Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Meu Intercâmbio

Quando o aprendizado do intercâmbio vai muito além do idioma

Colaborador E-Dublin postou em 19 fev 2016

O que seria o intercâmbio senão um aprendizado constante? Sol Resende, uma jovem de 35 anos, natural de São José dos Campos, SP, e pós-graduada em gestão de projetos, percebeu que o seu currículo e experiência teriam que esperar um pouco até que a fluência no inglês fosse uma realidade. Enquanto isso, foi saboreando outros aprendizados que o intercâmbio nos permite – e foram muitos.

10917125_10204718531537470_8958181772330816311_n

Foto: Arquivo Pessoal

Por Sol Resende
Colaboração: Fabiano de Araújo

Em um período de transição de carreira e desesperançosa com o Brasil, resolvi que iria estudar fora. E assim, cheguei a Irlanda.

Na lista de opções de países de língua inglesa que me permitiriam estudar e trabalhar, estavam Austrália, Nova Zelândia e, por fim, a Ilha Esmeralda. Depois de pesar os prós e contras de cada um deles e considerar, também, que eu não conhecia a Europa ainda, fiquei com a Irlanda.

Cheguei em setembro de 2014, com inglês básico. Após um semestre de aulas na Ilha, o meu progresso na língua estava muito aquém do que eu imaginava. O emprego, então, parecia algo impossível e a verdade é que um sentimento de incapacidade foi crescendo dentro de mim.

Para suprir a agonia, me lancei nas viagens: Itália, França, Inglaterra, Escócia, Marrocos e também nos arredores de Dublin. As viagens foram lindas, mas o meu dinheiro evaporou-se com a mesma rapidez dos primeiros seis meses no Velho continente – e, no meu caso, não tinha auxílio financeiro da família. Foi então que decidi encarar o “subemprego”.

10360347_10203866136268121_3627576737010668134_n

Foto: Arquivo pessoal

E foi aí que surgiu o primeiro grande aprendizado do intercâmbio, pelo menos para mim. Viver em outro país, trabalhando apenas 20 horas por semana, te ensinará duas coisas: como viver de forma simples e que você não precisa de tanto assim para viver.

Na minha rotina não havia nadinha de festas, restaurantes ou bebedeira, como muitos relatam por aí. E não era porque eu não queria, era porque a grana quase não sobrava. Por sorte e persistência, consegui trabalhar em grandes eventos em estádios de futebol, vendendo bebidas e cachorro quente, o que me garantia algum momento de diversão nessas ocasiões. Trabalhava muito, ganhava pouco (o salário mínimo irlandês), mas me divertia um pouco.

O segundo grande aprendizado surgiu justamente pela situação em que me encontrava na Irlanda. Foi aí que descobri a força e a fé imensa que existiam dentro de mim. Eu me dizia todos os dias que tudo isso iria valer muito a pena. Confesso que por diversas vezes pensei em desistir. Mas aí pensava que desistir me levaria de volta a uma vida acomodada, em um país que enfrenta mais uma crise econômica, estrutural, de valores e política – o que também não era nada animador. Tentar outro país sairia caro e a essa altura eu não possuía mais recursos financeiros para tal. Então o melhor era arriscar por aqui mesmo e renovar o visto de estudante acreditando que as coisas mudariam. E mudaram!

1604936_10203804673131581_6543658319241933454_n

Foto: Arquivo pessoal

Já com o inglês melhor, comecei a fazer mais amizades. A pessoa comunicativa que sou voltou a aflorar e consegui estender o meu networking. Cheguei a enviar mais de 2000 currículos. Consegui umas poucas entrevistas, todas sem sucesso, mas continuei tentando. Não perdia uma oportunidade de interagir. Mesmo durante o trabalho como cleaner, sempre dava um jeitinho de bater papo sobre minha experiência no Brasil.

Passados 15 meses da minha chegada à Irlanda, finalmente as portas se abriram. Depois de tanto contar sobre minhas qualificações profissionais, um empresário notou meu potencial e me concedeu a oportunidade de trabalhar meio período em sua empresa. Foi incrível! Minha primeira oportunidade concreta de mostrar quem eu realmente era. O trabalho se resumia a serviços administrativos, com carga horária fixa, registrada e agora com um salário mensal. Thanks, God!

10660226_10204718533897529_8047933291060826746_n

Foto: Arquivo pessoal

Foi nesse momento que o intercâmbio me apresentou o terceiro grande aprendizado – e talvez um dos mais importantes: a persistência. Seria fácil ter desistido, seria fácil ter cansado de bancar a intercambista, mas se eu tivesse desistido, jamais teria a oportunidade de mostrar o meu profissionalismo. O “subemprego” me ajudou a chegar até aqui, e foi também ele que me permitiu aumentar meu networking e falar com pessoas que, como aconteceu, puderam notar meu potencial.

Então, o conselho que deixo para você, que tem um perfil parecido ao meu, independente financeiramente e com inglês básico, é: não se intimide ou desista na primeira oportunidade. Venha com uma reserva extra para os primeiros meses de dificuldade, de preferência o suficiente para se manter aqui, sem trabalho, por um bom período, pois você nunca sabe se o emprego surgirá em dois meses ou depois de um ano.

10675510_10204004206799798_5372167066326859777_n

Foto: Arquivo pessoal

E sim, venha disposto a lavar privada, a ser aupair, a servir, a ser camareira… Na pior das hipóteses todas essas experiências te ensinarão muita coisa sobre você mesmo, sobre os seus limites, sobre o quer você deseja para a sua vida, e ainda te ajudará a agradecer por tudo o que você já tinha e talvez não valorizasse.

O intercâmbio, a Irlanda e essa experiência louca de viver no país dos outros, me serviu de um aprendizado incrível. Foi aqui que eu aprendi a cozinhar bem, a lavar roupas com eficiência, a usar transporte público de forma eficiente, a fazer compras bacando uma economista e a entender que nada é tão simples como a gente pensa.

Desapegue-se do seu currículo incrível do Brasil, se você chegar por aqui com o inglês básico. Concentre-se em melhorá-lo, em ter alguma experiência aqui no exterior, mas ao mesmo tempo não deixe de lembrar a você mesmo e aos outros que tudo isso é temporário, que haverá o dia em que você vai poder se comunicar melhor, estar mais seguro da língua e, consequentemente, mostrar quem você é e todo o seu potencial. Afinal, a língua é apenas um dos aprendizados do intercâmbio.

10941856_10204718525337315_2918525919078134504_n

Foto: Arquivo pessoal

Com 35 anos, divorciada e sem filhos, a vida aqui na Irlanda parece me acarinhar melhor. Ainda não estou exercendo as minhas maiores habilidades profissionais, mas agora as expectativas são grandes e o entusiasmo maior ainda.

Até o frio desse ano parece estar bem mais suportável que o inverno anterior ;)!

Ficou com vontade de fazer intercâmbio? Comece por aqui!

A série Meu Intercâmbio conta com a colaboração do repórter Fabiano de Araújo e tem o objetivo de dar oportunidade a estudantes que estão vivendo a experiência de intercâmbio na Irlanda, de contar suas histórias, alegrias e perrengues como intercambistas. Se você também quer compartilhar como tem sido a sua nova vida desse lado do globo, basta entrar em contato com: [email protected]

Revisado por Tarcísio Junior
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Sobre o Autor


Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do colaborador do E-Dublin e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Quer ver sua matéria no E-Dublin ou ficou interessado em colaborar? Envie sua matéria por aqui!

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

Publicidade

E-DublinXP II – Conheça nossos expositores: KLM

18 horas atrás, por Publicidade E-Dublin
Trabalho

Profissões que vão bombar na Irlanda em 2018

7 dias atrás, por E-Dublin Press
E-Dublin TV

Trabalhar com contabilidade na Irlanda

1 semana atrás, por Edu Giansante
E-Dublin TV

Trabalhando com RH na Irlanda

2 semanas atrás, por Edu Giansante
Meu Intercâmbio

Fiz o Caminho de Santiago durante o meu intercâmbio

3 semanas atrás, por Colaborador E-Dublin
E-Dublin TV

Trabalho de programador Java na Irlanda

3 semanas atrás, por Edu Giansante
Saúde

5 dicas para comparar o seu seguro antes de comprar

4 semanas atrás, por Deby Pimentel
Meu Intercâmbio

6 motivos para fazer intercâmbio na Europa

4 semanas atrás, por E-Dublin Press
Trabalho

Dicas para quem deseja abrir empresa em Dublin

4 semanas atrás, por E-Dublin Press
E-Dublin TV

Como é ser DJ na Irlanda

1 mês atrás, por Edu Giansante
Trabalho

Taxa de desemprego na zona do Euro é a menor desde 2009

1 mês atrás, por Elizabeth Gonçalves
Publicidade

Mude sua Vida em 2018

1 mês atrás, por Publicidade E-Dublin