Quanto custa morar na Irlanda?

Quanto custa morar na Irlanda?

Rubinho Vitti

2 meses atrás

Quanto custa um intercâmbio?

Não vendemos pacotes e nem somos agência,
mas podemos te colocar em contato com elas.

Escolheu fazer um intercâmbio na Irlanda? Prepare-se para gastar. A Irlanda é um dos países mais caros para se viver em comparação com seus vizinhos da União Europeia. Produtos e serviços chegam a custar 25% a mais que a média do bloco europeu. A Irlanda é, por exemplo, o país mais caro em relação ao tabaco e a bebidas não-alcoólicas e o segundo em relação ao álcool, além de estar na quarta posição entre os mais caros na alimentação.

Mas, por que será que tantos brasileiros escolhem a Ilha Esmeralda para o intercâmbio?

A verdade é que, apesar de não ser o país mais econômico do mundo, a Irlanda ainda sai na frente quando se observa o custo-benefício para quem pretende passar uma temporada longe do Brasil. Com economia efervescente, as oportunidades estão abertas para todos, inclusive para os estrangeiros, que têm aproveitado a demanda do mercado em algumas áreas para investir no país a médio e longo termo.

Aluguel é o maior gasto do irlandês

A Irlanda hoje está no topo do ranking entre os 28 da União Europeia em relação ao preço médio do aluguel. O valor para se morar em Dublin, por exemplo, aumentou 50% desde 2012 — passando de uma média de 1.038 € para 1.527 € por mês ù enquanto os salários aumentaram apenas 4,4%. Além disso, o custo de uma casa com o aluguel, ou seja, conta de gás, eletricidade e manutenção, é 57% mais caro na Irlanda que a média europeia. Neste ano, o preço do aluguel bateu recorde na ilha, chegando a 1.403 euros mensais.

Além do aluguel, o morador da ilha vai ter que, obrigatoriamente, pagar contas como água e gás. Em uma casa com quatro pessoas, a média é de 50 euros a cada dois meses. Mas é possível economizar, ano a ano, dependendo da escolha da companhia. Lembrando que não se cobra pelo uso da água nas casas e é possível beber água direto da torneira.

Custo de vida em Dublin, a capital irlandesa

Custo de vida em Dublin chega a ser 30% mais caro que em outras cidades da Irlanda. © Clement Mantion Pierre Olivier | Dreamstime.com

Custo de vida em Dublin chega a ser 30% mais caro que em outras cidades da Irlanda. © Clement Mantion Pierre Olivier | Dreamstime.com

Quem mora em Dublin tem um pouco mais de dificuldade em pagar as contas. A capital irlandesa é a cidade mais cara para se viver na Irlanda. Para se ter uma ideia dos gastos, é preciso diferenciar o tipo de morador. Um intercambista que divide apartamento com mais pessoas (entre quatro e oito) tem gastos menores que uma família ou uma pessoa solteira que resolve morar sozinha.

  • Aluguel em quarto compartilhado: €330
  • Aluguel em quarto single: €600
  • Energia elétrica: €25/mês
  • Gás: €20/mês
  • Internet: €11
  • Supermercado: €100/mês
  • Transporte: €100/mês

Comparação de Dublin com outras cidades

Para se ter uma ideia, o custo de vida em Dublin é, em média, 50% mais caro que a capital São Paulo, com destaque para o transporte (84%), moradia (68%) e alimentação (48%). Outras cidades irlandesas são bem mais baratas para se viver, principalmente se colocar na ponta do lápis valores de aluguel.

Comparação entre Dublin e outras cidades da Irlanda (em porcentagem de gastos):

  • Cork: 20% mais barato
  • Limerick: 30% mais barato
  • Galway: 22% mais barato

Quanto custa a cesta básica na Irlanda?

Comer fora na Irlanda não é tão barato . É possível, no entanto, encontrar bons restaurantes por até 10 euros (entrada mais prato principal). Redes de fast-food também têm promoções especiais, inclusive com opções para estudantes. A compra mensal tem uma variável grande de preços, dependendo das marcas escolhidas e a quantidade necessária, mas a média é de 30 euros por semana. A dica é fazer compras semanais já que a maioria das pessoas que divide casa não tem muito espaço em casa para guardar mantimentos.

Entre os mercados favoritos estão as redes Tesco, Aldi, Lidl e Polonez.

Transporte público é eficiente, mas caro

Transporte público na Irlanda é eficiente, porém o preço não é barato para o uso de ônibus e trens. Foto: Juan Antonio Barros Moreno | Dreamstime

As cidades irlandesas geralmente são pequenas. É possível fazer trajetos a pé com facilidade. Mas o transporte público também é eficiente. Vamos exemplificar com Dublin. A capital irlandesa possui sistema de ônibus chamado Dublin Bus, com rotas, inclusive, com 24 horas de funcionamento.

Trens

Também existe o Luas, uma espécie de trem urbano, parecido com um metrô, mas que trafega na superfície junto com carros e bicicletas, além do Dart, que liga a capital com outras cidades da Irlanda, inclusive a Irlanda do Norte.

Não é barato utilizar o transporte público irlandês, mas existem pacotes semanais e mensais que são mais econômicos, ainda mais para estudantes. A cobrança é calculada por regiões percorridas pela cidade.

Bicicletas

A Irlanda, assim como a Holanda, também é conhecida pela utilização das bicicletas. Na capital, o serviço Dublin Bikes  é barato e comum entre moradores.

Preços do transporte público em Dublin:

  • Dublin Bus: 1,50 a 3,30 euros (ou 116 a 130 mensais)
  • Luas: 1,44 a 3,30 euros (ou 75 a 102 mensais)
  • Dart: 1,81 a 6 (ou 7 euros por dia ou 27 euros por semana para estudantes)
  • Dublin Bikes: 25 euros (por ano)

Fizemos uma comparação entre o transporte da Irlanda e Dublin e em outros países e cidades da Europa. Vale lembrar que a Irlanda possui apenas o serviço de Uber para carros executivos, os mais caros, e o táxi não é tão barato, sendo 4 euros ao entrar no veículo, mais 1,14 euros por quilômetro rodado, 24 euros a hora o veículo parado. No total, percorrer 10km, por exemplo, sai por volta de 20 euros. O uso de scooters é proibido na ilha.

Viagens pela Irlanda de trem, ônibus ou carro

Viagens por toda a Irlanda podem ser feitas de trem, uma forma confortável, porém não tão barata de viajar. Foto: Irish Rail

A Irlanda é um país pequeno e, para viajar entre suas cidades, gasta-se, no máximo, cinco horas. Viagens de ônibus pelas cidades irlandesas custam entre 10 e 30 euros, dependendo da distância. Os trens costumam ser mais caros via Dart.

Excursões saindo de Dublin geralmente custam entre 25 e 50 euros, e isso depende muito da rota. Vale lembrar que é possível alugar carros e nós, brasileiros, podemos dirigir na Irlanda com a carteira de motorista do Brasil. O custo para alugar um carro por um dia é em torno de 40 euros.

Viagens internacionais saindo de Dublin são baratas

A Irlanda está em um ponto estratégico no mapa da Europa e, por isso, viajar pelo aeroporto internacional de Dublin é bem mais barato. Destinos como Portugal, Paris, Londres, Madrid, Barcelona, Roma, entre outros, podem custar menos de 50 euros pelas companhias “low cost”. A irlandesa Ryanair é a mais famosa por sempre ter descontos e promoções.

Entretenimento diversificado, mas nem tão barato assim

Beber e comer fora na Irlanda é caro, principalmente pelo preço dos pratos em restaurantes e o valor da cerveja. © Attila Tatár | Dreamstime.com

Beber e comer fora na Irlanda é caro, principalmente pelo preço dos pratos em restaurantes e o valor da cerveja. © Attila Tatár | Dreamstime.com

A Irlanda é cheia de cultura por si só. As cidades têm muitos espetáculos musicais, teatrais e artes plásticas. Museu é o que não falta, principalmente pela rica história do país. A badalação é forte nos pubs do país, sendo que Dublin, por exemplo, tem quase 800 deles espalhados pela cidade, contando cerca de um a cada 1,7 mil habitantes. Mas beber na Irlanda é carézimo. O preço da pint (copo com 500 ml de cerveja) é, em média, 6 euros, e os drinks, por volta de 10 euros.

Shows e festivais em Dublin

Grandes artistas mundiais colocam a Irlanda na agenda, principalmente em Dublin em estádios como o Aviva e Croke Park ou casas de show como o 3Arena. Os ingressos mais baratos custam entre 70 e 80 euros. Já espetáculos musicais e shows menores, além de peças teatrais e de dança, custam cerca de 30 euros em diversos teatros espalhados pela cidade como o Bord Gas Theatre e o Olympia Theatre. Há ainda muitos festivais de música com valores por volta de 80 euros por dia de evento.

Cultura gratuita na Irlanda

Claro, existem opções culturais gratuitas, principalmente nas primeiras quartas-feiras de cada mês, em locais como Museu Nacional da Irlanda (Museu da História Natural, Arqueologia e Galeria Nacional), Museu de Arte Moderna e o Dublin City Gallery.

Cidades como Galway, Cork e Limerick também são ricas culturalmente. Galway, por exemplo, foi escolhida a capital cultural da Europa em 2020.

Custo-benefício em morar na Irlanda

Morar na Irlanda sai em média mil euros por mês.© Delstudio | Dreamstime.com

Morar na Irlanda sai, em média, mil euros por mês. © Delstudio | Dreamstime.com

Em resumo, gasta-se uma média de 1.000 euros mensais para viver bem na Irlanda. A qualidade de vida não é a das melhores, já que, por o aluguel ser caro, é preciso dividir casa com outras pessoas, o que diminui o conforto e a privacidade. Porém, com o alto poder de compra do euro, a Irlanda oferece a possibilidade de comprar muito com pouco. Dez euros no mercado, por exemplo, rendem uma mochila cheia de produtos.

O salário mínimo na ilha é de 10,10 euros por hora desde o primeiro dia de 2020. Para quem trabalha oito horas por dia, a média de salário bruto no fim do mês é de 1.600 euros, o que significaria pode guardar cerca de 600 euros ao mês. Para intercambistas, que podem trabalhar apenas 20 horas semanais, o valor cai pela metade. E daí é possível entender que a rotina dos estudantes na ilha é mais apertada, pois precisam viver com apenas 800 euros por mês.

Ao escolher viver na Irlanda, faça as contas e tente economizar o máximo para ter dinheiro guardado para casos de urgência. É sempre bom prevenir para não deixar que sua nova experiência seja um pesadelo.

Precisando de orçamento para o seu intercâmbio na Irlanda? Comece por aqui!

Veja também

Tipos de vistos para Portugal: Turismo, trabalho, estudos

Rubinho Vitti
Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar