Profissionais com stamp 3 na Irlanda lutam por espaço no mercado de trabalho

Profissionais com stamp 3 na Irlanda lutam por espaço no mercado de trabalho

Elizabeth Gonçalves

1 ano atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Up to date!!!! Boas notícias para os portadores de Stamp 3 na Irlanda. A partir de 1 de abril de 2019, e isso não é pegadinha, os cônjuges de estrangeiros com visto de trabalho na Irlanda, antes impedidos de adentrar no mercado de trabalho, vão ter livre acesso ao mercado de trabalho profissional, assim como seus companheiros. Parabéns ao Governo Irlandês por mais essa mudança.

Chamada Reform Stamp 3, uma campanha pede que a imigração irlandesa reveja esta categoria de visto, já que a mesma tem impedido que profissionais qualificados entrem no mercado de trabalho irlandês.

A campanha é liderada por um grupo de profissionais qualificados de diferentes partes do mundo e que, atualmente, possuem o visto Stamp 3 na Irlanda. O fato é que essas pessoas se veem cada vez mais deslocadas por não conseguirem seguir suas carreiras profissionais, já que não possuem fácil acesso ao mercado de trabalho no país.

Imigrantes que possuem Stamp 3 na Irlanda pedem que visto seja revisto. Imagem: Dimarik16 | Dreamstime

Imigrantes que possuem Stamp 3 na Irlanda pedem que visto seja revisto. Imagem: Dimarik16 | Dreamstime

O que é o Stamp 3?

O visto Stamp 3 é concedido a esposas, maridos e dependentes de cidadãos não europeus que possuem o direito de trabalhar legalmente na Irlanda. Sob este visto, essas pessoas podem permanecer no país por um período determinado, entretanto, não podem trabalhar ou abrir um negócio.

Porém, essas pessoas podem procurar trabalho e, assim que obtiverem uma proposta de emprego devem aplicar para o visto de trabalho, neste caso, chamado de Dependant/Partner/Spouse Employment Permit.

Entretanto, muitos empregadores não sabem que os portadores do visto Stamp 3 podem solicitar uma permissão de trabalho, descartando assim as possibilidades dessas pessoas conseguirem uma colocação profissional no país.

A campanha

Diante deste cenário, um dos principais objetivos da campanha é que o governo irlandês deixe claro aos empregadores que os imigrantes com o visto Stamp 3 podem, legalmente, buscar oportunidades de trabalho no país. O grupo solicita ainda que os sites do governo, como o INIS, por exemplo, tenham explicações mais claras sobre os direitos dessas pessoas.

Imigrantes com Stamp 3 perdem oportunidades de trabalho. Foto: Omur12 | Dreamstime

Imigrantes com Stamp 3 perdem oportunidades de trabalho. Foto: Omur12 | Dreamstime

A campanha pede também a introdução de uma nova Stamp, de forma que esta reconheça diretamente o status legal desses imigrantes, deixando claro que eles possuem o direito a se candidatar a vagas de trabalho.

Outro ponto levantado pela Reform Stamp 3 é que o tempo de registro das autorizações de trabalho seja mais curto, não ultrapassando duas semanas, o que consequentemente evitaria que essas pessoas percam oportunidades de trabalho.

Profissionais qualificados

O perfil de muitos portadores do visto Stamp 3 na Irlanda é composto por profissionais qualificados que tecnicamente poderiam preencher vagas de trabalho no país.

Profissionais qualificados podem deixar o país. Foto: Boarding1now | Dreamstime

Profissionais qualificados podem deixar o país. Foto: Boarding1now | Dreamstime

De acordo com os membros da campanha, por enfrentarem tantas barreiras para chegar ao mercado de trabalho irlandês, os portadores do Stamp 3 se sentem incapazes de se integrar completamente com a comunidade irlandesa. Além disso, as frustrações profissionais acabam comprometendo o bem-estar social e emocional desses imigrantes.

Como resultado, os idealizadores da campanha alegam que muitas dessas famílias provavelmente deixarão a Irlanda prematuramente ao optar por países onde, além de poder contribuir para o desenvolvimento econômico, possam se integrar completamente.

Elizabeth Gonçalves
Elizabeth Gonçalves, Jornalista viciada em cinema, música e literatura. Paulistana, se apaixonou por Dublin, onde mora há cinco anos e sonha em fazer uma viagem de volta ao mundo.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar