

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar