Pra Onde Ir! (Uma Volta Pela Irlanda) – Derry

Edu Giansante

11 anos atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

No dia 30 de Janeiro de 1972, soldados bitranicos assassinaram 27 civis desarmados que protestavam contra a dominação britânica na Irlanda do Norte. Isto aconteceu em Derry, Irlanda do Norte!

Desde então, anualmente é realizado um tributo a estas pessoas. Uma marcha percorre a cidade com bandeiras, banners com os nomes das familias e principalmente solicitando a unificação da Irlanda.

No dia 01 de fevereiro deste ano eu estive lá! Inspirado grande parte por nosso até então flat mate, que é nativo de Derry, e militante assumido da causa da reunificação!

Ao chegar na cidade, as boas vindas sao bacanas! Uma “pequena” igreja ao lado do terminal de ônibus dá um charme para a chegada!


De lá seguimos para o nosso Hostel, o Paddy’s Palace Hostel, que apesar de quase não ter recepcionista, foi bem barato. Custou 15 libras e ganhei a segunda noite de graça. Tinha computador para acessar internet gratuitamente também.

Após deixarmos nossas malas no Hostel seguimos para o ponto inicial da caminhada. Quando começamos a aproximar do local, já notamos uma movimentação, que parecia pequena. Mas pudemos notar qual seria a toada da passeata desta vez: Faixa de Gaza, na chegada havíamos passado pelo portal da cidade que estava tinha o nome Derry, substituido por Gaza, sendo assim “Free Gaza”!

Além disso, bandeiras da Palestina eram empostadas por inúmeras pessoas, inclusive crianças!

No começo, achei que não haviam muitas pessoas, mas conforme caminhavamos, faziamos curvas e desciamos ladeiras eu percebi o tamanho da pequena multidão que caminhava em direção ao centro da cidade.

A caminhada durou cerca de 1 hora e meia, e além do cunho político, foi ótima para passar por principais pontos da cidade.

Não é uma cidade exuberante, é verdade. Uma igreja de um lado, um muro de outro, uma parede pintada adiante, uma vista bacana de cima de um morro! Mas foi muito excitante estar no meio da comoção geral de um povo que ama tanto a sua pátria, que tem tanta fé em seus ideais e em sua religião.

No final da caminhada, familiares dos assassinados no Bloody Sunday seguravam cartazes com fotos de seus parentes sobre um palco. Três pessoas discursaram, e ao final uma menina cantou o hino.

Durante o segundo discurso, notamos que nosso amigo irish havia ido embora, assim como várias outras pessoas. Ao final do terceiro discurso, a praca já estava vazia! Ficamos sem entender o que estava acontecendo.

Dois dias depois reencontrei meu flatmate e ele explicou o que aconteceu. A segunda pessoa a discursar não era bem aceita pelos residentes de Derry, que em protesto foram embora quando ela começou a falar! Fez me rir, pois imagine uma cidade tao engajada politicamente, que dentro de um protesto, fizeram ainda outro protesto contra um dos protestantes…

Após a marcha, um pub estava servindo Beef Stew gratuitamente. Comemos e começamos a passear pelo centro. Entramos em 3 pubs diferentes e estavam todos bem animados. Vale a pena conhecer a noite da cidade.

Algumas fotos da cidade:


De cima muro que cerca o centro da cidade

As paredes pintadas



Conclusão!Se quiser ver uma cidade bonita, elegante, não vá a Derry. Mas para mim foi um sentimento fantástico andar pelas ruas tao cheias de história, ainda mais agora que me sinto mais irlandês do que nunca!As paredes pintadas fazendo alusão ao Bloody Sunday, o orgulho dos nativos de ser uma cidade que nunca teve o seu centro (que é cercado por muros) penetrado pelos britânicos, se entitulando assim “Maiden City” (Cidade Virgem). Um portal que faz questão de exaltar que eles são uma cidade livre, e o sentimento de que a cidade é uma bomba que vai explodir a qualquer momento, e talvez, traga ainda mais sofrimento para aquele povo. Porém, que pode, na próxima explosão, fazer com que a justiça seja feita… que a Irlanda seja una novamente.

Veja também

Onde morar na Irlanda? Capital ou no Interior

Edu Giansante
Edu Giansante, Fundador e CEO do E-Dublin, Edu chegou na Irlanda em 2008, no ano pré-crise, pegou a nevasca de 2010 e comeu cérebro de cabra em Marrakesh. O Edu também é baterista da banda Irlandesa Medz.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar