Porque os brasileiros vão embora da Irlanda?

Edu Giansante

10 anos atrás

Siga o E-Dublin no Instagram

Nós sempre falamos de vir, porque vir, como se preparar pra vir, mas após ler uma reportagem recente, resolvi comentar um pouco sobre a volta. Porque algumas pessoas, mesmo que empregadas, voltam para seu país de origem?

O exemplo que vou usar é do jogador Adriano. Graças a uma carreira de sucesso no Brasil, Adriano foi parar na Europa. Defendeu grandes clubes, era artilheiro de temporadas, e tinha um contrato até o final de 2010 com o Inter de Milão.

Adriano tinha fama, dinheiro, uma boa vida na Europa, mas resolveu voltar para o Brasil. Reincidiu o contrato e foi parar no Flamengo, em sua cidade natal, o Rio de Janeiro.

Ele disse em uma entrevista recente no Globo Esporte:
Eu precisava disso. Aqui (no Brasil) as pessoas falam a minha língua, entendem a minha cultura. É muito mais fácil. Volto para casa após os jogos e tenho minha família, os meus amigos. Isso me faz muito mais feliz do que antes. Aqui é Brasil. Apesar das dificuldades somos um povo vencedor“.

Saudade? Não necessariamente. Adriano se sentia deslocado, um peixe fora d’água.


As vezes vejo brasileiros com bons empregos, vivendo razoavelmente bem, alguns a mais de 2, 3 anos aqui na Irlanda, e de repente eles simplesmente voltam pro Brasil. Muitos vem pra viver essa experiencia em 1 ano, outros em 3, 5. Mas a maioria vem com um plano de um dia voltar.

Porque isso acontece? Será que estão se sentindo deslocados? Já deu o que tinha que dar?

Acredito que tudo na vida é uma experiência. A maior diferença aqui, é que a experiência é mais intensa. Acontece de repente, muda muito rápido e muda muito.

Por melhor que seja seu inglês, você sempre vai ter um momento que vai sentir um certo alívio ao falar português com um brasileiro. Não pela fluência da língua, mas pela familiaridade cultural, pela gesticulação em comum, pelo mesmo repertório histórico. E é por isso que muitos criam um apego muito rápido com algumas pessoas ou flatmates.

Seu repertório de vida pode não ser o mesmo de outro brasileiro, mas ambos sabem o que é o trânsito de São Paulo, o queijo de Minas, O chimarrão do Sul, o carnaval de Salvador ou as praias do Rio.

Outro fator que acredito ser crucial é a família e os amigos. A família do ponto de vista da segurança. Eu, particularmente, nunca fui fã de festas de família e participava muito pouco. Porém, quando tenho uma boa notícia pra contar, a primeira pessoa que penso é minha mãe.

Ouvir o que meu irmão esta fazendo ou evoluindo me dá vontade de participar mais da vida dele. Não considero isso “saudade”, mas sim envolvimento. Interesse em se manter próximo de alguém que você ama.

E os amigos? Quem nunca foi pra um lugar aqui e pensou: “Ah, se aquele meu amigo X estivesse aqui! É a cara dele!”

Acompanhar e-mails dos seus amigos programando a viagem de fim de ano, a cervejinha do fim de semana ou mesmo contando do almoço com o pessoal do trabalho. São momentos que você sente ter perdido, apesar de outros milhares que você ganha aqui.

Não existe certo e errado. Você faz escolhas. É um desafio de uma experiência que infelizmente não vai ser compartilhada fisicamente com seus amigos do Brasil ou familiares. Porém, será sua história. A história que você está fazendo, pra caso pense em voltar, poder sentar na mesa de bar e contar como foi.

Adriano, o jogador, continua recebendo propostas, mas não aceitou nenhuma até agora.

E você? Vai aceitar a proposta de virar estudante na Irlanda ou vai preferir se acolher à sua vida no Brasil?

Imagens:
http://soccerlens.com
http://www.lazeresportes.com
http://globo.com

Edu Giansante
Edu Giansante, Fundador e CEO do E-Dublin, Edu chegou na Irlanda em 2008, no ano pré-crise, pegou a nevasca de 2010 e comeu cérebro de cabra em Marrakesh. O Edu também é baterista da banda Irlandesa Medz.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar